Posts Tagged ‘eleição presidencial americana’

::Estamos fazendo história!::

08/11/2020

A segunda onda da pandemia na Alemanha, trouxe consigo muitos protestos e as eleições nos EUA, que pareciam intermináveis e certamente nos custaram muita energia! Além de termos presenciado a mudança de poder ocorrida por lá, ela representa uma mudança energética para o mundo, a meu ver. Não só da força democrática, diplomática e conciliadora que parece vir com o Biden, mas também do novo espaço que uma mulher negra como a Kamala Harris estará ocupando daqui a pouco como vice presidente dos EUA.

Tinha conseguido me distanciar da maioria dos sentimentos que me aterrorizaram e chegaram a deixar doente em outras ocasiões, e estava indo tudo muito bem até agora no finalzinho. Mas tudo terminou ótimo! Porque o sentimento que me invandiu foi de felicidade e orgulho alheio! O discurso de ontem da Kamala Harris, que só fui assistir agora há pouco, foi emocionante! Se ainda não viu o discurso dela, não sabe o que está perdendo! Recomendo por várias razões:

  1. Devemos reconhecer de onde viemos, mas também reconhecer quem nos proporcionou chegar onde chegamos. E isto ela fez com maestria!
  2. Ela é a primeira vice presidente mulher e negra dos EUA. Meu marido comentou que lá estão chegando onde a Alemanha chegou há 16 anos atrás, quando a Angela Merkel se tornou chanceler. As coisas não se desenvolvem de forma linear. E precisamos comemorar os avanços!
  3. Certamente as mulheres reconheceram por lá a sua força eleitoral e foram às urnas para fazer uso dela e ajudar o partido democrático à vitória. Antes disso, muitas mulheres já não puderam exercer seu direito no passado e muitas delas talvez não reconheceram que poderiam ser agentes de mudança. Outra razão pra comemorar, pois só há 100 anos uma mulher pode votar nos EUA!
  4. Como a própria Kamala disse, ela é a primeira mulher, mas não será a última nesta posição.
  5. Achei muito lindo também quando ela agradeceu que a família Biden receba a partir de agora a família Harris. Como em um casamento! Mas na função de presidente e vice-presidente, trabalhando lado a lado em situações que certamente não serão das mais fáceis.

Há muito por fazer, mas agora a hora é de comemorar! Mesmo que ao ver tanta gente nas ruas dos EUA, e nem todos com máscaras, só pensava em aglomeração e no perigo da contaminação… que espero que não seja muito grande durante o dia de hoje. Os próximos dias nos mostrarão a realidade! Por ora, registro aqui o discurso da Kamala Harris:

::The Great Hack – O Resumo da ligação da Cambridge Analytica, com dados do Facebook e as eleições do Brasil, dos USA, do Brexit…::

27/07/2019

1563656483-header-1563725218

Por obra do acaso, se é que alguém acredita nisso, esse novo documentário do Netflix saiu no dia em que o Facebook concordou em pagar a super multa de cinco bilhões de dólares para fechar o processo com a Cambridge Analytica, por causa da violação de dados causada através do uso de dados de 87 milhões de usuários do Facebook… Esse valor foi até agora a maior multa que uma empresa de tecnologia teve que pagar por violação de dados… E imaginem que esse valor nem incomodou a empresa, que ganhou 15 bilhões de lucro nos primeiros três meses de 2019…

Em alemão, o documentário do Netflix se chama “Cambridge Analyticas Großer Hack” (The Great Hack), mostrando como a empresa usou dados do Facebook para manipular eleições mundo afora (inclusive a brasileira), o Brexit, a vitória do Trump… A ideia é “destruir tudo para depois montar de novo”. Mas… o que restará depois que todo o sistema democrático e as grandes cooperações internacionais tiverem sido destruídas?!? Como será o mundo lá pra frente?… E quem está por trás de tudo isso? Desestabilizar a democracia no mundo, começando por semear discórdia e separação das populações nas maiores potencias, não é uma tática desconhecida… Enquanto o povo se odeia e perde tempo se atacando, os Grandes vão seguindo seu programa… que com certeza não é o de defender os direitos do povo e os Direitos Humanos…

A técnica da empresa Cambridge Analytica foi a de coletar dados do Facebook, montar um quadro psicológico e de preferências das pessoas, com até 5.000 pontos de dados por pessoa, podendo assim avaliar a tendência de voto do eleitor, identificar os que ainda não tinham candidato definido e inundar seu WhatsApp e mural do Facebook com notícias que o influenciasse a votar em determinado candidato. Na Inglaterra, a tendência foi a mesma, a de identificar quem ainda estava indeciso antes da votação, e inundar seu mural com notícias pro-Brexit, muitas delas baseadas em dados falsos. Dizem que depois que o Brexit aconteceu, o que mais surgiu no Google foram perguntas relacionadas a “o que vai acontecer depois do Brexit” ou “o que significa o Brexit exatamente para a Inglaterra”…

Ficam muitas perguntas em aberto…

Quem dita as regras no momento?

Pra onde estamos indo?

Quem é manipulado?

Quem manipula?

Qual é o papel da Rússia nisso tudo?

A que ponto ainda existe liberdade de expressão e opinião?

Quais são as novas Cambridge Analyticas que estão manipulando nossos dados, depois que essa empresa deixou de existir?

Quantas fake News existem nas eleições ao redor do mundo?

Ainda existe eleição imparcial no mundo?

Notem: a foto acima mostra o Steve Bannon junto com o filho do nosso atual presidente. O Steve Bannon era um dos fundadores e o vice presidente da Cambridge Analytica e ajudou, dentre outros, também o atual presidente do Brasil a chegar ao poder. Bannon considera Salvini (da Itália), junto com presidente brasileiro e o primeiro-ministro húngaro Viktor Orbán, seus melhores representantes do The Movement, grupo baseado em Bruxelas e criado por Bannon, que articula uma rede de partidos extremistas no mundo. Em fevereiro deste ano, Steve Bannon escolheu Eduardo B. para ser o representante do seu grupo na América Latina…

O documentário da Netflix afirma que o Trump chegou a gastar um milhão de dólares por dia em propaganda feita no Facebook. A pessoa que dirigiu a campanha do Trump à Presidência dos EUA afirmou ter investido em mais de cinco milhões de mensagens visuais no Facebook, enquanto Hillary Clintou disse ter tido 66.000 mensagens. Essa mesma pessoa vai dirigir a campanha de Trump para 2020.

Fontes: reportagens diversas, tais como The Guardian de 12/07/19, Zeit Online de 24/07/19, Die Welt de 26/07/19 . Foto da página do The Intercept, reportagem de 21/07/19.

::Yes, we can!::

05/11/2008

Valeu a pena ter dormido só 3 horas esta noite para ter tido a oportunidade de ver ao vivo pela tv a vitória de Barack Obama e ter assistido suas palavras de agradecimento ao povo americano, que me arrancou lágrimas e que traz consigo uma grande esperança de que o mundo vai sair logo desta crise e que as pessoas vão se unir cada vez mais, deixando suas diferenças de lado, em prol de um bem comum. É emocionante presenciar um momento histórico tão importante como este, pensando que há algumas décadas atrás o ser humano tinha menos direitos por ser negro ou que as mulheres não tinham direito de votar dentro dos Estados Unidos. A vitória de Obama é nossa vitória, é uma vitória para a humanidade.


%d blogueiros gostam disto: