Archive for outubro \29\UTC 2008

::Mineiros – kkkkkk :-)::

29/10/2008

Recebi por e-mail da minha amiga Alessandra:

Durante escavações no Pará, arqueólogos descobriram, a 100 m de profundidade, vestígios de fios de cobre que datavam do ano 1000. Os Paraenses concluíram que seus antepassados já dispunham de uma rede telefônica naquela época.

Os Paulistas, para não ficarem para trás, escavaram também seu sub-solo, encontrando restos de fibras ópticas a 200 m de profundidade. Após minuciosas análises, concluíram que elas tinham 2.000 anos de idade. Os Paulistas concluíram, triunfantes, que seus antepassados já dispunham de uma rede digital a base de fibra óptica quando Jesus Nasceu!

Uma semana depois, em Belo Horizonte, foi publicado o seguinte anúncio: Após escavações arqueológicas no sub-solo de Contagem, Betim, Igarapé, Itaguara, Carmópolis, Oliveira, Carmo da Mata, Passa Tempo, Morro do Ferro, São Tiago, São João del Rei e diversas outras cidades mineiras, até uma profundidade de 500 metros , os arqueólogos Mineiros não encontraram absolutamente nada. Assim se conclui que os antigos Mineiros já dispunham há 5.000 anos, de uma rede de comunicações sem-fio: WIRELESS.

>   > > Por isso se pronuncia ‘uai’ re less

(Quem inventou essa piada é mineiro dos bons! Hehehehehehe….)

Anúncios

::A crise e a “qualidade” dos programas de tv::

28/10/2008

Um a cada 7 empregos dentro da Alemanha depende direta ou indiretamente da indústria automobilística. A fábrica da Daimler Crysler vai ficar 4 semanas fechada, 150.000 pessoas não poderão ir trabalhar por causa da crise atual. A fábrica da Opel está também no momento de portas fechadas e pode ser que o período de recesso forçado se estenda até as férias de fim de ano.

A crise financeira continua me deixando boba. Quanto mais eu leio e quanto mais ouço notícias, mais me pergunto como pôde ser possível chegarmos a um ponto desses, de desestabilização da economia mundial por causa da ganância dos que trabalham diretamente no topo da área financeira. Talvez tudo isso venha para que aconteça a reorganização econômica e social deste mundo, que já está aliás passando da hora de passar por boas reformas, acima de tudo pelo lado humano!

Mudando de assunto, hoje estávamos discutindo no meu trabalho como os programas da televisão alemã tem piorado com o passar dos anos e estão se assemelhando aos programas oferecidos ao redor do mundo: reality shows, Big Brother, discussões intermináveis de pessoas sem o menor nível, concursos de todos os tipos. Se uma pessoa já esteve uma vez na tv ela é um “star”, se volta mais uma vez à tv ela vira um “super star”. Muitos reclamam da qualidade da tv, mas poucos fazem algo. Fico preocupada com nossos filhos, que viram zumbis frente a esses programas altamente emburrecedores.

Há poucas semanas atrás houve aqui na Alemanha uma festa de premiação para os “melhores” programas da tv, e um crítico literário que seria premiado teve a coragem de ir ao palco e negar o recebimento do prêmio, pois ele disse ter vergonha do nível (ou da falta de nível) da tv alemã. Achei legal, mas ao mesmo tempo um pouco hipócrita, ao ler que ele também já trabalhou para a tv alemã e agora cospe do prato que comeu. Mesmo assim ele deixou na cabeça de todos um ponto de interrogação e uma pergunta em aberto: até quando o público vai aceitar consumir tanta baixaria na tv?

::Caso Eloá mostra “nossa monstruosidade”::

25/10/2008

Sobre o caso da morte da menina Eloá, uma análise do terapeuta familiar Paulo Fernando Pereira de Souza, de uma reportagem da UOL que resume tudo o que penso sobre o lamentável ocorrido:

“Para que alguém se exiba, é preciso platéia. E eles se sentem como personagens de um espetáculo. Do mesmo modo, me espanta que ninguém tenha vergonha de ver Lindemberg sair sem ferimentos aparentes da cena e depois aparecer com sinais de ter sido espancado, já sob custódia do Estado. E ninguém fala nada. A polícia pode até achar que fez o melhor que pode, mas não dá para se sentir orgulhosa do resultado. Foi um fracasso. Também não imagino que uma emissora saia comemorando o furo jornalístico de entrevistar Lindemberg durante o seqüestro, porque é a história de uma tragédia.

A única parte meritória é a doação de órgãos, de resto também explorada como espetáculo pela mídia. Desse “monte de merda” brota uma humanidade, um ponto de luz, um momento em que a ação não é voltada para o próprio umbigo, e a gente percebe quantas pessoas, tão distantes umas das outras, são tocadas pela história”.

Todas as vezes que a ação do ser humano é dominada por seu ego, o resultado é desastroso. A mídia alemã passou uma única vez por uma situação parecida, há 20 anos atrás, quando dois desempregados resolveram roubar um banco, pediram um carro e levaram junto deles duas funcionárias com reféns. A mídia cobriu tudo de perto, a polícia não deu trela para os bandidos despreparados. Eles foram entrevistados enquanto apontavam o revólver para uma das reféns, foram perseguidos por estradas, meios de transporte, etc. durante 54 horas. O resultado foi uma tragédia: eles foram presos, mas uma das reféns conseguiu pular do carro e se salvou, a outra foi morta pelos bandidos. Pelo menos a mídia alemã não tem vergonha de apontar com um grande dedo de “mea culpa” para si mesma e também para os policiais envolvidos. Como aqui nada importante costuma cair em esquecimento, este caso foi mostrado este ano, quando completou 20 anos de “aniversário”, para que todos vejam os erros que foram cometidos na época.

Por coincidência e como paralelo ao caso brasileiro, erros advindos do ego dos policiais e dos jornalistas envolvidos, além da platéia formada frente ao apartamento da menina e frente às TV’s brasileiras.

::Gente do Ocidente – Pedro Morais::

24/10/2008

Gente do ocidente tem osso e dente
Anel e pente
Pé e parente
Tem sangue quente
Só não tem alma, porque a alma não tem fração

Gente do ocidente
Poder que mente
Olhar de crente
Corpo que sente
A paz ausente
Nem isso salva
Porque o que salva é prevenção

Gente o ocidente parece máquina
Mecanicamente falando, gente é redução
Partes macros e micros, fios, parafusos
Um todo confuso de fé e razão

Gente do ocidente é cabeça do homem
Gente do ocidente é cabeça do pau
Gente do ocidente ainda é doente de ditadura patriarcal

Freud estava certo:
Gente é puro sexo
Vontade, é desejo
E desejo, é tesão

Decart até passou perto
A força do universo é a força do grão
Mas não

::Investir em pessoas é o melhor caminho::

24/10/2008

Achei um blog fantástico do professor paulista Mauro Laruccia, onde podem ser lidos vários artigos super interessantes, como por exemplo este.

::”Midori-san”, a planta blogueira::

24/10/2008

Achei no IPC Digital, um periódico online para brasileiros no Japão, a seguinte notícia:

“Midori-san”, uma planta de 40 centímetros que fica em um vaso sobre o balcão de um café em Kamakura (Kanagawa), posta artigos em seu blog todos os dias com a ajuda de um sensor que mede sinais elétricos de suas folhas, sensíveis à luz e ao contato humano.

O projeto é de pesquisadores da Universidade Keio, que colocaram detectores para capturar sinais na superfície da planta e, por meio de algoritmos de computador que também analisam as condições climáticas, transformá-los em frases em japonês.

Não é incrível? O que será que essa planta conta a cada dia? O que vão inventar ainda mais neste mundo ? Outra notícia que me chamou a atenção foi o anúncio de que a Sony japonesa prevê queda de 59% nos lucros em 2008 e outra notícia falando da demissão de brasileiros no Japão. Curioso foi ler também os comentários dos leitores, principalmente de pavel/pavil/celestino/aline/sergio. É pra chorar de rir.

Ah sim, já ia me esquecendo: lá nos comentários do último artigo citado está escrito que operário aqui na Alemanha trabalha só 7 horas por dia, mas isso praticamente não existe mais. As jornadas de trabalho aumentaram novamente nos últimos anos. No momento muitos trabalham 38-40 horas por semana, dentro ou fora da indústria. Li que foi feita uma pesquisa e cada 6° trabalhador na Alemanha trabalha mais de 48 horas por semana. Outra pesquisa mostra que o ideal, na opinião do trabalhador alemão seria trabalhar 34,5 horas, o que implicaria na criação de 2,4 milhões de novos postos de trabalho.

::Roleta Russa::

23/10/2008

A sorte foi lançada

A roleta russa roda e torna a rodar

O passado, um sonho

O presente, uma loucura

O futuro, uma incerteza

Nada a dizer

Que seja claro

Nada a dizer

Que seja certo

No meio das incertezas

Da vida

Metidos no sobe e desce

Das ações,

Atoras invisíveis do caos,

Somente algumas certezas:

Tudo passa

Nada se cria

Tudo se transforma

E a saudade

Do que (ainda) não está lá

Bate forte

::Vamos ajudar e dançar::

22/10/2008

Mais informações no blog da Paula.

::Dica de leitura::

19/10/2008

Recomendo – e muito – o livro de Adriana Nunes intitulado “Nur die Edelsteine kommen aus Brasilien – Brasilianer in Deutschland” (Só as pedras preciosas vêm do Brasil – Brasileiros na Alemanha). A autora reuniu nele 31 histórias de brasileiros (jogador de futebol, política, perseguido político, prostituta, homem de negócios, bailarina, etc.) que, apesar das diferentes origens, vieram para cá em busca do mesmo objetivo: o de poder viver uma vida com mais qualidade, temperada com muita flexibilidade, persistência e criatividade, características tão peculiares nossas. Aprendi muito com este livro, que é cheio de passagens engraçadas, inusitadas, alegres e tristes, como a vida. Parece que o livro foi lançado só em alemão pela editora EOS. Leia aqui uma entrevista em português com a autora Adriana Nunes.

::Família & política::

19/10/2008

Sabe aquelas festas de família onde você vai obrigada? Pois é, pois é. Ontem fui numa dessas. E através dos lugares pré-definidos para que os convidados se sentassem no local da festa, e pela reação dos demais familiares percebi que estavam me passando a mensagem de que era «família de segunda classe», se vocês entendem o que eu quero dizer. Fiquei com raiva, decepcionada, triste. Mandei inicialmente as mesmas energias ruins que tinha recebido de volta para essas pessoas. Hoje tive a oportunidade de rever a situação com uma amiga minha muito querida e muito esclarecida, espiritualmente falando. Ela me explicou que se fico decepcionada com a reação do outro e coloco juízo de valor em sua atitude, estou devolvendo na mesma moeda, o estou categorizando da mesma forma que ele está fazendo comigo. Posso decidir que, apesar de ter visto a agressão, vou optar por continuar em paz comigo mesma e continuar a ser atenciosa para com o outro. E posso entender que se ele age desta maneira, é porque ele não consegue reagir de outra forma. E, por último, posso fazer uma análise da minha pessoa e me perguntar quando foi que eu coloquei pessoas em segundo plano, quando deixei de dar valor ao meu semelhante. Reconhecer que sou humana e falível, tão falível quanto o outro. Valeu o domingo!

Mudando de assunto, hoje votei pela primeira vez aqui na Alemanha! Apesar de termos somente um candidato a prefeito, ele precisa de um número mínimo de votos para ser eleito. E apesar de eu não concordar com tudo o que ele tem feito, considero-o um bom prefeito. Agora, com a nacionalidade alemã, não só tenho deveres nesse país, mas também direitos como cidadã, e naturalmente não poderia deixar de fazer uso deles.


%d blogueiros gostam disto: