Posts Tagged ‘expatriada’

::Saiu um novo livro da Mineirinha! Ou o inverso de: como se diz “enrolação” em alemão?::

10/10/2017

Para falar a verdade, eu tinha o projeto de escrever um novo livro já há muito tempo, mas fui – quase – vencida pela famosa enrolação, a em alemão tão famosa, conhecida e respeitada “Aufschieberitis” (vem do verbo “aufschieben”, que significa adiar, diferir, enfim para os mais entendidos e numa boa gíria brasileira: enrolar).

Nós, mulheres, temos 1.001 coisas na cabeça e para nós é muuuuuito fácil fazer de “b” a “z” quando na realidade sabemos claramente que deveríamos estar investindo naquele sonho importante, o “a”. Dizem que se algo nos dá muito medo, é exatamente naquilo que temos que investir, pois medos costumam esconder nossos maiores sonhos! E olha que tem bastante verdade nisso, viu?

Enfrentando meus medos de inúmeras coisas como escritora, mulher, mãe, profissional e expatriada, virava e mexia eu pensava de novo no projeto engavetado, que estava quase pronto… Comentei sobre ele com uma amiga escritora, a Isa Magalhães, e ela foi bem categórica: “lançe-o”. Mas eu sabia que não iria ser tão fácil assim…

Deixando de lado no momento algumas razões centrais da inércia temporária que explico no finalzinho do livro, e falando agora um pouco mais a nível geral, o ato de escrever para mim tem muita ligação com sentimentos. Tem muito de “timing“, de você um dia levantar da cama e afirmar: “hoje é o dia! ” E para mim, para minha satisfação pessoal e, espero, também dos meus leitores, foi no último domingo, 08/10/17, que consegui mesmo colocar a mão na massa de manhã até à noite e o novo livro saiu do forno!

°°°

Sobre o livro:

Este livro é para mulheres, principalmente aquelas em busca delas mesmas e de uma ocupação profissional que faça a diferença em suas vidas.

Simples, concisa, de leitura rápida, mas intensa, o objetivo da obra é que a leitora faça um mergulho profundo dentro de si mesma, voltando à superfície com reflexões importantes para sua vida.

A ideia do livro surgiu da experiência de expatriada da autora, que já acompanhou vários casos de mulheres que tiveram que se reinventar profissionalmente no exterior. A autora espera que possa contribuir na caminhada dessas mulheres para se tornarem quem são de verdade.

°°°

Talvez alguém possa estar se perguntando por que estou sendo tão sincera ao anunciar que meu novo livro demorou pra sair,  muito mais do que eu esperava… É bem simples: minha intenção é motivacional, uma mensagem direta para todos aquel@s que, como eu, já tinham se acostumado com o projeto inacabado.

Uma pergunta direta: você tem um sonho que está bem pertinho do seu coração, que você sabe exatamente qual é, mas tem até certo receio de pensar nele? Já chegou a se acostumar à ideia de deixá-lo inacabado?

Outra pergunta: como você se sente quando pensa nele?

Última pergunta (juro!): como você vai se sentir quando realizar o seu sonho?

Esses pensamentos não me davam paz quando meu projeto me vinha à cabeça…. Ficava decepcionada comigo mesma, depois ia procurar outra coisa para “tapar o buraco”, se é que você entende o que estou querendo dizer.

Dizem que há dois dias importantíssimos na sua vida: o dia em que você nasceu e o dia em que descobriu qual é sua missão nesse mundo. A minha está descrita no livro, e uma dica bem grande da direção que me guia fica no topo da minha página de consultoria Connex Consulting: sharing knowledge to help others to grow – dividindo conhecimento para ajudar outros a crescer. É isso aí, quando aqui não mais estiver, quero ter deixado uma marca no mundo de agregação, solidariedade, persistência, fé, ação, amor… e muito mais. E dei mais um passo em todas essas direções com esse novo projeto! Eu prefiro ser… essa borboleta-metamorfose ambulante!..

Espero que encontre no livro pensamentos e frases, além de muitas perguntas, que lhe levem firmemente a pensar em você mesmo, pois nesse mundo louco e interconectado estamos perdendo a capacidade de nos refletir enquanto seres humanos e nos traduzir para o mundo externo. E por aí passam as pequenas e grandes alegrias do dia a dia!

O livro está disponível na Amazon no mundo inteiro, mas em diferentes canais dependendo do país. Nota IMPORTANTE: como a ideia do livro é de reflexão constante, ele recebeu o título “(Re)descubra Quem é Você”. Através da possibilidade da descoberta e da redescoberta, inventei de novo uma palavra dentro de uma palavra, como já tinha feito no primeiro lançamento, o “Mineirinha n’Alemanha”. Portanto,  ao procurar pelo livro na Amazon, lembre-se de adicionar os PARÊNTESIS na sua busca, ok?

Pra facilitar um pouco, abaixo alguns links:

E-book no Brasil * sem fotos pessoais, que aparentemente não puderam ser lidas pelo sistema

E-book na Alemanha * também sem fotos pessoais

Livro na Alemanha * com 9 fotos coloridas e pessoais, capa mais colorida ainda!

Ainda não tenho um canal de distribuição para a versão do livro no Brasil. Quando ele existir, aviso aqui.

Dependendo de onde você estiver no mundo, é mais fácil procurar pelo livro através do seu título, no campo de busca da Amazon, e assim você vai achar a oferta local, certo? Ele está disponível em 13 websites diferentes da Amazon, espalhados como vários canais de venda do Brasil ao Japão.

Estou bastante curiosa para receber comentários, ler e ouvir o que outras pessoas acharam depois da leitura do RQEV (isso, inventei também uma sigla para ele!). Vai lá e depois me conta, vai?!? Minha prima Lílian, que carinhosamente escreveu o prefácio do livro, já começa afirmando: “certamente, se este livro chegou até suas mãos, é porque você precisa dele! “

Anúncios

::Por que saí do Brasil::

22/06/2015

Um resumo à queima roupa: eu saí do Brasil porque era meu sonho de longas datas viver uma experiência internacional, mas fiquei aqui porque me casei, consegui emprego e porque vi que teria mais condições de conseguir uma vida de qualidade, da maneira que eu interpretava essa qualidade, do outro lado do mundo. Vim pra ficar um ano e já tenho 22 na bagagem!

Na época tinha acabado duas universidades e lutava para conseguir um empreguinho no Brasil, enquanto os filhinhos de papai, que sentavam no fundo da sala, não tinham aprendido nada naqueles quatro anos e colavam tudo o que podiam nas provas, estavam conseguindo ótimos empregos, indicados por seus pais para belas posições. Hoje, apesar de eu sentir muuuuuita falta da família e dos amigos, eu prezo o ar puro, a liberdade de ir e vir, o contato com a natureza, além da bem menor desigualdade social e da boa qualidade de vida para grande parte da população.

No momento muitos textos estão circulando na internet sobre “porque deixei o Brasil” e “porque vou voltar ao Brasil”. Acho que a consciência coletiva está fervendo pois o momento atual brasileiro está bastante explosivo, os nervos estão à flor da pele.

Aqui um dos textos que li sobre o tema nos últimos dias, gentilmente repassado pelo leitor Wagner. Esse artigo dá muito a pensar. Opiniões? Críticas? Sugestões? Quem quiser deixar a dica de outros textos nesta linha, fique à vontade logo aqui abaixo nos comentários.

::Detonautas em uma noite ida e volta::

18/08/2014

Comprei uma passagem pros Detonautas
E passei a noite toda conhecendo a arte deles
Só parei de ouvir
Lá pelas altas…

Ouvi música, vi vídeo, vi show inteiro
Vi música no banheiro
Vi os caras envelhecendo

Passei a admirar e respeitar o Tico Santa Cruz
E lamentei a morte do Rodrigo Netto
Ave, putz!…

Da mesma forma que os integrantes da banda se conheceram,
pela internet,
os achei no mural de um leitor do Mineirinha no FB
E dividi com eles uma noite de agosto de 2014

Salve Detonautas!
Ainda há música com som e letra de conteúdo
A Legião Urbana e muitas outras bandas de rock brasileiras
Batem no coração de vocês
Ativistas e sensíveis
Salve

Eles foram ao Japão
Fizeram mobilização
Contra a violência, para a paz
Será que um dia vão cair de pára-quedas na Alemanha?
O Cazuza ainda vive nas veias desses caras
Salve, obrigada!
Boa noite pra vocês
Vida longa

Expatriada que sou
Perco anos e acontecimentos
Fico estarrecida com imagens da TV
Descubro o que todo mundo já conhece
E, depois de vários anos,
Vejo o que todo mundo vê

°°°

Tico por Tico Santa Cruz, tirado do Blog Clube da Insônia:

O que esperam de você?
Uma barriga de tanquinho?
Um diploma na parede de casa?
Dentes super brancos?
Cabelos descolados?
Um carro bem bacana.
Roupas pela marca.
Selfies paradisíacas.

E o que espero eu dos outros?
Que me aceitem como sou.
Que compartilhem de meus pensamentos?
Que sorriam junto comigo.
Que enxerguem o que tenho por dentro
Uma postura de respeito.
Idéias bem construídas.
Que ouçam musicas boas.
Que lutem por seus direitos.
Que sejam felizes com o suficiente pra que não despejem suas frustrações em cima dos outros.
Que me amem pelo que faço.
Que me odeiem pelo que viram e não pelo que ouviram falar.

E o que esperamos do mundo?
Mais tolerância
Mais coerência
Menos implicância
Menos diferenças
Mais compreensão
Mais boa vontade
Que ofereçam condições pra que não precisemos de caridade.

E o que esperamos para depois que partirmos daqui?
Um céu?
Um inferno?
Deus nos esperando na porta do paraíso?
O Diabo te segurar pra não largar nunca mais.
Encontrar aqueles que partiram antes.
Absolutamente coisa nenhuma.
Quais dessas você prefere escolher?

Talvez o segredo seja não esperar nada nem do mundo e nem de ninguém, para que cada acontecimento seja uma grata surpresa.
Mas quem aguenta viver sem esperar por algo ou alguém?
Não passa de um pensamento passageiro…
Mas que vale a pena ser pensado, nem que seja apenas pelo
exercício do passeio.

°°°

Também tirado do blog do Tico Santa Cruz, artigo de 21/09/2011:

Difícil não ser corrupto num país onde quem é honesto é otário.

Difícil não se curvar a tal comportamento, onde quem levanta a voz contra, se torna chato.

Contudo, a corrupção está condicionada principalmente a certeza de que o ato não será punido. Tanto na atitude corrupta do dia dia, quanto nos pequenos deslizes que todos nós cometemos.

Entender que numa escala de poder, onde as decisões afetam milhares de pessoas e perceber que num país super tributado como o nosso, onde os impostômetros passam de bilhões e dariam tranquilamente para suprir TODAS as necessidades GARANTIDAS pela constituição, mas que isso não acontece em função do ROUBO dessas verbas, é entender que a violência, a falta de infra-estrutura, o descaso com a formação de novos indivíduos e a falta de segurança e dignidade são consequências da corrupção.

No entanto, observamos pelos meios de comunicação, principalmente nos últimos 15 anos, que os corruptos vem sendo desmascarados. Que suas falcatruas estão vindo a tona. Que os órgão responsáveis pelas investigações, estão atuando de maneira eficiente, porém esbarram numa instância ainda mais importante e que a meu ver, é a PRINCIPAL responsável pela manutenção desse sistema corrupto e tolerante. A JUSTIÇA.

No tribunal que se configura o incentivo e a banalização desse tipo de atitude. Quando alguns importantes Magistrados, optam por interpretar a lei SEMPRE A FAVOR DOS CORRUPTOS. O Brasil nunca puniu exemplarmente um assaltante de verbas públicas. O STF nunca mandou para a cadeia e manteve por lá, autoridades, políticos, empresários, gente de pedigree, que sustenta e alimenta a máquina que faz com que nosso país seja visto pelo mundo como um dos mais CORRUPTOS do planeta.

A Justiça não é igual e nem cega. Basta acompanhar o mínimo dos noticiários para observar o quanto muitos de nossos juízes, desembargadores e outros agentes do judiciário são coniventes com os ladrões do colarinho branco.

Aqueles que ousam desafiar o poder SUPREMO, acabam muitas vezes afastados de seus cargos ou relegados a funções que não lhes cabem.

Aí entra a OMISSÃO. De uma sociedade que tem preguiça de lutar por seus direitos. Que não quer assumir o compromisso de batalhar por um Brasil mais honesto, mais digno, mais respeitável.

Talvez por estar tão acostumado e acomodado, que prefere arrumar mil desculpas para jogar a responsabilidade nos outros, a ter de sair de seu lar, para fazer pressão contra essa baderna.

A conivência da sociedade com este comportamento corrupto esta em nossas entranhas. Não é cultural. É físico, é mental, é religioso.

É o cidadão que brada de que nada disso adiante e ignora a HISTÓRIA DO MUNDO, onde as mudanças e as conquistas mais importantes se deram por força popular nas ruas.

É mais fácil fazer uma caridade e abrandar sua culpa, do que ir para as ruas na luta por JUSTIÇA.

De modo que, ontem, foi uma grande vitória movem 2 mil pessoas para o centro da cidade e ver alguns poucos artistas disponíveis para oferecer sua voz de protesto, tão importante. Uma classe que influencia milhares, mas que não se preocupa com o bem que pode fazer ao unir forças com o povo. A classe VIP.

Muito pouca gente envolvida, se contarmos o número de pessoas que se mobilizam para as grandes festas. Mas, um bom recomeço.

Corrupção, Impunidade e Omissão, andam de braços dados.

Ainda tenho fé.


%d blogueiros gostam disto: