Posts Tagged ‘Dicas’

::Dica de cursos online e gratuitos na FGV::

06/05/2014

A dica da noite fica com esta página da FGV que oferece cursos online e, alguns deles, gratuitos sobre os mais variados temas. Achei a dica na página de uma leitora minha, a Renata do Dicas Green, e repasso agora pra vocês. Obrigada Renata!

A Fundação Getulio Vargas é a primeira instituição brasileira a ser membro do OpenCourseWare Consortium – OCWC –, um consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos sem custo, pela internet. Os cursos não têm pré-requisitos e podem ser feitos por qualquer pessoa.

Lá vocês vão achar vários cursos grátis, dentre eles:

– cursos na área de finanças pessoais (como organizar seu orçamento familiar, como gastar conscientemente)
– cursos na área de sustentabilidade (nos negócios e no dia-a-dia)
– dentre outros temas.

Nos vemos por lá! Boa noite! 🙂

::Contribua para o novo projeto de livro da Mineirinha::

12/04/2014

Borboletas com livroEstou com novo projeto de livro, desta vez focando o lado profissional e nós, mulheres. O livro por enquanto, na falta de nome melhor, está intitulado “Guia de Apoio Profissional para Mulheres no Exterior”.

Vai ser um livro de mulher pra mulher, dando muitas dicas de como crescer profissionalmente fora do seu país de origem. Chamei uma amigona minha pra participar, a Chris, que tem insights muito bons sobre a condição humana. E estamos indo bem! Já são quase 10 páginas escritas e o índice já está pronto!

O livro é voltado pro público feminino, mas serve também para os homens, claro, pois há muitas dicas que se aplicam também a eles. E está voltado de forma específica para a Alemanha, mas serve para pessoas vivendo fora e dentro do Brasil, além de para pessoas de outros países de língua portuguesa, pois as grandes questões ligadas à busca profissional e ao mercado de trabalho de hoje em dia se repetem mundialmente, transpondo barreiras geográficas.

Talvez vocês queiram deixar questões, ou mesmo enviá-las por mensagem, que gostariam de ter tratadas no livro? Seria um prazer “ler” vocês!

::Quais são suas dicas de viagem na Europa?::

07/06/2013

A Juliane Luz, uma leitora do Mineirinha escreveu perguntando sobre dicas de viagens em família com crianças. Acabou me inspirando para um novo post e para convidá-los a acrescentar nos comentários as suas dicas pessoais. Aqui vão as minhas:

Olha, eu já fui na Eurodisney com as crianças. Legal também é o Legoland que fica pertinho de Ulm.

Quando viajo, faço pesquisas no booking.com e já reservei hotéis ótimos nesta página. Adorei também a nova experiência do camping, o Mobilheim é ótimo e pra crianças um camping é muito legal!

Eu olho os comentários das pessoas e faço pesquisas, dando mais importância aos comentários de famílias com crianças, como no meu caso.

Já consegui hotéis de 3 e 4 estrelas mais baratos do que hotéis mais simples, porque muito hotel bom oferece a pernoite grátis de duas crianças, se elas dividirem com os pais o mesmo quarto.

Adorei viajar com a AIDA! Faria uma outra viagem de navio pra qualquer lugar com a empresa! Nota 10!

Quanto a voos, eu procuro sem parar até achar o que quero. Olho preço, tipo de avião, nome da cia. aérea e a duração total dos voos além do número de conexões.

E com relação ao aluguel de carros, procure ofertas sem limite de km e com um motorista a mais incluído. Eu já viajei muito de trem, mas no momento as passagens estão muito caras, apesar de que até 6 anos as crianças viajam de graça na companhia de um adulto.

Geralmente invisto muito tempo nas pesquisas e acho que vale a peba comprar livros dando dicas sobre o destino ou baixo uma App pra fazer pesquisas.

E quais são suas dicas pessoais de viagem na Europa?

::Dicas para aprender alemão – Parte 4::

26/05/2012

Não há nada melhor do que aprender com prazer, por exemplo com música. Um bom exemplo de uma banda alemã ótima, com bons textos e com os quais se pode aprender ou aperfeicoar seu alemão é a banda Silbermond. Acabo de ouvir esta nova música aqui, que adorei:

Für dich schlägt mein Herz (FDSMH) – Silbermond

Du nur du
und nichts anderes liegt mit so nah am Herz
Und ich kenne keinen anderen Zustand als für dich da zu sein
Du bist einfach unersetzlich
du bist wie ein Teil von mir
Du bringst meine Welt in Atem
du machst dieses Leben wert
Für dich schlägt mein Herz
Für dich schlägt mein Herz

Für mich bist du das schönste Monopol nein dir macht keiner Konkurrenz
Du bist ein und alles
außergewöhnlich
Du machst jeden Faden rot
du machst so Sinn
Du bist einfach unersetzlich
du bist wie ein Teil von mir
Und du fliegst mich hoch und du hälst mich so am Leben
du bringst jeden Tag ans Meer
Für dich schlägt mein Herz
Für dich schlägt mein Herz

Und du fliegst mich hoch und du hälst mich so am Leben
du machst alles halb so schwer
Für dich schlägt mein Herz
Für dich schlägt mein Herz

::Dicas para aprender alemão – Parte 3::

25/05/2012

Ler jornal, ler revista, ler na internet, ler em toda parte! Hoje à tarde fui e voltei para/de Zurique lendo. Achei uma propaganda da qual gostei muito. Ei-la:

Na propaganda, estão procurando novos policiais para Zurique para o policial da foto poder se aposentar. Assino embaixo no que afirmam: “Policiais competentes não nascem em árvores, mas se desenvolvem com o passar do tempo dentro de sua profissão”. Crescer/desenvolver = wachsen.

Quem quiser ver mais fotos da viagem, pode me visitar lá no FB. Bom final de semana!

::Dicas para aprender alemão – Parte 2::

23/05/2012


Alemão adora um “Spruch“, eles adoram dar respostas às vezes diferentes, engraçadas, enigmáticas, outras ininteligíveis (ainda mais pra nós, Außergeländer, ops Ausländer, ops Menschen mit Migrationshintergrund…)… mas o que eles mais gostam mesmo é de “belauschen“, ouvir a conversa do outro, ainda mais se os participantes da mesma não forem os mais inteligentes da face da Terra. Criaram até uma página para catalogar as “pérolas” do dia-a-dia, o que já virou até livro (dois, aliás). No site belauscht.de, você pode ler os posts de forma cronológica, por acaso ou até verificar quantas estórias foram escritas na cidade/região onde você se encontra.

Viel Spaß beim Belauschen! 😀

::Dicas para aprender e/ou aperfeiçoar alemão::

12/11/2011

Quando eu era estudante o mais difícil pra mim era atender minha sede do saber. Eu tive a sorte de crescer com uma “senhora” biblioteca dentro de casa, mas mesmo assim era difícil achar respostas para minhas perguntas. As escolas não distribuíam livros e na universidade tinha que estudar lendo cópias horríveis de xerox. As aulas de idiomas tinham pouco material, tudo muito caro, e na realidade até hoje livros são muito caros no Brasil.

Hoje em dia eu fico boba e maravilhada com a facilidade de conseguir chegar a uma resposta. A internet nos trouxe uma imensa biblioteca pra dentro de todas as casas, democratizou mesmo o saber. Os livros de escola aqui na Alemanha são de alta qualidade, a tecnologia está aí e muitas crianças têm smartphones, mas o que “pega” é a diferença de idade do professor para o aluno. O aluno é multimedial, o professor é do “arco da velha”. Outro dia minha filha chegou em casa admirada da professora não saber o que é um chat e eu expliquei pra ela que quando ela nasceu, em 1995, a internet estava chegando por aqui. As aulas de hoje já poderiam utilizar os recursos que estão à mostra, mas os alunos passam a maior parte do tempo tendo aula com o professor na frente usando recursos de outrora: cartonagens, flipcharts, cassetes, etc. Alguns colegas de sala da Taísa, minha filha, acabam de voltar dos EUA e viram que lá todos os alunos, pelo menos na escola que visitaram, um ginásio, tinham um iPad. Pra mim pelo menos os smartphones deveriam fazer parte da sala de aula, o professor deveria se interessar pelas possibilidades da tecnologia atual e integrar isso na sala de aula.

Quando tinha aula no Goethe em Beagá ficava louca com os materiais que eles tinham, a biblioteca era linda e os livros também. Eu adorava os brindes que eles distribuíam pra quem acertasse p.ex. o maior número de preposições ou gêneros de substantivos, e foi numa dessas que ganhei uma agenda em alemão que para mim ficou sendo meu supra-sumo por um tempo. Quando mostravam pra gente um filme em alemão então, eu achava o máximo. Hoje em dia está tudo aí na internet pra quem quiser pesquisar. Com certeza vocês já pesquisaram muito, eu estou, pra falar a verdade, meio por fora do que é visto como um material muito bom na internet, à disposição de todos. Recebi uma dica do meu leitor Breno, ver documentários em alemão da medioteca da Bayerisches Fernsehen (televisão da Baviera). Obrigada, Breno! Clique aqui e contribua também com outros leitores deixando suas próprias dicas, as melhores fontes do saber pra aprender ou aperfeiçoar o alemão por conta própria. A comunidade agradece! Ah, sim, a minha dica, do comecinho e de hoje em dia continua sendo a leitura constante da revista “Der Spiegel“, que agora com um smartphone pode ser lida todo dia na cama, antes de dormir. Os artigos são muito bem escritos e eu adoro o tipo de jornalismo deles. Ah claro, e ir ao cinema aqui na Alemanha, pois os filmes são sempre dublados e sem legenda. E qual é a sua dica? Bom domingo!

::Uma brasileira em Berlim::

10/04/2010

Parafraseando o escritor João Ubaldo Ribeiro fui uma das muitas brasileiras em Berlim durante esta semana. A viagem foi jóia!

Eu continuo achando que não há meio de locomoção melhor dentro da Alemanha do que o trem, ainda mais se tratando do ICE, o trem de altíssima velocidade que vai p.ex. de Frankfurt até Berlim em 3 horas. Porém, ao chegarmos em Berlim, levamos um susto com a informação de que teríamos que desviar do trajeto até o hotel porque uma bomba havia sido encontrada em uma das estações centrais da cidade. Na volta pra casa, li um artigo comentando que durante as Guerras foram jogadas 550.000 (!) bombas sobre Berlim e que considera-se que 15% delas não explodiram. Por isso, vira e mexe acham uma bomba por lá e parte da cidade pára por causa disso.

Tivemos a sorte de encontrar um excelente hotel com uma ótima promoção, onde crianças até 14 anos não pagam. Quem quiser que eu repasse a dica, é só avisar. Pra conferir se o hotel era bom mesmo além de ser bastante central (Berlin Mitte), dei uma checada no site www.booking.com, onde pessoas deixam comentários e fotos sobre os hotéis onde elas já se hospedaram, dando uma avaliação detalhada sobre os mesmos e não deixando dúvidas quanto a se um hotel é bom mesmo ou se é só propaganda. Aliás, eu amo este poder da internet! Um poder nosso, de consumidor, que eu adoro usar.

Em Berlim visitamos muitos dos pontos principais da cidade, e nos locomovemos na cidade com o tíquete Welcome Card, que pode ser adquirido para 48h ou 72 h de transporte público inclusive descontos em várias atrações de Berlim. Uma dica para quem viaja com crianças e vai ficar 3 dias na cidade: vale a pena comprar a versão 72h do tipo ABC, que cobre 1 adulto e 3 crianças de até 14 anos e fica mais barato do que se os tíquetes forem comprados de forma separada. Só dentro de Berlim há quase 600 quilômetros de linhas de trem (a maioria delas subterrânea) e portanto a infra-estrutura da cidade é invejável.

Como estávamos viajando em família, visitamos o Museu da Madame Tussauds, o Sealife einclusive a visita a um aquário gigante de 360° em volta de um elevador, chamado AquaDom (veja foto abaixo), e o Legoland Discovery Center, que é legalzinho mas nem se compara ao Legoland perto de Ulm, que é imenso e é ao ar livre. Uma dica, para quem tiver interesse de visitar 2 ou até 3 destas atrações, é comprá-las todas de uma vez em um desses 3 pontos, já que o desconto é bastante atrativo. Ah, no Reichstag (o prédio do parlamento alemão), onde há uma vista linda para a cidade, poderá ir no elevador que leva à cúpula do poder por uma entrada lateral, que só pode aliás ser usada por deficientes e famílias com crianças abaixo de 7 anos.

Duas atrações (gratuitas) que não aparecem nos guias mas das quais gostei muito foi uma “Sala do Silêncio” (Raum der Stille) que fica bem ao lado do Brandenburger Tor (Portão Torre de Brandenburgo). Ela serve para lembrar a todos os povos sobre nossas origens comuns e o respeito mútuo que devemos uns aos outros. Também gostei de ter feito uma visita curta a uma exposição dentro da Willy Brandt Stiftung (Fundação Willy Brandt) ao lado do museu da Madame Tussauds, que foi sobre os 60 anos das leis básicas alemãs (Einmischung erwünscht! 60 Jahre Grundgesetz) e faz uma cobertura bem grande da história da Alemanha e dos direitos de homens, mulheres e imigrantes na Alemanha, incentivando a discussão sobre temas atuais no país.

Deixando a logística de lado, me emocionei novamente com a história da Alemanha, e fiquei abobada pensando mais uma vez em quanto já se passou naquele pedaço de chão, ainda mais durante todos os anos da separação causada pelo Muro. Esta foi minha terceira viagem à capital e foi a primeira vez que meu marido visitou a capital de seu país. Acho que todo alemão deveria visitar esta cidade! Além da parte histórica, ainda tiramos uma tarde só para a Taísa bater pernas e poder visitar muitas lojas da cidade, o que pra ela, sob a perspectiva de uma adolescente, foi uma das melhores partes da viagem, claro.

A parte melhor da viagem na minha opinião ficou com os (re)encontros. Conhecemos um casal super hiper simpático que eu já conhecia virtualmente pela internet, o Paulo e a Evelyne. Ambos leram meu livro e nos receberam super bem na casa deles para um café com bolo e um bate-papo gostoso. Logo em seguida fomos para “A Livraria” para a apresentação do meu livro, sendo que o Matthias carregou no ombro 30 livros meus por alguns quilômetros do leste ao oeste da cidade, passando por restos do Muro de Berlim. Só o amor mesmo pode fazer com que um homem faça isso! 🙂 Lá revi p.ex. minha amiga Otília, a primeira brasileira que conheci aqui na Alemanha em 1993, depois de passados quase 20 anos…

A apresentação em si n“A Livraria” foi super legal, apesar de que tenho que confessar que estava super nervosa!… Fico agradecida pela ótima recepção por lá! O Paulo também teve o carinho de falar um pouco sobre sua opinião pessoal como leitor do “Mineirinha n’Alemanha” e sobre sua motivação de me ajudar na tradução do livro e de querer que ele seja publicado também em alemão. Eu contei um pouco da história do livro e li algumas partes do mesmo. No final, autografei alguns livros e voltamos pra casa satisfeitos, ainda mais porque vendi todos os livros que tinha levado para Berlim! A parte mais inusitada da apresentação ficou com o Daniel, que estava inesperadamente quietinho enquanto eu lia partes do livro e por fim cochilou, bem na primeira fileira, hehehehe… O Matthias comentou que isso aconteceu porque ele já conhece bem as histórias da mãe, o que não deixa de ser verdade!

Mas como Berlim é muito grande e tem muitas atrações, no final da semana ainda sobrou muita Berlim pra ser vista em outra oportunidade!

::Flor em Quadrinhos::

11/10/2009

Acabo de descobrir esta nova parte do blog da Dona Flor, o “Flor em Quadrinhos” e recomendo. Dona Flor, você desenha bem deste jeito? Sua ideia de retratar a vida de expatriada na Alemanha através de quadrinhos é fantástica. Weiter so! (Continue assim!). Lá no blog da Dona Flor também há dicas sobre papelada na Alemanha, dentre outros.

::Munique é…::

26/08/2009

Minha irmã Rê voltou dos EUA para morar novamente em Munique. Com a mudança, temos agora família bem pertinho de nós, o Daniel tem mais um priminho pra brincar e nós temos um excelente motivo para visitar a cidade, que é muito bonita e vale muito a pena conhecer de perto.

Minhas observações quanto à viagem da semana passada a Munique:
– Muitos homens bonitos e mulheres elegantes na região do bairro de Schwabing e no Biergarten* Seehaus dentro do Englischer Garten, à beira do Kleinhesseloher See. Pra vocês terem uma ideia, eu vi uma mesa onde 8 (!) homens bonitos estavam sentados juntos. Já há muito não via tanto colírio para os meus olhos!…
– Muito poucas crianças e parquinhos mal cuidados.
– Quase todas as crianças que vi em Munique estavam reunidas em torno do Chinesischer Turm (Torre Chinesa), também dentro do Englischer Garten (Jardim Inglês).
– “Cheiro de cidade grande” (freios, concreto, asfalto…) principalmente nos metrôs subterrâneos da cidade, muita impessoalidade e anonimato.
– Como diz minha irmã, de longe se reconhece quem vem de lá e quem não vem, pois os “Einheimische” (moradores da cidade) sempre se posicionam automaticamente à direita das escadas rolantes dos metrôs, para deixar passar à sua esquerda os mais apressadinhos. Quem não sabe de nada fica em qualquer lugar na escada rolante e atrapalha a organização subentendida de todos que são “de casa”.
– Meu sonho dourado fica diretamente de frente para o Marienplatz, a praça principal da cidade: uma livraria enorme com 6 andares chamada Hugendubel, feito um shopping center só de livros, com vários lugares espalhados por todos os andares para se sentar e ler à vontade!
– E por falar em Marienplatz, às 13h ou 17h você pode assistir a movimentação das figuras do relógio principal da cidade.
– Se for a Munique (e se interessar pelos carros e motos da BMW) não deixe de fora uma visitinha ao BMW World, ao lado do Olympia Park!
– Pertinho de Munique há uma cidade que se chama Blumenau! 🙂
– Se você for a Munique e não quiser se perder no meio de tantas possibilidades e do sistema complexo do metrô de lá, ainda mais tendo dificuldade no alemão, não deixe de comprar um mapa chamado Pocket Pilot Munich (München): Maps and Top Sights and Day Trips and Quarters and Facts (em inglês ou alemão) com mapas, dicas de passeios, fatos e sugestões do que fazer na cidade. Importante: há mapas desta série também para outras cidades européias.
– Pertinho de Munique também tem “praia”: fomos a um Baggersee (lago-represa) super legal chamado Regattasee.
– Tem muito brasileiro em Munique e muitas lojas/restaurantes brasileiras/latinos. Só perto de onde minha irmã mora contei 4!
– Se estiver indo do norte da Alemanha para Munique e estiver com crianças (ou quiser aproveitar feito uma delas!), vale uma passadinha no Legoland, que fica pertinho da cidade de Ulm em Günzburg. Os meninos adoraram e lá, dentre tantas outras atrações, vimos por exemplo o Allianz Arena (o estádio de Munique) em tamanho miniatura (de uns 5 metros de diâmetro!), todo formado por pecinhas de Lego, com uma perfeição de detalhes tanto no exterior quanto no interior da maquete, com público e tudo.
– Última dica: na Baviera pode-se também visitar o castelo da Branca de Neve de Walt Disney, o Neuschwanstein, que fica perto da cidade de Füssen (mais exatamente em Hohenschwangau) entre Munique e o Bodensee (Lago de Constança).
– Outras cidades interessantes para conhecer no sul da Alemanha: Ulm, onde aliás há um dos maiores mercados de Natal da Alemanha, e Lindau, já à beira do Lago de Constança, além de várias cidadezinhas na região da Floresta Negra.
– Se for passear na região do Lago de Constança, não deixe de pegar o ferry boat que separa Meersburg de Constança. Fizemos esta viagem ao entardecer e fechamos nossa viagem com chave de ouro!
– Se tiver mais alguma dica sobre Munique ou sobre o sul da Alemanha, não deixe de incluí-la nos comentários. Obrigada!

*O Biergarten merece um comentário à parte: nele você pode levar de casa o que quiser para comer lá (p.ex. Brezels enormes de 30 cm!), enquanto que a cerveja (naquelas canecas enormes de vidro de um litro chamadas Maß ou Mass) é comprada no local.


%d blogueiros gostam disto: