Anúncios

Posts Tagged ‘bicicleta’

::E-Bike com salsicha::

11/08/2019

No ano passado experimentei meu primeiro passeio com uma bicicleta elétrica alugada, feito junto da minha família e por ocasião da visita da Raquel (www.canalbackpackingalone.com), que aliás já está me devendo outra visita em breve!

Em seguida, meu marido comprou uma bicicleta elétrica, que ele usa para ir ao trabalho e com a qual já andou mais de mil quilômetros, meu filho usa sua bicicleta normal para ir para a escola, faça chuva, neve ou faça sol, e eu continuava não motorizada, aguardando uma boa oferta ou oportunidade de comprar a minha tão sonhada bicicleta elétrica.

Quando a oportunidade apareceu, eu pensava que era só ir numa loja, dizer o que queria, experimentar dois, três modelos e sair dali guiando minha bicicleta pra casa. Ledo engano! Eu sou baixinha, não há muitos modelos no meu tamanho, há muitos detalhes a serem considerados e acabei saindo da primeira loja sem bicicleta, um tanto quanto frustrada.

Nova tentativa, várias bicicletas testadas, uma bicicleta na oferta e finalmente encontrei minha nova companheira de aventuras! Ela me pôs muito mais em contato com a natureza, me deu mais liberdade, diminuiu as distâncias e fez com que o ir e vir ficasse ainda mais gostoso! Recomendo! Foi definitivamente a melhor compra deste ano!Em alguns meses, já andei mais de 250 km com ela, apesar de que já tenha colecionado dois acidentes, que já deram à minha bicicleta um aspecto de bicicleta usada e com algumas boas marcas de uso. Antes ela do que eu!

No primeiro acidente, um ciclista profissional em alta velocidade me cortou numa curva. Se meu marido não tivesse me avisado, eu teria sido atingida em cheio! Dei um freada de forma um tanto quanto brusca e caí pro lado. A bateria, que não estava colocada de forma correta no seu suporte, se soltou da bicicleta e fez um voo próprio. Voltou ao seu lugar cheia de pequenas e médias marcas. Eu saí ilesa, como que por milagre. Antes ela do que eu!

No dia do segundo acidente, chovia o tempo todo. Quando parou de chover, tivemos a ideia de ir visitar minha cunhada. Numa rampa só de ciclistas, fui desafiada pelo meu filho pela pergunta de „quem chega lá no alto primeiro”, coloquei uma marcha muito leve e aumentei a potência elétrica da bicicleta, e acabei dando uma boa escorregada na curva. Quebrei o suporte da iluminação fronteira da bicicleta, estraguei um pouco um dos pedais, girei o guidon e… esfolei ambos os joelhos, que incharam e ardiam aos montes. Chegando na minha cunhada, expliquei o que tinha acontecido e pedi gelo. Ela me disse que não tinha. Eu pedi então uma bolsinha de gel (Kühlpack), que toda mãe ou avó tem em seu refrigerador para pequenos acidentes domésticos. Ela me disse que não tinha nenhum. Eu pedi pra ela qualquer coisa gelada, pois precisava de tentar diminuir o inchaço dos dois joelhos. Eis que ela tirou do refrigerador uma salsicha típica alemã (Bratwurst), guardada dentro de uma bolsa de plástico. Foi com ela que eu prestei os Primeiros Socorros ao meu corpo, e devido à sua forma de sorriso, ela se acoplou perfeitamente ao meu joelho inchado… Depois de um tempo em uso, ela já estava pronta para ir para a panela. Bom, antes ela, do que eu!…

silhouette of person riding on commuter bike

Foto por Flo Maderebner em Pexels.com

 

::Os anjos dos expatriados e um acidente de bicicleta::

19/02/2010

Lendo um post lindo e motivante da Eve, me lembrei do meu primeiro dia na Alemanha, quando não teria conseguido mesmo dar os primeiros passos sem o auxílio deles – dos anjos dos expatriados.

Quando a gente menos espera, lá estão eles, quebrando vários galhos e nos impulsionando pra frente. Eu não sabia usar os carrinhos do aeroporto de Frankfurt, que se movem quando você põe uma moedinha nele E empurra o lugar que se põe as mãos (“Griff“, como se chama isso em português?) pra baixo. E lá estava eu, com tudo no carrinho, moedinha no lugar, mas não conseguia mover o carrinho. Alguém chegou e me ajudou. E muitos outros “alguéns” foram aparecendo naquele dia, pra comprar a passagem de trem na máquina, pra descer com as pesadíssimas malas pra plataforma de embarque… Viva os anjinhos dos expatriados! Quando foi a última vez que eles aparecem para você?

Pra mim foi hoje de manhã mesmo. A Taísa me ligou, alguns minutos depois de ter saído de casa, aos prantos, avisando que tinha caído da bicicleta e perguntando se podia voltar pra casa. Um segundo depois eu já estava ligando pro meu trabalho pra avisar que chegaria mais tarde pois iria com ela pro hospital, e também liguei pra escola dela avisando que ela tinha tido um acidente. Ao vê-la e dar uma espiada no joelho, cujo sangue tinha vazado para a calça jeans ralada, vi que o machucado não era grande e prestei-lhe primeiros socorros, como boa Ersthelferin (prestadora de primeiros socorros) que sou. Queria levá-la para o hospital para ter certeza que o osso do joelho estava intacto, mas na hora ela não quis ir. Indo pro trabalho, pensei na diferença entre o “ist vom Fahrrad gestürzt” e o nosso “caiu da bicicleta” (e não “ist vom Fahrrad gefallen“) e agradeci por não ter acontecido nada sério com ela. Ela caiu num lugar que estava cheio de sal, que é usado para proteger o chão da neve e na realidade com o propósito de tornar o caminho mais seguro, mas no caso dela funcionou ao contrário.

À tarde ela me ligou falando que o joelho continuava doendo e que queria ir ao médico. Marquei consulta e pedi pro Matthias ir com ela, pois já tinha outro compromisso no mesmo horário, junto do Daniel. Eles chegaram com boas notícias: o médico disse que o joelho dela está intacto, que ela tem um “joelho-modelo” e que – o que ela não gostou muito – o joelho dela está quase chegando no tamanho adulto. Ele disse que ela pode crescer ainda uns 6 cm, pois há vários locais no corpo que indicam o crescimento de uma pessoa. Disso ela gostou!

Importante: se você sofrer um acidente no caminho para a escola ou para o trabalho (ou de lá no caminho pra casa) na Alemanha, não se esqueça de comentar este fato com o médico que te atender. Ele vai repassar a informação para a Berufsgenossenschaft (corporação profissional responsável pelo seguro de acidentes obrigatório), que vai cobrir toda e qualquer consequência advinda do acidente. Se a pessoa ficar impossibilitada de trabalhar, p.ex., ela pode vir a receber uma indenização deste seguro.

::Meio dia de férias::

02/07/2009

Na realidade eu tenho meio dia de férias todo dia, pois não trabalho em período integral, mas hoje eu me senti como se tivesse tido meio dia de férias mesmo.

De manhã fui trabalhar, levando antes o Daniel para a creche. Tive a maior sorte, pois tinha perdido meu celular (segunda vez em uma semana…) e ele foi encontrado por um colega de trabalho, caído no estacionamento da empresa, foi entregue para a minha colega da recepção, que por sua vez não descansou até achar o(a) dono(a) do celular, no caso eu, a cabeça-voada do dia, hehehehe

Cheguei do trabalho, tendo antes buscado o Daniel na creche, e a Taísa já tinha chegado do ginásio. O Matthias cozinhou. Comemos a família toda um bom prato de espaguete com carne moída e depois ficamos na sala, cada um curtindo alguma coisa. Eu fiquei ouvindo o CD dos 25 anos de Thriller do Michael Jackson, que o Matthias tinha acabado de comprar como recordação do rei do pop. 🙂 Depois saímos para fazer um passeio de bicicleta. Desde o acidente do Daniel, hoje foi a primeira vez que ele tentou descer algumas ruas, pois até hoje ele descia da bicicleta e a empurrava, por puro medo. Hoje ele desceu só uma vez da bicicleta e quem caiu não foi ele, mas fui eu, e duas vezes! Uma vez ele freiou muito forte e eu estava bem atrás dele, da outra ele ficou zanzando na ciclovia e eu perdi o controle da bicicleta, prestando atenção nele. Amanhã vou ter uma mancha na coxa! Mas tudo bem… Fomos para uma cidadezinha daqui de perto que tem o melhor sorvete das redondezas. Passamos uma parte do entardecer na beirada do lago e depois voltamos pra casa, felizes e contentes. Ainda mais com este solão que está aí na Alemanha. Para muitos, com certeza, está quente demais, mas para mim está perfeito!… Andar de bicicleta aqui na região é o melhor pedido para admirar a beleza da natureza. Fizemos um caminho que já tinha feito muitíssimas vezes de carro, e hoje tive a oportunidade de ver muita coisa bonita que antes nunca tinha visto. Então, a receita é simples: o Bodensee (Lago de Constança) é sinônimo de andar de bicicleta. Aliás, a Alemanha inteira é ótima pra pedalar!

Ah, esqueci de comentar: hoje entrei no Facebook, depois de ter recebido mais de 12 convites, e também por sugestão da Ceci (que tem aliás produtos lindos com ilustrações de próprio punho lá no site dela). Gente, eu quase caí pra trás! Simplesmente há mais de 500 (Q-U-I-N-H-E-N-T-A-S) “Sandra Santos” no Facebook!!! Bom, o remédio foi adicionar o “Mineirinha n’Alemanha” como informação para quem quiser me adicionar e para facilitar a procura… Será um prazer receber um convite seu por lá! 🙂

::A primeira bicicleta a gente nunca esquece::

26/04/2009

O Daniel ganhou a primeira bicicleta com pedais de presente. Bicicleta com pedais? Sim, a bicicleta anterior era sem pedais e tinha sido um presente da vovó do Brasil. Ela parece ser um artigo pouco conhecido no Brasil, se não estou enganada. Na Alemanha há vários modelos diferentes de bicicletas sem pedais que podem ser vistos no site da Amazon. Achei uma bicicleta parecida de madeira no Brasil que se chama “Bichiclo” aqui.

Sempre me disseram aqui na Alemanha que através da bicicleta sem pedais a criança aprenderia a ter equilíbrio bem mais rápido e não iria precisar de bicicleta com rodinha, e isso realmente é verdade: ele aprendeu a andar de bicicleta em poucas horas! Só não sabe ainda frear direito, o que estamos treinando com ele… O mais curioso é que o capacete protetor dele foi mais caro do que a própria bicicleta, pois por conhecer meu filho e seu jeito destemido comprei um bom capacete, novinho em folha, e a bicicleta foi de segunda mão, porque ela vai servir só para alguns meses neste ano e depois vai ser passada pra frente. Para quem por ventura ainda não conheça as palavras : Laufrad (literalmente “roda para andar”) é a bicicleta sem pedais, Fahrrad (“roda para conduzir”) é a com pedais e Kinderfahrradhelm (capacete de bicicleta para crianças) significa capacete protetor.

Se você está também procurando uma boa bicicleta usada para curtir o sol na Alemanha, agora nesta época há bons mercados de bicicleta usadas, pequenos anúncios nos jornais e mesmo em lojas especializadas é possível perguntar por bicicletas de segunda mão, como no caso da bicicleta do Dani, que foi encontrada numa dessas lojas. Bons passeios!

P.S.-Escrevi este texto ontem à noite e deixei para publicá-lo hoje. O capacete já mostrou sua utilidade hoje, pois o Daniel desceu uma rampa bem longa de bicicleta, bateu o rosto de frente no portão de uma garagem e chegou em casa com o Matthias e com a Taísa chorando até, com a boca e o nariz todo ensanguentados!… Felizmente, além de um corte de 1 cm por dentro dos lábios, não aconteceu nada mais!… Ele chegou até a desmaiar depois do choque, e agradeço por nao tê-lo visto mais uma vez inconsciente, por nao ter visto o acidente e acima de tudo por ele não ter perdido dentes! O mais incrível é que passada uma hora, onde ele ficou deitado com gelo na boca, chorou ainda em estado de choque e só podia tomar bebidas com um canudinho, o papai perguntou se ele queria andar de bicicleta e ele respondeu imediatamente que sim!…


%d blogueiros gostam disto: