Anúncios

Posts Tagged ‘cidadania’

::Espanha divulga 5 mil sobrenomes que podem ser habilitados a pedir a cidadania espanhola::

29/03/2014

Muito diferentemente dos alemães, que conhecem detalhadamente sua ascendência e conseguem preservar assim sua história mesmo estando fora da Alemanha, muitos de nós, brasileiros, não sabemos ao certo detalhes de nossas origens.

Quanto a mim, quando me perguntam sobre isso, digo que tenho ascendência portuguesa, espanhola, francesa (a avó da minha avó por parte paterna era francesa) e, pela herança dos meus cachos, também africana.
Qual não foi minha surpresa ao ler neste artigo que posso ser descendente de judeus sefarditas, (originários de Portugal e Espanha)! Eles foram expulsos da Península Ibérica durante a inquisição espanhola (1478-1834) e fugiram para várias partes do mundo, dentre elas o norte da África e para o Novo Mundo, principalmente Brasil e México.

O governo da Espanha tem atualmente um projeto que pretende reconhecer os judeus, dando-lhes cidadania espanhola. Se eu não tivesse cidadania alemã, certamente iria verificar esta possibilidade. Afinal, nunca se sabe o dia de amanhã, não é mesmo? Veja se o seu nome também faz parte deste grupo aqui.

Por último, aqui um texto bastante interessante sobre a influência judáica na cultura mineira.

::O Brasil visto de fora – a luta do absurdo contra a normalidade::

10/03/2013

Tendo ido à amada terrinha entre o Natal e o Ano Novo deste ano, voltei de novo de lá cheia de vitamina D, histórias pra contar e impressões de mais uma viagem à minha pátria, o lugar onde nasci e a que devo muito do que sou hoje e do que passo para meus filhos.

Aquela impressão que mais salta aos olhos é que o povo brasileiro precisa urgentemente de sair do modus operandi do fantástico, de achar que o absurdo pode e deve fazer parte da realidade, e do contrário deve se unir para lutar contra a corrupção, a violência (e não só a ausência ou limitação dela na mídia), em prol de uma vida digna, de direitos de cidadãos, dentre eles o de educação e acesso ao saber, limpeza, transporte público de qualidade, o simples direito de ir e vir (a qualquer hora do dia e da noite) que todos devem e podem exigir.

O povo nunca esteve tão acomodado, tão conformado, tão condizente com aquilo que não anda bem, aproveitando, por certo, daquilo que anda bem: o Brasil tem o menor índice de pobreza dos últimos 20 anos, nunca se viu tanto brasileiro viajando dentro e fora do país, o povo brasileiro continua hospitaleiro, alegre, solidário. As pessoas reclamam da vida, mas no final tudo termina num churrasquinho com cerveja gelada, e lá se vai mais um dia.

O povo de boa índole precisa ir às ruas. Precisa começar a perguntar por que não é possível ter ruas limpas. Por que ainda se joga tanto lixo no chão ou pelas janelas dos automóveis. Por que se queimam as matas, não se respeita o patrimônio público, por que não há planejamento para melhorar substancialmente o trânsito nas grandes cidades e eliminar problemas que voltam todos os anos nas mesmas épocas. E assim por diante.

O povo precisa começar a exigir seus direitos amplos de consumidor. Se a TAM, por exemplo, oferece voos, em parte, deploráveis, também deve ser porque o consumidor os compra sem reclamar, ou sem reclamar de uma forma que a empresa sofra com suas consequências. No exterior, a TAM nem sequer se digna a responder a uma reclamação feita por escrito, e com isto perdeu uma consumidora.

O povo precisa continuar a mostrar tudo o que dá certo neste país, como base de estímulo pra muitas outras iniciativas que ainda vão dar certo. É preciso mostrar e exaltar os bons professores, as boas associações de bairro, as pessoas de boa fé que fazem um trabalho bonito pela sociedade e pelo ser humano ao ser redor, os bons empresários, os (poucos) bons políticos. Mas o povo precisa também denunciar, botar a boca no trombone mesmo, em alto e bom som. Denunciar como povo, como grupo, sem medo de ser atingido por ser geral demais, por ser grande demais.

A Copa está chegando. Que tipo de país queremos apresentar ao mundo? Nossos filhos estão crescendo. Em que tipo de país queremos que eles vivam, quais são os valores que queremos passar para eles? Para os brasileiros que moram fora: que tipo de associações você espera que sejam feitas com nosso país? Não podemos cruzar os braços e afirmar que “sempre foi assim e assim será”, porque a perda de jovens numa boate, os assassinatos de tantos civis por policiais e uma sociedade que se julga no direito de “eliminar” pessoas que não funcionam segundo suas expectativas está doente. Por outro lado, a doença é sinal de que o processo pode ser alterado, o rumo pode ser mudado, nem tudo está perdido, um impeachment já mudou a cara do nosso Brasil, os colarinhos brancos do Mensalão foram condenados, o que mostra que a própria sociedade é podre, mas também é bela. Dentro da sociedade brasileira há tudo o que ela precisa para se renovar. Comecemos agora!

::Transmimento de pensação – notas pessoais sobre o Brasil atual::

21/09/2010

Dentre as mil e uma “pensações” durante minha viagem ao Brasil, rascunhei umas indagações que me vinham à cabeça aqui e ali durante a permanência na terrinha:
– O Brasil está inundado de notícias negativas, que formam a opinião do povo e os comandam mentalmente, certamente atormentando-os dia e noite sem nenhuma pausa;
– O Brasil continua com mania de “ser pequeno”, com uma tendência à inferioridade que eu sinceramente não consigo entender. Li várias vezes que “estamos atrasados”, “precisamos melhorar muito”, “lá fora tudo é melhor”, etc., até em quesitos onde o Brasil vai super bem. O Brasil já avançou tanto em tantas áreas, faz parte hoje dos países BRIC e do G20, mas continua achando que muitíssimos outros são melhores do que ele. A não ser nos horários de propaganda gratuita dos partidos (que coisa estranha são aqueles preciosos horários não usados sem programação, com a tela estática!), não vi, ouvi ou li nada sobre tudo de bom que vem acontecendo no país nos últimos anos;
– A noção de cidadania vem chegando a passos pequeninos, mas vem. Ouvi repetidamente os pedidos principais da população: melhoria nos setores da saúde, educação, segurança e infra-estrutura;
– Finalmente uma campanha política sem aquele mar de santinhos de antigamente! No lugar delas, gingles e pessoas pagas segurando bandeiras sem nenhuma emoção, invariavelmente clicando em seus celulares;
– Os conceitos de “meu espaço” e “seu espaço” são quase inexistentes (p.ex. eu na cama tentando dormir e um povo na rua fazendo barulho, gritando, falando altíssimo, etc.);
– O nosso povo é maravilhosamente solidário! Isso é um diferencial e algo característico nosso que não tem preço!
– O nosso país verde tropical está quase sem árvores em perímetro urbano, como se o homem se visse superior à natureza;
– O Brasil está (pelo menos no momento) mais caro do que a Alemanha! E bastante mais caro do que em 2008, mesmo descontando a diferença cambial. Ao perguntar sobre este ponto, fui informada de que os salários aumentaram e a diferença foi repassada para o consumidor final. Menos mal.
– Fabricamos carros capazes de rodar com três combustíveis diferentes! 🙂
– E a música brasileira continua linda, linda, linda!
– A cada vez que vou ao Brasil, poderia engordar e voltar rolando pra Alemanha. Viva nossa cozinha maravilhosamente deliciosa!
– Vi poucos bichos no Brasil (bichos não conhecem fronteiras como nós humanos!);
– Dirigir no Brasil continua sendo uma aventura mortal. Vi até um carro da Polícia Federal ultrapassando em faixa contínua!!!
– Vou morrer sem entender as queimadas destruindo nossas matas. Viajei de Beagá a Porto Seguro (ida e volta) e cansei de ver queimadas por todas as estradas que passei;
– Como sempre contei inúmeros postos desnecessários de trabalho, na maioria das vezes criados para que um funcionário controle o outro e engorde o bolso do patrão ou pra passar uma suposta segurança pro cliente;
– Quem será o presidente que receberá o mundo na Copa de 2014??? Pelo andar da carruagem, será a Dilma, não é mesmo? O que vocês acham dela?
– Há muito mais carros no Brasil atualmente, ônibus e caminhões velhos poluem o ar e espalham mal cheiro por todas as partes. Disseram que em 2009, ao contrário da Alemanha, o governo brasileiro incentivou a compra de um novo carro sem pedir de volta os carros antigos. Perderam uma boa oportunidade pra diminuir a emissão de CO2!
– Há tanto carro rodando nas ruas que não via há séculos (Kombi, Caravan, Brasília, etc.);
– Por que será que apesar de termos espaço e da Copa 2014 estar chegando, só temos rodovias quase que só com uma via? A construção de mais rodovias com 2 vias de cada lado desafogaria o trânsito e tornaria as viagens bem menos perigosas. A limitação do tráfego de caminhões para um determinado horário e/ou dias também poderia ajudar neste quesito;
– A corrupção continua institucionalizada, na base do “rouba, mas faz”;
– Campanhas lindas na tevê, p.ex. “não venda seu voto”, “não vote em candidatos que sujem sua cidade”, “o normal é ser diferente”, etc.
– Será que teremos tempo para expandir a infra-estrutura do país até 2014?
– O Faustão magro já não é mais o mesmo, agora ele virou um “Faustinho”, o Jô também está bem mais magro, o Sílvio Santos (como sempre) não mudou uma palha. O microfone dele continua exatamente no mesmo lugar, hehehe… E que horror aquelas meninas rebolando pra lá e pra cá durante tantos programas na tevê. Isso é coisa do tempo do Chacrinha e deveriam existir atividades muito mais interessantes para essas mulheres (muito bonitas por sinal) do que ficar rebolando na telinha!
– Os pivetinhos sumiram há muito da paisagem urbana, no lugar deles dizem que o tráfico de drogas impera no país;
– O nosso povo é maravilhosamente solidário! Isso é um diferencial e algo característico nosso que não tem preço!
– Rever bons velhos amigos é tudo de bom 🙂
– Como Caetano, às vezes eu me sinto uma estrangeira no Brasil, mas sinto ao mesmo tempo uma falta “danada” de lá também!
Se você leu até aqui, certamente vai ter muito para comentar. Mãos à obra! 🙂

::Rio 2016: sem corrupção, todos ganham::

08/10/2009

As Olimpíadas de 2016 e Copa do Mundo em 2014 poderão mudar o Brasil para sempre, deixando a sua marca na história e abrindo grandes oportunidades para o nosso país.

Mais de 88 bilhões de reais serão investidos e precisamos garantir que este dinheiro será usado corretamente: investimento em serviços públicos, infraestrutura básica para bairros de baixa renda e em um bom transporte público, dentre outros.

Não podemos deixar o investimento Olímpico ir para nos bolsos de políticos corruptos. Participe da campanha para banir candidatos “ficha suja” das eleições de 2010. Vamos deixar claro que na Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016 não existe espaço para político corrupto! Participe agora, leva poucos minutos para registrar o seu apoio. Leia mais sobre a proposta de lei da campanha “Ficha Limpa” aqui e clique aqui para apoiar esta campanha através da Avaaz.

Fonte: site da Avaaz. “Avaaz” significa “voz” em várias línguas asiáticas, européias e do Oriente Médio. Avaaz.org e uma nova rede de mobilização global com uma simples missão democrática: acabar com a brecha entre o mundo que nos temos, e o mundo que queremos.

::Família & política::

19/10/2008

Sabe aquelas festas de família onde você vai obrigada? Pois é, pois é. Ontem fui numa dessas. E através dos lugares pré-definidos para que os convidados se sentassem no local da festa, e pela reação dos demais familiares percebi que estavam me passando a mensagem de que era «família de segunda classe», se vocês entendem o que eu quero dizer. Fiquei com raiva, decepcionada, triste. Mandei inicialmente as mesmas energias ruins que tinha recebido de volta para essas pessoas. Hoje tive a oportunidade de rever a situação com uma amiga minha muito querida e muito esclarecida, espiritualmente falando. Ela me explicou que se fico decepcionada com a reação do outro e coloco juízo de valor em sua atitude, estou devolvendo na mesma moeda, o estou categorizando da mesma forma que ele está fazendo comigo. Posso decidir que, apesar de ter visto a agressão, vou optar por continuar em paz comigo mesma e continuar a ser atenciosa para com o outro. E posso entender que se ele age desta maneira, é porque ele não consegue reagir de outra forma. E, por último, posso fazer uma análise da minha pessoa e me perguntar quando foi que eu coloquei pessoas em segundo plano, quando deixei de dar valor ao meu semelhante. Reconhecer que sou humana e falível, tão falível quanto o outro. Valeu o domingo!

Mudando de assunto, hoje votei pela primeira vez aqui na Alemanha! Apesar de termos somente um candidato a prefeito, ele precisa de um número mínimo de votos para ser eleito. E apesar de eu não concordar com tudo o que ele tem feito, considero-o um bom prefeito. Agora, com a nacionalidade alemã, não só tenho deveres nesse país, mas também direitos como cidadã, e naturalmente não poderia deixar de fazer uso deles.


%d blogueiros gostam disto: