Anúncios

Posts Tagged ‘Eurovision’

::Eurodance::

03/06/2010

Ainda sobre o Eurovision Song Contest, um dos melhores momentos do concurso foi quando o grupo Madcon apresentou a música “Glow” (Brilhe), mostrando pessoas dançando em várias cidades européias e incentivando o sentimento de união dos europeus. É contagiante!

Glow
I can’t wait I can’t wait to see you glow
Around the world around the world people glow

Brilhe
Eu mal posso esperar para ver você brilhando
Ao redor do mundo, ao redor do mundo, todos vocês, brilhem

E a música da Lena, Satellite, está no momento em 1° lugar em 11 países da Europa!

Com vocês, Madcon e Glow:

::Mais razões pra Alemanha gostar da Lena::

30/05/2010

Lendo hoje o jornal local, e analisando os acontecimentos novamente, achei/pensei em mais algumas razões pelas quais os alemães se apaixonaram pela Lena:

– eles sentiram vergonha de muitos dos representantes que cantaram no Eurovision nos últimos anos – deles mesmos como alemães e deles com relação aos outros países europeus;
– A Alemanha tinha tirado o 1° lugar só uma única vez em toda a história de 55 anos da competição, do contrário da Irlanda, que foi 7 vezes campeã, e da França, Inglaterra, França e Luxemburgo, que ganharam 5 vezes o 1° lugar. Olhando por este aspecto, a vitória tem também o gostinho de finalmente poder “subir ao pódio” novamente;
– Tem também a questão da aceitação por outros países europeus: devido à sua história de Guerras, a Alemanha, quer dizer, o povo alemão, teve/tem muitas dificuldades com seus vizinhos europeus, e ganhar o concurso significa se sentir mais aceito na Europa – e por consequência conseguir se aceitar um pouco mais também. Um parêntesis para algo interessante foi a tendência ao pessimismo dos alemães, que pôde ser observada durante todo o desenrolar do resultado: até o último minuto, e durante todos os resultados dos 39 países participantes (durante os quais ela ganhou a pontuação máxima, “12 points“, da Dinamarca, Estônia, Finlândia, Espanha, Eslováquia, Letônia, Noruega, Suíça e Suécia), o comentador não acreditava que a Lena poderia mesmo ganhar. Ele preferia ficar na retaguarda, esperançoso, mas altamente incrédulo. Ele dizia “man soll den Morgen nicht vor dem Abend loben” (que significa mais ou menos: não se deve ficar satisfeito com a manhã sem esperar pela chegada da noite, que é melhor ser cuidadoso antes de ficar satisfeito com algo);
– Os alemães associam a Lena a uma pessoa normal (que não precisa de escândalos ou de ter saído de baixo pra fazer sucesso), simples, despreocupada, inteligente, ordeira, cuja auto-estima é positiva, que sabe dar boas respostas (“Sprüche“, como os alemães adoram), atrevida, alegre, simpática e autêntica. Acho que isso é tudo o que eles todos querem ser e como querem ser vistos no exterior.

Uma frase resume muita coisa: “Lena ist Balsam für die geplagte heimische Song-Contest-Seele”. (Lena é um bálsamo para a alma sofrida alemã do Eurovision Song Contest).Um bom domingo para todos e bom início de semana!

Fonte: Südkurier N° 121 de 29/05/2010.

::A Copa começou hoje na Alemanha::

30/05/2010

Porque a Lena, a recém-cantora de 19 anos acaba de ganhar um concurso musical europeu chamado Eurovision, a Copa do Mundo parece já ter começado hoje na Alemanha.

Lena Meyer-Landrut começou sua carreira em outubro de 2009, quando o apresentador Stefan Raab estava procurando por um representante para o país no concurso Eurovision através do programa “Ein Star für Oslo” (Uma estrela para Oslo). Desde ela que ganhou o concurso dentro da Alemanha, o país caiu literalmente numa febre pela cantora. Sua música “Satellite” ficou conhecida do dia para a noite, passou a tocar com grande frequência nas rádios e programas de TV do país. Estava claro que as pessoas aqui tinham achado um novo ídolo. Ela tinha sido escolhida pelo próprio público no concurso do qual participaram inicialmente 4.500 cantores. Um dia depois de ter tirado o 1° lugar no “Ein Star für Oslo“, sua música Satellite já estava também em 1° lugar em downloads no iTunes e Musicload e já foi vendida 700.000 vezes até agora. Muitos afirmaram que a música era um “Ohrwurm“, quer dizer, uma música que se houve uma vez e que fica na cabeça das pessoas. Em todo lugar, também na mídia escrita, só dava Lena. No começo deste mês ela gravou um CD chamado “<a href="My Cassette Player“>My Cassette Player“, que já ocupa atualmente o 1° lugar no país, e antes ainda fez as provas finais para terminar seu “Abitur” (o 2° grau ginasial da Alemanha). Agora, com o Eurovision, ela parece ter uma carreira européia pela frente.

O “Eurovision Song Contest” existe desde 1956 os votos são resultado de 50% da decisão de um juri de 5 pessoas dos países participantes e 50% do voto do público dos países, sendo que pessoas de um país só podem votar para outros países e não para si próprias. Lena foi para Oslo para se apresentar perante 120 milhões de europeus e sabia que a última vez que a Alemanha havia ganhado no concurso tinha sido em 1982, há 28 anos atrás.

Apesar da Lena ser uma pessoa natural e ter uma voz legal e uma pronúncia bonita em inglês, além de se vestir de modo simples, sem tentar se vender por seus dotes externos, eu não estava entendendo o alvoroço todo em volta da menina dela até que meu marido veio me contar que montaram hoje em várias cidades alemãs lugares com “Public Viewing“, como nos jogos da Copa, para as pessoas acompanharem o desenrolar do concurso em Oslo. Neste momento entendi que o “efeito Lena” tem a haver com o processo de retomada do orgulho nacionalista positivo dos alemães, tem a haver com o prazer da Alemanha estar concorrendo internacionalmente e das pessoas se identificarem com a representante do país, como na última Copa aqui em 2006, como já tinha descrito no meu livro. Agora caiu a ficha! Talvez as pessoas a achem uma boa representante da juventude alemã. Assim como a Alemanha já a tinha achado ótima, ela chegou hoje ao 1° lugar como “Lovely Lena” e o concurso europeu “Eurovision” foi festejado por aqui como um final de campeonato nacional de futebol. Meu marido ficou todo emocionado e disse que em alguns anos as pessoas conversarão aqui umas com as outras e vão querer saber o que estavam fazendo na noite em que a Lena ganhou o concurso “Eurovision”, assim como no dia em que Ayrton Senna morreu ou quando a Lady Di se casou. A outra parte incrível fica por parte da internet, como sempre. O show mal acabou e a Wikipedia, assim como a página oficial da cantora, já foram atualizadas! A velocidade em que as informações são colocadas à disposição do público em geral ainda me espanta. As fotos daqui são de lá, inclusive uma tirada hoje, do “Public Viewing” em Hannover. Para terem uma ideia da dimensão da festa, ela era composta por muitas mil pessoas e foi fechada, depois de muitas apresentações ao vivo de bandas alemãs e da Suíça, por uma apresentação ao vivo do cantor belga Stromae.

Parece ser um momento histórico, que significa muito mais do que um mero concurso musical, e faz parte de um processo positivo de ganho de identidade cultural. Afirmaram na tevê de brincadeira que a cidade onde Lena mora, Hannover, se chama a partir de hoje “Lena City”. E amanhã à tarde, quando ela chegar de volta ao país, a festa continua…


%d blogueiros gostam disto: