Posts Tagged ‘difícil’

::Mulheres difíceis – Parte 3::

17/09/2008

Assisti hoje à noite uma parte do filme que conta a história verdadeira da Tina Turner, intitulado “What’s love got to do with it“. Como minha memória está piorando com o passar dos anos, tenho a vantagem de poder ver o mesmo filme repetidas vezes e em cada uma delas vibrar com o desenrolar da história… Desta vez vi só o finalzinho, mas quando o filme acabou, fiquei me perguntado se tinha listado a Tina Turner como um exemplo de mulher difícil, conforme os posts que escrevi aqui e aqui. E não é que tinha esquecido dela? Como pôde ser possível? Deve ter sido devido à minha idade… Eu sou muito feliz também por já tê-la visto uma vez ao vivo, ela tem uma energia muito contagiante e não é pra menos!

Tina: independentemente de onde quer que você esteja hoje em dia: te admiro, te idolatro, gosto muito do seu caráter e da força inspiradora que você tem e mostrou tão bem no filme de sua vida. Que o amor e a harmonia continuem a te acompanhar por seu caminho. E que você continue sendo exemplo de uma mulher difícil pra todas nós.

::Mais uma mulher difícil::

11/06/2008

Luluzinha

Vocês também gostavam da Luluzinha? Eu era fã dela!

Até fiquei com saudade de ler de novo as revistinhas que eu adorava ler quando era criança!

Um pouco de sua história aqui.

::Mulheres difíceis::

10/06/2008

Eu acabei de ler este post maravilhoso da Denise no Síndrome de Estocolmo e fiquei pensando na minha condição natural de mulher “revoltada”, o que ela, por sua vez, chama de “difícil”. Eu cresci como filha de uma das poucas mães da minha época que trabalhava e era independente, completamente dona de seu nariz. Quando criança, alimentava minha imaginação com a independência da Penélope Charmosa ou a forma mandona e decidida de ser da Mônica do Maurício de Souza. Quando adolescente, virei ídola da Madonna, o que sou até hoje. A minha educação sexual vem daquele programa ótimo que passava todas as manhãs da Marta Suplicy. Ela respondeu a todas as minhas perguntas de adolescente de forma clara e sem preconceito. Em algum momento descobri que a Marylin Monroe exercia um fascínio enorme sobre mim, assim como a Hillary Clinton (apesar deste fascínio ter decrescido muitíssimo depois do caso da Lewinsky). A Angela Merkel, a chanceler alemã, pode ser feinha, mas é inteligente, decidida, sóbria, carismática e é uma pessoa de caráter.

Acho que é fácil demais se nivelar às outras mulheres e viver do jeito que a sociedade exige. Difícil é ter opinião própria e assumir sua vida do jeito que você quer que ela seja (apesar de nem você ter certeza o tempo todo de como sua vida deve ser). Acho fácil demais resumir as pessoas às roupas que elas trajam. Difícil é conhecer o outro aos poucos e descobrir seu caráter, sua alma, suas paixões. É fácil se esconder atrás de estereótipos, preconceitos, fazer o que “todo mundo faz”, difícil é ser aberto, receptivo, insistir nas semelhanças do ser humano e na nossa condição de diferentes, mas não superiores ou inferiores, parecidos apenas. Fiquei muito inspirada pelo post da Denise e passo a bola pra vocês, quem sabe surgem outros relatos e vocês também contribuem para aumentar o número de exemplos de mulheres difíceis?


%d blogueiros gostam disto: