::Homenagem a José Saramago::

Morreu ontem, aos 87 anos, José Saramago.

O homem que nunca foi à universidade, porque a família era pobre e não havia meios para isso.

O homem que, para sobreviver, fez um curso técnico e tornou-se serralheiro mecânico. No entanto, como tinha paixão pelas letras, passava suas noites na Biblioteca Municipal Central de Lisboa.

O homem que foi funcionário público em Portugal, por décadas. Aos 30 anos começou a fazer traduções, para aumentar sua renda de operário. Auto didata, traduziu Baudelaire, Hegel e Tolstoi, entre outros clássicos.

Único ganhador de um Prêmio Nobel em língua portuguesa, José Saramago ajudou, com isso, a estimular as vendas de livros e a aumentar o respeito por quem escreve em português.

O homem que, com esse sucesso, fez com que vários outros autores nacionais e da comunidade de língua portuguesa fossem descobertos e também lidos, o que estimulou os mercados de livros na nossa língua.

O homem que nunca escondeu suas ideias, brigou por elas, deixou muito claras suas posições, sem medo de críticas.
“Os bons e os maus resultados dos nossos ditos e obras vão-se distribuindo, supõe-se que de uma maneira bastante uniforme e equilibrada, por todos os dias do futuro, incluindo aqueles,  infindáveis, em que já cá não estaremos para poder comprová-lo, para congratularmo-nos ou para pedir perdão, aliás, há quem diga que é isto a imortalidade de que tanto se fala”.

O homem que escreveu em seu blog, ainda na semana passada: “Acho que todos nós devemos repensar o que andamos aqui a fazer. Bom é que nos divirtamos, que vamos à praia, à festa, ao futebol, esta vida são dois dias, quem vier atrás que feche a porta – mas se não nos decidirmos a olhar o mundo gravemente, com olhos severos e avaliadores, o mais certo é termos apenas um dia para viver, o mais certo é deixarmos a porta aberta para um vazio infinito de morte, escuridão e malogro”.

Autor versátil, ele deixou 20 romances, 3 livros de contos, 5 peças de teatro, 4 livros de crônicas, 3 livros de poesias e um de viagem. Os números, frios, nunca vão explicar a emoção da qual era carregada sua literatura, que fez chorar e rir, que espantou e acalmou, que fez pensar, enfim.

Fonte: Câmara Brasileira do Livro, resumo do Newsletter de 18.06.10.

“Acho que na sociedade actual nos falta filosofia. Filosofia como espaço, lugar, método de refexão, que pode não ter um objectivo determinado, como a ciência, que avança para satisfazer objectivos. Falta-nos reflexão, pensar, precisamos do trabalho de pensar, e parece-me que, sem ideias, nao vamos a parte nenhuma”.

Fonte: Revista do Expresso, Portugal, entrevista de José Saramago,11 de outubro de 2008

°°°
Como homenagem ao José Saramago, por seu espírito indagador e eternamente pensativo, coloco aqui o vídeo chamado “O Paradoxo do Tempo”, falando da missão da AIESEC, associação estudantil com 40 anos de Brasil, da qual participei por 4 anos e através da qual vim para a Alemanha:

A tradução do texto foi feita por mim:

O Paradoxo do Tempo
Através da História
É que temos prédios mais altos,
Mas menos humor;
Rodovias mais largas,
mas visões mais estreitas;
Gastamos mais,
Mas temos menos;
Compramos mais,
Mas aproveitamos menos;
Temos casas maiores,
Mas famílias menores;
Temos mais facilidades,
Mas menos tempo;
Temos mais especialistas,
Mas mais problemas;
Mais medicina,
Mas menos bem-estar;
Multiplicamos o que possuímos,
Mas reduzimos nossos valores;
Falamos muito,
Amamos muito pouco,
E odiamos com frequência;
Adicionamos anos à vida,
Mas não vida aos nossos anos;
Fomos à lua e voltamos,
Mas temos medo de cruzar a rua e encontrar nosso novo vizinho;
Dividimos o átomo,
Mas não conseguimos eliminar o preconceito;
Aumentamos a quantidade,
Mas nos falta a qualidade;
Estes são tempos de homens altos,
De baixo caráter;
Altos lucros,
E relacionamentos superficiais;
Este é um tempo de paz no mundo,
Mas violência dentro de casa;
Mais lazer,
Mas menos prazer;
Mais tipos de comida,
Mas menos nutrição;
Este é o tempo de casas mais bonitas,
Mas de lares destruídos
(…)

Anúncios

Tags: , , , , , ,

2 Respostas to “::Homenagem a José Saramago::”

  1. Priscila Andrade Says:

    Oi Sandra,

    Lindo o video e a sua mensagem 🙂

    Abracos e bom domingo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: