Archive for julho \21\UTC 2010

::Conselho de Cidadãos::

21/07/2010

O Conselho de cidadãos brasileiros da Baviera e Baden-Württemberg criou um portal para a divulgação de notícas e comunicados de interesse da comunidade brasileira, oferecendo também um espaço para o envio de comentários e perguntas. Confira você mesmo o novo site clicando aqui.

::Relembrando…::

20/07/2010

Amanhã à noite às 20h tem show da cantora brasileira Betina Ignacio aqui no lago, em Allensbach, às 20h: Umsonst und draußen – De graça e ao ar livre! Se estiverem aqui por perto, não percam! Caso morem longe do lago, aqui tem os outros shows dela neste verão.

::Ah, sim…::

19/07/2010

Só queria deixar registrado que alguns dias depois da vitória da Espanha na Copa, a vizinha do térreo, que mora aqui no prédio há uns 2 anos, veio cumprimentar o Matthias, meu marido. A conversa se desenrolou mais ou menos da seguinte forma:
– Ah, oi, tudo bem? Queria lhe cumprimentar.
E ele:
– Cumprimentar pelo quê?
Ao que ela retrucou:
– Pela vitória da Espanha. Vocês não são espanhóis?
O curioso é que a pergunta vinha de uma alemã, feita para um alemão, dentro da Alemanha, meio que querendo excluí-lo também de alguma forma, apesar dos parabéns. Tirando que uma bandeira nossa do Brasil ficou semanas dependurada na janela do outro vizinho português e que os nossos nomes, tanto o brasileiro, quanto o alemão, constam da caixa de Correios daqui de casa…
Meu marido respondeu:
– Não. minha esposa é que é brasileira. Eu sou alemão de “raça pura”.
Ele deu a resposta sorrindo de maneira irônica pra ela, pois cresceu na Espanha e já se mudou muitíssimas vezes dentro e fora da Alemanha. Na realidade nem ele mesmo sabe de quantas partes são feitas sua origem/identidade, ainda mais porque ele diz que queria ter passaporte brasileiro. Mas o que ele respondeu pra ela é verdadeiro: ele nasceu aqui. Antes que ela pudesse responder qualquer outra coisa, ele virou as costas e continuou andando pelo corredor do prédio.

::Culcha Candela e Keule – música alemã pra curtir, sorrir e dançar::

18/07/2010

Minha filha Taísa tinha pedido para ir a um show do Culcha Candela e nós, os marmanjos, nos oferecemos pra acompanhá-la, levando conosco duas outras amigas dela. O show da banda Culcha Candela, uma banda alemã absolutamente multicultural cantando em 4 idiomas (alemão, espanhol, inglês e patois – um dialeto francês jamaicano), foi ontem e nós adoramos!

A festa já começou super bem com a banda KEULE abrindo a noite, que também vem de Berlim e é super bem humorada. A banda, composta pelos músicos doidões Claus e Sera, desde a abertura arrancou vários sorrisos do público, que lutava com guardas-chuvas, capas e blusas com capuz contra uma chuvinha chata que teimava em nos molhar e tentava estragar o começo da festa. Bom que depois dos primeiros 15 minutos ela resolveu nos deixar! Pois bem, a primeira banda totalmente desbocada mas altamente legal, que vocês podem curtir abaixo, já deixou o público animado para o que vinha a seguir:

Depois de mais de uma hora de espera, finalmente chegaram os 6 integrantes do Culcha Candela (pelo que li significa Cultura Quente), que vêm de 5 países nos 4 cantos do mundo e já lançaram 5 CDs desde 2002, quando a banda surgiu em Berlim. Logo depois da música Sommer im Kiez (Verão no Bairro) o tempo firmou e deu pra ver até o restinho do sol. Eles cantam músicas misturando hip hip, reggae e ritmos latinos, e são parte de um movimento de renovação e transformação da sociedade mesmo que não fazendo questão de levantar o tempo todo a bandeira do multiculturalismo e contra o racismo, passando acima de tudo alegria, bom humor e um estilo de vida integrativo, onde há espaço para todos e todos se respeitam. Um estilo bem „Copa do Mundo“ mesmo. Através das músicas, eles passam para o público unidade, a ideia de que todos somos interdependentes, espalham bom humor e convidam todo o público pra curtir a vida e festejar. Achei interessantíssimo notar que o público da banda vai mais ou menos de 7 a 60 anos, pois tinha gente de toda idade por lá. Muito pai e mãe acompanhando filhos, como nós, muitos deles bem menores que minha filha, que tem 14 anos. A maioria das pessoas era super animada, dançava o tempo todo e muitos tinham sorrisos estampados no rosto. Acho que é um público que nós, brasileiros, não vemos com frequência aqui na Alemanha, mas é uma promessa de algo de bom que está brotando por aí, na sociedade e na cabeça das pessoas. Com vocês, Culcha Candela, com as músicas Next Generation (Próxima Geração) e Monsta (Moster – Monstro, aqui em um sentido positivo de “muito bonito(a)”):

Next Generation – Culcha Candela

-REEDOO-
culcha candela one more time now

-CHORUS-

it’s all about di next generation
whe people get ready fi crossover stylee
a di next generation
wi mix up dancehall hip hop an reggae now
next generation
worldwide yu see wi unite
fi di next generation
now mi seh knowledge an style move on

-LAFROTINO-
esta nueva generación te trae una nueva sensación
la escucharas en cada ocasión en cada radio estación
ahora quien nos va a parar quien lo quiere intentar
sin cultura no hay candela y tu no lo podras logar

-JOHNNY-
so again here wi come wit di positive vibe
wit a witout mic gotta work fa ya future
gotta see di responsibility a di next generation yu yow
see wi livin in a time a decision
an use our energy to make a change is our mission
I’m a son a di almighty mi seh just like yu
an a anyone of us haf struggle fa pass trough
anyting yu a go do is just to mek yaself gruu
untih yu get a chance to mek a better tomorruu

-CHORUS-

it’s all about di next generation
people get ready fî crossover stylee
a di the next generation
wi come fi mix up dancehall hip hop an reggae now
next generation
worldwide hear di people dem call
fi di next generation
now mi seh knowledge an style move on

-LARSITO-
next generation wi more dan jus fun
our responsibility is to carry on d’music
that our ancestors once gave to us
they might rest in peace but their spirit is alive

-ITCHY-
wir sind die next genration die sachen macht die gab’s noch nie
wir bringen mixed up new style das ist die new school ecstasy
worldwide weltweit schreien wie nach unity
denn wir battlen nie wir bilden uns ’ne massive community
manch einer muss noch begreifen dass schwarze nicht neger heißen
look at us wir haben spaß und lassen jetzt die früchte reifen
es gab die 90s mit der generation X jetzt ist 2000 und 5 und wir sind generation next

-CHORUS-

it’s all about di next generation
whe people get ready fi crossover stylee
a di next generation
wi mix up dancehall hip hop an reggae now
next generation
worldwide yu see wi unite
fi di next generation

-REEDOO-
yu hear mi comin fram da dark movin to see a brighter day
wit sunshine fi everybody
steppin out da dust fram a no to a yeah yeah yeah
spreadin bare positivity
yu haffi clean up your heart your mind an your talk all day
conscious fi iver wi steh
comin fram da dark an wi movin to a brighter day
let the sun shine pon your day

-CHORUS-

fi di next generation
people get ready fi crossover stylees
a di next generation
wi come fi mix up dancehall hip hop an reggae now
next generation
worldwide hear di people dem call
fi di next generation

it’s all about di next generation
whe people get ready fi crossover stylee
a di next generation
wi mix up dancehall hip hop an reggae now
next generation
worldwide yu see wi unite
fi di next generation
now mi say knowledge an style move on

::Ainda sobre o polvo Paul::

16/07/2010

Recebi a charge abaixo da minha amiga Svea Kröner e não consegui resistir à tentação de colocá-la aqui no blog, hehehehe… Obrigada, Svea!

Polvo Paul Mineirinha n'Alemanha

Autoria: Amarildo, trabalho publicado no Jornal A Gazeta-ES.

::Depois da Copa…::

15/07/2010

o que ficou foi seu mascote, o polvo Paul, que ficou conhecido como vidente por ter sido capaz de acertar vários resultados de jogos da Copa. Ele é inglês, mas mora no Sea Life de Oberhausen, aqui na Alemanha.

O Paul também já tinha sido servido como oráculo durante o Campeonato Europeu de 2008. Mas parece que naquela época seus poderes não estavam ainda bem desenvolvidos: ele errou 2 de 6 prognoses. Foi agora na Copa do Mundo da África do Sul que o Paul, dono de nove cérebros e sem nunca ter pisado naquele país, ficou mundialmente famoso: ele foi capaz de acertar o resultado de 8 jogos, o que é realmente um resultado impressionante e matematicamente muito improvável, tendo inclusive anunciado o vencedor da Copa Mundial: a Espanha.

Para comemorar, ele também ganhou sua própria taça da Copa e sua aposentadoria foi anunciada. Parece que sua vida de vidente chegou ao fim. Agora, depois de ter ficado famoso nos quatro cantos do planeta, sua função volta a ser a mesma de antes da Copa: maravilhar e divertir crianças e adultos. Vejam abaixo as previsões desse bichinho muito esperto, que já inspirou até um aplicativo para o iPhone e e está entre as 10 maiores tendências mundiais da atualidade no Twitter:



Fonte: Wikipedia, Telegraph de 07.07.10, página do Sea Life Oberhausen.

P.S.-No post abaixo estou fazendo uma pesquisa de opinião. Aguardo sua participação!

::Pesquisa de opinião::

09/07/2010

Outro dia estava conversando com uma descendente de alemães que mora aqui há 2 anos, tendo passaporte alemão, e ela disse ter dificuldades de torcer para a Alemanha, pois só conseguia torcer para o Brasil na Copa ou em outros jogos. Eu disse pra ela que eu também precisei de anos para passar a torcer para a Alemanha. Acho que passei a torcer mesmo depois de ter conseguido a cidadania, pois até então não me julgava tão integrada a ponto de torcer para “eles”. Mas quando o Brasil joga contra a Alemanha, claro que fico do lado do Brasil! Bom, até hoje me considero brasileira com passaporte alemão, mas às vezes sai um “wir” (nós) quando o assunto é como se saiu o time alemão ou qualquer outro assunto que diga respeito à Alemanha. Portanto fiquei curiosa pra saber de vocês como é esta questão na cabeça de vocês, brasileiros morando na Alemanha:
1 – torcem para ambos os times;
2 – se emocionam com a bandeira alemã;
3 – têm amor à pátria que lhes recebeu?
No meu caso, a reposta é afirmativa para todas as três perguntas. Deixe seu comentário!

::Fim de um sonho::

08/07/2010

Que pena que a Alemanha perdeu, né? Mas a verdade é que os espanhóis dominaram o jogo e ganharam por merecimento. Como nunca ganharam uma Copa em sua história, esta seria agora uma boa oportunidade que eles deveriam transformar em realidade.

A revista Spiegel, além de outras mídias aqui na Alemanha, comenta que o futebol contribui para mudar a imagem do país no exterior, de pessoas disciplinadas mas sem graça, para pessoas animadas e que gostam de festejar. Ele também contribui para “colorir” o país, pois abrigou 11 jogadores de um total de 23 cuja origem era estrangeira, representando assim a realidade atual do país e consegue portanto passar para o exterior uma imagem de um país mais aberto e moderno, com um novo patriotismo saudável.

O futebol alemão foi elogiado pelos quatro cantos do mundo (até os ingleses simpatizaram com o futebol da Alemanha e reconheceram suas qualidades – veja aqui) e apesar dos jogadores não voltarem pra casa com o 1° lugar, serão com certeza muito festejados quando chegarem aqui. Os alemães acreditam ter jogado bem na Copa e vêm a partida perdida como um ganho de experiência para seu desenvolvimento futuro. A opinião aqui é que os alemães perderam ontem para o melhor time do mundo da atualidade. Que a Espanha ganhe no próximo domingo!

::Sorriso no rosto :-)::

06/07/2010

Foi uma delícia assistir este vídeo, menos pela comemoração brasileira quanto à eliminação da Argentina, mas muito, muito mais pela saudade que bateu do Brasil ao assistir aos melhores momentos do último jogo entre a Alemanha e a Argentina e poder ouvir os comentários cheios de emoção do narrador brasileiro. 🙂
Curtam comigo:

Agradeço ao grupo Brasucas Bodensee pelo envio do vídeo! E vocês sabiam disso? O Klose fez até agora mais gols do que o Pelé e a reportagem acim diz até que ele está próximo de alcançar o Ronaldo. Confiram na RAPortage do grupo Blumentopf (Vaso de Flores) abaixo:

::Alemanha x Argentina::

03/07/2010

A vitória da Alemanha de hoje à tarde foi fantástica, não é mesmo? Nem a própria Alemanha acreditava que ganharia da Argentina com uma goleada de 4:0. A diferença entre os dois times saltou aos olhos do mundo: de um lado os argentinos, liderados pelo Maradona, senhores de si, centro do mundo, invencíveis, com a “mão de Deus”, e do outro a Alemanha, que tem um bom time e que trabalha em conjunto com eficiência e prazer, sinergia pura. O Lahm, o capitão da seleção alemã, acaba de ser entrevistado na tevê e disse que tinha como objetivo oferecr ao país uma tarde de verão com uma boa partida de futebol, se possível com uma vitória, e que isto pôde ser alcançado e portanto ele estava super feliz.

Desta vez, nós estávamos na praia aqui de perto de casa e assistimos o jogo em um bar ao ar livre, tomando uma cervejinha. Perto de nós haviam algumas crianças de uns 10 anos de idade que entendiam muito de futebol e faziam vários comentários, mostrando estar super bem informados. Uma graça! O torcedor alemão assiste o jogo bem mais calmo do que nós brasileiros, só comenta sua opinião com a pessoa ao lado e bate muitas palmas, se levantando e comemorando na hora dos gols. No mais, são quietinhos e silenciosos. Eles batem palmas quando um bom lance acontece, quando um jogador sai, quando o goleiro faz uma boa defesa. Acho que bater palmas é mesmo um ato típico alemão, que vale também para outras ocasiões, como para acompanhar uma música ritmada. Hoje à tarde nós aproveitamos bastante na praia e nadamos antes do começo do jogo e no intervalo do 1° para o 2° tempo. Hoje foi um dos dias mais quentes do ano aqui na Alemanha, por volta de 31°C, mas o sentimento era de que estávamos com mais de 35-37°C. Bom ter um lago por perto para refrescar!

Quando o jogo acabou, a Alemanha se transformou em uma festa só. Todos começaram a comemorar, a buzinar e sorrir, comemorando a vitória. Nas ruas só davam as cores da bandeira. Na rua principal do meu bairro, havia uma bandeira alemã ultra-dimensional e quatro torcedores estavam comemorando com cada carro que passava, fazendo “la ola” pra cada um que passava debaixo da bandeira deles e comemorava junto do grupo.

Independente do resultado, novamente o país ganhou com a Copa do Mundo – vejam como um exemplo o artigo abaixo que acabei de traduzir. Antes disso, curtam comigo o rap anterior à partida de hoje do grupo Blumentopf (Vaso de Flores). Tschüss Maradona! Tchau Maradona! Que venha a Espanha!


%d blogueiros gostam disto: