::Um dia em tempos de coronavírus::

05/03/2020

Fui ao banco hoje: a pessoa que me atendeu se despediu de mim com um aperto de mão, dizendo:

– Eu sei que não deveria fazer isso, mas vou fazer assim mesmo!…

::A nossa mesquinhez de cada dia nos dai hoje::

04/03/2020

Hoje estive pensando sobre o assunto do momento: claro, sobre o coronavírus. Pensei quais são os maiores inimigos da doença: o medo, o capitalismo e o lado mau do ser humano. Explico.

O medo, porque é fácil ter medo de algo invisível e desconhecido. É fácil desenvolver ansiedade e até dores físicas através delas. Nada melhor do que ser uma pessoa bem informada, porém sensível, que além do mais tenta imaginar cenários do futuro e se baseia em fatos. Eu mesma caí como um patinho naqueles primeiros vídeos que foram enviados da China, mostrando gente caída por todos os lados, sendo levadas às pressas para hospitais que às vezes eram cabanas de abrigo de quase-mortos. Mesmo tendo ficada altamente assustada naquele dia, praticamente não repassei os vídeos. Fiz pesquisas, li sobre o assunto, conversei com pessoas que prezo et voilà: a maioria deles não era atual, era de crises e épocas passadas.

O capitalismo, porque seria tão fácil se todos os locais afetados pudessem mesmo enviar seus cidadãos para uma quarentena de 14 dias em casa! Se os afetados não tivessem medo de perder seus empregos, de serem estigmatizados. E olha que aqui na Alemanha praticamente ninguém fica em casa sem pagamento: se a quarentena tiver sido imposta, a pessoa pode pedir ressarcimento dos dias não-trabalhados ao Estado. Se a pessoa estiver doente, pode ficar até 6 semanas em casa com pagamento de seu salário garantido por lei, para todo e qualquer empregado no país (Lohnfortzahlung im Krankheitsfall). Mas acabo de ler que nos EUA os funcionários do Wallmart têm medo de faltar ao emprego, porque podem perder seu bônus e até mesmo perder o próprio emprego com a falta. E olha que isso acontece no país que foi considerado como o mais bem preparado para lidar com uma epidemia, heim?!? Não há como negar: o dinheiro rege o mundo – e na atual situação isso não é nada, nada bom!…

E o lado mau do ser humano? Ah, esse ganha de todos, né? Gente saudável, rica e jovem comprando mil e uma máscaras para estocar em casa, que provavelmente não serão usadas, enquanto profissionais da saúde e velhinhos ficam a ver navios sem proteção!… Gananciosos que colocam 500 ml de desinfetante como oferta de troca por um iPhone(!) e gente que não pensa duas vezes em provocar nervosismo na população fazendo fotos e vídeos de prateleiras vazias nos supermercados alemães, sendo que no momento só máscaras, lenços desinfetantes e álcool gel é que faltam de verdade!

A partir de hoje está proibida a exportação de máscaras faciais daqui da Alemanha, a não ser para casos oficiais de ajuda humanitária. A intenção é de atender o mercado interno e contribuir para que as máscaras cheguem a quem delas realmente necessita no momento. Talvez a ação do governo ajude a cobrir alguns desses problemas, políticos alemães e médicos vêm apelando neste sentido. Esperemos o melhor!

Fonte: artigos variados da atualidade, dentre eles este da revista Der Spiegel de hoje, 04/03/20 e este da página Fast Company de 03/03/20.

::O cinza paira no céu 2020::

03/03/2020

Achei aqui um poema em italiano sobre a atualidade e vou tentar traduzi-lo. Traduz o sentimento do momento! Agradeço as correções!

O cinza paira no céu 2020

Há no ar

O medo

O equívoco

Que o respiro esteja infectado

O terror

De se infectar

Para depois ter que se prender

Se esconder

Se isolar

Nós humanos chegamos a este ponto

Os perfeitos

Os invencíveis

Os racistas e os mais fortes com as armas

E vejo

Crianças pequenas a caminhar

Entre sujeiras e muros

Para escapar

Entre uma fronteira e outra sem paz nem objetivo

::Onde você estava durante as últimas epidemias?::

02/03/2020

Eu mesma já andava pensando sobre o assunto: não me lembro de ter gastado tanta massa mental com uma epidemia como com a atual. Semana passada meu marido me disse mais ou menos a mesma coisa… e isso me colocou pra pensar ainda mais sobre isso. Portanto, aqui vai a pergunta – onde você estava, que lembranças tem e como se ocupou com as crises a seguir:

– 1999: vírus de Nipah (Malásia)

– 2002: SARS (China)

– 2003: gripe aviária H5N1 (China)

– 2009: gripe suína H1N1 (EUA/México)

– 2012: MERS (Arábia Saudita)

– 2013: gripe aviária H7N9 (China)

– 2014: Ebola (Congo)

Não me considero avessa às notícias do mundo, mas não tenho nenhuma recordação pessoal ligada a essas epidemias… Do contrário, no caso do coronavírus (COVID-19), sinto como se estivesse à beira de um tsunami, percebo como ele tomou os noticiários, nossas mentes e fomenta a cada dia que passa mais ainda o medo, além do preconceito, entre as pessoas.

Creio que a epidemia atual tem várias facetas a serem analisadas, a saber:

– Saúde Pública: é algo desconhecido e não estudado, que se alastra rapidamente e causa mortes que não se atém a pessoas com doenças prévias nem a uma certa idade. Parece que incide mais em homens acima de 60 anos e que não ataca as crianças, mas ainda não se sabe por quê. Não se tem certeza do período exato de incubação. Se uma pessoa ficar 6 semanas doente, ela pode propagar o vírus durante todo esse tempo. Uma pessoa que não percebe que tem o vírus, se sente saudável, pode propagar o vírus. Não existe vacina nem remédio para a doença. O interesse de retardar a propagação do vírus está ligado à necessidade de cuidar de pessoas realmente debilitadas por causa dele e dar mais tempo para a busca de remédios e/ou uma vacina.

– Econômica: uma razão pela qual as últimas epidemias não nos interessaram é que não houve consequência econômica para o mundo. No caso atual, já são notórias as consequências econômicas da epidemia. As bolsas de valores estão caindo, produtos deixam de ser produzidos e transportados, e com isso o consumo diminui, o PIB de cada país irá cair e a recessão deve se instalar. O supply chain de muitos produtos globalizados vai ser exposto à dependência da China, já que muitas empresas desconhecem sua real dependência de fornecedores ou subfornecedores vindos da China. Quanto ao que ando lendo por aí, o argumento de que se as pessoas não vão as ruas, elas não irão consumir, acho que hoje em dia não é tão fácil afirmar algo assim. Hoje em dia, dentro das nossas quatro paredes, com um computador na mão, podemos comprar o mundo… O turismo, esse sim, irá sofrer, já que praticamente 20% da renda desse setor vem da China, na atualidade. Hoje já li que a primeira empresa de cruzeiros no Japão já declarou falência, outras a seguir… Resumindo, a pandemia incomoda tanto porque ataca países em várias fases de desenvolvimento econômico e pode levar a economia mundial a uma recessão sem precedentes.

– Social: com o aumento do medo e da recomendação de manter 1m de distância das pessoas, e não encostar nelas nem para um aperto de mão, a tendência será que os contatos sociais diminuam drasticamente. Em alguns lugares já foi ou irá ser imposta a quarentena, que acarretará uma convivência com as quatro paredes e a convivência mínima em termos de trocas sociais. Mesmo que vivamos em um mundo globalizado, conectado e de certa forma aberto, os seres humanos têm medos intrínsecos que nem sempre podem ser solucionados pela racionalidade. Li que estudantes universitários alemães estavam tendo preconceito quanto a estudantes chineses ou asiáticos, mesmo sabendo que parte deles nasceu aqui na Alemanha ou vive aqui há anos sem ter viajado há pouco tempo atrás para a Ásia…. E agora, com a chegada do coronavírus à Alemanha, a situação do preconceito deve estar ainda muito pior. Em casos extremos, deve se reduzir ao extremo do „eu contra o mundo“… Uma jovem que foi à Itália e repassou o vírus aqui na Alemanha foi tratada mal e atacada em seu meio social, como se fosse uma pecadora, uma vilã. Pessoas que vêm de determinados países passam a ter dificuldade de conseguir vistos para viajar, o direito de ir e vir fica limitado. Uma curiosidade: quem saberia a tradução da palavra Aussätzige em português? Li que poderia ser leproso, mas a tradução não está correta no caso atual, claro.

– Midiática: no mundo globalizado em que vivemos, e com tantas formas de comunicação existentes, uma epidemia como a atual chega a ser, por si só, altamente estressante. As notícias se alteram a cada segundo e não há constância no que é retratado, ainda há muitas suposições e dúvidas. Um prato cheio para as fake News! Os memes no Brasil continuam firmes e fortes, pelo menos até a doença se instalar de vez por lá!…

Mesmo tendo entendido racionalmente que a doença é menos forte do que o vírus da Influenza e que mata menos do que ela, pessoalmente fico tentando imaginar o futuro próximo, a semana que vem. Se ontem tínhamos aqui na Alemanha 100 pessoas contaminadas e hoje anunciaram que já são 150, demostrando o crescimento exponencial, pode ser que teremos mais de dois ou quatro mil doentes no final da semana, haverão mortos?!? No mundo, neste momento que escrevo estas linhas, já são mais de 80 mil casos da doença e mais de 3 mil mortos. Em 2019 foi avaliada mundialmente a capacidade de cada país de lidar com uma epidemia através da criação do index GHI (Global Health Index), onde 195 países foram analisados. A Alemanha ficou em 14. lugar. Menos mal, mas se o pessoal médico não tiver acesso a máscaras e roupa de proteção, que atualmente já falta em vários países da Europa e do mundo, quem tomará conta dos enfermos?

Conte abaixo os seus temores e pensamentos, vamos trocando figurinhas daqui pra frente…

P.S.-Por curiosidade, você tem lido ou assistido programas de ficção ligados ao tema? Um amigo me colocou nas mãos o consagrado livro do José Saramago, Ensaio sobre a Cegueira. Recomendo! Estou lendo o livro e depois vou assistir o filme (Blindness), que foi dirigido por Fernando Meirelles.

::Novas leis de imigração na Alemanha::

01/03/2020

Novas leis de imigração para pessoal qualificado na Alemanha, válidas a partir de hoje, 01/03/20. Principais pontos:
– Não será mais necessário analisar se um alemão desempregado poderia ser empregado no lugar do estrangeiro;
– Todas as áreas de conhecimento poderão ser contempladas, não somente aquelas onde há falta reconhecida de pessoal qualificado na Alemanha; 
– Um visto de seis meses será dado para quem prove o conhecimento de alemão e a capacidade de se manter no país por conta própria durante esse período;
– Pessoas com qualificação reconhecida na Alemanha poderão vir aqui para fazer cursos e terminar o reconhecimento oficial que lhes possibilite trabalhar no país;
– Pessoas com experiência comprovada em TI, mesmo sem curso (p.ex. universitário) na área, têm direito a procurar emprego na Alemanha.

Aqui o link para a página oficial do governo alemão com uma série de perguntas e respostas. Se tiver mais informações, deixe-as por favor também nos comentários.

::Novas decisões do governo alemão para a contenção do coronavírus::

01/03/2020

Hoje, 1. de março de 2020, temos mais de 100 casos do coronavírus na Alemanha, felizmente nenhum óbito e a feira internacional de turismo ITB, que aconteceria esta semana em Berlim, acaba de ser cancelada. O país se prepara ainda mais para tentar conter a expansão da doença, o que importante não só do ponto de vista da saúde pública, para contribuir para que se possa concentrar a atenção em casos mais graves e aumentar o tempo em busca de tratamento para a doença, mas também devido às consequências econômicas que a expansão dela podem causar.

Depois do Ministério da Cultura daqui do estado de Baden-Württemberg decidir que alunos e professores que tiverem visitado uma região de risco deverão ficar em casa durante os próximos 14 dias, independentemente de mostrarem sintomas ou não, o governo alemão acaba de tomar mais decisões com relação à contenção do coronavírus no país:

– Grandes eventos, acima de tudo internacionais, deverão ter seu risco analisado (número de participantes, proximidade entre eles, tipo de atividade, p.ex. dança pode aumentar a probabilidade de contaminação);

– Controle de passageiros de trem, com preenchimento de cartões com dados dos transeuntes (para facilitar o contato caso sejam identificadadas pessoas doentes entre eles);

– As companhias aéreas e empresas de navios deverão dar informação sobre a saúde de passageiros que estiverem vindo da China, Coréia do Sul, Japão, Itália e Irã. Estes passageiros também deverão preencher cartões com seus dados;

– Serão reforçados os controles policiais principalmente nos 30 km perto de fronteiras, em conjunto com os órgãos locais de saúde;

– Foi decidido que o governo comprará máscaras e roupas de proteção, não só para uso de pessoal médico (Pessoalmente acho que aqui estão se preparando para caso mais zonas de quarentena devam ser instaladas no país).

Medidas gerais que podem ajudar a conter a expansão do coronavírus:

– Lavar as mãos com frequência (usar álcool gel quando não seja possível lavar as mãos);

– Evitar tocar os olhos, boca e nariz;

– Evitar contato físico (p.ex. não se dar as mãos para se cumprimentar);

– Entrar em contato com o médico por telefone caso sinta sintomas da doença (febre, tosse, dificuldade de respirar);

– Usar um lenço descartável (que deve ser jogado fora em lixo fechado) ou tampar o rosto com o braço ao espirar;

– Manter boa higiene em casa;

– Evitar aglomerações de pessoas.

Esqueci de alguma coisa? Complete nos comentários. Obrigada!

Fontes: artigo do jornal Der Spiegel de 01/03/20, página do Ministério da Cultura de Baden-Württemberg, página do Ministério da Saúde da Alemanha e página da Organização Mundial da Saúde.

::Liberdade de expressão x sigilo empresarial – quando a Apple tenta impedir o lançamento de um livro na Alemanha::

21/02/2020

Um ex-funcionário da Apple aqui na Alemanha estava prestes a lançar um livro intitulado “App Store Confidential”. Ele tinha se desligado da empresa e já estava dando entrevistas e fazendo promoção do livro junto aos meios de comunicação. Segundo ele, tudo o que ele conta no livro não é ligado ao sigilo empresarial, todos os dados de faturamento etc. da empresa são apresentados com prova de que eles estão disponíveis ao grande público. Além disso, ele apresentou o livro antes do lançamento para que responsáveis da empresa pudessem lê-lo. Tudo nos conformes. Mas… ele seria desligado da empresa no final de março, e agora recebeu uma carta de demissão imediata. Os advogados da Apple entraram com uma ação contra o autor e contra a editora tentando evitar que o livro seja lançado, alegando que ele está pondo em aberto o sigilo das práticas da empresa.

O super interessante é que a última vez que um livro foi impedido de ser lançado aqui na Alemanha foi em 2007. Só isso já torna o caso bastante incomum, porque a liberdade de expressão, ainda mais no campo literário, é prezada e tem valor. Vou seguir esse caso, e você? Leia aqui um pouco mais sobre o caso.

::Petra Costa, o Oscar, o feminismo e outras coisinhas mais…::

11/02/2020

O Oscar passou e não levamos o prêmio! Mas fomos bem representados pela Petra Costa.

Independentemente do seu próprio viés político, há de convir que em um clube do Bolinha, ela mandou bem e deixou um recado para o Brasil aqui.

Sobre o Oscar, ela afirmou que „em 92 anos a Academia indicou 350 homens na categoria de melhor direção e apenas cinco mulheres.“ Vale refletir sobre o assunto.

Falando ainda do tema feminismo e o lugar de expressão da mulher na sociedade, ela afirmou aqui que “como fala Paulo Freire, somente os oprimidos, libertando-se, podem libertar os opressores. Isso é nossa tarefa como mulher. Lutar para habitar nossos corpos, criar nossa própria voz. O abuso do corpo da mulher (que aumentou vertiginosamente desde a última eleição), o silenciamento de sua expressão, me parece reflexo de uma terra abusada. Uma terra que segue se desfazendo em lágrimas cada vez que é subtraída em tenebrosas transações. Até que consigamos regerminar essa terra abusada, para que ela se refaça por dentro, e frutifique”, encerra.

Voltando e fechando esse post ainda sobre o Oscar, alguém percebeu que o filme Bombshell que participou do movimento #metoo ganhou um Oscar na categoria melhor make up e hairstyling? Oi?!?? Eu entendi a mensagem assim: vocês podem até lutar pelo lugar de fala e os direitos femininos, mas o lugar de vocês é onde sempre estiveram… Por mim, podiam ter deixado o filme sem prêmios!…

Ah, claro, um ponto positivo: pela primeira vez na história do Oscar um filme estrangeiro ganhou como melhor filme: Parasite. Esse eu tenho que ver!

Continue lendo »

::Dica de canal no YouTube pra aumentar seus conhecimentos e melhorar seu alemão::

07/02/2020

O YouTube só serve pra perder-se tempo, certo? Bom, depende do que você fica fazendo quando se perde por lá. Meu filho descobriu um canal no YouTube que é tudo de bom! Ele é feito pela universidade de Munique, é bem didático e aumenta muito, muito os seus conhecimentos! Um exemplo? Dê uma olhada nesse aqui.

::Carta a vizinhos na Inglaterra pós-Brexit – Happy Brexit Day::

06/02/2020

Estou fazendo questão de traduzir essa carta que foi colocada em um prédio em Norwich, a 160 Km de Londres, para deixar aqui registrado um exemplo do que o medo irracional, uma visão muito curta da vida e do mundo e um amontoado de preconceito podem fazer com uma pessoa… E dá pra imaginar o que acontece quando essa pessoa se junta a outras e juntas elas viram um grupo na sociedade, né? Infelizmente, o mundo está cheio desses grupos por aí!…

Eis aqui a carta que quero guardar para a posteridade, também em português:

Happy Brexit Day – Feliz Dia do Brexit

Já que finalmente tomamos nosso país maravilhoso de volta pra nós, sentimos que há uma regra que deve ser dita em alto e bom som para os residentes da Torre de Winchester.

Não toleramos pessoas falando outros idiomas diferentes do inglês nos apartamentos.

Agora que somos nosso país de novo, o inglês da rainha é o idioma falado aqui.

Se você quer falar outro idioma que seja a língua pátria do país de onde você veio, sugerimos que você volte para aquele lugar e retorne o apartamento para a prefeitura para que ingleses morem aqui e voltaremos ao que era normalidade antes de você ter infectado essa ilha que um dia foi uma grande ilha.

É uma opção muito simples: siga a regra da maioridade ou nos deixe.

Não lhe restará muito tempo até que o nosso governo implemente regras que vão colocar o povo inglês à frente. Então é melhor que você se desenvolva, ou deixe-nos.

Que Deus salve a rainha, seu governo e toda a verdade.

°°°

A parte melhor ficou com alguém que corrigiu o texto acima, que estava cheio de erros de inglês, e pediu pra pessoa explicar direito de que forma exatamente a Inglaterra estava sendo infectada por estrangeiros. Além disso, a pessoa pontuou, acertadamente: „Quem é você que assina como a maioria e como “nós”, mas não coloca o seu nome no final da carta? Onde estão os seus dados para contato?

Fiquei sabendo dessa resposta graças à Ute Ritter. Obrigada, Ute!

Fontes: aqui o artigo com a carta original e aqui o artigo com a resposta à carta original.


%d blogueiros gostam disto: