Posts Tagged ‘brasileiro’

::Saudade::

20/04/2016

Saudade é uma palavra densa

Profunda no significado

Quanto menos a gente pensa

Se vê por ela fisgado

 

Uma noite, tudo em paz

Tudo por mim conhecido

Em menos de um segundo

Vejo-me pego e vencido

 

Um sentimento de perda

Um vão, um adeus

Invariavelmente aquela cerca

Dita o que é de Deus

 

Uma lágrima no olho

Doces lembranças

Parte do meu miolo

Muitas esperanças

 

Inspirada por Rainer Maria Rilke

::Resultados da Pesquisa para a I Conferência do Gênero::

22/06/2015

Há algumas semanas atrás tinha indicado uma pesquisa aqui no blog relacionada aos temas que mais afetam a comunidade brasileira na Alemanha. Agora queria dividir o resultado com vocês. Os dois principais temas, que serão discutidos na I Conferência do Gênero em Brasília, são os seguintes:

– Preconceito e visão estereotipada da mulher brasileira, reforçada por campanhas publicitárias. A imagem da mulher brasileira sempre está ligada a sexo.

– Separação dos filhos em função de decisões judiciais locais contrárias à parte brasileira. Por falta de conhecimento das leis locais pode haver perda da guarda de menores pelos cônjuges brasileiros

Os seguintes temas ficaram em 3° e 4° lugar com a mesma percentagem:

– Doenças psicológicas, como resultado de violência física, psicológica, preconceito, isolamento social, falta de perspectiva, desamparo, desprezo

– Dificuldades financeiras em função de desavenças e/ou descaso/desamparo por parte do(a) parceiro(a)

O 5° tema também chama a atenção:

– Coerção para aceitar condições de trabalho fora da lei, abdicando de direitos trabalhistas existentes por medo de perder o emprego

O que acha dos resultados? Claro que os brasileiros que moram na Alemanha são bastante multifacetados e a pesquisa não pode ser considerada um retrato fiel da realidade, mas você considera que os principais temas foram capturados através desta pesquisa? Aguardo seu comentário abaixo!

Abaixo o resultado total:

Conferencia do Genero

::Guia para bolsistas brasileiros na Alemanha::

03/06/2015

O Guia para bolsistas brasileiros na Alemanha, feito pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil, está agora na 2a. edição e contém muitas informações válidas para todo estrangeiro na Alemanha, sendo estudante ou não. O conteúdo tem ótima qualidade e foi muito bem feito. Apesar de discordar com alguns pequenos pontos, a grande maioria da informação é atual e válida. Fica a dica. Bom feriado amanhã!

::I Conferência sobre Questões de Gênero na Imigração Brasileira::

31/05/2015

Entre os dias 24 e 26 de junho de 2015 acontecerá em Brasília a

I Conferência sobre Questões de Gênero na Imigração Brasileira.

O objetivo desta conferência será tratar e discutir os temas de gênero que abrangem as comunidades brasileiras no exterior.

Alguns dos pontos a serem tratados:
– violência doméstica;
– imagem estereotipada da mulher brasileira;
– guarda de menores;
– saúde feminina;
– tráfico de seres humanos…

A Alemanha vai participar desta conferência através do Conselho de Cidadania, por ser uma comunidade significativa em relação a todos estes temas. Espera-se que com a conferência sejam implementadas iniciativas que beneficiem a vida do brasileiro no exterior e fomentem sua integração.

Todos os brasileiros residentes na Alemanha poderão dar a sua opinião através da pesquisa a seguir, bem como sugerir temas a serem tratados na I Conferência sobre Questões de Gênero na Imigração Brasileira.
Para participar da pesquisa, clique no seguinte link.

Agradecemos por sua participação!

::Serviço voluntário no Brasil – um ano aprendendo e ajudando::

06/05/2015

Cheguei em casa hoje e tinha um pedido inusitado em uma carta, solicitando que eu divulgue o seguinte:

°°

Você tem dupla nacionalidade alemã-brasileira e quer aproveitar essa oportunidade para passar um ano no Brasil, vivendo novas experiências e aprimorando as suas capacidades interculturais? Também pode se candidatar para esta oportunidade se você tiver experiência anterior em serviço voluntário e puder apresentar comprovação por escrito do mesmo, ou se tiver terminado um curso profissionalizante e/ou um estudo (bacharelado, mestrado, etc.). A oportunidade está sendo oferecido pela associação sem fins lucrativos “Freude der Erziehungskunst Rudolf Steiners” em diferentes áreas pedagógicas e sociais.

Para maiores informações, Bartira Cabrera está à sua disposição através do telefone 0721/354806-153 ou do e-mail b.cabrera@freude-waldorf.de

::Lovesick – filme brasileiro/alemão é nomeado para o festival de Cannes::

05/01/2015


Este menino que vai longe é um leitor do Mineirinha, o Dago Schelin. Quando ele comprou meu livro, disse que lia à noite com sua esposa, e lia devagar pra evitar que acabasse logo!… Depois que a leitura do meu livro chegou ao fim, ganhei dele de presente dois CDs com músicas feitas por ele. Fiquei apaixonada! Outro dia eu tinha um tanto de brinquedo do Daniel pra passar pra frente… e quem levou foi a Bella, a filha dele. Tantas vidas que eu acompanho de longe, meio-perto ou de pertinho, tantas amizades que fiz a partir do livro. Um grande presente, o presente mais inesperado que uma produção independente poderia ter dado ao seu autor. Será que ainda vou ter o prazer de conhecê-lo, e sua família, pessoalmente? E que coelho será que vai sair do mato do Dago nos próximos tempos?!? 😉 Páginas ainda não escritas… nem na minha vida, nem na dele…

E fico toda orgulhosa de ver os leitores, e alguns que acabam fazendo consultoria comigo, fazendo sucesso por aqui! Mas o Dago não está fazendo sucesso por aqui… o sucesso dele é internacional, Brasil, Alemanha, Itália, Romênia, Malta, França… Agora em Cannes com o curta metragem “Lovesick”. E ele merece. Prestem atenção no que digo: este menino vai longe! Guardem este nome: Dago Schelin, músico e diretor de cinema. E vejam alguns de seus trabalhos, conheçam um pouco desse cara cheio de talento e do que estão falando sobre ele aqui, e aqui, e aqui, e aqui… Indico a leitura da entrevista feita com ele aqui, onde ele toca no assunto do chamado de Deus, de criar, de seguir sua voz interior e fazer outros brilharem através da sua lente. Por “coincidência”, o texto que já tinha escrito sobre ele anteriormente aqui no blog foi intitulado “Da arte de acreditarmos em nós mesmos“. Sucesso, Dago! Estou muito orgulhosa de você! 🙂

::Saldo de dois shows – Gilberto Gil & Ed Motta::

02/11/2014

Ir a um show de um artista brasileiro no exterior tem um significado diferente do que teria se estivéssemos ainda no Brasil. É um misto de voltar às origens, encontrar pessoas que falam a nossa língua, que potencialmente vão cantar as mesmas músicas que queremos cantar, é uma oportunidade para rever amigos e, quem sabe, fazer novos. De qualquer maneira, é um momento de lazer, misturado a um momento de instropecção, de encontro conosco mesmo. É um momento onde achamos que estamos meio em casa, apesar de tão longe. Entramos numa bolha imaginária e queremos…. cantar, dar asas à nossa alma.

Nem sempre isso é possível – ainda mais se formos a um show em Zurique, que ainda que possa ser um pouco estranho, é a maior cidade europeia mais próxima da minha casa, que moro no extremo sul da Alemanha. No show do Gilberto Gil, por exemplo, que ganhei de presente das minhas amigas brasileiras aqui de perto de casa (mais uma vez: obrigada!), o público foi selecionado pelo preço das entradas. E com esta seleção, vieram as exigências do mesmo. Aqueles que pagaram caro para assistir de perto uma lenda da música brasileira, estavam sentados, bem de frente ao cantor. Muitos deles eram casais bi-nacionais, eram praticamente uma mistura de 50% de brasileiros e 50% de suíços. Resultado: os suíços que pagaram caro para assistir o show de pertinho ficavam reclamando o tempo todo dos brasileiros, chamando a atenção deles, pedindo que se calassem para que eles pudessem apreciar a arte do cantor… enquanto o Gilberto Gil pedia participação, esperava que o público cantasse com ele… Foi assim o tempo todo. O lado bom foi que eu estava no meio da galera em pé e, pelo menos onde eu estava, eu podia cantar. E cantei… O Gilberto Gil parecia um velhinho feliz, com um sorrisão estampado no rosto, um violão na mão e a certeza de que não devia nada a ninguém. E cantou… e maravilhou o público. Cantou velhos sucessos e apresentou alguns novos. A maioria deles, claro, em português, falando um bom inglês para se comunicar com o público. “Rio, rio, rio, rio e choro, choro e rio…

Ontem foi o show do Ed Motta, também em Zurique. O público era jovem e parecia querer dançar. Ninguém estava lá para “podar” ninguém. Eu, da minha parte, fui pra lá com duas músicas fixas dele na minha cabeça. Queria ouvir e cantar, por exemplo “Manuel”, sucesso antigo, mas mais atual do que nunca… “Se eu fosse americano/um político minha vida não seria assim, hé, hé…” Sabia que o Ed Motta tem uma coleção de 30.000 discos em sua casa, que sua influência é de muita música estrangeira, de grandes nomes do jazz, pop e soul internacional, tinha ouvido o último CD dele e notado que ele estava cantando muito em inglês, mas acreditei que ele saberia dividir a atenção do público entre sua nova e antiga arte, misturando músicas em inglês com português. Errei: ele quase só cantou em inglês. ..Cantou muito bem – diga-se de pasagem, com aquele vozeirão inacreditável, aquela dádiva de Deus – e interagiu muito bem com o público, trouxe excelentes artistas consigo (que não puderam mostrar seu potencial porque a baixa qualidade da aparelhagem do som não deixou), fez uma sessão de beat box linda, mas cantou quase que 100% só em inglês. Cantou música dele, cantou música de Deus e o povo. Mas deixou seus próprios sucessos em português de lado. O show foi chegando ao fim e as minhas esperanças também, junto dele.

No final do show, realizei que teria mesmo que voltar pra casa e buscar em vídeos do YouTube as músicas que queria tanto ter ouvido ao vivo, pensei que eu tinha ficado na linha do tempo, que a arte dele tinha avançado, enquanto eu conhecia e queria ter ouvido os sucesssos antigos dele. Comentei com minha amiga, a Chris, com quem tinha ido ao show, e ela não me deu razão. Seu argumento foi que se ele cantou sucessos antigos americanos, de 20-30 anos atrás, por que não haveria de poder cantar seus próprios sucessos em português? E sabe que ela tinha razão?!? Bom,a turné dele ainda não acabou na Europa. Espero que ele cante alguns de seus sucessos por aí!… Pra mim, fiquei com uma admiração ainda maior pelo artista, mas saí dali de Zurique com um gostinho de quero mais. Quero mesmo é poder ir a um show de um artista brasileiro no exterior e comungar com outros e comigo mesma minha cultura.

No Facebook do artista, achei um pouco uma explicação para tanto inglês (também no show): “Eu publico em inglês porque estou numa tour entre USA e Europa. Tirando Portugal ninguém fala português… Preciso me comunicar com um número maior de pessoas. O inglês é língua universal, o mundo inteiro fala ou se esforça. O Brasil não se esforça para nada fora da zona de comforto. Eu só leio em inglês, não leio NENHUMA publicação brasileira faz muitos e muitos anos. Eu sonho em inglês etc. O mundo como conhecemos fala inglês.” Post de 01.11.14, Record Collector Magazine

Com vocês, Ed Motta:

::Detonautas em uma noite ida e volta::

18/08/2014

Comprei uma passagem pros Detonautas
E passei a noite toda conhecendo a arte deles
Só parei de ouvir
Lá pelas altas…

Ouvi música, vi vídeo, vi show inteiro
Vi música no banheiro
Vi os caras envelhecendo

Passei a admirar e respeitar o Tico Santa Cruz
E lamentei a morte do Rodrigo Netto
Ave, putz!…

Da mesma forma que os integrantes da banda se conheceram,
pela internet,
os achei no mural de um leitor do Mineirinha no FB
E dividi com eles uma noite de agosto de 2014

Salve Detonautas!
Ainda há música com som e letra de conteúdo
A Legião Urbana e muitas outras bandas de rock brasileiras
Batem no coração de vocês
Ativistas e sensíveis
Salve

Eles foram ao Japão
Fizeram mobilização
Contra a violência, para a paz
Será que um dia vão cair de pára-quedas na Alemanha?
O Cazuza ainda vive nas veias desses caras
Salve, obrigada!
Boa noite pra vocês
Vida longa

Expatriada que sou
Perco anos e acontecimentos
Fico estarrecida com imagens da TV
Descubro o que todo mundo já conhece
E, depois de vários anos,
Vejo o que todo mundo vê

°°°

Tico por Tico Santa Cruz, tirado do Blog Clube da Insônia:

O que esperam de você?
Uma barriga de tanquinho?
Um diploma na parede de casa?
Dentes super brancos?
Cabelos descolados?
Um carro bem bacana.
Roupas pela marca.
Selfies paradisíacas.

E o que espero eu dos outros?
Que me aceitem como sou.
Que compartilhem de meus pensamentos?
Que sorriam junto comigo.
Que enxerguem o que tenho por dentro
Uma postura de respeito.
Idéias bem construídas.
Que ouçam musicas boas.
Que lutem por seus direitos.
Que sejam felizes com o suficiente pra que não despejem suas frustrações em cima dos outros.
Que me amem pelo que faço.
Que me odeiem pelo que viram e não pelo que ouviram falar.

E o que esperamos do mundo?
Mais tolerância
Mais coerência
Menos implicância
Menos diferenças
Mais compreensão
Mais boa vontade
Que ofereçam condições pra que não precisemos de caridade.

E o que esperamos para depois que partirmos daqui?
Um céu?
Um inferno?
Deus nos esperando na porta do paraíso?
O Diabo te segurar pra não largar nunca mais.
Encontrar aqueles que partiram antes.
Absolutamente coisa nenhuma.
Quais dessas você prefere escolher?

Talvez o segredo seja não esperar nada nem do mundo e nem de ninguém, para que cada acontecimento seja uma grata surpresa.
Mas quem aguenta viver sem esperar por algo ou alguém?
Não passa de um pensamento passageiro…
Mas que vale a pena ser pensado, nem que seja apenas pelo
exercício do passeio.

°°°

Também tirado do blog do Tico Santa Cruz, artigo de 21/09/2011:

Difícil não ser corrupto num país onde quem é honesto é otário.

Difícil não se curvar a tal comportamento, onde quem levanta a voz contra, se torna chato.

Contudo, a corrupção está condicionada principalmente a certeza de que o ato não será punido. Tanto na atitude corrupta do dia dia, quanto nos pequenos deslizes que todos nós cometemos.

Entender que numa escala de poder, onde as decisões afetam milhares de pessoas e perceber que num país super tributado como o nosso, onde os impostômetros passam de bilhões e dariam tranquilamente para suprir TODAS as necessidades GARANTIDAS pela constituição, mas que isso não acontece em função do ROUBO dessas verbas, é entender que a violência, a falta de infra-estrutura, o descaso com a formação de novos indivíduos e a falta de segurança e dignidade são consequências da corrupção.

No entanto, observamos pelos meios de comunicação, principalmente nos últimos 15 anos, que os corruptos vem sendo desmascarados. Que suas falcatruas estão vindo a tona. Que os órgão responsáveis pelas investigações, estão atuando de maneira eficiente, porém esbarram numa instância ainda mais importante e que a meu ver, é a PRINCIPAL responsável pela manutenção desse sistema corrupto e tolerante. A JUSTIÇA.

No tribunal que se configura o incentivo e a banalização desse tipo de atitude. Quando alguns importantes Magistrados, optam por interpretar a lei SEMPRE A FAVOR DOS CORRUPTOS. O Brasil nunca puniu exemplarmente um assaltante de verbas públicas. O STF nunca mandou para a cadeia e manteve por lá, autoridades, políticos, empresários, gente de pedigree, que sustenta e alimenta a máquina que faz com que nosso país seja visto pelo mundo como um dos mais CORRUPTOS do planeta.

A Justiça não é igual e nem cega. Basta acompanhar o mínimo dos noticiários para observar o quanto muitos de nossos juízes, desembargadores e outros agentes do judiciário são coniventes com os ladrões do colarinho branco.

Aqueles que ousam desafiar o poder SUPREMO, acabam muitas vezes afastados de seus cargos ou relegados a funções que não lhes cabem.

Aí entra a OMISSÃO. De uma sociedade que tem preguiça de lutar por seus direitos. Que não quer assumir o compromisso de batalhar por um Brasil mais honesto, mais digno, mais respeitável.

Talvez por estar tão acostumado e acomodado, que prefere arrumar mil desculpas para jogar a responsabilidade nos outros, a ter de sair de seu lar, para fazer pressão contra essa baderna.

A conivência da sociedade com este comportamento corrupto esta em nossas entranhas. Não é cultural. É físico, é mental, é religioso.

É o cidadão que brada de que nada disso adiante e ignora a HISTÓRIA DO MUNDO, onde as mudanças e as conquistas mais importantes se deram por força popular nas ruas.

É mais fácil fazer uma caridade e abrandar sua culpa, do que ir para as ruas na luta por JUSTIÇA.

De modo que, ontem, foi uma grande vitória movem 2 mil pessoas para o centro da cidade e ver alguns poucos artistas disponíveis para oferecer sua voz de protesto, tão importante. Uma classe que influencia milhares, mas que não se preocupa com o bem que pode fazer ao unir forças com o povo. A classe VIP.

Muito pouca gente envolvida, se contarmos o número de pessoas que se mobilizam para as grandes festas. Mas, um bom recomeço.

Corrupção, Impunidade e Omissão, andam de braços dados.

Ainda tenho fé.

::Divisor de águas::

06/07/2014

brasil

Ai Jesus, morar na Alemanha e passar por uma Copa onde a Alemanha está prestes a jogar contra o Brasil é algo bastante complicado! Eu levo comigo um amor condicional à minha pátria, acompanhado de um profundo respeito pelo país onde vivo já há quase metade de minha vida. Portanto, fica difícil puxar sardinha pra um lado só. Aqui em casa vamos, eu e meu marido, vestir cada um a camisa de seu time, levando também um acessório do outro país. Paz total dentro das quarto paredes. Mas… desde que o Neymar se machucou, e que perdemos nosso capitão, eu tive um instinto muito parecido com o que depois andei lendo na mídia brasileira: tive vontade de que ganhemos este título pelo Neymar, que não pode mais jogar na Copa tão sonhada por ele… Mesmo declarando abertamente de que ficaria feliz também se a Alemanha levasse o título, porque são uma seleção idônea, fazem um bom trabalho, não são arrogantes e querem muito levar o título desta vez, fugindo do padrão mostrado nos últimos anos de chegar sempre tão pertinho do título e sair de mãos abanando…

Mas pra dizer a verdade verdadeira, eu queria que o Brasil ganhasse na Copa e também nas urnas… Que saiba separar uma coisa da outra e não se deixe ser levado pelo Sistema de pão e circo institucionalizado no nosso país, de dar entretenimento ao povo e esperar que ele fique caladinho, agüentando todas as mazelas. Quando me dizem que acham que a Dilma vai ganhar nas próximas eleições, quase tenho um troço. Achava que o Aécio seria um bom candidato, mas desde que fiquei sabendo que ele bateu na namorada e parece ser dependente de drogas, pensei comigo que este não pode ser o neto de um homem que me impressionou como o seu avô, o Tancredo Neves. Não vou votar, porque moro longe do consulado brasileiro, mas há muitos milhões de pessoas que vão ter esta oportunidade dentro e for a do Brasil, e eu espero que eles usem o seu poder para alavancar mudanças altamente necessárias. E depois que fiquei sabendo que o ministro Joaquim Barbosa deixou seu cargo para se “aposentar”…

E é como naquela música do Zé do Caroço: e na hora que a televisão brasileira destrói toda a gente com sua novela… É que o Zé bota a boca no mundo, ele faz um discurso profundo, ele quer ver o bem da favela… Está nascendo um novo lider!…
Eu creio fortemente que o nosso país tem gente de todo tipo, inclusive correta e que realmente quer fazer algo pela população, mesmo que no momento eu não saiba direito quem é (ou são) esse(s) político(s). Nego-me a concordar com a opinião do escritor Luiz Ruffato de que no Brasil todo mundo é corrupto… Veja o texto dele aqui. Dar boas gorjetas é sinônimo de agradecimento por um serviço bem feito, o que é prática normal aqui na Alemanha. Acho necessário saber distinguir entre atos explícitos de corrupção e atos de gentileza e/ou agradecimento. E olha que a Alemanha é minimamente corrupta! E negócios sempre foram e são feitos entre pessoas – e não entre órgãos e/ou empresas. Se duas pessoas se entendem, a sintonia gera negócios. O que não está diretamente ligado a um ato de corrupção. Acho importante aniquilar aquilo que entendo por corrupção: o uso indevido do dinheiro público para suprir interesses próprios. O uso indevido de vantagens individuais para atingir objetivos egoístas… Temos muitos exemplos disso. Aquele viaduto em Beagá onde duas pessoas morreram, e que foi exemplo de dinheiro público mal investido, da falta de atenção com o trabalhador, o não seguimento explícito de medidas de segurança básica – e por aí vai…

E, voltando a falar de futebol (sem o mínimo conhecimento de causa), acredito que, mesmo que todos afirmem que não há substituto para o Neymar, que o Scolari ainda há de tirar um coelho da cartola. O alemão geralmente gosta de se preparar para o desconhecido, e agora temos a vantagem do desconhecido, temos que dar o famoso “jeitinho”. E é exatamente daí que temos que tirar nossa vantagem, mostrando nosso jogo de cintura – e gols vindos de outras pernas, inspiradas pelo Neymar.

Pessoalmente falando, é uma coincidência muito grande que o Brasil esteja jogando contra a Alemanha na minha cidade natal, perto do meu aniversário de 21 anos de Alemanha, quase a metadde da minha idade atual. É como o fechamento de um ciclo pessoal pra mim, um divisor de águas. Espero que o resultado seja favorável pra nós. Se não for, é porque não tinha que ser mesmo – sairemos de todo jeito de cabeça erguida, porque eu tenho certeza que nosso time vai dar tudo o que tiver pra dar. Será que vão colocar o mineirinho Bernard pra jogar? E, mais importante que futebol, espero atentamente que o resultado das urnas mostre que o brasileiro está apostando naquele que tem capacidade de fazer o bem pelo nosso país, tão carente de mudanças substanciais.

Brasil mostra a tua cara, quero ver quem paga, pra gente ficar assim! Brasil, qual é o teu negócio, o nome do teu sócio? Confie em mim, Brasil! Já dizia o bom Cazuza!…

P.S. em 09/07/14: Este foi o jogo em que o Brasil perdeu de 7×1 para a Alemanha… Este jogo vai entrar pra história!… Mas fui surpreendida pelo carinho e/ou respeito do povo daqui, perguntando como eu estava no dia seguinte ao jogo e dizendo que sente muito pelo resultado, que não precisava de tanto! Bom, mas venhamos e convenhamos, eles jogaram muito bem e, além do apagão dos brasileiros entre os 11 e os 35 min. do 1° tempo, não soubemos mostrar nem jogo nem defesa. Será que a Alemanha vai levar o título? Será que vamos jogar pelo 3° lugar contra a Argentina? Ah, que venham as urnas!…

::Outro produto “brasileiro” n’Alemanha::

22/05/2014

Salsa de Brasil. E desde quando nós dançamos salsa no Brasil?!?…

salsa de brasil

 


%d blogueiros gostam disto: