::Desigualdade de gênero na Alemanha::

Hoje estava pensando pela enésima vez sobre esse tema, e lendo alguns artigos indicativos das razões pelas quais as mulheres não avançam em suas carreiras até o topo das organizações.

Em 2015 foi estipulada uma quota aqui na Alemanha para grandes empresas. A partir de 2016, 30% das vagas nos conselhos administrativos das companhias cotadas na Bolsa de Valores deveriam ser ocupadas por mulheres. A medida afetou 108 empresas com mais de 2.000 funcionários no país, todas elas cotadas na Bolsa. Na época, foi citada como um passo histórico rumo à equiparação dos direitos das mulheres. Por outro lado, muitas empresas criticaram a iniciativa, que prevê que as vagas devem ficar vazias caso não sejam ocupadas por mulheres.

Segundo o instituto econômico DIW, no final de 2014 haviam 18,4% de mulheres em conselhos administrativos de 200 das maiores empresas alemãs. Nos cargos de chefia, elas eram apenas 5,4%.

Agora em 2017, já foi anunciado que a quota de 30% foi atingida, pois ela não podia ser negociada. No passado eu já fui contra quotas, mas sem elas, não há como atingir mudanças profundas num quadro historicamente imutável. Do contrário, o cargo de CEO dentre as 160 maiores empresas cotadas na Bolsa na Alemanha, só é atualmente ocupado por três mulheres. Entretanto, somente 47 mulheres, junto de 630 homens, fazem parte da diretoria dessas mesmas 160 empresas. Se isso continuar evoluindo do jeito que está, somente em 2040 um terço da diretoria de grandes empresas alemãs terá sido ocupado por mulheres.

Isso sem falar de outros países, muitos deles sem quotas para mulheres e portanto sem nenhuma obrigação de alterar o status quo.

Há várias razões simples e lógicas por que o poder deveria ser mais equilibrado entre mulheres e homens. A metade do mundo é habitada por mulheres, e é provado que empresas onde a diversidade é respeitada, melhores resultados econômicos e mais produtividade tende a ser atingida.

Eu tenho muitas teorias, suposições e ideias de como esse quadro poderia ser mudado para melhor.  Não só a nível de diretoria ou conselhos administrativos, mas em se tratando de todo o grupo de mulheres que trabalham na Alemanha. Antes de falar sobre o que andei lendo, queria saber qual é sua opinião pessoal: como a população feminina economicamente ativa pode ser aumentada na Alemanha?

Fontes: artigo da Deutsche Welle de 06.03.15 e artigo da Wirtschaftswoche de 10.07.17.

Anúncios

Tags: , , , , , ,

Uma resposta to “::Desigualdade de gênero na Alemanha::”

  1. Silvia Regina Angerami Says:

    Essa questão não afeta somente a Alemanha, desconfio que seja mundial. Eu também inicialmente fui contra essa história de cotas, mas concordo com você. Agora são necessárias. Bjs lusitanos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: