Archive for the ‘Multiculturalismo’ Category

::Dica de canal no YouTube pra aumentar seus conhecimentos e melhorar seu alemão::

07/02/2020

O YouTube só serve pra perder-se tempo, certo? Bom, depende do que você fica fazendo quando se perde por lá. Meu filho descobriu um canal no YouTube que é tudo de bom! Ele é feito pela universidade de Munique, é bem didático e aumenta muito, muito os seus conhecimentos! Um exemplo? Dê uma olhada nesse aqui.

::Carta a vizinhos na Inglaterra pós-Brexit – Happy Brexit Day::

06/02/2020

Estou fazendo questão de traduzir essa carta que foi colocada em um prédio em Norwich, a 160 Km de Londres, para deixar aqui registrado um exemplo do que o medo irracional, uma visão muito curta da vida e do mundo e um amontoado de preconceito podem fazer com uma pessoa… E dá pra imaginar o que acontece quando essa pessoa se junta a outras e juntas elas viram um grupo na sociedade, né? Infelizmente, o mundo está cheio desses grupos por aí!…

Eis aqui a carta que quero guardar para a posteridade, também em português:

Happy Brexit Day – Feliz Dia do Brexit

Já que finalmente tomamos nosso país maravilhoso de volta pra nós, sentimos que há uma regra que deve ser dita em alto e bom som para os residentes da Torre de Winchester.

Não toleramos pessoas falando outros idiomas diferentes do inglês nos apartamentos.

Agora que somos nosso país de novo, o inglês da rainha é o idioma falado aqui.

Se você quer falar outro idioma que seja a língua pátria do país de onde você veio, sugerimos que você volte para aquele lugar e retorne o apartamento para a prefeitura para que ingleses morem aqui e voltaremos ao que era normalidade antes de você ter infectado essa ilha que um dia foi uma grande ilha.

É uma opção muito simples: siga a regra da maioridade ou nos deixe.

Não lhe restará muito tempo até que o nosso governo implemente regras que vão colocar o povo inglês à frente. Então é melhor que você se desenvolva, ou deixe-nos.

Que Deus salve a rainha, seu governo e toda a verdade.

°°°

A parte melhor ficou com alguém que corrigiu o texto acima, que estava cheio de erros de inglês, e pediu pra pessoa explicar direito de que forma exatamente a Inglaterra estava sendo infectada por estrangeiros. Além disso, a pessoa pontuou, acertadamente: „Quem é você que assina como a maioria e como “nós”, mas não coloca o seu nome no final da carta? Onde estão os seus dados para contato?

Fiquei sabendo dessa resposta graças à Ute Ritter. Obrigada, Ute!

Fontes: aqui o artigo com a carta original e aqui o artigo com a resposta à carta original.

::A falta que o segundo livro faz::

04/02/2020

Depois de lançar meu terceiro livro, percebi que muitas pessoas pensavam que aquele era minha segunda obra. Assim, entendi que fiz muito pouca propaganda do segundo livro, que também tem uma temática super importante, que é a da (re)descoberta da vocação e reflexão sobre o espaço da mulher na sociedade, livro este escrito para o público feminino.

Na época em que escrevi o livro “(Re)descobrindo quem é você – guia feminino da (re)descoberta da sua vocação” (disponível na página da Amazon de vários países), estava lendo muito e me informando bastante sobre o papel da mulher na sociedade, no campo do trabalho, no mundo. Estava entendendo o quanto já conquistamos mas também o quanto ainda temos para conquistar, o quanto o mundo ainda é desigual no campo do gênero e o quanto é importante que a mulher procure sim crescer como pessoa, mãe e esposa, e que, na medida do possível, ela deve também procurar buscar crescer como profissional. Vi como é importante entender o feminismo como busca de parceria entre os sexos, mas também de saber se dar valor enquanto mulher, como por exemplo em busca de um lugar ao sol independente, enquanto indivíduos pensante que somos.

Tinha também vivido uma experiência de uma funcionária da empresa onde eu trabalhava, que perdeu o marido inesperadamente, bem antes dele atingir a idade da aposentadoria. A vi passando por dificuldades de conseguir continuar levando a vida sem a garantia financeira que o marido lhe proporcionava, e vi como um projeto de vida pensado a dois pode desmoronar, mesmo sem a ajuda de uma das partes. Isso muito além de todas as intempéries que já tinha visto e conhecido na própria pele. E estava também reflexiva com relação a tantos relacionamentos abusivos, tantos relacionamentos onde a mulher não quer ficar, mas também não tem para onde ir, porque depende na área financeira, emocional e praticamente em tudo do marido. Tenho para mim que a independência financeira é a porta para a liberdade pessoal.

Um pouco mais sobre o livro:

Este livro é para mulheres, principalmente aquelas em busca delas mesmas e de uma ocupação profissional que faça a diferença em suas vidas.

Simples, concisa, de leitura rápida, mas intensa, o objetivo da obra é que a leitora faça um mergulho profundo dentro de si mesma, voltando à superfície com reflexões importantes para sua vida.

A ideia do livro surgiu da minha experiência de expatriada, vez que já acompanhei vários casos de mulheres que tiveram que se reinventar profissionalmente no exterior, muitas vezes por estarem impossibilitadas de seguir o caminho profissional de seus países de origem. O livro também serve de termômetro para quem está entre uma e outra fase da vida, para se repensar, se recalibrar, e continuar seu caminho, onde quer que ela esteja no mundo. O meu desejo é que possa contribuir na caminhada dessas mulheres para se tornarem quem são de verdade.

Sobre a autora:

Sandra Santos nasceu em 1970, é mineira de Belo Horizonte-MG e mora na Alemanha desde 1993. Desde então já trabalhou em diversas empresas de médio e grande porte na Alemanha e na Suíça, entre 2005-18 na área de Recursos Humanos. Ela também é Business Coach, consultora, escritora, blogueira e fundadora da Connex Consulting. Em 2008, ela lançou seu primeiro livro, o Mineirinha n’Alemanha. Em 2017, veio o “(Re)descobrindo quem é você” e em 2019 o livro de “Poesias da Mineirinha n’Alemanha”.

“Minha realização é trabalhar como uma ponte, unindo e intermediando pessoas, culturas e informações. Meu objetivo maior é contribuir para soluções do tipo win-win, onde ambas as partes saem ganhando”.

::Ops, they did it again!…

09/10/2019

Tinha muito tempo que não conversavam comigo daquele jeito. A primeira vez tinha sido nos meus primeiros anos de Alemanha, quando uma vizinha desceu pra avisar que iria fazer esporte no apartamento acima do meu e que ela esperava que não fosse incomodar. Gentil, se não tivesse sido o fato dela usar, literalmente, caras e bocas, isto é, muitos gestos e um alemão bem quebrado pra se comunicar comigo. Fiquei estupefata e não consegui reagir.

A segunda vez foi quando eu estava numa feira pública em busca de Schalotte, um tipo especial de cebola que eu nunca tinha visto antes. Perguntei pra feirista se aquele era o tipo de cebola que eu buscava e ela começou a responder algo como „não, isso não ser Schalotte, isso ser…“ ao que eu respondi que ela podia conversar normalmente comigo, porque a entendia perfeitamente, mas só não conhecia o tipo de cebola que estava buscando… Desta vez, quem ficou estupefata foi ela.

Os anos se passaram e depois de mais de 26 anos de Alemanha, essas lembranças ficaram presas ao passado.

Eis que hoje de manhã um senhor, com quem espero ônibus no mesmo ponto, me pára no meio do caminho para o trem dizendo e gesticulando „ônibus, aqui, parar“ e eu não  tive outra reação a não ser chamar à memória os casos que contei acima e conversar com ele normalmente. Depois de 2-3 frases ele descobriu que eu falo alemão e mudou seu alemão de um “alemão para estrangeiros” para um “alemão padrão“. A rua por onde passava nosso ônibus estava em reforma e ele teimou comigo que o ônibus passaria por ali daqui a alguns minutos, que ele morava de frente para o ponto e tinha visto o ônibus do horário anterior passar, que ele tinha certeza e eu podia ficar ali com ele.

Fiquei lá, mas eis que… o ônibus não passou. Esperei 3-4 minutos de um atraso ainda aceitável (porque o ônibus passa às 7:27 h e já eram 7:31 h), e em seguida liguei pro meu marido, falando em português perto desse senhor (e provavelmente confirmando a impressão dele de que eu era estrangeira). Pedi pro meu marido, que estava saindo de carro para ir ao trabalho, para vir me pegar e me levar no centro da cidade. Ofereci, em seguida, pr‘aquele senhor ir conosco, porque senão ele ia ficar preso no bairro onde moramos, com dificuldade de ir para o trabalho. Dentro do carro, falamos os três em alemão.

Três casos parecidos, três reações diferentes. E pra quem acha que tudo na Alemanha é pontual, ledo engano: pra variar, o meu trem, que peguei em seguida ao chegar no centro da cidade, se atrasou por quase 10 minutos, enquanto o anúncio oficial na plataforma era de que ele se atrasaria por 5 minutos, mas na internet já se podia ler a verdade do atraso mais longo… A companhia ferroviária alemã, a Deutsche Bahn, não tem tido boa fama pontualidade hoje em dia!…

E quanto a você, quando foi que lhe trataram diferente no exterior, por suporem que você é estrangeiro?

::Projetos atuais e pedido de ajuda::

09/07/2019

Tenho me sentido muito realizada com meus projetos atuais! Desde que reduzi a minha carga horária no trabalho, tenho me concentrado mais em consultorias de Recursos Humanos para pessoas em busca de emprego na Alemanha e na Suíça, e tive a oportunidade de oferecer meu primeiro workshop para jovens em busca de definição profissional. Esse era um grande sonho meu! Pretendo aperfeiçoar e incrementar esse workshop a cada grupo encontrado no futuro!

As consultorias se intensificaram e já ajudei muita gente, e cada um que passa pela minha vida me ensina algo. Sou muito grata por esses encontros! Já atendi pessoas de várias nacionalidades, de vários níveis, tendo atingido ultimamente dois executivos de alto escalão. Vejo, com gratidão e satisfação, que os conhecimentos de Recursos Humanos que tenho para passar são de valia para toda e qualquer pessoa, independente de sua experiência profissional. Guardo com carinho o retorno dos meus coachees, dentre eles, do que conseguiu um emprego na VW e melhorou de vida, mudando para um apartamento melhor e oferecendo maior conforto e qualidade de vida à sua família, e de uma pessoa que conseguiu seu primeiro emprego na Alemanha 10 dias (!) depois de termos finalizado a consultoria! Há pouco, uma pessoa que atendi recebeu como retorno a oferta de uma viagem internacional paga pela empresa que o entrevistou! Cada conquista das pessoas que atendo são vistas por mim também como uma conquista pessoal! A alegria do outro é definitivamente a minha alegria. Algumas dessas e outras referências podem ser lidas aqui.

Bildschirmfoto 2019-06-15 um 13.45.10

Para que o universo conspire a meu favor, estou agora em busca do seguinte:

– Fazer minha página profissional em quatro idiomas, expandindo assim meus serviços para pessoas de outras nacionalidades que queiram vir, ou já estejam na Europa;

– Encontrar um ilustrador para um livro de poesias que pretendo lançar até o final do ano. Imagino uma ilustração em preto e branco, minimalista e forte, de traço firme e contínuo;

– Receber sugestões de material que possa ser incluído no meu workshop para jovens, tanto de fatores externos quanto internos que influenciem a escolha profissional;

– Encontrar novas formas de oferecer meu workshop, atingindo grupos de jovens e pessoas que estejam em busca de auto-crescimento e autoanálise;

– Por último, como não poderia deixar de ser, peço que eu mesma continue no meu processo individual e intransferível de crescimento enquanto pessoa e profissional.

Se você tiver lido até aqui e considerar que poderia me ajudar em algum dos pontos acima, ou mesmo se tiver interesse em uma consultoria comigo, ficaria muito feliz com seu contato! Quero cada vez mais fazer o que me proponho através do meu slogan, dividir meu conhecimento para ajudar outras pessoas em seu auto-crescimento!

::Resumo do ESC – Eurovision Song Contest 2018::

13/05/2018

Que alegria viver na era da internet e, depois de ficar sabendo que o ESC (Eurovision Song Contest) foi ontem à noite, poder ver o resumo e as melhores parte do show um dia depois!

Vamos à eles:

1. A ganhadora da noite, de Israel, que cantou uma música bem no ritmo da diversidade e da onda #metoo: Netta cantando Toy. A mensagem principal: I’m not your toy (não sou o seu brinquedo). Claro que gostei! E a Europa também!

2. A proposta oposta da cantora acima, Eleni Foureira do Chipre, mas que na realidade vem da Albânia e cresceu na Grécia, que vende-se como objeto de sexo e de prazer, muito bonita aliás. Interessante o fato da proposta de Israel ficar em primeiro lugar no ESC. Sinal dos tempos!

3. Os gatinhos da noite vêm da Suécia – Benjamin Ingrosso (esse menino tem só 20 anos!)…

4. …e da República Tcheca – Mikolas Josef:

5. A Alemanha ganhou o merecido 4. lugar esse ano, com uma música emocional de Michael Schulte, que cantou em homenagem a seu pai:

6. O ganhador do ano passado, Salvador Sobral, nos deu a honra de sua apresentação, trazendo consigo seu cantor predileto, ninguém mais nem menos do que Caetano Veloso. Que noite!

::Um casal jovem, a Páscoa e O Mecanismo::

01/04/2018

DAK

Um casal jovem está feliz pela chegada do seu bebê – a propaganda foi altamente criticada no Facebook por um partido de direita na Alemanha, AfD, e seus adeptos. A resposta do Philipp Awounou, um jogador de futebol e jornalista esportivo nascido na Alemanha, que se tornou alvo de um shitstorm somente por ser moreno, dentro do contexto atual do país em parte revoltado pela ajuda aos refugiados, acontece à altura (tradução livre minha do texto logo abaixo):

 

“Na realidade não tenho tempo para o palavriado populista de partidos como AfD & Co. Quem não percebe as bobagens que estão sendo veiculadas nesses grupos, não pode ser atingido com argumentação baseada em fatos. Desde há alguns dias atrás, porém, estou sendo atingido pessoalmente, e não posso deixar isso passar sem um comentário da minha parte:

Um ou outro já deve ter percebido que eu e Regina aparecemos em algumas propagandas… na realidade uma história legal, que causou muitos, muitos retornos positivos. Muito obrigado por isso!

Infelizmente, na opinião da AfD Nordwestmecklenburg eu não sou “nativo“ o suficiente. Isso levou a comentários e posts que são em tantos níveis tão errados, cretinos e maldosos, que cheguei a perder a fala:  “propaganda de estrangeiros”, “corja suja“, “assassinos“, “estupradores“, “vontade de vomitar“, “inaceitável“… li muita coisa, isso sim, para mim inaceitável, muitos erros de grafia, muita coisa em torno de um partido que no momento atinge o mesmo patamar do SPD.

Nunca poderia imaginar, nem nos meus sonhos mais longínquos, que uma foto como essa pudesse ser alvo de reações como as que li. Elas não combinam com a minha impressão pessoal sobre a Alemanha e seus cidadãos: meu dia a dia é marcado por pessoas tolerantes, de bom senso e abertas, pessoas de pele clara e escura, com passaporte alemão e estrangeiro – com o coração no local certo. Nos poucos meses em que estou sendo alvo de um ataque racista e alvo de um ataque contra estrangeiros, fico ainda mais feliz por ter amigos assim!

Portanto é importante para mim, neste post, poder agradecê-los por seus valores e normas, seu apoio e sua abertura. O fato de nós – a Regina também – termos nos tornado alvo de um ataque de direita radical me mostrou que o que acontece comigo infelizmente não é natural. E caso você mesmo seja alvo de um ataque racista: posts racistas podem ser relatados e comunicados nas mídias sociais como tais, caluniadores de direita podem ser denunciados. Eu também fiz uso desse direito.”

Philipp Awounou

°°°

Eigentlich habe ich für das populistische Gerede von AfD & Co. nicht viel übrig. Wer nicht erkennt, wieviel Unsinn da verbreitet wird, der ist mit vernünftiger Argumentation vermutlich eh nicht mehr zu erreichen. Seit einigen Tagen bin ich jedoch persönlich betroffen, und das möchte ich dann doch nicht unkommentiert stehen lassen:

Der eine oder andere wird sicher mitbekommen haben, dass Regina und Ich zurzeit auf ein paar Werbeplakaten zu sehen sind… eigentlich eine witzige Geschichte, die viel, viel nettes Feedback hervorgerufen hat. Danke dafür😉

Leider bin ich einigen Menschen, unter anderem denen von der AfD Nordwestmecklenburg (siehe Bild), offenbar nicht „einheimisch“ genug. Das hat zu Kommentaren und Posts geführt, die auf so vielen Ebenen falsch, schwachsinnig und boshaft sind, dass es mir echt die Sprache verschlagen hat: „Kanaken-Werbung“, „Drek Gesindel“, „Mörder“, „Vergewaltiger“, „zum Kotzen“, „Pfui Teufel“… viel Kram unter der Gürtellinie, viele Rechtschreibfehler, vieles rund um eine Partei, die in aktuellen Umfragen beinah gleichauf liegt mit der SPD.

Nicht einmal ansatzweise hätte ich mir vorstellen können, dass dieses Bild solche Reaktionen hervorrufen würde. Sie passen absolut nicht zu meinem persönlichen Eindruck von Deutschland und seinen Bürgern: Mein Alltag ist geprägt von toleranten, vernunftbegabten und weltoffenen Menschen, Menschen mit heller und dunkler Haut, mit deutschem oder ausländischem Pass – mit dem Herz am rechten Fleck. In den wenigen Momenten, in denen ich doch einmal mit Rassismus und Fremdenhass konfrontiert werde, freut mich das umso mehr!

Es ist mir deshalb wichtig, mit diesem Post eure Werte und Normen, euren Rückhalt und eure Offenheit zu feiern🎉 Dass wir – auch Regina – wegen einem Werbebild Zielscheibe rechter Parolen geworden sind, hat mir nämlich einmal mehr gezeigt, dass das leider nicht selbstverständlich ist. Und falls du selbst von Rassismus betroffen bist: Rassistische Posts kann man melden, rechte Hetzer anzeigen. Von diesem Recht werde auch ich Gebrauch machen.

Philipp Awounou

 

°°°

 

E hoje é dia de Páscoa e de (auto)reflexão. Para mim foi um momento especial ver uma cruz sendo decorada por crianças com tulipas coloridas, me passou o sentimento de que da escuridão pode vir a luz, a esperança (não só de dias mais claros e menos sombrios mas também de dias melhores para o nosso planeta Terra).

Não excluindo a corrupção que existe em outros países (o caso da Volkswagen e a da indústria automobilística alemã está aí pra servir de exemplo…), passei parte do meu feriado de Páscoa assistindo o seriado “O Mecanismo“ na Netflix, contando parte da história da Lava Jato em forma de ficção. Cheguei a esse seriado pelo tanto que li em mídias sociais com relação às críticas feitas com relação a ele, de que distorce fatos, que tem interesses políticos e não retrata a realidade… Bom, por ser obra de ficção e não um documentário, não me assusta o fato do seriado não ter seguido exatamente o decorrer dos fatos no Brasil. O que me assusta muito mais, e me embrulhou a barriga, me deu vontade de vomitar e de afundar a cara num buraco, pensando que esse seriado está sendo mostrado para 190 países no mundo, foi simplesmente imaginar que aquilo tudo é baseado realmente em fatos reais, o tal do mecanismo que o José Padilha quis mostrar que existe em vários níveis econômicos no nosso país, se repetindo ad infinitum em várias esferas, independentemente do partido político, da ideologia ou do tamanho do rombo… cada um rouba como e quanto pode. Mesmo não deixando de admirar a trama em si, o seriado em si como produção 100% brasileira, e o fato dele estar mostrando bons atores como a Carol Abras e o Selton Mello, que aliás fizeram suas próprias dublagem em inglês e ela não ficou nada mal!

Como um primo meu comentou, espero também que isso fique só num seriado e não vire uma novela interminável… felizmente a História dá voltas! Continuo esperando que outras Mariellas surjam na política brasileira pra ter coragem de denunciar e lutar contra o sistema, fazendo o que deveriam fazer como representantes do povo e não buscando um posto público simplesmente com o objetivo de auto enriquecimento. Alguém aí sabe se o Padilha já está rodando a segunda temporada do seriado?

P.S.-Conversando com um amigo, o André, logo depois que escrevi esse post, concluí junto dele que o joguinho de esquerda x direita no Brasil, ou democráticos x extrema direita na Alemanha, ou qualquer disputa de grupos dentro de uma determinada sociedade, é também PARTE do Mecanismo! Enquanto as pessoas se formam em grupos e se atacam entre si, eles lá em cima monopolizam o poder e fazem o que querem com ele! Não há lado ideológico quando se trata de uma sociedade, há UM povo e nós cidadãos temos que buscar aquilo que for melhor para o povo em conjunto, a sociedade em que estamos inseridos. Não podemos cruzar os braços e fazer parte do Mecanismo em prol dos mais ricos, alimentando ainda mais sua riqueza!

Meu irmão comentou também que dentre poucos meses nós brasileiros teremos a tarefa de votar naqueles que poderão mudar o quadro político brasileiro.

Que toda essa discussão em cima do seriado sirva para mudar algo pra melhor no Brasil e no mundo, e sirva de conscientização para as pessoas, acima de suas crenças políticas, de que a intenção e o caráter de um ser humano é que pode levá-lo a fazer algo bom, se ele tiver bons objetivos, agir de forma altruísta em prol da sociedade!…

Fonte: artigo da revista Der Spiegel de 31/03/18.

::HERstory: calendário de Mulheres que fizeram/fazem História::

25/03/2018

IMG_0410

Voltei de Augsburgo com um exemplar da coletânea da qual participei, onde 50 escritoras brasileiras espalhadas pelo mundo escreveram poemas e contos sobre a paz. O livro foi editado de forma bilíngue, em português e em inglês. Ficou lindo e está sendo emocionante participar desse movimento de mulheres pensantes em prol do direito de expressão através da palavra escrita!

Em Augsburgo, revi amigas, tais como Alexandra Magalhães Zeiner, da associação Mulheres pela Paz, e Angélica Dias Müller, da Imbradiva, além de ter tido o imenso prazer de conhecer a representante do Mulherio das Letras vinda do Brasil para o lançamento da I Coletânea Internacional Mulherio das Letras, Vanessa Ratton. Durante os dias de 10 e 11 de março de 2018, participei de dois eventos, uma noite de comunhão de culturas no Café Neruda, e um brunch multicultural na biblioteca de Göttingen, onde apresentamos fotos, poemas, livros e ideias em português e em alemão. Tive a imensa honra e oportunidade de apresentar e ler um conto da minha querida tia, Aracy Miranda Costa, uma de minhas musas inspiradoras, também escritora, que deixou este mundo muito inesperadamente em agosto de 2016. Li um conto do livro “Causos” para Rir e Casos para Refletir, que ela lançou em 2014 junto da minha mãe. Vendi livros dela, meus, conheci muita gente legal, troquei, inspirei, fui inspirada. Voltei pra casa com uma mala e uma alma mais leves! Com um calorzinho bom no coração!

No dia do brunch plantei a sementinha de um novo projeto. Aqui no blog sempre comentei de mulheres fortes, e que como sempre tive a impressão de que mulheres fortes são facilmente esquecidas ao longo da História, como se ela fosse mesmo só HIStory, a História dos homens. Comentei sobre isso com a Vanessa, e como um calendário que tenho lido todo dia no trabalho, que comprei e me presenteei e me mostra a cada dia a trajetória de uma mulher de fibra no mundo, ainda viva ou não, tem me deixado constantemente inspirada e pensativa sobre o lugar da mulher no mundo.

Daí surgiu a ideia de fazermos um calendário assim em português, pra homenagear mais mulheres, vivas ou não, que fizeram e fazem História. Isso aconteceu poucos dias antes do assassinato da Marielle Franco no dia 14 de março de 2018, e ela certamente fará parte do nosso calendário! Assistindo videos e conhecendo um pouquinho da grande mulher, socióloga, política e agente de mudança na luta pelos Direitos Humanos que foi Marielle, cheguei à trajetória de outra mulher incrível: Audre Lorde.

Ficaria imensamente grata se deixassem no comentário mais nomes para serem homenageados em nosso calendário, que será um projeto conjunto, meu e da Vanessa. Uma homenagem puxa a outra e a certeza de que:

“Eu não serei livre enquanto houver mulheres que não são, mesmo que suas algemas sejam diferentes das minhas.”

Audre Lorde

P.S.-Lendo e me informando sobre Audre Lorde, me deparei com outra mulher inspiradora, a Joseanair Hermes que atua na Cáritas do Paraná, Brasil. Leiam o que ela tem a dizer! Tudo a ver com o que acabo de escrever agora, na mesma linha de pensamento e empoderamento feminino!

::Gloria Allred – a mulher por trás do movimento #metoo::

20/02/2018

Acabo de ver um documentário sobre a advogada americana Gloria Allred. Tenho que dizer que nunca tinha ouvido falar sobre ela, mas é ela quem, por assim dizer, está por trás do movimento #metoo. Foi ela que, desde o início de sua carreira, lutou pelos direitos da mulher no trabalho, em casa ou onde quer que ela estivesse. Foi ela que levou mais de 50 mulheres a depor contra Bill Cosby. Ela apoiou Hillary Clinton na última campanha presidencial dos EUA e levou algumas mulheres para depor contra Donald Trump. Todos os anos, durante vários anos seguidos, ela foi ao cartório da Califórnia levando lésbicas ou gays que queriam se casar, sem sucesso durante muito tempo, até que a lei fosse votada e o casamento entre pessoas do mesmo sexo se tornasse possível. Por trás de grandes movimentos sempre há pessoas de fibra que investem sua vida, seus ideais e suas convicções naquilo que acreditam. Gloria Allred é uma dessas pessoas. Ela pode não ter iniciado o movimento #metoo no sentido próprio da palavra, mas pelo fato de estar há décadas lutando pelos Direitos Humanos, a vejo como alguém que constrói História através de suas ações, fazendo uso de experiências negativas que aconteceram com ela mesma em prol da Justiça e do empoderamento feminino.

Se você está em casa sem saber o que escolher pra ver hoje na tevê, escolha o documentário sobre a vida de Gloria Allred na Netflix. No mínimo, você terá um sentimento de orgulho alheio e se sentirá inspirada pela energia incrível e a força que ela emana!

::Ao menos uma coisa é certa: viajar é bom demais!::

18/02/2018

fullsizeoutput_36b7Soviel ist sicher: Reisen tut immer gut! Este é o lema da fanpage da Mineirinha no Facebook, que aliás vem crescendo dia após dia, onde praticamente de forma diária publico assuntos relacionados à Alemanha. A propósito, a última publicação antes dessa foi de uma cadeia de supermercados alemã, a EDEKA, que junto de outras cadeias europeias declararam guerra à Nestlé e resolveram banir mais de 160 produtos de suas prateleiras. A Nestlé também é a mesma empresa que, junto da Coca-Cola, vem silenciosamente privatizando as fontes de água no Terceiro Mundo!… Portanto…. #boicotecocacoca #boicotenestle

IMG_0410

Mas a próxima viagem que acabo de planejar, também com a ajuda dos sites do Booking (hotel – aqui um link com 15 EUR de desconto!) e da Deutsche Bahn (passagem de trem), será no mês que vem, quando participarei do lançamento da “I Coletânea Internacional do Mulherio das Letras“. O livro, que será lançado em português e inglês, constará de 50 poesias de escritoras brasileiras, dentre elas uma de minha humilde autoria, todas elas com um tema comum: a PAZ. É a primeira vez que participo de uma coletânea assim e estou curiosa para rever e desvirtualizar amigos no evento de Augsburgo em 10-11/03/18, logo depois de outros eventos na mesma cidade, que acontecerão a partir do Dia internacional da Mulher no dia 08/03/18, todos organizados pela Alexandra Magalhães Zeiner e sua recém inaugurada associação Mulheres pela Paz – Frauen für Frieden e.V.

Cada viagem, quer seja ela geográfica ou imaginária, de trem, avião, S2 pés ou em algum cantinho fantástico da nossa mente, conta pelo menos um conto e acrescenta pelo menos um ponto na nossa bagagem pessoal. Vamos ver o que a próxima trará! Já estou feliz pela viagem e pela possibilidade de participar dessa coletânea! Ela também confirma que ao menos uma coisa é certa: viajar é bom demais!


%d blogueiros gostam disto: