Archive for junho \29\UTC 2008

::Pois é, né?::

29/06/2008

Perdemos e ficamos com o 2° lugar, a Espanha ganhou com razão. Quando a perda é inevitável, comecei, como qualquer outro ser humano, a relativizar: minhas raízes também vêm da Espanha, a metade da família do Matthias também mora lá, o Senna como brasileiro faz parte do time campeão e afinal de contas tudo não passa de um jogo de futebol.

Hoje foi também a festinha de aniversário no jardim do meu prédio. Inauguramos uma caixa de areia onde a criançada fez a festa, montamos uma piscininha de plástico, tinha também trampolim, balanço, corda, bola e muito, muito sol, céu azul e calor. Os adultos se deliciaram com café com sorvete de baunilha, café e bolo. Além da família e dos amigos, contamos com a presença de parte dos vizinhos e agora temos tudo para construir uma boa vizinhança no prédio. O Daniel adorou, cantamos parabéns pra ele em inglês, alemão, português e espanhol, ele soprou as velinhas e voltou a brincar, pois ganhou muitos presentes. Adorei mesmo a tarde, que transcorreu na mais perfeita harmonia.

Antes de ontem aconteceu finalmente a festa de 25 anos da minha empresa, já estava cansada através dos preparativos, que me custaram muito esforço. No fim fui embora antes de estar bêbada e antes da festa começar a desandar. Como meu sogro foi o chofer, hoje ele nos colocou a par de todos os deslizes do final da festa…

A partir de agora, os assuntos aqui no blog voltarão a ficar mais variados, pois a Eurocopa virou parte do passado.

Anúncios

::Finale, oh, oh…::

25/06/2008

Logo, logo vou escrever um post sobre as Linhas Ferroviárias aqui na Alemanha, já que estive viajando de trem no último final de semana entre Colônia e Aachen e aprendi mais um pouquinho, podendo repassar para vocês… Mas no momento continuo só falando de futebol: a Alemanha está na final da Eurocopa!!! E a transmissão do jogo de hoje contra a Turquia foi a coisa mais louca que já vi na televisão européia em todos os tempos: uma hora não havia som, outra hora não se podia ver nada, depois pegaram emprestada a imagem da tevê suíça e um locutor comentava pelo telefone, o que fez o som chegar um pouco primeiro do que a imagem… O 2° gol da Alemanha foi anunciado antes de que se pudesse ver que ele tinha acontecido… Bom, isso tudo para quem ainda tinha dúvida de que aqui ou em qualquer outro lugar do mundo só há humanos passíveis de erros… No entanto: gol, gol, gol, 3 x 2 contra a Turquia. Meio milhão de pessoas estão comemorando em Berlim, no Brandenburger Tor, junto de torcedores turcos, já que aqui também vivem alguns milhões de turcos que torceram por seu país, mas que sabem comemorar e agora torcem com os alemães.

:::-)::

19/06/2008

Comentários da Folha de hoje:

“Portugal é a equipe mais forte desta Eurocopa”, declarou Schweinsteiger. “Não é apenas [Cristiano] Ronaldo, é também Simão, Deco, Moutinho. Será difícil derrotá-los”, completou.

“Isso é comum no futebol, faz parte do jogo. Eles dizem que nós somos favoritos, e nós dizemos que são eles. Não tem que dar importância a declarações desse tipo”, rebateu Scolari.

§§§

A vitória foi sensacional e o time fez por merecer, jogou muito melhor do que nas partidas anteriores. E com o Deco, acabei descobrindo mais um brasileiro escondido na Eurocopa, além, é claro, do treinador Scolari.

::Passeio de domingo::

15/06/2008

Freilichtmuseum Neuhausen ob Eck

Visitei hoje um museu ao ar livre na cidade de Neuhausen ob Eck. Há sete museus deste tipo só aqui no estado de Baden-Württemberg. O museu de Neuhausen ob Eck é composto de 24 casas antigas típicas daqui do sul da Alemanha, que foram transportadas para dentro do areal do museu e ornamentadas como eram no local original. Meu sentimento era de como estivesse fazendo uma viagem ao tempo e visitando novamente minha vó, que morava na roça no interior de Minas, em Viçosa, sem energia elétrica, se alimentando das plantações, animais e da farinha de trigo que moía no moinho. No museu de hoje dá pra ver como eram as casas, as escolas e as profissões daqui nos séculos passados. Naturalmente muitas profissões já nem existem mais. No museu há também várias pessoas demonstrando como era a vida campesina e as profissões da Alemanha de antigamente. O museu está comemorando 20 anos e a festa de hoje foi com preços de 20 anos atrás, tanto do ingresso quanto de tudo que estava sendo vendido dentro do museu, inclusive comidas e bebidas típicas. A visita valeu a pena!

::O próximo campeão do campeonato europeu de futebol…::

13/06/2008

Wesley Sneijder…será a Holanda, a menos que aconteça algo de extraordinário durante o campeonato. Acabo de assistir o jogo da Holanda x França e pra quem gosta de futebol (e pra quem não gosta tanto também) foi um prato cheio: 4 x 1 para a Holanda, com gols de 4 jogadores diferentes, o último deles feito pelo Wesley Sneijder – foto ao lado. Os holandeses têm técnica, força, atitude, presença, funcionam muito bem como grupo e são muito, muito bons. Eles venceram, em menos de uma semana, o campeão (Itália) e o vice (França) da Copa do Mundo de 2006. Quero ver algum time ganhando deste time!

Adrian MutuP.S.1-Achei outro homem “mutu” bonito no time romeno: o jogador Adrian Mutu, que perdeu a chance de ganhar da Itália no jogo de hoje.

P.S.2- Enquanto isso, no Brasil, prendem sargentos gays que assumiram publicamente sua homossexualidade. Minha pergunta direta seria a seguinte: qual é o problema do exército? Não há como punir a homossexualidade em si, então pune-se a pessoa de outras formas? E quem pune os que agem em nome do preconceito?

::Mais uma mulher difícil::

11/06/2008

Luluzinha

Vocês também gostavam da Luluzinha? Eu era fã dela!

Até fiquei com saudade de ler de novo as revistinhas que eu adorava ler quando era criança!

Um pouco de sua história aqui.

::Mulheres difíceis::

10/06/2008

Eu acabei de ler este post maravilhoso da Denise no Síndrome de Estocolmo e fiquei pensando na minha condição natural de mulher “revoltada”, o que ela, por sua vez, chama de “difícil”. Eu cresci como filha de uma das poucas mães da minha época que trabalhava e era independente, completamente dona de seu nariz. Quando criança, alimentava minha imaginação com a independência da Penélope Charmosa ou a forma mandona e decidida de ser da Mônica do Maurício de Souza. Quando adolescente, virei ídola da Madonna, o que sou até hoje. A minha educação sexual vem daquele programa ótimo que passava todas as manhãs da Marta Suplicy. Ela respondeu a todas as minhas perguntas de adolescente de forma clara e sem preconceito. Em algum momento descobri que a Marylin Monroe exercia um fascínio enorme sobre mim, assim como a Hillary Clinton (apesar deste fascínio ter decrescido muitíssimo depois do caso da Lewinsky). A Angela Merkel, a chanceler alemã, pode ser feinha, mas é inteligente, decidida, sóbria, carismática e é uma pessoa de caráter.

Acho que é fácil demais se nivelar às outras mulheres e viver do jeito que a sociedade exige. Difícil é ter opinião própria e assumir sua vida do jeito que você quer que ela seja (apesar de nem você ter certeza o tempo todo de como sua vida deve ser). Acho fácil demais resumir as pessoas às roupas que elas trajam. Difícil é conhecer o outro aos poucos e descobrir seu caráter, sua alma, suas paixões. É fácil se esconder atrás de estereótipos, preconceitos, fazer o que “todo mundo faz”, difícil é ser aberto, receptivo, insistir nas semelhanças do ser humano e na nossa condição de diferentes, mas não superiores ou inferiores, parecidos apenas. Fiquei muito inspirada pelo post da Denise e passo a bola pra vocês, quem sabe surgem outros relatos e vocês também contribuem para aumentar o número de exemplos de mulheres difíceis?

::Quem tem dicas de como lidar com “aborrecentes”?

09/06/2008

Estou enfrentando a Taísa na adolescência e pelo rumo que a coisa está tomando, tenho que tomar medidas drásticas: ela só quer saber de se divertir e não liga pros estudos. Eu sei, ela não é a primeira e não será a última… Mas já passou dos limites! Adora ficar dependurada em internet, jogos, tv, handy, etc…

Quem tem sugestões?!?

::Meio a meio::

09/06/2008

Meu coração é metade verde e amarelo e a outra metade é preta, vermelha e dourada. Falo isso sem querer ser arrogante ou por outro lado sem me sentir traidora das minhas origens. Moro aqui há 15 anos e sou orgulhosa tanto do Brasil quanto da Alemanha, considero ambas as nações dignas de respeito e de amor e sinto que as duas são diferentes, mas não superiores ou inferiores entre si. Há pontos bons e ruins aqui e lá, não há um país perfeito neste mundo.

GuerreiroDá pra perceber quando assisto a um jogo de futebol, como o que acabou de acontecer hoje da Alemanha contra a Polônia: vibro como se fosse o time brasileiro que estivesse jogando, e tenho orgulho dos jogadores, torço para que eles cheguem a uma boa colocação e, se possível, ganhem o campeonato europeu de futebol, que começou ontem na Suíça e na Áustria. Só quando a Alemanha joga contra o Brasil, nas copas mundiais, é que “mudo de time” e torço de coração para o Brasil, minha pátria amada, lugar onde nasci e de onde vêm minhas raízes e minha cultura, minha visão de mundo. Mas como desta vez a competição é européia, estou torcendo 100% pela Alemanha. Detalhe: No jogo de hoje contra a Polônia havia um brasileiro recém-naturalizado polonês, chamado Roger Guerreiro. Alguém o conhece? Disseram que ele joga há 2 anos e meio em Warschau. Há mais brasileiros no campeonato: jogando no time da Turquia “Mehmet” Marco Aurelio e no time espanhol Marcos Senna. E no time alemão há dois dos melhores jogadores, Klose e Podolski, que nasceram na Polônia e o Podolski foi quem fez os dois gols da vitória do jogo de hoje. Mundo globalizado esse, nao é mesmo?

Mas eu só assisto jogos de futebol de grandes campeonatos. Fora deles, futebol não me interessa nem um pouco. Daí passam a ser 22 bobos correndo atrás de uma bola, pois pra mim futebol está ligado a festa e confraternização entre os povos e um joguinho de campeonato alemão ou brasileiro não chega a tamanha importância, pelo menos no meu modo subjetivo de ver este esporte.

Li nos jornais que fizeram um estudo aqui na Europa, dentre os países participantes do campeonato europeu de futebol, para analisar as preferências entre sexo e futebol. Somente na Itália e em Portugal as pessoas se dizem mais interessadas por sexo, nos demais países ganha o futebol. Será que é porque ele dura mais? Hehehehe… O futebol, desde a última copa mundial, deu ao torcedor alemão o direito de sentir orgulho do país, desde então ele tem a liberdade de poder ter um sentimento nacionalista saudável, o que é muito bom para o país. Todos falam aqui da “fábula do verão de 2006” e querem que ela se repita este ano. E enquanto o número de torcedores do sexo masculino continua mais ou menos o mesmo, o número de torcedoras do sexo feminino aumenta. Será que é porque tem realmente uns homens muito bonitos jogando futebol, vide o goleiro Artur Boruc da Polônia? Mesmo assim, contino não entendendo por que alguns esportes são quase que totalmente masculinos, por que os campeonatos femininos de alguns esportes não recebem a mesma pompa que os campeonatos dos homens. Para mim, tinha que ser tudo meio a meio, fifty-fifty para tudo entre homens e mulheres, em todos os campos possíveis e imagináveis, respeitando naturalmente a constituição física de cada sexo.

Aliás pulando pra este assunto, começaram a surgir alguns livros por aqui que tentam resgatar o nome de mulheres importantes ao longo da história, pois também a História tenta fazer acreditar que só homens ocuparam papéis importantes ao longo dos séculos. Acho isso de resgatar a história feminina super importante, pois a repetição de grandes atos depende também de bons exemplos, que teimam em não nos mostrar. E também com o fim de mostrar que, na realidade, o yin-yang, a convivência construtiva e positiva entre homens e mulheres é que tende a ser boa para ambas as partes. A solução está no meio do caminho. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

::Quando um menino-bebê vira um garoto::

07/06/2008

Semana passada foi a despedida do Daniel no hotelzinho onde ele fica 6 horas enquanto vou trabalhar. Fiz dois bolos, comprei balinhas e preparei alguns enfeites para que ele pudesse também comemorar antecipadamente seu aniversário de 3 anos. Ele percebia que iria acontecer alguma coisa de especial, eu expliquei pra ele que a partir da segunda-feira ele iria para um jardim de infância maior, onde poderia brincar mais, e que o caminho para lá era diferente e que ele sabia (ele já esteve lá anteriormente 2 ou 3 vezes), o jardim ficava perto da casa da tia Sabine.

Na segunda ele colocou sua mochilinha nas costas e pegamos o outro caminho para o novo jardim. Ele foi me “ajudando” e mostrando o caminho até o jardim, pois ele se orienta bem na cidade e conhece vários caminhos. Chegando lá, ele foi apresentado às novas educadoras, escolheu seu “cantinho”, onde poderá colocar sua mochilinha, blusa, chinelo, etc. Fui trabalhar e fiz o mínimo necessário de horas para voltar logo pro jardim, querendo saber como tinha sido sua adaptação no 1° dia. A educadora me contou que foi super boa, ele acompanhou bem o grupo e observou também o que os outros faziam (p.ex. na hora de almoçar), repetindo o que os outros faziam, e portanto estava se adaptando rapidamente. Quando olhei pro lado, o Daniel já tinha calçado sua sandalinha sozinho (no outro jardim ele nunca tinha feito isso, sempre esperava para eu o fazer) e tinha colocado novamente sua mochilinha nas costas, me esperando para irmos para casa. Eu expliquei pra ele que ainda iria passar rapidinho no hotelzinho, pois tinha esquecido umas coisas lá, mas que seria bem rapidinho, pois eu tinha medo dele entrar e não querer mais sair e não queria ter problemas com isso. Ao chegarmos no hotelzinho, eu perguntei se ele queria entrar ou ficar no carro, e ele disse, pra minha surpresa, que queria ficar esperando no carro. Isso pra mim mostrou que ele, apesar de tão pequeno, já tinha fechado esse capítulo de sua vida e estava pronto para a nova fase que tinha inicado naquele dia. O elogiei muito naquele dia, contei pra Taísa e quando o papai chegou em casa ele também ficou todo satisfeito com as novidades. Para completar o dia com chave de ouro, ele fez questão de ir dormir sem fralda (já não precisa de fralda durante o dia mas ainda punhamos fralda nele todo dia pra ir dormir) e desde então dorme numa boa sem fralda sem nunca ter feito xixi na cama. Foi assim que o meu menino-bebê virou um menino de jardim em um só dia.

P.S.-Vou colocar foto nova no fotolog dele agora. Aguardo uma visitinha sua lá!


%d blogueiros gostam disto: