Posts Tagged ‘aprendizado’

::Os efeitos do corona::

27/03/2020

Esse bichinho, o corona, já está virando nosso velho conhecido. Levantamos de manhã e ele ocupa nosso pensamento. Durante o dia, enquanto trabalhamos, damos uma paradinha ou outra pra checarmos como ele anda indo no mundo. À noite aqui em casa nos reunimos para ver o jornal e acompanharmos o que ele anda aprontando por aí. Já fiquei sabendo de gente que sonhou com ele. Com certeza muita gente teve também pesadelo por causa dele. Não deve ser nada fácil viver numa parte do mundo onde ele anda atuando feio. As únicas pausas são os memes, as brincadeiras e a vontade de rir, mesmo em situações difíceis, porque rir é sempre o melhor remédio.

Chegando ao fim da minha terceira semana de quarentena, em parte voluntária, comentamos aqui em casa que está sendo um pouco difícil ter noção dos dias da semana ou de manter uma rotina de horários. Pessoalmente, não tenho dormido bem, mas pelo menos um tremor interno que não queria me deixar foi passear em outro canto e deixou nosso apê, felizmente.

Tirando essas coisinhas e coisonas, aquelas listas enormes de mortes, curvas, análises sem fim, fiz uma lista esta semana de tudo o que a quarentena por causa do vírus fez comigo e o que tem acontecido nas últimas semanas pra mim e para a sociedade como um todo. Fiquei surpresa! Pelo menos no meu caso, a lista de coisas BOAS é pelo menos duas vezes maior do que a de coisas ruins. Minha amiga Alessandra confirmou o meu sentimento. Portanto pergunto: você já parou para pensar em como a crise atual tem lhe influenciado e em que aspectos você introduziu mudanças que lhe fizeram bem? Vale a pena listar! Você pode se surpreender com o resultado.

Para todos nós que moramos do outro lado do mundo como expatriados, temos que conviver agora com um fato que não temos e na realidade nunca tivemos como influenciar. Além de termos medo de perder familiares e amigos, sabemos que se isso acontecer, provavelmente não poderemos participar da despedida. Nos resta agora ter fé, focar em projetos positivos e ocupar nossa mente com coisas que esquentam nosso coração e nossa alma. Não podemos nos paralisar, porque o AGORA é precioso demais, vivemos como humanidade os mesmos perigos para enfrentar. Temos que tomar conta da nossa saúde física, mas também temos que alimentar nossa alma, nosso espírito: mens sana in corpore sano. Ninguém sabe o dia de amanhã e muito menos como será o mundo depois da pandemia. O momento é de perda e de dor, mas mesmo assim tenho um bom pressentimento quanto ao futuro depois da pandemia… você também? Ontem e hoje tivemos dicas importantes de dois dos líderes que nos ajudam a navegar na tempestade dos dias atuais:

“A única maneira de vencer esse perigo é agindo como uma humanidade.

Nós somos um. Uma só raça humana.”

Tedros Adhanom Ghebreyesus, WHO Director Geral

“Estamos todos no mesmo barco. Só avançaremos juntos.“

Papa Francisco, Missa Urbi et Orbit de hoje perante a Praça de São Pedro completamente vazia

Através de um artigo da Harvard Business Review, além de algumas observações minhas, sugiro pontos e perguntas a considerar durante a crise, quando estamos sendo convidados a deixar a corrida louca do dia a dia temos tempo para pensar em nós e de refletir sobre nossas vidas:

– Aprendizado: o que posso aprender com a crise?

– Jogo: a frustração faz parte do jogo. Ao invés de nos destruir por algo que não deu certo hoje, percebemos que podemos ter perdido hoje, mas podemos voltar a ganhar amanhã.

– Gratidão: devemos agradecer por tudo ao nosso redor, as pequenas e grandes coisas que fazem com que a vida valha a pena.

– Não temos controle de tudo: mesmo que tenhamos cultivado a ilusão de que podíamos controlar nossas vidas, a crise nos mostra que, em grande parte, estamos sujeitos àquilo que acontece conosco. Sucessos e insucessos nem sempre estão em nossas mãos, portanto nunca devemos desistir de tentar mais uma vez.

– Foco: precisamos saber discernir o que é realmente importante em nossas vidas, e o que pode ser deixado de lado. O que eu sempre queria começar, o que me deixaria orgulhosa de mim mesma se eu conseguisse terminar?

– Fé: independentemente de que religião fazemos parte ou mesmo que não tenhamos uma religião, percebemos que somos uma humanidade e temos que estender nossas mãos e nossos corações para orar e contribuir com todo e qualquer pensamento e meditação para a superação da crise.

– Relacionamentos: de quem sinto falta, principalmente neste momento de reclusão? Como posso cuidar de mim e mostrar ser meu bom amigo? A quem posso oferecer uma palavra de conforto ou mostrar que a pessoa me é cara e que eu me importo com ela? Não posso abraçar com as mãos, mas posso abraçar com o coração.

– Solidariedade: o que posso fazer pelo meu semelhante? Se não posso contribuir com minha mão de obra, posso contribuir para algum projeto social que diminua a dor de outros menos afortunados?

– Missão: por que estou neste mundo? Qual era meu propósito de vida? Por que vim a este mundo e o que quero ter feito antes de deixa-lo?

Sejamos resilientes no nosso caminho! Podemos ver obstáculos como sinais de que estamos no caminho certo e podemos ajudar nosso semelhante com pequenas e grandes dificuldades que ora se apresentam em tempos de tantas incertezas. Sejamos luz! Enquanto a minha luz brilha, ilumino à minha volta e com isso outras luzes hão de brilhar também.

Fonte: artigo da HBR de 27/03/20.

::Banco de Dados com cursos de alemão na Alemanha::

21/04/2015

Achei um banco de dados com cursos de alemão aqui na Alemanha dividido por regiões e queria dividir com vocês.

Não quer dizer que a oferta esteja limitada aos cursos listados ali, mas já é um bom começo de pesquisa!

Espero que gostem! 🙂 Quem quiser recomendar uma escola, fique à vontade!

::Dica de cursos online e gratuitos na FGV::

06/05/2014

A dica da noite fica com esta página da FGV que oferece cursos online e, alguns deles, gratuitos sobre os mais variados temas. Achei a dica na página de uma leitora minha, a Renata do Dicas Green, e repasso agora pra vocês. Obrigada Renata!

A Fundação Getulio Vargas é a primeira instituição brasileira a ser membro do OpenCourseWare Consortium – OCWC –, um consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos sem custo, pela internet. Os cursos não têm pré-requisitos e podem ser feitos por qualquer pessoa.

Lá vocês vão achar vários cursos grátis, dentre eles:

– cursos na área de finanças pessoais (como organizar seu orçamento familiar, como gastar conscientemente)
– cursos na área de sustentabilidade (nos negócios e no dia-a-dia)
– dentre outros temas.

Nos vemos por lá! Boa noite! 🙂

::Aprenda alemão n’Alemanha! – cursos de alemão na Alemanha::

03/07/2012

Boas novidades! Fechei um acordo de cooperação com duas excelentes escolas de alemão aqui na Alemanha:

CDC (Carl Duisberg Centrum)

O CDC tem 50 anos de experiência no ensino da língua e da cultura da Alemanha e oferece o seguinte:
– cursos de alemão para jovens e adultos (p.ex. preparação para a entrada em uma universidade ou alemã; cursos preparatórios para estar apto a trabalhar na Alemanha)
– treinamentos interculturais
– cursos de alemão combinados com o programa ACCESS, que auxilia a conseguir uma vaga em uma universidade alemã, ou combinado com a busca de uma escola alemã para adolescentes
– cursos de alemão em combinação com estágios na Alemanha
– programas especiais para médicos estrangeiros que queiram atuar profissionalmente na Alemanha
– cursos de alemão combinados com eventos culturais e esporte
– viagens organizadas pelo CDC para o treinamento do idioma alemão (p.ex. viver e aprender na casa do professor, visitas a pontos turísticos, etc.)
– organização de viagens para classes e grupos
– auxílio na obtenção de visto e translado até a cidade do curso
– e muito mais!

Veja todos os detalhes na página da escola em 11 idiomas (português, alemão, inglês, espanhol, etc.) aqui.

O CDC oferece seus serviços em várias cidades alemãs: Berlim, Colônia, Munique, Radolfzell (Lago de Constança – Bodensee). Quem vier aqui pra região onde moro, o Lago de Constança, e tiver sido intermediado por mim, ganha de brinde um encontro comigo a combinar! 🙂

Importante: Quem quiser contratar algum serviço do CDC não deve por favor se esquecer de me citar como intermediadora: Sandra Santos / http://www.mineirinhanalemanha.de

Veja o vídeo abaixo sobre a comemoração de 50 anos do CDC:



Institut Humboldt

Este instituto tem mais de 30 anos de experiência no ensino do idioma alemão e oferece programas similares para jovens e adultos. Ele mantém escolas nas seguintes cidades: Berlim, Freiburgo, Colônia, Munique, Regensburg, Meersburg e Constança no Lago de Constança (Bodensee), Affhollerbach, Bad Dürkheim, Bad Schlussenried, Lindenberg, Reimlingen, Schloss Wittgenstein, Schmallenberg, Schloss Ratzenried e Viena/Áustria. Verifique os cursos oferecidos em cada uma das cidades citadas acima clicando aqui.

A página do Insituto Humboldt pode ser acessada em alemão, inglês, espanhol, francês e polonês aqui.

É importante lembrar: Quem quiser contratar algum serviço do Humboldt Institut não deve por favor se esquecer de me citar como intermediadora: Sandra Santos / http://www.mineirinhanalemanha.de

Abaixo um vídeo em inglês sobre um dos institutos Humboldt na cidade de Lindenberg:

::Dicas para aprender e/ou aperfeiçoar alemão::

12/11/2011

Quando eu era estudante o mais difícil pra mim era atender minha sede do saber. Eu tive a sorte de crescer com uma “senhora” biblioteca dentro de casa, mas mesmo assim era difícil achar respostas para minhas perguntas. As escolas não distribuíam livros e na universidade tinha que estudar lendo cópias horríveis de xerox. As aulas de idiomas tinham pouco material, tudo muito caro, e na realidade até hoje livros são muito caros no Brasil.

Hoje em dia eu fico boba e maravilhada com a facilidade de conseguir chegar a uma resposta. A internet nos trouxe uma imensa biblioteca pra dentro de todas as casas, democratizou mesmo o saber. Os livros de escola aqui na Alemanha são de alta qualidade, a tecnologia está aí e muitas crianças têm smartphones, mas o que “pega” é a diferença de idade do professor para o aluno. O aluno é multimedial, o professor é do “arco da velha”. Outro dia minha filha chegou em casa admirada da professora não saber o que é um chat e eu expliquei pra ela que quando ela nasceu, em 1995, a internet estava chegando por aqui. As aulas de hoje já poderiam utilizar os recursos que estão à mostra, mas os alunos passam a maior parte do tempo tendo aula com o professor na frente usando recursos de outrora: cartonagens, flipcharts, cassetes, etc. Alguns colegas de sala da Taísa, minha filha, acabam de voltar dos EUA e viram que lá todos os alunos, pelo menos na escola que visitaram, um ginásio, tinham um iPad. Pra mim pelo menos os smartphones deveriam fazer parte da sala de aula, o professor deveria se interessar pelas possibilidades da tecnologia atual e integrar isso na sala de aula.

Quando tinha aula no Goethe em Beagá ficava louca com os materiais que eles tinham, a biblioteca era linda e os livros também. Eu adorava os brindes que eles distribuíam pra quem acertasse p.ex. o maior número de preposições ou gêneros de substantivos, e foi numa dessas que ganhei uma agenda em alemão que para mim ficou sendo meu supra-sumo por um tempo. Quando mostravam pra gente um filme em alemão então, eu achava o máximo. Hoje em dia está tudo aí na internet pra quem quiser pesquisar. Com certeza vocês já pesquisaram muito, eu estou, pra falar a verdade, meio por fora do que é visto como um material muito bom na internet, à disposição de todos. Recebi uma dica do meu leitor Breno, ver documentários em alemão da medioteca da Bayerisches Fernsehen (televisão da Baviera). Obrigada, Breno! Clique aqui e contribua também com outros leitores deixando suas próprias dicas, as melhores fontes do saber pra aprender ou aperfeiçoar o alemão por conta própria. A comunidade agradece! Ah, sim, a minha dica, do comecinho e de hoje em dia continua sendo a leitura constante da revista “Der Spiegel“, que agora com um smartphone pode ser lida todo dia na cama, antes de dormir. Os artigos são muito bem escritos e eu adoro o tipo de jornalismo deles. Ah claro, e ir ao cinema aqui na Alemanha, pois os filmes são sempre dublados e sem legenda. E qual é a sua dica? Bom domingo!


%d blogueiros gostam disto: