::Métodos manipulativos e um ano sem comprar::

No final de julho passado fiquei tão indignada por ter caído seguidamente em alguns dos muitos métodos manipulativos que causam o consumismo desenfreado em que vivemos, que resolvi ficar um ano sem comprar nada pra mim.

Só que minhas férias na Espanha ainda estavam por vir!… No primeiro dia, fomos a um mercado e a única peça que realmente quis, de 4€, acabou sendo paga pelo Matthias, meu marido. Outro dia eu dei um presente pro Daniel, meu filho, e outro pro Matthias, e ganhei um dele, de um valor pequeno, também. Mas percebi que o ato de ganhar, mesmo tendo escolhido o presente, engrandece a alma. Depois de alguns dias, achei um anelzinho que é realmente a minha cara. Esse eu me dei de presente mas disse pra mim que não contava e nem cortava o meu propósito, porque custava só 5€. Por fim, depois de quase uma semana de sobrevivência não consumista nas férias, resistindo a todas as tentações, decidi me dar de presente dois vestidinhos vendidos na praia, em parte pra ajudar a vendedora, que andava na areia fazendo do braço dela o cabide para muitos e muitos vestidos, e em outra parte porque gostei deles mesmo, e além do mais eram baratos demais, cada um custava só 10€. E ficaram de lembrança pra mim do meu propósito de viver bem com menos. A partir daquele dia, 23 de agosto de 2018, disse pra mim que ficaria um ano sem comprar nada pra mim, propósito que venho seguindo com gosto e atenção.

O que aprendi com esse exercício até agora? Muita coisa:

  • Eu tenho praticamente tudo o que preciso para ser feliz, não preciso de quase nada além do tanto que já tenho
  • Além do mais, a maioria das coisas, as mais bonitas e mais prazerosas mesmo, não custam nada, custam a minha atenção
  • Quando ganhei um presentinho, ao invés de comprá-lo, o objeto ganhou mais sentido, foi envolto de amor do presenteador
  • Prestando atenção no que tenho vontade de comprar e me relembrando da minha intenção de não comprar nada para mim, revejo se preciso mesmo, mais mesmo, daquilo que acho pela frente. Claro que se precisar mesmo, vou comprar. Mas estou gostando do resultado da experiência até agora.

E quais são suas atitudes não-consumistas, quais são os métodos manipulativos dos quais você tem plena consciência?

Abaixo alguns deles, mas é só o comecinho da lista…

  1. Perfumes e sprays – as lojas perceberam que determinados perfumes e sprays incentivam o consumidor à compra. Pesquisadores de consumo indicam que cheiro de baunilha e cheiros silvestres influem na decisão de compra de mulheres e homens, respectivamente. De acordo com um estudo, os consumidores ficam mais tempo em lojas cheirosas e as vendas sobem, em média, em 6%. Essa estratégia é altamente usada na Ásia, pelo que notei.
  2. Liquidação e redução de preços – os preços aparecem em etiquetas de preço na cor vermelha porque nosso cérebro as associa a algo barato. Citar que o artigo faz parte de uma promoção ou de uma propaganda pode induzir o cliente a achar que ele é mais barato.
  3. Música de fundo – as músicas de fundo se assemelham ao nosso batimento cardíaco, 72 batimentos por minuto. Quando músicas lentas e agradáveis são tocadas, tendemos a ficar mais tempo em uma loja.
  4. Distribuição dos artigos na loja – os produtos mais caros do supermercado estão sempre na altura dos olhos, os mais baratos ficam mais abaixo nas prateleiras. Produtos refrigerados são colocados na saída dos supermercados para que os clientes tenham que passar por eles antes de chegar ao caixa. Bem na saída, vem a oferta de chocolates, chicletes, e tudo o mais que uma criança vai querer comprar e os pais vão acabar concordando, enquanto esperam sua vez de pagar suas compras.
  5. Iluminação e temperatura – se dá um grande valor à iluminação, para copiar a iluminação do dia. Além do mais, carne pode ser iluminada na cor vermelha, peixe em azul, legumes em verde e pães em uma cor amarelada. A temperatura é mantida em torno de 19 graus, pois estudos mostram que o consumidor permanece mais tempo em lojas refrigeradas.
  6. Manipulações em vendas online – as informações da quantidade disponível para um determinado produto, um reloginho informando até quando a compra pode ser feita, ou até um desconto que aparece na tela assim que o cliente fica na página sem fazer nenhuma compra, esses e muitos outros tipos de manipulação, além das ofertas que casam com nossas buscas ou até com aquilo sobre o que conversamos nos últimos dias… As manipulações online são as mais refinadas, na minha opinião.

Complete abaixo nos comentários outras estratégias manipulativas que você conhece, que impulsionam o consumismo. As acima, em grande parte, eu tirei daqui da página do meu banco, artigo de 17 de setembro deste ano (Von Düften bis Hintergrundmusik).

Tags: , , , , , , , , , ,

2 Respostas to “::Métodos manipulativos e um ano sem comprar::”

  1. Silvia Regina Angerami Says:

    Nossa, Sandra! Eu também fiz este “voto” de ficar um ano sem comprar nenhuma roupa pra mim e sobrevivi!!! O meu jejum termina agora em novembro! Que coincidência!!! E vejo que vc continua – assim como eu – firme no seu blog. Essa necessidade de escrever é maior do que nós mesmas, né?? rsrsrs Bjs, amiga!

    • Sandra Santos Says:

      Sem dúvida, Sil. A diferença é que não é um voto de ficar sem comprar roupa, é na realidade um voto de não comprar nada pra mim. Continuo firme! E parabéns por ter atingido o seu propósito!
      Beijos com carinho,
      Sandra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: