Archive for maio \28\UTC 2013

::Sou como um livro::

28/05/2013

“Sou como um livro.
Há quem me interprete pela capa.
Há quem me ame apenas por ela.
Há quem viaje em mim.
Há quem viaje comigo.
Há quem não me entende.
Há quem nunca tentou.
Há quem sempre quis ler-me.
Há quem nunca se interessou.
Há quem leu e não gostou.
Há quem leu e se apaixonou.
Há quem apenas busca em mim palavras de consolo.
Há quem só perceba teoria e objetividade.
Mas, tal como um livro, sempre trago algo de bom em mim.”

(Autor desconhecido)

::Dia das Mães na Alemanha::

12/05/2013

20130512-214206.jpg

Vocês já pararam pra pensar que em alemão não existe o termo “mãe coruja”?!? Em contrapartida, existe o contrário dela, a “Rabenmutter”, uma mãe que não liga pros filhos, que não cuida bem deles. Bom, mas que não é fácil assumir este papel, que aliás são muitos embutidos em um só, isto é fato!

Interessante também o fato de que o Dia dos Pais acabou de ser comemorado na Alemanha mas eles não ganham presentes das escolas de seus filhos, enquanto eu tive a sorte de ser brindada hoje com um vaso de planta e um poema!

Para todas as mães, tudo de bom pela passagem de seu dia! Aqui, mais uma vez, minha homenagem à minha querida mamãe.

::Curiosidades sobre a Alemanha – a versão da Eve::

05/05/2013

A Eve do blog “Rindo de mim comigo!” fez uma lista sobre as peculiaridades da Alemanha, inspirada naquela lista do francês morando em Beagá. Olhem como ela ficou legal! Eu teria só a acrescentar no n° 53 que a escola aqui no estado de Baden-Württemberg começa em setembro e que as crianças têm mais férias do que as que ela listou, como p.ex. Pentecostes, mais duas semanas em maio, tirando os dias livres não planejados e outros, causados por motivos involuntários, doença ou curso de aperfeiçoamento do professor, ou coisa parecida. Bom, ei-la ela, a lista da Eve (post completo):

°°°
Depois do textos do francês, alguns brasileiros que moram em outros países estão fazendo a mesma lista. Li uma lista de um brasileiro na Alemanha e como acho que posso contribuir com outros pontos, estou fazendo a minha versão.

Ao contrário do que muitos vão pensar, não é uma comparação do tipo certo ou errado, melhor ou pior. É claro que, com base na minha visão brasileira, consigo perceber o que é diferente na cultura alemã. Tomem esse texto como um relato de fatos e observações minhas nesses mais de três anos na Alemanha. E como toda lista, há muita generalização.

1-Aqui na Alemanha se gosta muito de esporte. Gostam de futebol, basquete, hóquei… Mas, o esporte preferido mesmo é o de reclamar. Reclamam se o tempo está ruim, se está bom, se o trem atrasa 5 minutos, se você faz uma paradinha estratégica no meio da rua…
2-Aqui na Alemanha se assoa o nariz em qualquer lugar, inclusive, à mesa. E eles não são nada discretos. Não se assuste se estiver tranquilamente sentado num banco de praça e alguém passar por você e fizer sons nada agradáveis num lenço de papel.
3-Por falar em lenço de papel, aqui na Alemanha, eles sempre têm lenços de papel nos bolsos, nas bolsas… Podem ser usados, do inverno passado, ou novinhos, ainda no pacote.
4-Aqui na Alemanha, não existe o hábito de se tomar banhos várias vezes ao dia. E muitos nem tomam todo dia. Isso também no verão. Eles dizem que gastam a pele e o hábito é perceptível no ar, nessa estação.
5-Aqui na Alemanha, existem milhares de quilômetros de ciclovias por todo o país. Os ciclistas andam para todos os lugares e, muitas vezes, em qualquer tempo. Inclusive embaixo de temperaturas negativas.
6-Aqui na Alemanha, pedestre sempre tem prioridade. Os carros param para você atravessar. A menos que o pedestre esteja, por distração, ocupando a ciclovia. Aí, ele vai ouvir a buzina ou os gritos de ciclistas mais estressados para sair do caminho deles.
7-Aqui na Alemanha, existem inúmeros parques. Bonitos, organizados e bem cuidados, tanto pela prefeitura quanto pelos moradores.
8-Aqui na Alemanha, existem inúmeros parques. Aqueles em que se pode fazer churrasco, aquele em que se pode deixar o cachorro solto e aqueles em que terá uma mulher fazendo topless e cinco metros depois, uma de burca.
9-Aqui na Alemanha, no verão, cada metro quadrado de grama nos parques ou praças é disputado. Os alemães parecem lagartixas se expondo ao sol, depois de meses de inverno e escuridão. (Thiago, essa é pra você!)
10-Aqui na Alemanha, tem as quatros estações bem definidas. Assim como as estações mudam, o humor também muda. Coitados de nós quando o inverno é longo….
11-Aqui na Alemanha, ser gay é ok. O prefeito de Berlin é gay. No seu discurso de posse, ele disse: “eu sou gay, e está bom assim!”.
12-Aqui na Alemanha, existem todos os tipos de moda. Você pode encontrá-las todas num único dia nas ruas. Ou numa única pessoa.
13-Aqui na Alemanha, você pode sair com um moicano (o corte de cabelo) verde, azul ou lilás, uma roupa rasgada e ninguém vai apontar o dedo te criticando. Eles vão olhar, mas vai ficar só no olhar.
14-Aqui na Alemanha, pode-se encontrar pessoas bebendo cerveja às 10h da manhã. Alguns já estão bêbadas nesse horário.
15-Aqui na Alemanha, é normal encontrar pessoas peladas nos parques durante o verão. Principalmente, em estados da antiga DDR. Eles ainda acham estranho quando os brasileiros estranham esse comportamento.
16-Aqui na Alemanha, existem saunas mistas. As pessoas ficam peladas lá, mulheres e homens. E estranham se brasileiros não aderem a esse comportamento.
17-Aqui na Alemanha, ser machista está fora de moda. Mas, ainda existe muito sexismo. Muito.
18-Aqui na Alemanha, o transporte público é integrado e, relativamente, pontual. O ônibus vai chegar a poucos minutos da partida do metrô, do bonde ou do trem. Com a mesma passagem, você pode andar em todos eles, na mesma cidade.
19-Aqui na Alemanha, não tem cobrador ou catraca nos metrôs, trens ou bondes. Mas, existe fiscalização regular. Caso você seja pego sem passagem, a multa é de 40 euros. Nos ônibus, o cobrador é o motorista.
20-Aqui na Alemanha, ainda existe nazismo e um partido político neo-nazista. Porém, quando essas pessoas organizam uma passeata em determinada cidade, aonde 200 neo-nazistas estarão presentes, 2000 civis estarão na mesma rua para impedir essa manifestação e mais 3000 policiais estarão nas ruas para impedir surtos de violência. (Números meramente ilustrativos)
21-Aqui na Alemanha, pobreza não é passar fome, mas não participar da sociedade.
22-Aqui na Alemanha, pelo menos em Berlin, vivem cerca de 140 nacionalidades diferentes.
23-Aqui na Alemanha, um estrangeiro nascido na Alemanha, com passaporte alemão, continua, frequentemente, sendo tratado como estrangeiro, fazendo parte da população com “história de migração”.
24-Aqui na Alemanha, os caixas automáticos ficam expostos nas ruas.
25-Aqui na Alemanha, é mais fácil um carro dormir na rua aberto e, no dia seguinte, continuar no mesmo lugar, do que uma bicicleta. Melhor não arriscar nem uma coisa nem outra.
26-Aqui na Alemanha, existe o “bairrismo”. Berlinenses acham que Berlin é melhor que Hamburg, os de Hamburg acham que Hamburg é melhor que Berlin. E o muniquenses acham que Munique é melhor que o resto da Alemanha. 🙂
27-Aqui na Alemanha, quando se visita alguém em sua casa, costuma-se tirar os sapatos e deixar na entrada. Você vai entender isso num dia de muita neve e lama, caso alguém entre na sua casa e esqueça de tirar os sapatos. Principalmente, se seu chão for encarpetado.
28-Aqui na Alemanha, quando se visita alguém em casa pela primeira vez, costuma-se levar algum “mimo”. Pode ser um vinho, flores, chocolate…
29-Aqui na Alemanha, alemães gostam muito de viajar. Viajam pelo próprio país, pela Europa, África, Áméricas… Por isso, eles podem te olhar de cara feia se você disser que nunca esteve na Amazônia.
30-Aqui na Alemanha, os alemães acham meia hora para chegar de um lugar ao outro dentro de uma cidade, muito tempo. 200km é muito longe.
31-Aqui na Alemanha, toma-se sorvete em qualquer época do ano. Quase.
32-Aqui na Alemanha, também existe o chá ou café da tarde, com bolo ou biscoitos.
33-Aqui na Alemanha, vinho é muito barato. Até o chileno.
34-Aqui na Alemanha, homem faz xixi sentado quase sempre. O que dá pra entender, se levar em consideração que quem limpa mesmo o banheiro é ele.
35-Aqui na Alemanha, não existe empregada doméstica. Só os muito ricos têm. Mas, existe faxineira. Que são, muitas vezes, estrangeiros ou estudantes universitários precisando de renda extra.
36-Aqui na Alemanha, muito mais em Berlin, as marcas das guerras ainda são visíveis, principalmente quando se anda nas ruas e se vê no chão uma plaquinha dourada em frente a alguns prédios: “nessa casa morou a família Y, enviada para o Campo de Concentração na data X e morta na data Z”
37-Aqui na Alemanha, remédio só é obtido com receita médica, é “gratuito”. Porém, dependendo do remédio, pode-se pagar uma taxa de 5 ou 10 euros. Mas, xaropes, vitaminas e analgésicos comuns, por exemplo, podem ser comprados sem receita.
38-Aqui na Alemanha, existe corrupção, sonegação de imposto e “jeitinhos”. Como o caso de plágio da tese de doutorado do ministro. Por conta disso, ele teve que renunciar ao caso. Ou o antigo presidente, que foi acusado de tráfico de influência e também saiu. E as contas na Suíça dos ricos alemães dizem muita coisa.
39-Aqui na Alemanha, a última categoria de estrangeiros é a dos refugiados. Ninguém quer e muitos fingem que nem existem. Contudo, por conta do seu histórico de guerra, a Alemanha não nega a entrada. Só dificulta a permanência.
40-Aqui na Alemanha, muita coisa é “Do it yourself”, porque mão de obra é muito cara. Pintar a casa e montar os móveis é responsabilidade dos moradores.
41-Aqui na Alemanha, em 99% das casas de classe média pode-se encontrar móveis da IKEA. Não só porque são mais em conta, como porque são fáceis de montar.
42-Aqui na Alemanha, os alemães fazem o número 3 com a mão usando o polegar, indicador e dedo médio. Lembram da cena de Inglorious Bastards?
43-Aqui na Alemanha, garçons e atendentes de lojas falam inglês nas grandes cidades. Mesmo que seja macarrônico.
44-Aqui na Alemanha, o rival no futebol é a Holanda. Na economia e cultura, a França.
45-Aqui na Alemanha, em muitos lugares, como restaurantes ou prédios residenciais, cachorros são mais bem vindos do que crianças pequenas.
46-Aqui na Alemanha, os cachorros são bem educados, quase não precisam de coleiras.
47-Aqui na Alemanha, os estrangeiros têm mais crianças que os alemães.
48-Aqui na Alemanha, estudante universitário recebe ajuda financeira para estudar. Entra na universidade por mérito de nota.
49-Aqui na Alemanha, nas escolas, a nota mais baixa é o 6 e a mais alta é o 1.
50-Aqui na Alemanha, economicamente, o muro que dividia a Alemanha Ocidental da Oriental ainda existe.
51-Aqui na Alemanha, internet é rápida e barata. Existem planos de telefonia que incluem o telefone fixo, celular e a internet num mesmo pacote, num mesmo preço.
52-Aqui na Alemanha, tem muito feriado. No Natal, por exemplo, dia 26 é feriado. Na páscoa, a sexta e a segunda.
53-Aqui na Alemanha, o ano letivo começa em julho/agosto. As férias escolares são: 6 semanas no verão, 2 semanas no outono, 10 dias no Natal e Ano Novo, 1 semana no inverno, 2 semanas na Páscoa. As datas variam de estado para estado.
54-Aqui na Alemanha, não se fala abertamente de dinheiro, salário etc. Os funcionários são proibidos de falar quanto ganham para os colegas de trabalho, por existir a “livre concorrência”.
55-Aqui na Alemanha, existe uma palavra para cada tipo de “amigo”. Colega de trabalho, colega de república, colega de escola, colega de faculdade, amig@/namorad@.
56-Aqui na Alemanha, é o aniversariante que leva o bolo para os colegas de escola/faculdade/trabalho.
57-Aqui na Alemanha, é importante olhar a previsão do tempo antes de sair. Pode estar fazendo sol, mas estará frio. Pode estar um céu azul lindo, mas vai chover no fim do dia. E pode nevar em pleno mês de abril.
58-Aqui na Alemanha, batata é o feijão com arroz de todo dia. Trazida pro país há 300 anos, salvou a fome dos alemães em muitos períodos por resistir ao frio e poder ser armazenada por muito tempo.
59-Aqui na Alemanha, você não pode chamar alguém com “Psiu!”, “psiu!” é para cachorro.
60-Aqui na Alemanha, tem praia. Tanto no mar, quanto em rios ou lagos (áreas de banho). Só que sem coqueiro. Pessoas vão de sunga ou biquinis. Ou trocam de roupa lá, na sua frente. Ou ficam pelados mesmo.
61-Se eu não parar agora, a lista não teria fim.

Fonte: blog “Rindo de mim comigo”, post de 29/04/13.

::Maxim – Meine Soldaten::

05/05/2013

Esta música do cantor Maxim está tocando nas rádios daqui desde a semana passada. O cantor é novo (pelo menos pra mim), a música é nova e a letra é bem feita, boa pra quem está treinando esta linguinha difícil. Aqui a capa do novo disco do artista, pra quem tiver ficado curioso e quiser ouvir mais de sua voz rouca com letras pensativas & poéticas:

Aproveitem pra curtir, estudar e aprender com o cantor, eis a letra da música:

Meine Soldaten – Maxim

Ich bau eine Mauer und sprenge die Brücken.
Systematisch jeden Gedanken an dich unterdrücken.
Die Fotos verbrennen und die Lieder zensieren.
Komme was wolle, ich darf die Kontrolle nie wieder verlieren.

Alles was sich bewegt, lass ich streng überwachen.
Verdächtige Elemente sofort unschädlich machen.
Es reicht ein Zeichen der Schwäche, ein Zittern der Finger.
Ich brauch kühles Blut, denn es tut mir nicht gut, mich an dich zu erinnern.
Es tut mir nicht gut, mich an dich zu erinnern.

(Refrain)
Und immer wenn mein Herz nach dir ruft
und das Chaos ausbricht in mir drin,
schicke ich meine Soldaten los,
um den Widerstand nieder zu zwingen.
Immer wenn mein Herz nach dir ruft
und es brennt in den Straßen in mir drin,
befehle ich meiner Armee alles zu tun,
um es wieder zum Schweigen zu bringen.
Bis es geknebelt, gebrochen ist und weggesperrt
und mir endlich gehorcht mein armes Herz.

Ein guter Soldat stellt keine Fragen.
Er läuft Runden im Park, bis die Beine versagen.
Die Stirn in den Staub wie ein Ja und ein Amen.
Ein Soldat vergisst alles,
im Falle des Falles auch den eigenen Namen.

Doch ich brauch nur einen Verräter, eine undichte Stelle,
einen winzigen Stein für eine gewaltige Welle,
ein Funken im Zunder und alles steht wieder in Flammen.
Die ganze Fassade klappt wie ein Kartenhaus in sich zusammen.
Klappt wie ein Kartenhaus in sich zusammen.

°°°

Outras músicas lindas do Maxim: Alles versucht (Tentei de tudo); Gefährliche Zeiten (Tempos perigosos).

°°°

Depois de postar a música acima, percebi que o cantor tem mais história do que eu imaginava, ele faz música já há anos. Como o artigo que acabo de ler bem nota, “Sich aus einer Schublade zu befreien, in der man gelandet ist, fällt äußerst schwer. Ein einmal aufgeklebtes Etikett bleibt hartnäckig haften, auch wenn es so gar nicht mehr passen will. Maxim kennt diese Problematik“. Traducao livre: É super difícil conseguir se livrar das etiquetas que o tempo pregou no seu caminho. Uma etiqueta colada há tempos teima em ficar colada, ainda que ela nao combine mais com a pessoa. O Maxim conhece esse problema muito bem.

Leia mais aqui.

Fonte: Laut.de

::Paciência::

03/05/2013

Recebi hoje por e-mail da minha amiga Silvia e estou repassando, depois de ter ficado sabendo que um ex-colega de trabalho morreu aos 44 anos de ataque do coração… Que ele esteja bem!

PACIÊNCIA

Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados… Muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.

Por muito pouco a madame que parece uma “lady” solta palavrões e berros que lembram as antigas “trabalhadoras do cais”… E o bem comportado executivo? O “cavalheiro” se transforma numa “besta selvagem” no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar…

Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o jeito do chefe é demais para sua cabeça, a esposa virou uma chata, o marido uma “mala sem alça”. Aquela velha amiga uma “alça sem mala”, o emprego uma tortura, a escola uma chatice. O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio virou novela.

Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos e balancei a cabeça, inconformado… Vi uma moça abrindo um e-mail com um texto maravilhoso e ela deletou sem sequer ler o título, dizendo que era longo demais.

Pobres de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para Deus.

A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta.

Pergunte para alguém, que você saiba que é “ansioso demais” onde ele quer chegar?
Qual é a finalidade de sua vida?
Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua resposta.
E você?
Onde você quer chegar?
Está correndo tanto para quê?
Por quem?
Seu coração vai agüentar?
Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo vai parar?
A empresa que você trabalha vai acabar?
As pessoas que você ama vão parar?
Será que você conseguiu ler até aqui?

Respire… Acalme-se…

O mundo está apenas na sua primeira volta e, com certeza, no final do dia vai completar o seu giro ao redor do sol, com ou sem a sua paciência…

NÃO SOMOS SERES HUMANOS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA ESPIRITUAL…

SOMOS SERES ESPIRITUAIS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA HUMANA…

Autoria: Paulo Roberto Gaefke


%d blogueiros gostam disto: