Archive for abril \29\UTC 2010

::Nasce um “afilhado” da Mineirinha…::

29/04/2010

A minha leitora Neusa tinha me procurado no ano passado perguntando alguns detalhes sobre como lançar um livro, o que é necessário, quais eram meus contatos, etc. Ela me mostrou o material que tinha e eu fiquei empolgada com o projeto dela, a incentivando e dando dicas em torno do tema.

Eis que para meu orgulho a Neusa também virou escritora e lançou seu livro há pouco tempo no Brasil, como eu havia feito anteriormente. O tema dela é super interessante e combina até com os meus, pois ela fala da Alemanha oriental, que pôde retratar através das experiências de vida de pessoas com as quais fez amizade, que nasceram e viveram lá antes da queda do Muro. O tema combina com a Neusa, pois ela era professora de História no Brasil. E combina com a Mineirinha, porque virou meu “afilhado”, nasceu também com a ajuda da designer brasileira Cecília Palmer, que fez a capa do livro, tem um prefácio escrito por mim e agora tomou voo próprio!

Parabéns, Neusa, por ter acreditado em você, nos seu potencial e nos seus escritos! Obrigada por nos passar tanto ensinamento e história de vida, enriquecendo nossos conhecimentos sobre a Alemanha! Pra quem tiver ficado curioso e quiser pedir um livro, cujo nome aliás é “O Paraíso sem Bananas”, é só visitar o blog da Neusa e fazer o pedido diretamente com ela. Boa leitura!

Anúncios

::Encontros e despedidas::

27/04/2010

Enquanto trabalho, ouço música na Last FM. Acabo de ouvir uma versão linda desta música “Encontros e Despedidas” com o cantor mineiro Affonsinho, por sinal muito gostosa de ouvir, e tive o ímpeto de ir no YouTube pra procurar pela música original, cantada pelo Milton Nascimento. Quanta beleza e quanta verdade está contida nesta música! O retrato da vida, das idas e vindas, do término e do recomeço, de todas as nossas viagens internas e externas, da nossa vida errante de estrangeiros, da rotina e das surpresas de cada dia. Curtam comigo o mestre Milton, fazendo carinho nos nossos ouvidos…

::Transição da Mineirinha – porque “o tempo não pára”::

20/04/2010

Semana passada estive em Munique rindo com as deliciosas gargalhadas do meu sobrinho, sendo paparicada pelas delícias culinárias da minha irmã e terminando meu curso de European Business Coach.

Como não poderia deixar de ser, meu corpo deu todos os sinais de que estava em estado de alerta, pois eu tinha o objetivo fixo de sair de Munique com o certificado do curso na mão. As barreiras eram grandes, mas transponíveis. Éramos um grupo de 6 pessoas, todas profissionais de aproximadamente 20 anos de experiência em suas áreas de atuação, uma delas até chefe do departamento de treinamento e coaching de um grande banco alemão. Este banco aliás pagou para que 20 dos seus funcionários recebessem este treinamento e estivessem aptos a acompanhar funcionários em período de transição, conflito ou desenvolvimento dentro da empresa. Minha colega de curso era a última desse grupo de 20 pessoas a se certificar como Business Coach. Achei esse banco super legal! O nível do curso era alto e eu ia o dia inteiro para o treinamento, enquanto estudava à noite pra prova de quinta e sexta. A maiora do grupo não fazia provas há 20 anos, imaginem, e portanto o nervosismo era geral e declarado.

Depois de 6 meses de curso, tinha chegado a hora do “vamos ver”! As provas foram divididas em uma parte escrita, treinamento (cada hora um de nós como coach e nosso treinador como coachee, com o grupo todo observando, além da treinadora assistente), treinamento individual (eu como coach, a treinadora assistente como coachee e nosso treinador avaliando e observando nossa atuação) e depois uma apresentação de nós mesmos como coachs, além de uma prova oral. Ufa!

Os 3 momentos mais importantes pra mim aconteceram na quarta, quinta e sexta da semana passada. Na quarta tive a oportunidade de trocar idéias sobre minha apresentação com uma consultora de negócios/empreendedorismo, minha colega de curso, e ela me deu uma dica fantástica de como sintetizar a oferta dos meus serviços no mercado. Finalmente tive a sensação de que “tinha chegado lá”, depois de tantos meses tentando achar meu novo papel/área de atuação. Eu já tinha aplicado todos os métodos do coaching em mim mesma, já tinha tudo no papel, digamos que meu gato já estava preparado para o pulo, e com a experiência dela ele alçou vôo, quero dizer, eu! 🙂

Prova escrita

Na quinta foi a hora da prova escrita, e como aqui na Alemanha, em geral, só há provas de perguntas abertas e eu quase não escrevo mais à mão mas só no computador, pra mim foi uma corrida contra o tempo pra conseguir responder todas as perguntas em tempo hábil. Minha letra saiu “daquele jeito” e foi piorando com o nervosismo. Mas consegui! Todas as perguntas foram respondidas direitinho.

Treinamento prático e “O Despertar da Consciência”

Durante a tarde de quinta-feira fizemos o treinamento para a parte oral da sexta, e eu voltei pra casa da minha irmã satisfeita com os resultados e certa de que iria passar nas provas do outro dia. Tive a sensação de que não precisava estudar mais, que “tudo estava bom do jeito que estava”. Importante dizer que na ida e na volta li livros do autor Saul Brandalise Jr. que me acompanharam e confortaram, pois li um na ida e outra na volta. Os livros do Saúl são fantásticos para nos dar força em momentos críticos da vida assim como o meu, pois o autor, ex-dono da Perdigão, nos dá vários exemplos sobre como é importante prestar atenção nos sinais que a vida nos dá e também em seguir nossa intuição. Este foi mais um troca-troca de livros (mandei o meu pra ele, e recebi 2 dele aqui na Alemanha) e só posso indicar a leitura, principalmente do livro “O Despertar da Consciência”, cujo prefácio é do Dr. Lair Ribeiro. Obrigadíssima Saul! Que Deus o abençoe, ainda mais por ter “acertado” na hora de fazer seus livros chegarem às minhas mãos! 🙂

Finalmentes

As provas da sexta aconteceram exatamente como minha intuição tinha previsto: tudo correu super bem e recebi um feedback super legal. Saí da sala de provas aos pulos com o certificado na mão, toda feliz e sorridente. Ao olhar pra ele, vejo muita satisfação e a certeza de que o coaching tem muito mais poder do que eu imaginava! Nos próximos dias vou preparar um pequeno material de apresentação dos meus serviços, inclusive com condições especiais até o final do ano para os leitores da Mineirinha. Aguardem e fiquem de olho!!!

P.S.1-Escrevi estas linhas hoje pela manhã dentro de um trem viajando para Nurembergue, para onde vim ao encontro do meu primeiro cliente como consultora. Mais tarde, outras histórias!

P.S.2-Quem souber explicar no comentário o que é o coaching ou o que faz um business coach ganha um queijo virtual (um prêmio a ser acordado entre as partes) da Mineirinha! 🙂 Caso muitas pessoas dêem a resposta certa, a sorte decide pelo ganhador!

::Quem já conhecia o tal vulcão?::

20/04/2010

Só na sexta passada, por causa das provas, é fiquei sabendo do tal vulcão da Islândia e da impossibilidade de se voar na Europa por causa de suas nuvens de cinzas, pois a assistente do treinador/coach do meu curso tinha vindo especialmente da ilha de Maiorca pra cá pras provas na Alemanha e disse que não sabia quando poderia voltar pra casa! Incrível, né? Praticamente ninguém sabia que o vulcão Eyjafjallajökull existia, e agora todo o mundo já ouviu falar dele, ainda mais as pessoas presas dentro dos aeroportos, impossibilitadas de continuar suas viagens e vivendo no “mundo de ninguém”. O filme “Terminal” virou realidade para muitos! Com a falta de voos, estima-se que os aeroportos e as companhias aéreas estejam perdendo milhares de euros por dia e que os preços das passagens tendem a aumentar, para cobrir o prejuízo… A pergunta do dia: Quando será que se poderá voltar a voar normalmente sobre a Europa? Cada país tomará a decisão de forma soberana. E enquanto isso, empresas páram por falta de entregas, pessoas não viajam, a Europa e o mundo aprendem a duras penas que somos pequenos perante à força da natureza.

::Uma brasileira em Berlim::

10/04/2010

Parafraseando o escritor João Ubaldo Ribeiro fui uma das muitas brasileiras em Berlim durante esta semana. A viagem foi jóia!

Eu continuo achando que não há meio de locomoção melhor dentro da Alemanha do que o trem, ainda mais se tratando do ICE, o trem de altíssima velocidade que vai p.ex. de Frankfurt até Berlim em 3 horas. Porém, ao chegarmos em Berlim, levamos um susto com a informação de que teríamos que desviar do trajeto até o hotel porque uma bomba havia sido encontrada em uma das estações centrais da cidade. Na volta pra casa, li um artigo comentando que durante as Guerras foram jogadas 550.000 (!) bombas sobre Berlim e que considera-se que 15% delas não explodiram. Por isso, vira e mexe acham uma bomba por lá e parte da cidade pára por causa disso.

Tivemos a sorte de encontrar um excelente hotel com uma ótima promoção, onde crianças até 14 anos não pagam. Quem quiser que eu repasse a dica, é só avisar. Pra conferir se o hotel era bom mesmo além de ser bastante central (Berlin Mitte), dei uma checada no site www.booking.com, onde pessoas deixam comentários e fotos sobre os hotéis onde elas já se hospedaram, dando uma avaliação detalhada sobre os mesmos e não deixando dúvidas quanto a se um hotel é bom mesmo ou se é só propaganda. Aliás, eu amo este poder da internet! Um poder nosso, de consumidor, que eu adoro usar.

Em Berlim visitamos muitos dos pontos principais da cidade, e nos locomovemos na cidade com o tíquete Welcome Card, que pode ser adquirido para 48h ou 72 h de transporte público inclusive descontos em várias atrações de Berlim. Uma dica para quem viaja com crianças e vai ficar 3 dias na cidade: vale a pena comprar a versão 72h do tipo ABC, que cobre 1 adulto e 3 crianças de até 14 anos e fica mais barato do que se os tíquetes forem comprados de forma separada. Só dentro de Berlim há quase 600 quilômetros de linhas de trem (a maioria delas subterrânea) e portanto a infra-estrutura da cidade é invejável.

Como estávamos viajando em família, visitamos o Museu da Madame Tussauds, o Sealife einclusive a visita a um aquário gigante de 360° em volta de um elevador, chamado AquaDom (veja foto abaixo), e o Legoland Discovery Center, que é legalzinho mas nem se compara ao Legoland perto de Ulm, que é imenso e é ao ar livre. Uma dica, para quem tiver interesse de visitar 2 ou até 3 destas atrações, é comprá-las todas de uma vez em um desses 3 pontos, já que o desconto é bastante atrativo. Ah, no Reichstag (o prédio do parlamento alemão), onde há uma vista linda para a cidade, poderá ir no elevador que leva à cúpula do poder por uma entrada lateral, que só pode aliás ser usada por deficientes e famílias com crianças abaixo de 7 anos.

Duas atrações (gratuitas) que não aparecem nos guias mas das quais gostei muito foi uma “Sala do Silêncio” (Raum der Stille) que fica bem ao lado do Brandenburger Tor (Portão Torre de Brandenburgo). Ela serve para lembrar a todos os povos sobre nossas origens comuns e o respeito mútuo que devemos uns aos outros. Também gostei de ter feito uma visita curta a uma exposição dentro da Willy Brandt Stiftung (Fundação Willy Brandt) ao lado do museu da Madame Tussauds, que foi sobre os 60 anos das leis básicas alemãs (Einmischung erwünscht! 60 Jahre Grundgesetz) e faz uma cobertura bem grande da história da Alemanha e dos direitos de homens, mulheres e imigrantes na Alemanha, incentivando a discussão sobre temas atuais no país.

Deixando a logística de lado, me emocionei novamente com a história da Alemanha, e fiquei abobada pensando mais uma vez em quanto já se passou naquele pedaço de chão, ainda mais durante todos os anos da separação causada pelo Muro. Esta foi minha terceira viagem à capital e foi a primeira vez que meu marido visitou a capital de seu país. Acho que todo alemão deveria visitar esta cidade! Além da parte histórica, ainda tiramos uma tarde só para a Taísa bater pernas e poder visitar muitas lojas da cidade, o que pra ela, sob a perspectiva de uma adolescente, foi uma das melhores partes da viagem, claro.

A parte melhor da viagem na minha opinião ficou com os (re)encontros. Conhecemos um casal super hiper simpático que eu já conhecia virtualmente pela internet, o Paulo e a Evelyne. Ambos leram meu livro e nos receberam super bem na casa deles para um café com bolo e um bate-papo gostoso. Logo em seguida fomos para “A Livraria” para a apresentação do meu livro, sendo que o Matthias carregou no ombro 30 livros meus por alguns quilômetros do leste ao oeste da cidade, passando por restos do Muro de Berlim. Só o amor mesmo pode fazer com que um homem faça isso! 🙂 Lá revi p.ex. minha amiga Otília, a primeira brasileira que conheci aqui na Alemanha em 1993, depois de passados quase 20 anos…

A apresentação em si n“A Livraria” foi super legal, apesar de que tenho que confessar que estava super nervosa!… Fico agradecida pela ótima recepção por lá! O Paulo também teve o carinho de falar um pouco sobre sua opinião pessoal como leitor do “Mineirinha n’Alemanha” e sobre sua motivação de me ajudar na tradução do livro e de querer que ele seja publicado também em alemão. Eu contei um pouco da história do livro e li algumas partes do mesmo. No final, autografei alguns livros e voltamos pra casa satisfeitos, ainda mais porque vendi todos os livros que tinha levado para Berlim! A parte mais inusitada da apresentação ficou com o Daniel, que estava inesperadamente quietinho enquanto eu lia partes do livro e por fim cochilou, bem na primeira fileira, hehehehe… O Matthias comentou que isso aconteceu porque ele já conhece bem as histórias da mãe, o que não deixa de ser verdade!

Mas como Berlim é muito grande e tem muitas atrações, no final da semana ainda sobrou muita Berlim pra ser vista em outra oportunidade!

::Ainda pensativa::

10/04/2010

„Der beste Weg, die Zukunft vorauszusagen, ist, sie zu gestalten.”
Willy Brandt (1913-92), dt. Politiker (SPD), 1969-74 Bundeskanzler, 1971 Friedensnobelpreis

“A melhor maneira de prever o futuro é formá-lo”.
Willy Brandt (1913-92), político alemão (partido SPD), chanceler alemão 1969-74, Prêmio Nobel da Paz 1971
 
„Beachte immer, dass nichts bleibt, wie es ist und denke daran, dass die Natur immer wieder ihre Formen wechselt.”
Marc Aurel (121-180), s. 161 röm. Kaiser

“Preste atenção para o fato de que nada contina a ser como era antes e considere que a natureza sempre assume novas formas”.
Marco Aurélio (121-180), imperador romano
 
„Von den Chinesen können wir einiges lernen. Man hat mir gesagt, sie hätten ein und dasselbe Schriftzeichen (Wei ji) für die Krise und für die Chance.”
Richard von Weizsäcker (*1920), dt. Politiker (CDU), 1984-94 Bundespräsident

“Podemos aprender muito com os chineses. Disseram-me que eles têm uma só palavra (Wei ji) que significa ao mesmo tempo crise e oportunidade”.
Richard von Weizsäcker (nascido em 1920), político alemão (partido CDU), presidente da Alemanha de 1984-94

„Glück ist wie ein Maßanzug. Unglücklich sind meist die, die den Maßanzug eines anderen tragen möchten.”
Karl Böhm (1894-1981), östr. Dirigent

“A felicidade é como um terno feito sob medida. Infelizes são, na maioria das vezes, aqueles que querem vestir o terno de uma outra pessoa”.
Karl Böhm (1894-1981), maestro regente austríaco

„Das Glück besteht darin, zu leben wie alle Welt und doch wie kein anderer zu sein.”
Simone de Beauvoir (1908-86), frz. Schriftstellerin u. Philosophin

“A felicidade significa viver como qualquer um no mundo e ao mesmo tempo em ser incomparável a qualquer outro ser na Terra”.
Simone de Beauvoir (1908-86), escritora e filósofa francesa

„Glück ist ein Wunderding. Je mehr man gibt, desto mehr hat man.”
Germaine de Staël-Holstein (1766-1817), frz. Schriftstellerin schweizer. Herkunft

“A felicidade é uma coisa mágica. Quanto mais ela é dada, mas é recebida de volta”.
Germaine de Staël-Holstein (1766-1817), escritora francesa de origem suíça
 
„Wenn ein Drache steigen will, muss er gegen den Wind fliegen.”
Aus China

“Se um papagaio quer voar no céu, tem que voar contra o vento”.
Da China

::Pensamento do dia::

10/04/2010

Wir dürfen uns von Gott her immer wieder neu verstehen.
Da, wo wir mit unserem Leben an Grenzen stoßen,
will Gott uns auf einen neuen Weg bringen,
um uns zu denen zu machen, die wir in seinen Augen schon lange sind.
(unbekannter Autor)

Temos sempre a oportunidade de nos reinterpretar perante Deus.
Toda vez que enfrentamos situações extremas em nossa vidas
é porque Deus quer nos levar para um novo caminho,
para fazer de nós a pessoa que já é vista há muito tempo através de Seus olhos.
(autor desconhecido)

::Newsletter do Paulo Coelho: “Guerreiro da Luz” de 01/04/10::

09/04/2010

Artistas da vida

Preciso viver todas as graças que Deus me deu hoje. A graça não pode ser economizada. Não existe um banco onde depositamos as graças recebidas, para utilizá-las de acordo com nossa vontade. Se eu não usufruir destas bençãos, vou perdê-las irremediavelmente.

Deus sabe que somos artistas da vida. Um dia nos dá formão para esculturas, outro dia pincéis e tela, outro dia nos dá uma pena para escrever. Mas jamais conseguiremos usar formão em telas, ou penas em esculturas. A cada dia, o seu milagre. Preciso aceitar as bençãos de hoje, para criar o que tenho; se fizer isso com desapego e sem culpa, amanhã receberei mais.
 
O sapo e a água

Um advogado amigo meu, Renato Pacca, me manda um texto interessante: vários estudos biológicos demonstram que um sapo colocado num recipiente com a mesma água de sua lagoa, fica estático durante todo o tempo em que aquecemos a o líquido. O sapo não reage ao gradual aumento de temperatura (mudanças de ambiente) e morre quando a água ferve, inchado e feliz.

Por outro lado, outro sapo que seja jogado nesse recipiente com a água já fervendo, salta imediatamente para fora. Meio chamuscado, porém vivo!

Às vezes, somos sapos fervidos. Não percebemos as mudanças. Achamos que está tudo muito bom, ou que o que está mal vai passar – é só questão de tempo. Estamos prestes a morrer, mas ficamos boiando, estáveis e apáticos, na água que se aquece a cada minuto. Acabamos morrendo, inchadinhos e felizes, sem termos percebido as mudanças à nossa volta.

Há sapos fervidos que ainda acreditam que o fundamental é a obediência, e não a competência: manda quem pode, e obedece quem tem juízo. E nisso tudo, onde está a vida de verdade? É melhor sair meio chamuscado de uma situação, mas vivos e prontos para agir.

“A coragem no caminho faz com que o caminho se manifeste”.

::Scientology, NPD, igreja católica e violência na Alemanha::

08/04/2010

Na semana passada assisti na ARD o filme “Bis nichts mehr bleibt” (Até que não sobre nada mais), que demonstrou vários métodos da “igreja” Scientology. No filme é contada uma história fictícia, baseada em fatos reais, de uma família que foi separada e manipulada através da organização. Toda a filmagem foi feita às escondidas e foi declarada, até a conclusão do filme, com outro propósito. Ontem anunciaram no rádio os motivos do cineasta com relação ao filme: ele perdeu seu irmão nos EUA, que morreu doente, e depois da morte dele ficou sabendo que ele fazia parte da Scientology e que poderia ainda estar vivo se tivesse conseguido se libertar da organização. Fiquei bastante chocada! Logo após do filme aconteceu uma discussão na TV entre pessoas que eram contra, a favor e neutras com relação à organização/seita. Um jornalista filmou escondido como a “igreja” tenta controlar as pessoas, fazendo com que percam muito dinheiro, as pressionando psicologicamente para que aceitem empregos dentro da organização e não pagando salários, oferecendo em troca cursos de formação, e fazendo de tudo para eliminar pessoas que critiquem a Scientology. As pessoas são profundamente controladas, são levadas a dar detalhes de suas vidas por escrito e passar por várias análises com a ajuda de um detector de mentiras… Parece ser tudo uma mistura de lavagem cerebral, militarismo e alto poder psicológico, sem nenhum uso de força ou violência física. Acho uma pena que uma organização dessas, assim como partidos políticos de extrema esquerda como o NPD, não sejam proibidos dentro da Alemanha (e em outros países, claro)! A Scientology tentou de todas as formas evitar que o filme fosse apresentado na televisão, o que felizmente foi em vão. Logo depois da apresentação do filme, este foi liberado também na internet e pode ser acessado e visto – sem cortes – no link acima. A discussão em torno desta organização tende a se exacerbar nos próximos dias por aqui, o que acho muito oportuno.

A igreja católica também está passando por uma crise profunda aqui na Alemanha. As acusações de pedofilia e agressões dentro de igrejas e instituições religiosas crescem a cada dia e os atores de tais agressões são padres e outros membros da igreja; enquanto que as vítimas são crianças, hoje já adultas. Muitas vítimas já tinham feito denúncias no passado, mas a igreja tinha conseguido abafar os casos, que apareciam de forma descentralizada e aleatória, e os padres e bispos continuaram assim impunes por muitos anos, recebendo até novas funções e mais responsabilidade dentro da igreja católica. Depois de denúncias de pedofilia dentro da igreja católica na Irlanda, a pressão da sociedade alemã cresceu nas últimas semanas e desde o meio da semana passada as autoridades da igreja pediram que as pessoas entrassem em contato através de centrais de atendimento de vítimas para o esclarecimento dos casos do passado.

Em geral, a reação da igreja tem sido de não querer acobertar os casos e de estar disposta a esclarecê-los. No entanto, um bispo da Baviera, Walter Mixa, que está sendo acusado de ter batido em crianças em um centro infantil, está revoltado com as acusações feitas à sua pessoa. Ele reagiu ameaçando entrar na Justiça contra as (pelo menos 5) vítimas e afirmou estar sendo ele mesmo vítima de uma campanha contra a igreja católica.

O celibato está sendo discutido a fundo por aqui e as consequências para a igreja católica serão, por certo, notáveis, tais como a diminuição do número de fiéis, menos Kirchensteuer, o imposto abatido na fonte na Alemanha que vai para a igreja, e dificuldade na formação de novos padres. Minha cunhada me contou que a igreja “convocou” ativamente os fiéis para contribuir mais ativamente ainda com doações, visando diminuir os gastos da Igreja com ações judiciais ligadas às denúncias atuais… Pediram dinheiro até para as crianças que estão fazendo agora a 1a. Comunhão, que é motivo de muitos e bons presentes na Alemanha. Já deu no rádio que os fiéis estão pedindo para sair oficialmente da igreja católica, provavelmente decepcionados com a repercussão dos depoimentos das muitas vítimas. Ler sobre os detalhes de cada caso é asqueroso! Há casos de pessoas que, quando crianças, foram 50 ou até 100 vezes vítimas de seus agressores! Muitos dos casos não podem ser julgados mais perante a Justiça, pois eles aconteceram há muitos anos atrás, mas as consequências, as sequelas e o sofrimento psicológico destas vítimas me dão muito o que pensar!… Daqui a algum tempo talvez anunciarão qual é o número total das vítimas. Pelo jeito, parece se tratar de um grupo considerável… O papa Joseph Ratzinger está também sendo acusado nos EUA de não ter tomado medidas contra um padre daquele país, quando foi informado no final da década de 90 de um acusamento de pedofilia… As notícias do escândalo não páram de “pipocar” na imprensa e são todas bastante deploráveis.

Triste também a história de um rapaz na cidade de Eislingen. Há exatamente um ano ele matou seus pais e duas irmãs, com a ajuda de um “amigo”, provavelmente com o propósito de se apoderar da riqueza da família. Sua sentença foi divulgada pela Justiça alemã: ele foi condenado à prisão perpétua, e seu “amigo” comparsa, por ter provado ter problemas psicológicos, teve a pena reduzida e ficará 10 anos preso. Este caso me lembra aquela história da jovem alemã no Brasil que matou os pais com a ajuda do namorado, vocês se lembram dele? Não me lembro mais o que foi feito da tal menina. Alguém se lembra dela?

Fonte: Revista Focus, rede de televisão ARD.

::Alors on dance – Stromae – em português::

08/04/2010


Uma das coisas que gosto das rádios alemãs é que elas tocam músicas em outros idiomas também, inclusive o alemão. É uma brincadeira minha, mas há 15 anos atrás quase só se ouviam músicas em inglês nas rádios FM alemãs!

No momento há um hit em francês que eu estou curtindo muito. Parece que é o segundo hit em francês que chegou ao 1° lugar nos charts da Alemanha desde 1988. É a “Alors on dance” do artista belga Stromae (pelo que li, é uma mistura de letras em francês e significa “maestro”). Abaixo a tradução da música em alemão, que tirei daqui, e em português, que eu mesma fiz (e aceito correções!):

Alors on dance – Stromae

Qui dit étude dit travail,
Qui dit taf te dit les thunes,
Qui dit argent dit dépenses,
Qui dit crédit dit créance,
Qui dit dette te dit huissier,
Oui dit assis dans la merde.
Qui dit amour dit les gosses,
Dit toujours et dit divorce.
Qui dit proches te dis deuil car les problèmes ne viennent pas seul.
Qui dit crise te dis monde, dit famine et dit tiers monde.
Qui dit fatigue dit réveil, encore sourd de la veille,
Alors on sort pour oublier tous les problèmes.

Alors on danse

Et là tu te dis que c’est fini, car pire que ça ce serait la mort
Quand tu crois enfin que tu t’en sors, quand y en a plus et ben y en a encore!
XTC dis problème, les problèmes ou bien la musique
ça te prend les tripes, ça te prends la tête et puis tu pries pour que ça s’arrête
Mais c’est ton corps, c’est pas le ciel, alors tu te bouches plus les oreilles
Et là tu cries encore plus fort et ça persiste…

Alors on chante

Et puis seulement quand c’est fini, alors on danse.
Alors on danse
Et ben y en a encore

***
Wer von Studium spricht, spricht von Arbeit
Wer von Arbeit spricht, spricht von Geld
Wer von Geld spricht, spricht von Ausgaben
Wer von Krediten spricht, spricht auch von Forderungen,
Wer von Schuld spricht, spricht vom Gerichtsvollzieher
Und damit auch vom “in der Scheiße sitzen”
Wer von Liebe spricht, spricht auch von Bälgern,
Der spricht von “für immer” und von Scheidung
Wer von seinen Angehörigen spricht, spricht von Trauer
Denn Probleme kommen selten allein
Wer von Krise spricht, spricht von der Welt, spricht von Hungersnot und von der dritten Welt
Wer von Müdigkeit spricht, spricht auch vom Aufwachen – noch taub vom Vortag
Also ziehen wir los um die Probleme zu vergessen

Also tanzen wir

Und da sagst du, dass es das jetzt war, denn schlimmer als das wäre nur der Tod
Wenn du endlich glaubst, dass du klarkommst, dass nicht noch mehr schiefgeht, dann wirst du eines besseren belehrt
Ecstasy sagt dir “Problem”, “Probleme” oder auch “Musik”
Es zerstört dir die Eingeweide, es zerstört dir den Kopf und dann betest du, dass es aufhört
Aber das ist dein Körper, das ist nicht der Himmel, also hälst du dir nicht mehr die Ohren zu
Und du schreist noch lauter und alles geht genau so weiter …

Also singen wir

Und dann, wenn das vorbei ist, tanzen wir
Und es geht noch weiter

***
Quem fala de estudo, fala de trabalho,
Quem fala de trabalho, fala de dinheiro,
Quem fala de dinheiro, fala de gastos,
Quem fala de empréstimos, fala de demandas,
Quem fala de dívida, fala de oficial de justiça,
E também de estar “no meio da merda”
Quem fala de amor, fala também de crianças
E fala sobre “pra sempre” e sobre separação
Quem fala dos seus parentes, fala de tristeza
Porque os problemas quase nunca vêm sozinhos
Quem fala de crise, fala do mundo, fala da fome e do Terceiro Mundo
Quem fala de cansaço, fala também do acordar – ainda surdo do dia anterior
Então vamos sair para esquecer os problemas

Então vamos dançar

Então você diz que o pior já passou, pois pior do que isso seria só a morte
Quando você acredita que está voltando a controlar a situação, que nada mais vai dar errado, a vida te dá uma nova lição
Ecstasy te diz “problema”, “problemas” ou então “música”
Destrói suas entranhas, destrói sua cabeça e daí você começa a rezar para que isso chegue ao fim
Mas este é o seu corpo, este não é o céu, então você pára de tampar os ouvidos
E você grita ainda mais alto e tudo continua como antes…

Então vamos cantar

E então, quando tudo isso tiver passado, vamos dançar
E tudo continua

Fontes: Sites Uni-Protokolle, Wikipedia e Stromae.


%d blogueiros gostam disto: