Archive for the ‘Música’ Category

::Irgendwas – Alguma coisa::

03/06/2017

Tem muito tempo que não publico uma letra de música. Por acaso achei essa hoje à noite e sabia que tinha que fazer a tradução e publicá-la aqui no blog! Tem tudo a ver com o mundo atual. Tem duas versões muito bonitas dela. Uma aqui e outra aqui, essa última uma versão acústica. A Yvonne Catterfeld é uma cantora muito conhecida e famosa na Alemanha. O Benjio, o autor da letra e a voz masculina do dueto, ainda é um rapper desconhecido para o grande público alemão, mas promete!

Irgendwas – Yvonne Catterfeld feat. Bengio (Tradução para o português logo abaixo – Sandra Santos)

Irgendwas, das bleibt, irgendwas, das reicht
Irgendwas, das zeigt, dass wir richtig sind
Bis wir etwas finden, was sich gut anfühlt
Was sich lohnt zu teil’n, würden gern sowas spür’n
Suchen überall, finden scheinbar nichts
Was uns halten kann, was uns das verspricht
Was wir wirklich woll’n, wonach wir alle suchen
Kriegen nie genug, denn wir woll’n immer mehr
Können uns erklär’n, wieso die Erde dreht
Schauen im Weltall nach, uns reicht nicht ein Planet
Bauen Denkmäler, wir wär’n gern für immer jung
Sammeln Fotos, aber uns fehlt die Erinnerung
Verkaufen uns für dumm und machen Geld daraus
Erfinden jedes Jahr was Neues, was die Welt nicht braucht
Denn es geht immer noch ein bisschen mehr
Auch wenn keiner mehr den Sinn erklärt

(Refrain – 2x)
Sind auf der Suche nach irgendwas
Sind auf der Suche nach etwas mehr
Sind auf der Suche nach irgendwas
Nur was es ist, kann keiner erklär’n
Hauptsache, ein bisschen mehr

Irgendwer, der bleibt, irgendwer, der zeigt
Dass er scheinbar weiß, wer wir wirklich sind
Wenn wir ihn dann finden, können wir nicht bleiben
Wollen uns nicht binden, weil wir dann vielleicht
Etwas verpassen könn’n, was irgendwo noch ist
Was wir sonst vermissen, weil es nicht uns gehört
Hinterlassen Abdrücke wie auf frischem Teer
Die nächste Generation kommt nicht mehr hinterher
Immer noch höher, wir müssen immer noch weiter
Wir werden immer noch schneller, denn uns läuft langsam die Zeit ab
Wir brauchen mehr, mehr, wissen nicht mehr, wer
Wir wirklich sind, verlieren die Ehrfurcht
Vor so viel Ding’n, wir haben verlernt
Wie man etwas teilt, obwohl wir alle so entstanden sind
Es geht immer noch ein bisschen mehr
Auch wenn keiner mehr den Sinn erklärt

(Refrain – 2x)

°°°°°

Alguma coisa

Alguma coisa que fique, alguma coisa que seja suficiente

Alguma coisa que mostre que estamos certos

Até que achemos algo que pareça ser bom

Que valha a pena dividir, adoraríamos sentir isso

Procuramos por todo lado, mas parece que não achamos nada

Que possa nos segurar, que nos prometa isso

Algo que nós queiramos de verdade, algo que todos nós procuremos

Nunca recebemos o suficiente porque sempre queremos mais

Podemos explicar porque a Terra gira

Olhamos no universo, pra nós não basta só um planeta

Construímos estátuas, gostaríamos de ficar jovens pra sempre

Juntamos fotos, mas nos falta a lembrança

Vendemos a ideia de que somos bobos e fazemos dinheiro através disso

Inventamos a cada ano algo novo de que o mundo não precisa

Porque sempre é possível ter um pouco mais

Mesmo que ninguém consiga mais explicar o sentido

 

(Refrão – 2 x)

Estamos buscando algo

Estamos buscando um pouco mais

Estamos buscando algo

Mas o que é, ninguém consegue explicar

O mais importante é que seja um pouco mais

 

Alguém que fique, alguém que mostre

Que parece que ele sabe quem somos de verdade

Quando o achamos, não podemos ficar

Não queremos nos prender, porque talvez

Iremos perder alguma outra coisa que esteja por aí

Algo de que ainda sentimos falta porque não nos pertence

Deixamos marcas como no asfalto fresco

A próxima geração não vai conseguir nos acompanhar

Sempre mais alto, nós temos sempre que continuar

Nós nos tornamos cada vez mais rápidos, porque o tempo voa

Nós precisamos de mais, mais, não sabemos mais quem

Somos de verdade, perdemos o respeito

Por tantas coisas, esquecemos

Como dividir algo, apesar de que todos nós tenhamos surgido dessa forma

Sempre vai ser possível ir um pouco além

Mesmo que ninguém consiga explicar o sentido

 

(Refrão – 2x)

::Recomendação de leitura::

18/04/2016

produkt-12467

Quando um bom livro chega ao fim,

é como se tivéssemos que nos despedir

de um bom amigo recém-feito

 

Por isso, ao contrário de um filme,

Que não tenho como evitar que acabe

Evitei com a dor do fim

Que o livro (e a viagem) dos gêmeos acabasse…

 

Os doidos dos alemães, num bom sentido,

Andaram mais de 13 mil km de bicicleta

De Berlim a Shanghai

Quando fizeram 30 anos,

(O que eles contam em outro livro)

 

E aos 33, idade de Cristo,

Resolveram dar a volta ao mundo

Sem dinheiro

 

Ficaram os três primeiros dias da viagem

Em Berlim

Pois no começo encontraram muitos

Que deles duvidaram

 

Mas depois….

Descubra você mesmo!

E deixe que eles conquistem a sua amizade

Como aconteceu comigo

 

(Dica: os vídeos das viagens

são muito legais!

Com muitas descobertas,

também musicais!)

::Mundo louco x mundo lindo::

29/03/2016

Num dia louco feito o de hoje onde, fica difícil acompanhar (e acreditar) nas atualidades.

Mulher passa 4 horas nadando atrás de navio

Uma mulher de 65 anos pula no mar atrás de um navio, achando que vai encontrar o marido com quem tinha brigado. Ela é resgatada 4 horas depois, passando muito frio nas águas de 18 graus da costa da ilha de Madeira, agarrada a uma malinha. O marido não se encontrava mais no navio; ele tinha ido, logo depois da briga, para o aeroporto, e voltado pra Bristol, na Inglaterra, onde morava.

Leis severas

Um homem rico na Suíça ultrapassa com seu carro esporte duas vezes a velocidade permitida (100 km/h ao invés de 60 km/h e 154 km/h ao invés de 120 km/h) e paga primeiro uma multa de 600 francos suíços, depois outra de 9.000 francos suíços e por último tem que entregar sua carteira de motorista por dois anos para as autoridades. Ele afirma não se importar com esse fato, pois o transporte público no país é muito bom e quando não está andando de trem ou de ônibus, tem seu chauffeur próprio. Lá as leis valem para todo ser mortal, não importando o poder aquisitivo ou a classe social da pessoa…

Tay – Inteligência Artificial espelha o extremismo dos dias de hoje

Tay

A Microsoft resolve fazer um experimento de Inteligência Artificial e coloca o robô Tay no Twitter, para bater papo, se divertir e aprender com os internautas. Tinham anunciado que ele poderia receber e comentar fotos, contar piadas e entreter a comunidade. Tay começa o dia saudando os internautas e dizendo o quanto os preza. Em menos de 24 horas, a exemplo do extremismo que assola a internet, ele se torna sexista e nazista, afirma que o Holocausto nunca aconteceu, elogia Hitler, fala mal do feminismo e incita o extermínio do México. A Microsoft tem que tirar Tay às pressas do ar, pedindo desculpas e afirmando que as ideias dele não são as mesmas da empresa. Tay aprendeu, em pouquíssimo tempo, a se deixar influenciar como uma criança sem opinião própria e provou o que a grande massa tem de pior…

Bélgica & Lahore – terrorismo e capitalismo

Em menos de uma semana, vimos dois atentados terroristas acontecerem, dentro do aeroporto e do metrô de Bruxelas, na Bélgica, matando mais de 30 e deixando mais de 300 feridos, e no feriado da Páscoa num parquinho com crianças cristãs em Lahore, no Paquistão, matando 70 pessoas, dentro elas 35 crianças e ferindo 340 outras… Como se a loucura dos dias atuais já não tivesse chegado ao limite máximo, trocamos o medo antigo da Guerra Fria, de uma Super Potência com um provável botão para acionar a bomba atômica, por todo e qualquer ser humano desacreditado e desiludido, que não conseguiu se integrar onde está, é ou está doente, psicopata, e não vê perspectiva para sua vida a não ser a de se explodir ou meter um avião na rocha, levando consigo centenas de inocentes… Um único ser humano se tornou uma arma eficaz e barata, a consciência (o a falta dela) está no comando.

Nem em uma hora dessas pára-se de tentar encontrar meios de fazer dinheiro. Por escolha própria, porque não quero virar produto pro Facebook, me nego a informar pro sistema onde moro. Por isso, eu e muitas outras pessoas bem longe de Lahore, espalhadas por todo o mundo, recebemos uma mensagem perguntando se estávamos passando bem, nos convidando a visitar o programa para assinalar que estamos vivos. Vai ver que a intenção era a de fazer com que os que não tinham determinado onde moram, o façam nesta ocasião, consequentemente aumentando o valor da empresa. Por via das dúvidas, o que pode ser interpretado como uma brincadeira de mau gosto e também como um ato solidário, virou uma pane declarada e o Facebook a anunciou, pedindo desculpas pelo ocorrido…

Enquanto isso, na Turquia…

O Erdogan acha que pode limitar a liberdade da imprensa, não só dentro da Turquia, mas também fora dela. Naquele país, quem tem opinião própria vai parar atrás das grades, e o embaixador alemão acaba de ser intimado para visitar Erdogan depois de uma sátira lançada pelo canal de tevê alemão NDR. Nela, afirma-se a verdade (falta de liberdade de expressão, prisão de repórteres, regalias do governo, pessos maltradas pela polícia, dentre tantas outras aberrações) e espera-se que, se ninguém pode ter opinião própria dentro da Turquia, que não venham com essa de propagar a verdade fora de lá… E o pior é que o governo alemão não comentou nada oficialmente depois do ocorrido, pois depende da Turquia nas negociações ligadas aos refugiados…

60 milhões de pessoas estão se movimentando pelo mundo no momento, em busca de um lugar melhor, mais calmo e mais digno pra viver. Muitas delas vieram desde o ano passado aqui para a Alemanha, pelo que eu tenho que tirar o chapéu para a chanceler Angela Merkel, que não mudou de opinião nem depois de ter sido criticada praticamente pelo país inteiro e de ter corrido o risco de perder seu posto de chanceler. A consciência foi posta acima do poder. Palmas para ela.

Tiro o chapéu e não saberia nem o que fazer mais, além de manter uma admiração profunda pelo Papa Francisco, que busca a linguagem do amor, acima de todas as religiões, e lava os pés de 12 refugiados de várias nacionalidades na Páscoa, contribuindo para o entendimento entre os povos e dando um exemplo de humildade e amor ao próximo. Mesmo que a igreja tenha sido reformada 30 anos em 3 anos, desde que ele ocupa o cargo, dentre tantas outras reformas necessárias falta ainda ele liberar os postos de liderança dentro da Igreja Católica para as mulheres. Por que não há (ainda) mulher padre, mulher bispo e mulher papa? Por quanto tempo?

Num mundo conturbado como o de hoje, tempos que voltar a atenção para as pequenas coisas e tentar nos concentrar no bem, quer seja ele conhecido ou desconhecido. Fecho esse post agradecendo a um desconhecido que achou a carteira do meu marido, perdida há algumas semanas na Baviera, e dela tirou somente o dinheiro, devolvendo o restante do conteúdo para a prefeitura da cidade onde a mesma tinha sido perdida, que por sua vez a enviou para a nossa cidade. Tudo o que foi deixado dentro da carteira vale uns 500 euros, inclusive um cartão anual para andar de trem, mais de 60 euros de tíquetes restaurante, documentos, fotos, sem falar na carteira em si, novinha, de couro. Existem muitas pessoas de bem. E nós, a cada segundo, temos a opção de ver o mundo sob o ângulo negativo ou positivo, de tentar sermos pessimistas ou positivistas, de incitar o mau ou de fazer o bem.  O livre arbítrio é todo nosso.

Fontes: praticamente todos os meios de comunicação da atualidade, dentre eles Twitter, Facebook, YouTube, revista Spiegel, jornal FAZ (Frankfurter Allgemeine Zeitung), website da Telekom, programa Extra 3 da NDR.

::Reise (Ich war hier) – Viagem (Eu estive aqui) – Da série “aprenda alemão cantando”::

12/10/2015

Tradução minha em português abaixo da letra em alemão

Reise (ich war hier) – Miss Platnum

Die Wände beben,
vom donnern der Gleise
Ich spring auf den Zug
lass’ die Weichen entscheiden

Land und Himmel
verschwimmen zu einem
an mir zieh’n Vögel
ich an ihnen vorbei

Ich brauch nichts mehr
in Worte zu fassen
ich streck’ die Arme aus, ich bin…

REFRAIN
Ich bin auf der Reise
um zu beweisen,
dass es stimmt
Dass nach dem Schließen der Kreise
etwas Neues beginnt
Schreib’ mit Kreide auf Steine und Beton
Ich war hier, ich war hier
Ich bin auf der Reise
bis mein Name verschwimmt

Mein altes Ich beginnt zu verblassen
Kein Plan, bin auf dem Weg loszulassen
Das Chaos ist einfach perfekt
Hab’ wie Kolumbus eine Welt neu entdeckt
Verlier’ die Angst, wie einen alten Schlüssel
ich streck’ die Arme aus, ich bin…

REFRAIN

Es ist an der Zeit, die Zeit loszulassen
Den Schlaf loszulassen
auf dem Weg nach Haus’
An der Zeit sich mit Neuem zu befassen
alles zuzulassen auf dem Weg

REFRAIN

°°

Viagem (Eu estive aqui) – Miss Platnum

As paredes estão tremendo
Por causa do trovejar dos trilhos
Eu pulo no trem
Deixo as vias tomarem as decisões

Terra e céu
Se misturam
Pássaros passam por mim
E eu por eles

Eu não preciso de
Explicar nada mais em palavras
Eu abro os braços, eu…

REFRÃO
Eu estou viajando
Pra provar
Que é verdade
Que depois que o círculo se fecha
Algo novo começa
Eu escrevo com giz na pedra e no concreto
Eu estive aqui, eu estive aqui
Eu estou viajando
Até que meu nome desapareça

O meu velho „eu” está deixando de existir
Estou sem planos, estou no caminho de deixar coisas pra trás
O caos está perfeito
Descobri como Colombo um novo mundo
Estou perdendo o medo, como uma chave velha
Eu abro os braços, eu…

REFRÃO

Chegou a hora, de deixar o tempo pra trás
Deixar o sono pra trás
No caminho pra casa
Chegou a hora de se ocupar com o novo
Aceitar tudo durante o caminho

REFRÃO

::Rosas Heft – vc já virou fã?::

07/06/2015

Tem muito brasileiro sendo agente de cultura por aqui em terras germânicas, um deles é o Dago Schelin, cineasta, pai, cantor, compositor e outras coisas mais… Ele está prestes a iniciar uma campanha pra arrecadar fundos para o seu CD intitulado Rosas Heft. São músicas alemãs que eram cantadas na infância dele no Brasil e que ele agora está regravando na Alemanha com ritmos brasileiros, sambinha, bossa nova…. Tá ficando lindo! Vamos contribuir e ajudar neste projeto verdadeiramente binacional? Vire fã do projeto aqui e prepare-se pra ajudar (e, de quebra, ganhar uns presentinhos). Já tô doida pra ouvir o CD todo!… 🙂

::Aprenda alemão cantando – Fliegen (Voar) ::

04/06/2015

O Matthias Schweighöfer é o que se pode chamar de multitalento: ator, pai, produtor, dublador, cineasta, sócio da marca de roupas German Garment e agora cantor.

A música dele, que não pára de tocar nas rádios locais, me surpreendeu e me fez voar em suas linhas, enquanto voltava na segunda-feira passada de carro de Constança pra casa e admirava um céu multicor, com tons do amarelo forte, perto das montanhas ao fundo, passando por tons suaves de rosa e quase chegando ao lilás, espalhados sob uma moldura de nuvens baixas. Eram 9h da noite, mas no verão os dias são bastante longos por aqui e o pôr do sol acontece bem tarde (talvez esta seja uma forma divina de nós recompensar pelo acasulamento dos meses de inverno, muito além da localização geográfica!…). Desta vez me animei até a traduzir o texto da música. Curtam e treinem o alemão com ela:

Und ich helf dir schwimmen,
wenn deine kleinen Arme und Beine schwer wie Blei sind, helf ich dir schwimmen.
Ich helf dir schwimmen, wenn der Schlamm und Schlick so dick wird, dass du denkst du wirst verrückt, helf ich dir schwimmen.
Helf dir schwimmen.
Und egal wie lang, wie qualvoll, fern ob nah, bin immer da und helf dir schwimmen.
Helf dir schwimmen.
Und wenn es untergeht, egal solang mein Ende naht da wo du bist.

Und wenn ich für dich fliegen muss,
Und wenn ich für dich fliegen muss,
krieg’ ich das irgendwie hin,
krieg’ ich das irgendwie hin,

Und wenn ich für dich fliegen muss,
Und wenn ich für dich fliegen muss,
kriegen wir das irgendwie hin.

Und ich helf dir singen, wenn alle Worte nicht mehr reichen, viel zu leise sind allein,
Helf ich dir singen,
helf dir singen.
Schlag ein Tambourin und stampf mit beiden Beinen auf, auch wenn viel zu schief,
Helf ich dir singen.
Und egal wie laut sie lachen, mit Tomaten werfen nach uns,
ich helf dir singen,
helf dir singen.
Arm in Arm so laut es geht, nichts ist so schön wie das Lied.

Und wenn ich für dich fliegen muss,
Und wenn ich für dich fliegen muss,
krieg’ ich das irgendwie hin,
krieg’ ich das irgendwie hin,
Und wenn ich für dich fliegen muss,
Und wenn ich für dich fliegen muss,
kriegen wir das irgendwie hin.

Wir kriegen das irgendwie hin

°°

E vou lhe ajudar a nadar,

quando seus braços e pernas estiverem pesados como chumbo, vou lhe ajudar a nadar.

E vou lhe ajudar a nadar, quando a lama e a areia estiverem bem espessas, e você achar que vai ficar doido, vou lhe ajudar a nadar.

Não importa quanto tempo, se vai me desgastar, se for longe ou perto, eu vou estar sempre ao seu lado e lhe ajudar a nadar.

Vou lhe ajudar a nadar.

E se nós afundarmos, não importa, conquanto você esteja ao meu lado quando chegar ao meu fim

E se eu tiver que voar por você

E se eu tiver que voar por você

Eu vou, de alguma forma, dar um jeito

Eu vou, de alguma forma, dar um jeito

Nós vamos dar um jeito.

E eu vou lhe ajudar a cantar, quando as palavras não forem suficientes e forem muito sutis

Vou lhe ajudar a cantar.

Vou lhe ajudar a cantar.

Bato em um tamborim com as duas pernas, mesmo que faça isso de um modo desajeitado,

Vou lhe ajudar a cantar.

E não importa o quão alto eles possam rir de nós, jogar tomates na nossa direção,

Eu vou lhe ajudar a cantar.

Ajudar-lhe a cantar.

Cantar de braços dados, do jeito que for possível, tão lindo quanto a música.

E se eu tiver que voar por você

E se eu tiver que voar por você

Eu vou, de alguma forma, dar um jeito

Eu vou, de alguma forma, dar um jeito

Nós vamos dar um jeito.

 

 

::Alles brennt – aprenda alemão cantando::

20/05/2015

Alles brennt… Está tudo pegando fogo! Num bom sentido! A Alemanha está com uma leva boa de cantores que valem a pena ser ouvidos. Acabei de apresentar o Joris, agora é a vez do Johannes Oerding. Ele tem um nome tão sério, nem parece nome de cantor, não é mesmo? Mas vale super a pena investir uns minutinhos nesta música aqui. E aprender mais um pouquinho de alemão cantando, como eu costumava aprender nos idos de 1993, e continuo aprendendo até hoje. Bom investimento! 🙂

::Joris, diz aí, é fácil expressar sentimentos em alemão?::

20/05/2015

Joris, me diz aí, é fácil expressar sentimentos em alemão? Tem gente que acha que é impossível. Tem homem que não consegue, tem mulher que não consegue, nem em alemão, nem em língua nenhuma. Que bom que vc tem o dom! Queria só fazer uma propaganda básica da sua música que não pára de tocar no rádio, “Herz über Kopf” (tradução minha: quando o coração ganha da razão) e acho, sem querer, essa pérola, sua música “Schneckenhaus” (concha de caracol). Legal ter aprendido o que o seu nome significa (Georg/Gregor em holandês) e saber que vc é um cantor jovem, 25 anos, de Bielefeld! Eu morava aí pertinho! Quem sabe um dia não te vejo ao vivo? Continue cantando, tocando e compondo. O mundo precisa de pessoas sensíveis.

“Wenn es am schönsten ist, und du nichts mehr vermisst, dann mach die Augen auf…”

Quando tudo tiver ficado perfeito e vc não sentir falta de mais nada, abra os olhos.

Observação pra quem estiver no Brasil: um leitor teve a bondade de buscar os links dos vídeos que podem ser vistos aí. É só clicar nos comentários, ok?

E quem tiver gostado, pode ouvir partes do álbum todo dele aqui:

::Dago & Rosas Heft::

22/03/2015


O Dago Schelin, leitor da Mineirinha, sobre quem falei aqui e aqui, é um brasilemão. Seus antepassados emigraram da Alemanha para o Brasil nos anos 1920. E ele fez o caminho inverso, morando desde 2013 em Marburg e, com o relembrar da língua alemã, voltam também à lembrança as canções alemãs da infância. São canções que a mãe e a avó delem cantavam. Algumas são conhecidas como Guten Abend, Gute Nacht de Brahms. Boa parte das músicas já nem são mais lembradas pelo povo alemão. Mas foram guardadas, como numa cápsula do tempo, por gerações de imigrantes no Brasil. Ele as misturou com Bossa Nova e está divulgando um projeto verdadeiramente binacional Brasil-Alemanha! Segundo o Dago, a previsão do lançamento do CD é junho. As gravações estão sendo feitas na Alemanha e no Brasil (o samba na Alemanha e o clássico no Brasil) 🙂

Leia mais sobre o projeto do Dago aqui, dê um like aqui na página do Facebook do projeto dele. O resgate cultural, ainda mais praticado por um brasiemão como ele, merece todo o nosso apoio! Em tempo: aqui tem mais um outro projeto do Dago, o Living Room.

Aqui uma pequena amostra do Rosas Heft, comparado com a música tradicionalmente conhecida aqui na Alemanha:

::Comemoração do Dia Internacional da Mulher – Evento Mulheres pela Paz em Augsburgo::

12/03/2015

paz

Participei no sábado passado, dia 07/03/15, pela segundo ano consecutivo, do evento em comemoração ao Dia Internacional da Mulher em Augsburgo, organizado pela escritora brasileira infanto-juvenil e Embaixadora da Paz Alexandra Magalhães Zeiner. O tema desta vez era Mulheres pela Paz.

Enquanto as crianças se divertiam com atividades recreativas, o chefe do Departamento de Meio Ambiente, Integração e Intercultura, Reiner Erben, representante da cidade de Augsburgo, explicou que há 365 anos comemora-se naquela cidade da Baviera a Festa da Paz (Friendensfest). De acordo com a programação enviada pela curadora do evento, dentre as grandes cidades alemãs, somente em Augsburgo existe um feriado para festejos sobre a  PAZ! Assim em 2015 este foi o tema escolhido para celebrar o Dia Internacional da Mulher: Mulheres pela Paz – Frauen für den Frieden. Apresentaҫões e exposições sobre o tema escolhido fizeram parte do programa, com a presenҫa de mulheres, crianças e também de alguns homens, de escritoras vivendo em várias partes do mundo e de associações internacionais que divulgam a cultura brasileira no exterior.

Um dia antes, 06/03/15, as celebraҫões tinham sido iniciadas com um Sarau da Paz, que ocorreu na biblioteca municipal de Göggingen, onde artistas e escritores convidados apresentaram seus trabalhos para a comunidade local. Infelizmente não pude estar presente a este evento, mas ouvi dizer que tinha sido um sucesso.

No evento do sábado passado, enquanto as crianças presentes se divertiam com atividades recreativas, a escritora e embaixadora do Panamá na Áustria, Gloria Young, falou tão bem do papel da mulher latino-americana, as conquistas políticas, comentando que atualmente quatro mulheres ocupam os cargos de presidência em seus países latino-americanos e também citando vários exemplos de movimentos sociais liderados por mulheres. Ela deixou bem claro que a busca por participação social não deve ficar na cúpula do poder, mas deve ser buscada a cada dia, no local onde a mulher se encontra inserida. Já a terceira palestrante, Rosemarie Mantel, professora de música clássica em Augsburgo, falou sobre o tema Artes e Paz interior. Ela citou o exemplo de sua mãe, que cresceu em uma família erudita, que tocava piano e fazia saraus de literatura e música, quando a Segunda Guerra a fez ter que recomeçar uma nova vida em uma pequena cidade da região de Allgäu, naquela época já com sua própria família de 7 cabeças, afirmando que o fato de ela ter mantido o hábito de tocar piano a fazia ter consciência da necessidade de ter, a cada dia, um momento reservado só para si, quando ela recarregava as baterias, não tinha que se ocupar em dar desculpas por não estar cuidando de outra coisa que não dela mesma como ser humano, e do hábito permitir que a família respeitasse seu limite auto-imposto na busca da paz interior.

Depois da pausa, onde saboreamos vários salgadinhos brasileiros feitos pela também mineira Marlice Boese, que por sinal estavam muito gostosos, tivemos três mesas de discussão, a saber:

– Artes e Paz (Marcia Mar, atriz e escritora, de Londres);

– Educaҫão (Casa Brasil de Lichtenstein e a Imbradiva de Frankfurt);

– Empreendedoras (Rosani Erhart Schlabitz, de Munique).

Escolhi o tema da Educação e achei muito interessante a discussão tomada na nossa mesa. A intenção era analisar qual era o papel da educação na busca da paz, não só a paz na sociedade, mas também a paz interior. No final, chegamos a uma conclusão bonita, que fechou bem nosso dia: toda mulher precisa do seu próprio “piano”, de algo que a descanse, seja só dela, onde ela possa recarregar as baterias e se permita estar só consigo mesma, sem culpa. Quem se dá esta permissão, está em paz consigo mesmo, e por consequência, estará apto a buscar a paz a um nível mais amplo.

Eu acabei demorando alguns dias para escrever este texto, e por coincidência ganhei hoje um presente com relação ao meu “piano” principal, a escrita e leitura, que combina bastante com o tema do evento. Uma leitora, a Keila, deixou uma mensagem linda, que me honrou muito, e que pra mim é um verdadeiro presente de final do dia:

“…Querida Sandra, por favor um pão de queijo e uma xícara de café 🙂 Obrigada!!!! Não existe expressão maior que eu possa começar esse comentário, que não seja: Muito obrigada!
Seu livro esteve comigo durante alguns meses, recebi, e o guardei em minha gaveta, porque atualmente tenho algumas prioridades estabelecidas, dentre elas, renovar em mim o hábito da leitura. Tenho 3 filhos, a rotina de mãe integral não me permite tanto tempo à minha própria disposição, a maternidade é algo muito sério pra mim. Mas confesso que sinto falta de um mundo particular, por algumas vezes. Por essa razão, estou reorganizando minha rotina, tentando redescobrir como posso ser um pouco de mim, mesmo após 3 filhos na Alemanha. Foi nesse processo, que fiz um desafio particular, comigo mesma de ler e escrever, como fazia antes do casamento e tantas mudanças que aconteceram em mim após embarcar pra Alemanha. Nessa busca por tempo, finalmente consegui abrir minha gaveta, que guarda algumas de minhas prioridades como leitura. Nessa semana na segunda-feira, comecei com você. Em cada página, a leitura se tornava mais e mais convidativa, e emocionante, porque ler sempre fez parte de mim, mas hoje minhas prioridades estão direcionadas quase que totalmente aos filhos. Lamentavelmente, li seu livro em pouco menos que 24 horas, foi incontrolável não se emocionar contigo, e mesmo comigo por ler e ter um tempo pra si outra vez. Que venham mais livros, mais capítulos em forma de mais páginas, porque sua linguagem singela, alcança de forma única o coração do leitor. Um abraço de uma manauara na Alemanha, Keila”

Não é linda esta mensagem? E foi um sentimento parecido que tive como escritora durante o evento do sábado passado. Vendi e troquei todos os livros que levei, vendi até livro a mais do que tinha levado, sobraram comigo só as propostas de capas para meus próximos livros que tinha levado para mostrar no evento, conheci outras escritoras lindas, recebi convites para apresentar meu livro em Frankfurt, com a Imbradiva, e em Lichtenstein, com a Casa Brasil. Foi muito proveitoso mesmo! Conheci e revi muita gente fina. Como num momento mágico, ouvi de relance o nome de uma cidade mineira onde tenho família, Ipatinga. Comentei que tenho família lá, no Horto, uma prima tem uma floricultura, meus primos são dentistas. E qual não foi minha surpresa quando a Polliana perguntou se a Denise era minha prima! Achei no meio da Alemanha uma amigona da minha super amigona-prima Dê! Não é incrível?!? Tiramos uma foto juntas e mandamos pra ela conferir!… O dia continuou com coincidências porque comprei uma revista qualquer pra ler e dei de cara com um dos melhores artigos que já li sobre a busca do eu interior, e portanto da paz interior. Eu e Daniel encontramos na viagem de volta com algumas famílias que tinham vindo nos mesmos trens para Augsburgo, agora esperando pelo mesmo trem que nos levaria de volta para casa. Dentro do último trem, a última supresa do dia: dentre tantos vagões, caímos por acaso em um onde duas brasileiras estavam ao nosso lado, que logicamente conheciam alguém que eu conheço… O mundo é um ovo. A paz pode estar em todo lugar, mas tem que ser buscada, com afinco e dedicação, todo dia, o tempo todo.

Alexandra, muito obrigada novamente pelo convite! Já estou feliz hoje pelo evento do ano que vem!

P.S.-Quem tiver ficado curioso sobre o evento, pode dar uma passada na página da Mineirinha n’Alemanha no Facebook e dar uma olhada nas fotos.


%d blogueiros gostam disto: