Archive for abril \28\UTC 2014

::Que brasileiro que nada – já estou curiosa agora pra saber sua opinião::

28/04/2014

Para quem tem interesse de ler um exemplo de como os jornais estrangeiros noticiam no momento sobre o Brasil, li ontem e traduzo aqui um artigo um pouco controverso, polêmico e um tanto quanto equivocado da jornalista esportiva alemã Cathrin Gilbert, publicado no jornal Die Zeit de 24.04.14. Ainda que ela tenha tido um objetivo positivo de incentivar as pessoas a visitarem o Brasil durante a Copa e de apoiar os brasileiros quanto às suas reivindicações muito além do futebol, acho que sua argumentação está um tanto quanto equivocada e interpreta de forma desajeitada o momento atual brasileiro. Ainda assim, a vontade de que todos voltem bem pra casa impera no meu íntimo. Já estou curiosa agora pra saber sua opinião:

Que brasileiro que nada

Perto da Copa do Mundo, o país está finalmente parando de se superestimar

São poucas as coisas que incomodam mais do que a mania de acabar com a imagem de um país prestes a receber um grande evento internacional. Podemos citar as reações com relação à Grécia antes das Olimpíadas de verão há 10 anos atrás. Meu Deus! O que se acreditava naquela época era que os gregos não teriam nada pronto para o início do evento. O que aconteceu? O evento começou pontualmente e a admiração foi geral. Da mesma forma, ninguém tinha muita certeza de os sul-africanos teriam condições de receber uma Copa do Mundo no país. Cenários de horror com relação a bandas carniceiras foram então publicados, e foi dito que estas iriam atacar os torcedores que ali estivessem. E o que aconteceu? Todos os turistas voltaram bem para casa.

Agora estamos prestes a presenciar o próximo grande evento mundial: a Copa do Mundo no Brasil. Será que há um país que possa se qualificar mais para a apresentação de um evento como este? Até há pouco ninguém ousaria duvidar disto. Entretanto desde há algumas semanas o entusiasmo está diminuindo – também na Alemanha. Os primeiros fãs estão revendendo pela internet os tíquetes que compraram com tanta dificuldade, por um preço bem abaixo do de compra. O Brasil não vai conseguir acabar de construir os estádios, aeroportos e nem vai conseguir domar a criminalidade. E desta vez os rumores têm mesmo ligação com a realidade. O aeroporto de São Paulo realmente não vai ficar pronto.

Em poucos meses uma onda de felicidade se transformou em medo profundo. O que aconteceu? Será que a culpa com relação ao país hospitaleiro é da mídia?

Ao contrário das qualidades futebolísticas do Brasil (que nunca deveriam ser colocadas em dúvida), o desenvolvimento econômico e político foi superestimado por vários anos. A superestimação externa foi adicionada à interna.

Ao lado da Rússia, Índia e China, o Brasil era considerado como um país em desenvolvimento com grandes chances de sucesso. Entre os anos de 2000 e 2010 o crescimento no país foi de em média 5%. Orgulhoso, o Brasil tomou seu lugar dentre os países do grupo BRIC. O Brasil gostou de ser elogiado internacionalmente. Parecia que a quinta economia mundial tinha deixado seus problemas para trás. Quem haveria de sentir fome em um país com uma das maiores áreas cultivadas e com condições climáticas perfeitas? O governo estava surfando de forma deslumbrante na onda da euforia, liderado pela presidente Dilma Rousseff, enquanto fingia não se lembrar que apesar do Brasil ter renda per capita de 8.000 dólares, se encontrava só no 61° lugar mundial (nota minha: a autora não explicou do quê…Alguém sabe?). Ou que a economia começou há pouco a se enfraquecer.

Quem já viveu no Brasil sabe que os brasileiros dariam de tudo para um dia serem respeitados pelos americanos e europeus. Não há nada – e entende-se isso perfeitamente – que os façam se sentir mais diminuídos do que pela arrogância do norte. Daí saiu o processo de auto-enganação dos brasileiros, aliado ao talento único de saber se vender.

Mas mesmo agora que a auto-enganação está ficando visível, os brasileiros conseguem continuar a se promover: eles usam os principais palcos do mundo de forma sistemática, com o objetivo de chamar a atenção para o que não vai bem em seu país, muito causado pela política local. Semana passada os policiais de Salvador, onde vão acontecer jogos da Copa do Mundo, entraram de greve para denunciar as más condições de trabalho – 39 pessoas morreram durante os protestos. Mesmo o ex-capitão da Seleção Nacional, Rai Souza, declarou em uma entrevista ao jornal Süddeutsche Zeitung: “Temos que solucionar muito do que vai além do futebol e que, em parte, ficou à mostra desde os preparativos para a Copa do Mundo.”

A coragem dos brasileiros merece admiração. Eles se posicionam contra a cegueira causada pela política brasileira. Nós deveríamos apoiá-los, mostrar alegria pela chegada da Copa do Mundo e nos preparar para a viagem.

Fonte: Reportagem no jornal http://www.zeit.de/index de 24.04.14 de autoria de Cathrin Gilbert.

::GNTM – sobre o racismo na TV e internet na Alemanha::

26/04/2014

GNTM é a sigla do concurso “Germany’s Next Top Model” promovido pelo canal de TV alemã Pro7 e liderado pela modelo Heidi Klum. Apesar de eu ter meus poréns com relação ao programa, assisto-o com frequência há anos junto com a minha filha adolescente.

Atualmente há uma candidata que participa do programa e está sendo atacada na internet por ser negra: Aminata Sagona. Enquanto vários telespectadores confirmam sua beleza, outros a chamam de gorila. Segundo o artigo da revista Spiegel, enquanto os comentários racistas são apagados na página do Facebook da emissora Pro7, a própria aspirante a modelo decidiu não apagar os comentários em sua própria página, pra mostrar pras pessoas que tipo de racismo ainda existe nos dias atuais.

Fui dar uma conferida por mim mesma na página da Pro7 e achei o seguinte comentário, com 49 Likes, feito por um tal de Franz S. no dia 22.04.14 às 13:41 horas:

“Desculpem-me, mas essa mulher não é bonita. Eu não digo que eu seja bonito, mas a maioria dos telespectadores da Alemanha e da Áustria acham que ela não é bonita. O fato de que uma pessoa negra seja considerada feia e seja comparada com bichos é talvez um ato maldoso, mas não racista. Há muitos brancos que são comparados com bichos e ninguém acha que este seja um ato racista. Racismo é a discriminação de uma etnia ou o endeusamento de um povo. E o que está acontecendo aqui e está sendo promovido por brancos, é um ato de racismo, porque eles acham que essa mulher não pode ser comparada com um bicho só porque ela é negra. Isso quer dizer que ninguém pode rir a cara dela só pelo fato de sua cor estar sendo exposta. Se o Gareth Bale é comparado a um macaco, todos vão achar graça disso. Se uma modela for comparada a um macaco, isso vai ser racista. Parece que os esquerdistas sociais/políticos fazem uma diferença entre brancos e pretos, o que pode também ser considerado como um ato racista.”

Tut mir leid, aber diese Frau ist einfach nicht schön. Ich behaupte nicht, dass ich gut aussehe oder irgendwas in der Art, aber ein großer Prozentanteil der deutschen und österreichischen Zuschauer von GNTM finden sie nicht gut aussehend. Eine Person mit dunkler Hautfarbe hässlich zu finden und sie mit Tieren zu vergleichen ist vielleicht gemein, rassistisch aber nicht. Auch Weiße werden oft mit Tieren verglichen und niemand findet das rassistisch. Rassismus ist die Diskriminierung einer Ethnie oder die Vergöttlichung eines Volkes. Und das was hier geschieht und von vielen Weißen betrieben wird, ist Rassismus, weil sie finden, dass diese Frau nicht mit einem Tier verglichen werden darf, nur, weil sie schwarz ist. Sprich, man darf sich aufgrund ihrer Hautfarbe nicht über sie lustig machen, was einer Hervorhebung Maximalpigmentierter gleichkommt. Wenn Leute den weißen Fußballer Gareth Bale wegen seines Aussehens mit Affen vergleichen, lachen alle. Wenn man ein schwarzes Model mit einem Affen vergleicht, ist es rassistisch. Anscheinend differenzieren also genau gesellschafts-politisch Linke sehr wohl zwischen Weißen und Schwarzen, was streng genommen rassistisch ist.

Outro internauta, Benjamin S., fez o seguinte comentário, ganhando 20 Likes:

“Talvez os brancos achariam menos graça em brincadeiras de mau gosto se a grande maioria da população tivesse sido escravizada e oprimida.
Infelizmente brancos e negros não são “iguais”, e portanto algumas declarações são menos grosseiras para brancos do que para negros. Isso é o que pode ser chamado de racismo, querido Franz.”

Vielleicht würden Weiße es auch weniger lustig finden, wenn sie von einem Großteil der Weltbevölkerung über Jahre versklavt und gedemütigt worden wären.
Leider waren und sind für viele Menschen Weiße und Schwarze eben nicht “gleich”, und deshalb sind auch manche Äußerungen für Weiße weniger beleidigend als für Schwarze. Das nennt man dann Rassismus, lieber Franz.

Ao que eu comentei, logo em seguida:

Muito bem escrito, Benjamin S., hoje em dia uma demonstração de coragem cívica infelizmente não é uma atitude óbvia. Rir da cara de outras pessoas, não importa se forem brancas ou pretas, amarelas ou verdes, NÃO é uma atitude correta!

Bravo Benjamin Seegers, Zivilcourage heutzutage zu zeigen ist leider nicht selbstverständlich! Andere Menschen zu beleidigen, egal ob weiß oder schwarz, gelb oder grün, ist einfach NICHT in Ordnung!

E para fechar com chave de ouro, um comentário em outro artigo, publicado no jornal Die Zeit:

“E parece ser difícil de aceitar para determinados telespectadores que possa existir em um concurso de televisão uma pessoa que queira ter alguma ligação à palavra Germany e não venha nem na oitava geração da região de Unterfranken (Baviera).”

Und mancher Zuschauer scheint mit zunehmenden Verlauf dieses Fernsehwettbewerbs immer weniger zu ertragen, dass jemand, der etwas mit Germany im Namen sein will, nicht in achter Generation aus Unterfranken kommt.

O artigo acima tem também seus poréns com relação ao programa, mas afirma que ele seja importante por ressaltar a diversidade dentro da Alemanha atual e eliminar ressentimentos do passado. De qualquer maneira é duro constatar, mas infelizmente há ainda muito preconceito no mundo! Importante ressaltar porém: a Alemanha definitivamente (e infelizmente) não está sozinha neste barco!…

Site da candidata Aminata Sagona no Facebook.

Fontes: artigo da revisa alemã Der Spiegel de 24.04.14, artigo do jornal Die Zeit die 25.04.14.

::Rio 2::

20/04/2014

Fomos hoje assistir ao filme Rio 2 em 3D e gostamos muito. As cores, os detalhes, a música, tudo é muito fofo e passa uma imagem positiva do Brasil. Acho que o filme é mais legal pra quem já viu o primeiro filme da série. Sobrou até uma pontinha pra Ouro Preto! Nós, mineiros, também estamos presentes no filme! 🙂 Aqui a página oficial do filme. E eis aqui o trailer em alemão:

::Ervas medicinais & Hildegarda de Bingen::

18/04/2014

Em uma das minhas vidas passadas devo ter sido bruxa ou monja. Sério, eu devo ter tido alguma ligação com ervas medicinais, pois me sinto muito atraída por elas. Ao mesmo tempo, tenho grande interesse pelo poder medicinal de plantas, frutas e pela Homeopatia.

Hoje fiz um passeio na região do lago de Constança organizado para aprender e colher e cozinhar ervas medicinais. No final do passeio, fizemos juntos uma boa sopa com as ervas colhidas e saboreamos a colheita juntas. Ainda trouxe algumas ervas pra casa. Amanhã vai ter mais sopa aqui em casa!

Se você se interessa também por estes temas, terá talvez dicas de páginas na internet e/ou livros para dividir comigo. Eu indicaria esta página aqui, por exemplo, ou esta aqui também. Nesta parte aqui dá pra se informar sobre a maioria das ervas medicinais que fiquei conhecendo mais de perto hoje.

Também tenho grande interesse por uma figura importante na história naturalista e religiosa da Alemanha, a santa da igreja católica Hildegarda de Bilgen, monja, mística, teóloga, pregadora, poetisa, compositora, naturalista e escritora alemã que viveu de 1098 a 1179. Ela tinha e pregava uma visão holística do mundo, vendo a natureza e o homem como espelhos mútuos e integrados. Praticamente tudo o que ela defendia combina bem com os movimentos ecológicos, naturalistas e pacifistas de hoje em dia, e portanto ela é motivo de estudos, livros e de inspiração para a criação de produtos naturalistas nos dias de hoje.

Segundo a Wikipedia, “outros aspectos de sua carreira e obra que têm sido de muito interesse para a atualidade são, em primeiro lugar, o fato de ela ter sido uma mulher respeitada numa sociedade patriarcal misógina que via as mulheres com olhos cheios de preconceito, correspondendo-se em pé de igualdade com papas, altos prelados e autoridades profanas, e conseguindo muito do que quis; e em segundo, o grande papel que atribuía ao feminino na ordem do universo. Imagens femininas alegóricas investidas de grande poder abundam em seus textos, como a Fé, a Igreja e a Caridade, mas em especial a figura da Sabedoria, e é significativo que ela se recusasse atribuir a culpa do pecado original a Eva. O próprio Deus, em seu tempo invariavelmente considerado uma entidade masculina, é descrito por ela muitas vezes como uma mãe amamentando a Criação e velando por sua progênie. Mas é preciso assinalar que essa ênfase no feminino não a levou a uma negação do masculino, nem a um confronto direto com as definições daortodoxia dogmática do Cristianismo – o que ela parece ter buscado foi uma harmonização entre os opostos, o que também fez parte de uma tendência de seu tempo se lembramos do crescimento então do culto Mariano, do qual ela mesma foi grande devota. Em terceiro lugar vem sua abordagem franca da sexualidade humana, analisada tanto sob uma óptica teológica quanto fisiológica, mas também nesse terreno foi cuidadosa, herdando parte da tendência condenatória do desejo e do prazer sensual de seu tempo mas mostrando-os como funções essenciais do corpo e necessárias para o bem-estar humano no estágio evolutivo em que se encontra. Finalmente, traçando um painel histórico dos papéis sociais tradicionalmente atribuídos às mulheres – a maternidade ou a vida religiosa – não via nenhum deles como de todo satisfatórios, mas se manteve numa posição ambivalente a esse respeito, com certeza pressionada pelo seu contexto.

(…) Sua contribuição foi tão excepcional em se tratando de uma mulher de sua época, que os pesquisadores modernos, com todo seu aparato teórico e instrumental, ainda consideram difícil analisá-la com suficiente objetividade e avaliar sua real importância. Alguns a consideram simplesmente uma anomalia bem sucedida; muitos compreensivelmente duvidam da origem divina de seus escritos, mas em geral não se considera imprópria a elevadíssima estima que ela desfrutou entre seus contemporâneos, que a chamaram de “A Sibila do Reno”, a “Profetisa dos Teutões” e outros epítetos grandiloquentes, nem se vê como injusto ela ter-se tornado um dos ícones do movimento feminista do século XX. É de assinalar algumas de suas conquistas: foi a primeira mulher a ser considerada uma autoridade em assuntos teológicos; a única mulher medieval a quem se concedeu o direito de pregar a doutrina cristã em público; a autora do primeiro auto sacro jamais escrito e o único dramaturgo no século XII que não permaneceu anônimo; a única mulher medieval a ser lembrada como compositora de um extenso e qualificado corpo de obras musicais; o primeiro autor a escrever sobre sexualidade e ginecologia de um ponto de vista feminino, e o primeiro santo a ter uma biografia oficial que inclui trechos autobiográficos. (…) Suas ideias têm sido apontadas como uma referência para os adeptos modernos da medicina holística.”

Fonte: Wikipedia em português, página sobre a Hildegarda de Bingen (Hildegard von Bingen).

::Bolsas na Alemanha da Fundação Humboldt::

13/04/2014

Achei no blog “Quero aprender alemão” e divido com vocês:

A Fundação Humboldt está procurando futuros líderes (pessoas com experiência em liderança) da China, do Brasil, da Índia, da Rússia e dos EUA interessados em participar de um programa intitulado “German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders”. São oferecidas ao todo até 10 bolsas para cada país por ano.

Requisitos para se candidatar a uma bolsa:
– Ser de um dos países supracitados e ter uma experiência inicial com liderança;
– Trabalhar em áreas como política, economia, mídia, administração ou cultura;
– Ter vontade de passar um ano trabalhando na Alemanha em um projeto de sua autoria.

Alguns outros requisitos:
– Conhecimentos de inglês/alemão;
– Ter terminado a graduação (bacharelado ou equivalente) há menos de 12 anos (a contar do início do programa).

O programa oferece o seguinte:
– Uma bolsa dependendo das suas qualificações;
– Apoio individual durante sua estadia na Alemanha;
– Suporte financeiro adicional para membros da sua família que estejam lhe acompanhando, custos da viagem ou um curso de alemão;
– Uma viagem (study tour) para conhecer a Alemanha e uma série de eventos durante os quais poderá conhecer outros participantes do programa, além de representantes de instituições e empresas alemãs;
– Apoio do grupo Alumni, para lhe ajudar a manter contato periódico com parceiros na Alemanha durante toda a sua carreira profissional.

As inscrições vão até o dia 15 de setembro de 2014.

Se você acha que possui o perfil procurado, clique aqui para ler o edital em inglês ou aqui em alemão.
Mais informações sobre a bolsa e o programa no site da Fundação.

::Contribua para o novo projeto de livro da Mineirinha::

12/04/2014

Borboletas com livroEstou com novo projeto de livro, desta vez focando o lado profissional e nós, mulheres. O livro por enquanto, na falta de nome melhor, está intitulado “Guia de Apoio Profissional para Mulheres no Exterior”.

Vai ser um livro de mulher pra mulher, dando muitas dicas de como crescer profissionalmente fora do seu país de origem. Chamei uma amigona minha pra participar, a Chris, que tem insights muito bons sobre a condição humana. E estamos indo bem! Já são quase 10 páginas escritas e o índice já está pronto!

O livro é voltado pro público feminino, mas serve também para os homens, claro, pois há muitas dicas que se aplicam também a eles. E está voltado de forma específica para a Alemanha, mas serve para pessoas vivendo fora e dentro do Brasil, além de para pessoas de outros países de língua portuguesa, pois as grandes questões ligadas à busca profissional e ao mercado de trabalho de hoje em dia se repetem mundialmente, transpondo barreiras geográficas.

Talvez vocês queiram deixar questões, ou mesmo enviá-las por mensagem, que gostariam de ter tratadas no livro? Seria um prazer “ler” vocês!

::Jornais alemães se enganam com o nome do mascote da Copa::

11/04/2014

Na realidade uma piada e um exemplo de como uma notícia errada pode se espalhar de forma rápida na era da internet:

Uma definição totalmente descabível do que o nome do mascote da Copa do Mundo no Brasil significa na realidade causa confusão na imprensa alemã. O tatu-bola bonitinho, cujo nome é Fuleco, mistura de “futebol” com “ecologia”, foi confundido com outra palavra bem menos honrosa em português. Tudo bem que o nome deixou a desejar, e que possa ser facilmente ligado a outras palavras nem tão simpáticas como “fuleiro”, mas a intenção com certeza foi nobre. Teria sido mais fácil se tivessem dado ao bichinho o nome singelo de “tatu-bola”, não é mesmo?

O jornal alemão Die Welt, um dos mais conhecidos da Alemanha, afirmou há algumas semanas atrás que Fuleco é sinônimo de “ânus” na “linguagem popular do Brasil”. Logo a notícia se alastrou e vários outros jornais, dentro e fora da Alemanha, reproduziram a reportagem sem verificar se era verdade ou não…

Achei que esta frase disse tudo e dá exemplos de muito do que se pode expressar com a dita palavra em alemão: “Ist das Maskottchen der Fußball-Weltmeisterschaft 2014 tatsächlich am, im oder ein “Arsch”, wie so manche deutsche Medien heute behaupten?” (O mascote da Copa Mundial de Futebol 2014 está perdido, dentro do ânus ou é um completo idiota, como a mídia alemã tem sugerido?)…

Fontes: Site “Brasilien WM 2014” e DW Notícias de 01.04.14.

::Discurso da Paz::

09/04/2014

Olhem só que texto fantástico acabo de achar num dos meus sites prediletos, O Mundo de Gaia:

Estamos aqui para falar da paz. Muitos seres estão sofrendo neste planeta por falta de paz. Ninguém fica em paz, nem quem sofre, nem quem causa a dor. A paz só existe no amor ao outro. E quem é o outro que devemos amar? Esses outros, meus amigos, somos nós mesmos. Nesta sala, cidade, país, planeta, galáxia, universo. Acreditem, tudo está interligado, somos todos uma teia, um corpo, num enorme tecido de vida. A ciência está chegando à conclusão de que as barreias físicas que nos separam não existem, estamos todos juntos, somos todos uma coisa só. Devemos acreditar que nosso pensamento negativo faz mal para o nosso vizinho. E que nosso sorriso aqui, vai alegrar alguém do outro lado do mundo. A paz é uma decisão de cada um de nós, porque cada um tem dentro de si o amor, que é a verdadeira joia rara da vida.

Texto Final da novela Joia Rara

Fonte: https://www.facebook.com/pages/Fonte-Eterna

::Aprendo::

08/04/2014

Olhando coisas antigas que eu mesma escrevi, mais exatamente em 19/02/08, achei o seguinte:

Aprendo muito com meus meus filhos. Com a minha filha aprendo a ser mais tolerante e mais organizada. Com meu filho aprendo a ter mais paciência pra esperar pela hora certa de cada coisa. A maternidade na realidade é uma via de mão dupla.

::12 coisas que aprendi sendo mãe fora do Brasil::

06/04/2014

Acabo de achar a dica deste texto do blog “Tudo sobre minha mãe” no mural do Facebook da minha amiga Chris.

O texto é de autoria de Camila Furtado, uma mãe brasileira que também mora aqui na Alemanha. Li, gostei e compartilho com vocês. A frase da qual mais gostei foi a seguinte: “É necessário fazer muito ajuste mental para rodar a maternidade em um software gringo.” Isso é pura verdade. A Camila, como eu, vamos constatando isso cada vez mais, enquanto nossos filhos vão crescendo em território estrangeiro. Eu que o diga com filha adolescente! 😉


%d blogueiros gostam disto: