Archive for junho \09\UTC 2013

::Ajude os que sofrem com as enchentes na Alemanha!::

09/06/2013

Durante as últimas semanas, todas as vezes que via uma reportagem sobre as enchentes, pensava sempre na falta de informação referente a doações, algo que aparece tão rápido aqui quando se trata de ajudar outras regiões passando por catástrofes como a que desta vez está atingindo o solo alemão.

Nesta reportagem da revista Spiegel, li hoje a resposta para a minha indagação: nos comentários afirmam que a Alemanha tem dinheiro para mandar para outros países na Europa, e portanto, não precisa de ajuda. Comentam que em 2002 ajudaram, mas que agora não vão apoiar o fato de que os recursos públicos foram mal empregados e as enchentes voltaram, porque não foram tomadas medidas preventivas. E por aí vai.

Fiquei com uma pulga atrás da orelha. Aquele que fechou seu comércio em um dia e no outro perdeu tudo, ao achar seu ganha-pão debaixo d’água, sem ter seguro que lhe cubra os danos, tem consciência de tudo isso. As famílias que terão que recomeçar do zero também estão cientes de que a Alemanha é um país rico, etc. e tal. Mas de que adiantam todos estes fatos pra quem perdeu TUDO?!?

Portanto, convoco todos aqueles que pensam como eu para que façam uma doação, ainda que pequena. „De grão em grão a galinha enche o papo“. Hoje aconteceu com eles, amanhã poderia acontecer conosco e ficaríamos felizes se recebessemos ajuda, não importa de onde quer que ela venha, não é mesmo?

Para fazer sua doação, clique aqui. Ou faça a transferência direto para a seguinte conta, que é da „Aktion Deutschland Hilft“, uma associação sem fins lucrativos que reúne todas as maiores organizações alemãs que lidam com a ajuda ao próximo, principalmente durante catástrofes como a atual.
Deutschland Hilft

Pra pensar, fecho com um pequeno texto:

„Deus nos fala por todas as vozes do Infinito. E fala, não em uma Bíblia escrita há séculos, mas em uma bíblia que se escreve todos os dias, com estes característicos majestosos, que se chamam oceanos, montanhas e astros do céu; por todas as harmonias, doces e graves, que sobem do imo da Terra ou descem dos espaços etéreos. Fala ainda no santuário do ser, nas horas de silêncio e de meditação.“

„O Mestre queria dizer-nos que Deus, acima de tudo, é nosso Pai. Criador dos homens, das estrelas e das flores. Senhor dos céus e da Terra. Para Ele, todos somos filhos abençoados. Com essa afirmativa, Jesus igualmente nos explicou que somos no mundo uma só família e que, por isso, todos somos irmãos, com o dever de ajudar-nos uns aos outros (…). Na condição de aprendizes do nosso Divino Mestre, devemos seguir-lhe o exemplo. Se sentirmos Deus como nosso Pai, reconheceremos que os nossos irmãos se encontram em toda parte e estaremos dispostos a ajudá-los, a fim de sermos ajudados, mais cedo ou mais tarde. A vida só será realmente bela e gloriosa, na Terra, quando pudermos aceitar por nossa grande família a Humanidade inteira“.

Fontes: reportagem da Spiegel de 08.06.13 “Hochwasser-Hilfe in Deutschland: Ebbe auf den Spendenkonten”; O Livro dos Espíritos, Allan Kardec; Palavras de Emmanuel, Francisco Cândido Xavier.

::Quais são suas dicas de viagem na Europa?::

07/06/2013

A Juliane Luz, uma leitora do Mineirinha escreveu perguntando sobre dicas de viagens em família com crianças. Acabou me inspirando para um novo post e para convidá-los a acrescentar nos comentários as suas dicas pessoais. Aqui vão as minhas:

Olha, eu já fui na Eurodisney com as crianças. Legal também é o Legoland que fica pertinho de Ulm.

Quando viajo, faço pesquisas no booking.com e já reservei hotéis ótimos nesta página. Adorei também a nova experiência do camping, o Mobilheim é ótimo e pra crianças um camping é muito legal!

Eu olho os comentários das pessoas e faço pesquisas, dando mais importância aos comentários de famílias com crianças, como no meu caso.

Já consegui hotéis de 3 e 4 estrelas mais baratos do que hotéis mais simples, porque muito hotel bom oferece a pernoite grátis de duas crianças, se elas dividirem com os pais o mesmo quarto.

Adorei viajar com a AIDA! Faria uma outra viagem de navio pra qualquer lugar com a empresa! Nota 10!

Quanto a voos, eu procuro sem parar até achar o que quero. Olho preço, tipo de avião, nome da cia. aérea e a duração total dos voos além do número de conexões.

E com relação ao aluguel de carros, procure ofertas sem limite de km e com um motorista a mais incluído. Eu já viajei muito de trem, mas no momento as passagens estão muito caras, apesar de que até 6 anos as crianças viajam de graça na companhia de um adulto.

Geralmente invisto muito tempo nas pesquisas e acho que vale a peba comprar livros dando dicas sobre o destino ou baixo uma App pra fazer pesquisas.

E quais são suas dicas pessoais de viagem na Europa?

::Mineirinha agora com página no Facebook::

05/06/2013

Agora o livro “Mineirinha n’Alemanha” também tem uma página própria no Facebook. Clique aqui se quiser recomendar o livro. Muito obrigada! 🙂

::Quem tem boca, vai a Roma!::

02/06/2013

Tinha ido bem perto de Roma há alguns anos, mas não cheguei a conhecer a cidade. Fiquei frustrada e decidi que um dia ia, sim, conhecer Roma, mas iria querer ter uns dias pra ver de perto a cidade.

Isso se resolveu neste Corpus Christi, quando fomos, nós e a irmã do Matthias, além de um de seus filhos e um amigo, conhecer a cidade. Ficamos num camping ótimo, a 9 km do mar e bem pertinho de ônibus do metrô da cidade.

O camping (Fabulous, parte da rede ECVacanze) foi gostoso por várias razões: apesar de vir de cidade grande, sei como é gostoso ter contato com a natureza, e era bom chegar da metrópole e entrar na floresta de pinhos, onde ficava nossa casinha de camping. A casinha era fofa e completa, tinha de tudo, até uma varandinha coberta, e mesmo nas noites frias seu sistema de calefação não nos deixou na mão. Para construir as casinhas, a floresta foi respeitada. Uma das árvores passava no meio da nossa varanda!

Pro Daniel então o lugar foi perfeito. Ele podia jogar bola com o primo e seu amigo, ir na piscina, brincar com os catos do camping ou andar de carrinho antes e depois dos passeios. Pra nós, foi também muito gostoso ficar lendo na varanda ao som do barulhinho das árvores. Descansamos até!

Algumas observações sobre Roma e os caminhos que nos levaram até lá:

– Roma fica mais longe do sul da Alemanha do que se pensa. Na ida, pegamos várias horas de engarrafamento no túnel suíço de São Gotardo e precisamos ao todo de 15 horas de viagem, incluindo todas as paradas. Foi por isso que pegamos o San Bernardino na volta, economizamos algumas horas e vimos paisagens maravilhosas na Suíça, do extremo verão ao extremo inverno, todas as estações num só dia. Fizemos a volta com 12 horas.

– A cidade é linda, mas enorme, onde se concentra a maior parte das obras de arte espalhadas pela Itália. Por isso, haja pés pra caminhar tanto! Mesmo pegando metrô e ônibus, ainda fica muito pra conhecer de S2-pés, ou per pedes. A parte boa é que chegávamos em casa tão acabados que, mesmo sendo uma família coruja e adorando dormir tarde, íamos dormir relativamente cedo pra nós (perto da meia-noite).

– A melhor maneira de ficar móvel na cidade é munir-se de um mapa e de um tíquete combinado para trem e metrô. Com 24 euros para um passe pra semana toda o primeiro problema da mobilidade estava resolvido.

– Os ônibus de Roma são como os do Brasil: passam no ponto na hora que lhes dá na telha. Você vai pro ponto e fica lá, esperando, até o ônibus dar o ar de sua graça. Mas nós até que tivemos muita sorte! Nunca esperamos mais do que uns 15 minutos, ou chegávamos na estação final e o nosso ônibus estava lá esperando pela gente.
Também fizemos um passeio extra para conhecer Roma à noite, que indico. A iluminação da cidade é toda indireta e tudo fica lindo à noite, bem charmoso!
– Eu tenho um Fiat 500 e esperava encontrar muitos por lá. Que nada! O romano adora o SMART, carro que eu tinha antes e também continuo amando. Lá é uma das cidades da Europa onde mais vê-se SMARTs, que são fofos mesmo e combinam com a cidade, suas ruazelas e carros estacionados de todo jeito pelos cantos delas. Aliás, o italiano adora um carro alemão. Vimos muito VW, Audi, Mercedes, BMWs, etc. pelas ruas e rodovias do país.

– Já que estamos falando de direção, o romano, aliás, o italiano dirige muito como o brasileiro, com o diferencial de que eles não conseguem bem definir a faixa em que estão dirigindo. Ficam no meio das duas faixas e não acham que a da direita é pra carros que estão indo mais devagar, nem dão seta quando resolvem escolher uma faixa. Resultado: você pode ser ultrapassado pela direita e tem que tomar cuidado ao transitar pelas ruas, mas isso a gente já conhece do Brasil, né?

– Aliás a Itália tem muito de Brasil, ou o Brasil tem muito da Itália? Vi uma brasileira pechinchando em português com um camelô romano, que respondia em italiano… Quem fala português entende bem o italiano, mas quem fala um pouco de italiano acaba falando inglês. Pelo menos foi o que aconteceu comigo, por ser mais fácil achar as palavras na cabeça.

– A praia pertinho de Roma, cuja cidade se chama Torvaianica, é super parecida também com as praias do Espírito Santo ou da Bahia. Parece que você está chegando numa praia brasileira! A diferença é que a praia fica separada da rua por uma primeira fileira de casas ou de arbustos com flores.

– As romanas têm pés especiais ou passam por um curso especial pra conseguirem andar o tempo todo de sapatos altíssimos sem demonstrar cansaço… E todos são muito bem vestidos! O Matthias comentou que se se esforçassem tanto na economia quanto se esforçam no visual, a Itália não teria problemas econômicos!…

– Os garçons romanos são… indianos! A cidade está lotada deles, trabalhando como garços, camelôs ou vendedores de rua. A taxa de desemprego da Itália não deve ser das melhores, mas não no caso dos indianos, que até entre si conversam falando em italiano.

– Os sorvetes italianos, hummmmm!…. Por eles eu morreria gorda, mas feliz! Na Itália não se conhecem bolas de sorvete, as porções são definidas pelo preço. Primeiro você informa o preço, depois se quer casquinha ou copinho, e depois os sabores desejados. Todos eles são fantásticos, então fica difícil fazer uma escolha!

– O cappuccino da Itália é naturalmente mais gostoso do que o da Alemanha – e bem mais barato. Aliás, pra quem está acostumado com os preços na Alemanha, a Itália é barata. Mesmo no centro de Roma se encontra um bom restaurante pagável, e se eles não estiverem funcionando (têm uma boa pausa entre o almoço e o jantar), as lanchonetes da cidade são também uma boa pedida.

– Se quiser economizar, peça seu cappuccino sem se sentar nas mesas. Sentado, seu pedido pode ser 3-5 vezes mais caro do que em pé!

– Há um tipo de alface diferente lá, o Agreti. Muito gostoso na salada e no espagueti.

– As pizzas de lá são tão finas como no Brasil, ao contrário das pizzas grossas da Alemanha, que são pura massa nas beiradas.

– Achei as frutas e verduras mais gostosas que aqui na Alemanha.

– Quase não há crianças na Itália! Atualmente, o país está com a taxa mais baixa de natalidade da Europa.

– As indústrias de Roma se resumem a escritórios, turismo e moda!

– Na Fontana de Trevi deixará uma moeda, se quiser voltar à Itália, duas moedas, se quiser se casar e três moedas se quiser se separar! As moedas são muitas e toda semana são retiradas para ajudar em projetos sociais.
Leve sempre uma garrafinha de plástico pequena para encher com a água das montanhas em um dos mais de 2.000 bebedouros espalhados pela cidade.

– Se quiser ver o Papa no Vaticano, ele pode ser visto na praça de São Pedro às quartas e domingo às 10:30 horas da manhã. Não se paga nada para entrar na praça, você só tem que abrir sua bolsa para que ela seja revistada.

– Goethe passou 15 meses em Roma e disse, ao deixar a cidade, que são necessárias várias vidas para se conhecer Roma. E acho que ele tem razão!


%d blogueiros gostam disto: