Archive for dezembro \26\UTC 2013

::Feng shui de papelada::

26/12/2013

Incrível como a montanha de papéis se acumula se a gente não toma conta dela com frequência! Eu, que mexo com papel todos os dias do ano por trabalhar num escritório, tendo a deixar minha papelada de lado quando chego em casa e quero mais é descansar e me revigorar para voltar, logo em seguida, ao batente.

As férias de virada do ano são um momento propício pra tentar domar o leão solto e esfomeado, esbravejando num canto da sala, fazendo de tudo pra não se sentir acuado… Ordem externa, segundo o princípio do feng shui, é a base para a ordem interna.

Deixa eu voltar lá, minha pilha de papéis me espera… ao som de Adriana Calcanhoto, porque ninguém é de ferro e a tarefa chata tem que ser adoçada de alguma forma!… A alma fica leve, enquanto as mãos vão, pouco a pouco, dando conta do recado.

“Eu ando pelo mundo… transito entre dois lados, de um lado, eu gosto de opostos…”

::Sinais de velhice e de alguma sabedoria::

25/12/2013

Você percebe que está ficando velha quando descobre, sem aviso prévio, mais um cabelo branco na cabeça. Quando reclama sobre isso com suas amigas, muito decepcionada como o fato, percebe que na realidade você deveria agradecer por ter tão poucos deles e por não precisar pintar suas mechas, enquanto todas elas já pintam há anos…

Você percebe que está ficando velha, mas acima de tudo agradece por isso, porque sua filha começa a te sugerir bons filmes e livros. E o lado bom da coisa é que você sabe que ela te conhece muito bem, sabe aquilo que te interessa e as dicas acertam mesmo em cheio! Desta vez foi a vez do filme THE HELP, boa pedida pra todo mundo que gosta de filmes instigantes e que te fazem pensar em desigualdades, muitas vezes consideradas naturais, infelizmente ainda nos dias de hoje.

Bonito também, e já meio nostálgico, foi o fato de ter acompanhado praticamente o último ano em que meu filho ainda acredita no Papai Noel. Ele, binacional e filho de expatriada, foi esperto e duplicou as crenças, fazendo um pedido pro Christkind, o menino cristão que é quem traz presentes pros alemães, juntando a um pedido para o Papai Noel, assegurado por preces ao Papai do Céu pra ter certeza absoluta mesmo de que algo iria ser ouvido, onde quer que o velhinho estivesse. Este ano também foi talvez o último que meu filho andou de carrossel, pois ano que vem pode ser mesmo que a vergonha seja tão grande que ele não se atreva a andar de novo. Enquanto ele andava no brinquedo, meus olhos sorriam e meu coração se enchia de amor…

Os anos passam… e com eles novas alegrias e muitas vivências. Mas acima de tudo, bem acima de tudo, muita coisa para agradecer. Agradeço por tanto… E quero continuar a caminhada espalhando, sempre que possível, paz e amor, ou pelo menos se não for correspondido, pelo menos respeito pelo ser humano, que muitas vezes me surpreende com todas as suas facetas, tanto as mais nobres, quanto como com as mais podres. Uma meia frase, ou mesmo algumas palavras, te reportam pra algum cantinho que julgava estar superado e sepultado na sua memória, e feridas antigas correm o risco de voltar à tona. Se voltam, tem que ser trabalhadas de novo, tem-se que fazer de novo a paz com o passado e também com os desafios do presente. Bom assim, também algo por agradecer, pois do contrário eu seria uma morta-viva. Se pensamos direitinho, até em coisas ruins há algo bom. As histórias de nossas vidas estão aí pra ser analisadas e contadas, e cada um analisa e conta aquilo que quer – ou que consegue, ou quer, entender.

Escrito no Natal de 2013 – enquanto ouvia um super CD pela internet, o “Frank and Back to Black” da Amy Winehouse.

::Lista positiva – Áreas em que é mais fácil conseguir visto de trabalho na Alemanha::

19/12/2013

Veja aqui a lista de profissões/áreas onde desde 01.07.13 é mais fácil conseguir visto de trabalho na Alemanha. Detalhe: o documento está escrito em alemão e inglês.

The Federal Employment Agency (Bundesagentur für Arbeit, BA) determined that filling vacancies with regards to the following professions with foreign applicants is acceptable in terms of labour market and integration policy under the following conditions…

::E… o presente do meu amigo oculto chegou! :)::

17/12/2013

De Mineirinha pra Mineirinha. E veio recheado de lembranças de casa, de Minas e da minha infância. Só faltou bala Chita! Mas tem goiabada cascão, vocês acreditam? E será que sou a primeira a receber seu presente? Vejam só como ele veio carregadinho:

amigo oculto

2013-12-17 18.21.59

Acho que praticamente todos os produtos são de Minas. Ao olhar mais atentamente, no meio desse pacotinho fofo achei umas bombinhas de mel. Nem acreditei no que vi! A última vez que tinha comido algo parecido deve ter sido lá pelos idos da minha infância. Talvez quando eu tinha uns 10 anos, ou menos… Não sei ao certo! O certo é que temos uma memória sensorial que bate todas as outras memórias. Queria provar da bombinha de mel, mas não tinha faca ou tesoura por perto. Depois imaginei que se cortasse uma ponta, iria espirar mel pra todo lado. Por fim lembrei-me de como comia essas bombinhas na infância: colocava uma beiradinha nos dentes, apertava e torcia a bombinha até ela se abrir, já sentindo o gostinho do mel na boca. Tem gosto de infância mesmo, lembrança de coisas guardadinhas na minha memória!
Adorei, Raquel, obrigada! A Raquel, minha amiga oculta, foi trazida até mim pela internet, também através do meu livro. Ela já morou pertinho, mas daquela vez não chegamos a nos conhecer. Ano passado ela veio aqui em casa, fomos assistir jogo de futebol do Brasil na casa de amigos e ela me ajudou até a domar o bando de coleguinhas do Daniel, convidados para mais um daqueles aniversários alemães onde a mãe tem que ser mil e uma utilidades e pensar atividades pra criançada toda. Este ano a Quel voltou aqui, desta vez com namorado! O que será que a próxima visita nos reserva?!? Obrigadão Raquel, que Deus te reponha em dobro! Feliz Natal e um 2014 cheio de boas surpresas!

::Amigo oculto da Mineirinha: já mandou seu presente?::

11/12/2013

Pra todos que participaram do amigo oculto da Mineirinha: o seu presentinho já está a caminho? Deve chegar até o Natal, ok? Quando chegar, e se vc quiser agradecer, pode me enviar uma foto com um pequeno texto, que posso publicar aqui, certo? Fica a oferta!… Um bom 2° advento para todos!

::Opinião de uma brasileira sobre a Alemanha::

11/12/2013

Se você tem curiosidade em saber COMO REALMENTE É MORAR na Alemanha, então tenha paciência de ler o texto abaixo, de autoria de Amabile Weidler. Uma das melhores descrições sobre como é a vida aqui no país do salsichão. :)))

“Muita coisa é aqui diferente … a maioria dos aptos não tem tanque, nem ralo; é comum os interruptores de luz ficarem do lado de fora nos banheiros; quase nenhum prédio tem elevador; Arranha céu, é motivo de visitação e mesmo na Capital, é possível conta-los nos dedos de uma só mão; a pipoca no cinema é doce; o purê-de-batata é em pó; água se bebe direto da pia … ou da banheira; fogões são quase todos elétricos;

Tudo fecha aos domingos. TUDO FECHA AOS DOMINGOS (tô repetindo, porque pra mim que sou paulista, ver tudo fechado aos domingos, foi traumatizante!);

Por falar em “domingo”, fez bagunça e barulho nos domingos, pagou multa. Alta; pedestre toma xingo quando atravessa fora da faixa; A GEMA não vai te deixar assistir ao video novo do seu artista favorito; Não existe camelô; Diarista é coisa de gente rica; o povo não sabe o que é desodorante – principalmente no verão;

É normal ver gente nua ou semi-nua fazendo yoga em praça pública (no verão, claro); Não tem pedreiro mexendo contigo; Não tem ninguém mexendo contigo;

Se vier antes do Natal, traga panetone porque aqui não tem (pelo menos não igual ao Bauducco);

O povo faz festa em funeral pra celebrar a vida que a pessoa viveu, ao invés de chorar porque morreu;

Inquilino não escolhe propriedade, é a imobiliaria + o proprietário que escolhem os inquilinos;

A comida mais típica alemã, não é alemã, é turca; A numeração de sapato e roupas são completamente diferentes; Aliás, traga calcinha, biquini e calça jeans – as daqui são absurdamente inutilizáveis pra quem não gosta de calcinha/biquinhi que parece shorts e calça jeans acima do umbigo;

Alemão faz tudo sozinho, aqui não tem aquele tiozinho-quebra-galho, aliás, eletricista, chaveiro, engraxate, costureiro, cobram o-olho-da-cara. Da sua cara e de toda a sua família;

O serviço prestado ao público também é meio tosquinho para quem tá acostumado com os padrões brasileiros. Aqui você vai na Ikea, compra seus móveis, se vira pra levar pra casa e monta tudo sozinha. É isso, ou pagar 50 conto para que eles entreguem + 50 pra eles montarem um sofá que custou 19 euros;

Eletrônicos são bem mais baratos aqui, mas você tem que pagar GEZ pra utilizar tv, internet, rádio …;

Carteiros são o ápice da preguiça e se você morar no 5. andar, esquece, nenhum entregador vai subir tudo isso de escadas, você vai ter que descer pra pegar ou buscar no posto do correio. Tem carteiro que quando vê que você mora no 5. andar, nem toca sua campainha, já levam a caixa enoooorme que seus parentes te mandaram do Brasil diretão pro posto do correio, e colam um aviso na porta do seu prédio pra você ir buscar a caixa lá nos cafundós do Judas;

Traga 2 alicates de cutícula (porque aqui não tem onde amolar/afiar) e seus esmaltes favoritos até se habituar com os esmaltes daqui, que são fracos em química e raramente duram mais do que 3 dias nas unhas de uma dona de casa esforçada;

Nos estabelecimentos, na hora de pagar, procure por uma bandejinha em cima do balcão, mesas e afins, porque dar dinheiro nas mãos de um funcionário não é costume, e às vezes é até ofensivo; Aliás, gorjeta menor que 10% do valor total da conta, significa descontentamento com o atendimento;

E por falar em “gorjeta”, traga um porta-moedas, porque aqui se seu troco é 0,28, você vai receber exatamente 28 centavos, em moedas contadas, tipo 1 modinha de 5, 1 de 2 centavos e 1 de 1. No “troco-de-bala” na Alemanha;

Escola pública tem qualidade de ensino; Aliás, aqui das maioria das faculdades são públicas;

O governo alemão é cheio de dar ajuda-de-custo. Eles ajudam todo mundo, em tudo, é só pedir. O povo alemão é que te olha meio torto porque “depender” (mesmo que você não dependa, só prefira utilizar) do governo é “feio”;

Não leve para o lado pessoal se ninguém puxar conversa contigo no buzão – ninguém conversa do nada com quem não conhece;

Deixe aí sabonetes em barra e seus shampoos preferidos e prepare-se para a mudança que pode ser tanto para super-seco como para completamente oleoso, na sua pele e nos seus cabelos;

Policiais costumam ser tudo gente finíssima e TODOS falam 2 idiomas além do alemão (é obrigatório para o exame da academia – aparentemente);

Deixe no BR o “jeitinho brasileiro” e faça tudo de modo absurdamente regrado, dentro das regras oficiais, providas pelos órgãos oficiais, porque é o único jeito de se dar bem por aqui;

Faça amizades com brasileiras e mantenha-as. No início elas vão te ajudar a não passar perreio, durante elas vão te ajudar a não aperrear os outros e depois elas vão te ajudar na hora de você aperriar a Alemanha, já que a Alemanha te aperriou o saco até ele ficar cheio;

Morar aqui tem seus prós-e-cons, mas se você vier, se engajar e não desistir depois das primeiras bolsadas (andando nas ruas, você vai levar umas três ou quatro bolsadas, sem ninguém parar pra te pedir “desculpa”, normal, nada pessoal …), você aprende a ver como é delicioso morar aqui.

As estações são lindas, o transporte público funciona, as empresas raramente diferenciam gênero ou opção sexual, quem se dedica, prospera; Quem se esforça, tem.

Eu moro na Alemanha há 4 anos, recebi duas propostas para morar em outros países europeus durante esses 4 anos, e nunca – nunquinha – deixei a Kartoffeland. Vem segura, vem com fé, com paciência, com vontade de vencer … vai dar tudo certo! ” By Amabile Weidler (Tirado do Facebook, do mural da Lorena Bärschneider).

::Dica de leitura 2::

10/12/2013

Acabar de ler um livro do qual a gente gosta muito é como ter que se despedir de um bom amigo, sabendo que ele não voltará a ser visto novamente….

Desta vez foi a hora da despedida do livro “Eine Handvoll Worte“, em português “A última carta de amor.” Já li dois livros da mesma autora, a Jojo Moyes, inglesa e ex-jornalista, e gostei muito do seu estilo intensivo de escrita, que sabe transportar sentimentos e suspense como poucos.

Enquanto leio um livro, ele se torna meu amigo e companheiro. Foi com ele, além do Daniel, que eu fui pra beira do lago no domingo aproveitar um pouco da natureza e do sol, ainda que de inverno, por sorte quente o suficiente pra ficar sem luvas e sem cachecol, lendo sentada num banco de frente pro lago. Foi esse livro que me tirou o sono nos últimos dias, pois a narrativa é tão em tom de surpresa que dá um gostinho de quero mais e sempre tem-se a vontade de ler só mais uma página, e depois só mais outra… Imagino todos os personagens na minha cabeça e tomo simpatia por eles, torcendo para que o final seja feliz. Ler também é se espelhar na leitura, e enquanto lemos, vários momentos da nossa vida vão se passando, e ficando bem nítidos, no nosso cinema interno… Recordar é viver!

Chegar à última página de um bom livro dá uma sensação de ter virado órfã. Pelo menos me animei com o fato de que a autora tem mais de 10 livros escritos e que ainda tenho muito a conhecer e explorar de sua carreira literária! Porque chegar ao fim de um bom livro deixa uma lacuna que só pode ser substituída por um novo, na total dependência pelo desconhecido e por me auto-conhecer.

“Sinto saudades dos livros que li e que me fizeram viajar!”
Clarice Lispector (veja o poema mais abaixo, intitulado “Saudade”)

::A vida e Einstein::

07/12/2013

“A vida não dá nem empresta, não se comove nem se apieda. Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir aquilo que nós lhe oferecemos”.

“A vida é como jogar uma bola na parede. Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul, se for jogada uma bola verde, ela voltará verde, se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca, se a bola for jogada com força, ela voltará com força. Por isso, nunca jogue uma bola na vida de forma que você não esteja pronto a recebê-la”.

“O ser humano vivencia a si mesmo, seus pensamentos, como algo separado do resto do universo – numa espécie de ilusão de ótica de sua consciência. E essa ilusão é um tipo de prisão que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto apenas pelas pessoas mais próximas. Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza. Ninguém conseguirá atingir completamente este objetivo, mas lutar pela sua realização já é por si só parte de nossa liberação e o alicerce de nossa segurança interior”.
Albert Einstein

::Dica de leitura::

04/12/2013

Estava no aeroporto de Los Angeles em um quiosque. Pensei firmemente em uma amiga minha, a Chris. Entre uma coisa e outra, em seguida vi um livro que me chamou a atenção: Proof of Heaven de autoria do Dr. Eben Alexander. Decidi não comprá-lo, apesar de ter tido interesse de lê-lo. Alguns dias mais tarde, já em casa, visitei minha amiga Chris, e adivinhem que livro ela me deu pra ler?!? Exatamente o livro acima!!! A versão alemã dele tem como título Blick in die Ewigkeit. Estou acabando de lê-lo nesta noite. Aqui um vídeo com o autor para quem tiver interesse de saber um pouco mais sobre sua experiência.

Es gibt nur zwei Arten, sein Leben zu leben: Entweder so, als gäbe es keine Wunder, oder so, als wäre alles ein Wunder“.
Albert Einstein

“Só há duas maneiras de se viver: ou acredita-se que não existem milagres, ou então, que tudo é um milagre.”
Albert Einstein

::Reportagens de uma jornalista alemã em Minas::

02/12/2013

E sobre o que escreveria uma jornalista alemã, se ela fosse morar em Minas? O que ela haveria de mostrar do nosso Brasil? Mate sua curiosidade aqui.

Brasilien ist spannend, lebendig, offen, verwirrend und genial. Preciso voltar!“
Verena Rateike

Minha tradução livre: O Brasil é super interessante, cheio de vida, aberto, louco e genial. Preciso voltar!


%d blogueiros gostam disto: