Posts Tagged ‘Inglaterra’

::Carta a vizinhos na Inglaterra pós-Brexit – Happy Brexit Day::

06/02/2020

Estou fazendo questão de traduzir essa carta que foi colocada em um prédio em Norwich, a 160 Km de Londres, para deixar aqui registrado um exemplo do que o medo irracional, uma visão muito curta da vida e do mundo e um amontoado de preconceito podem fazer com uma pessoa… E dá pra imaginar o que acontece quando essa pessoa se junta a outras e juntas elas viram um grupo na sociedade, né? Infelizmente, o mundo está cheio desses grupos por aí!…

Eis aqui a carta que quero guardar para a posteridade, também em português:

Happy Brexit Day – Feliz Dia do Brexit

Já que finalmente tomamos nosso país maravilhoso de volta pra nós, sentimos que há uma regra que deve ser dita em alto e bom som para os residentes da Torre de Winchester.

Não toleramos pessoas falando outros idiomas diferentes do inglês nos apartamentos.

Agora que somos nosso país de novo, o inglês da rainha é o idioma falado aqui.

Se você quer falar outro idioma que seja a língua pátria do país de onde você veio, sugerimos que você volte para aquele lugar e retorne o apartamento para a prefeitura para que ingleses morem aqui e voltaremos ao que era normalidade antes de você ter infectado essa ilha que um dia foi uma grande ilha.

É uma opção muito simples: siga a regra da maioridade ou nos deixe.

Não lhe restará muito tempo até que o nosso governo implemente regras que vão colocar o povo inglês à frente. Então é melhor que você se desenvolva, ou deixe-nos.

Que Deus salve a rainha, seu governo e toda a verdade.

°°°

A parte melhor ficou com alguém que corrigiu o texto acima, que estava cheio de erros de inglês, e pediu pra pessoa explicar direito de que forma exatamente a Inglaterra estava sendo infectada por estrangeiros. Além disso, a pessoa pontuou, acertadamente: „Quem é você que assina como a maioria e como “nós”, mas não coloca o seu nome no final da carta? Onde estão os seus dados para contato?

Fiquei sabendo dessa resposta graças à Ute Ritter. Obrigada, Ute!

Fontes: aqui o artigo com a carta original e aqui o artigo com a resposta à carta original.

::Inglaterra x Alemanha::

27/06/2010

O jogo de hoje foi dramático, e foi muito mais do que um simples jogo de futebol. Foi como uma continuação da 2a. Guerra, onde cada parte só tinha um interesse: a vitória. Meu marido comentou que os ingleses vêm a coisa muito mais séria do que os alemães, porque eles comentaram antes do jogo que “os alemães estavam com medo dos leões” (os ingleses) ou que “a máquina de guerra alemã iria entrar em ação”. Um erro do juiz, o que teria significado 2:2 para os ingleses, poderia talvez ter mudado o curso do jogo, mas a vitória folgada dos alemães de 4:1 provou que eles ganharam por merecimento.

Ambos os lados lembraram um erro parecido, na partida do final da Copa do Mundo entre a Alemanha x Inglaterra, nos idos de 1966 (!), daquela vez a favor da Inglaterra. Os comentadores na tevê lamentaram o erro, mas disseram que daquela vez aconteceu a favor dos ingleses, desta vez a favor dos alemães. O erro, onde a bola bate na trave, cai na área do gol e é pega pelo goleiro, tem até nome por aqui e se chama “Wembley Tor” (gol de Wembley), numa referência àquela partida que deu a taça aos ingleses. Mas há um ditado alemão que ilustra bem o acontecido e diz o seguinte: “Man trifft sich immer zwei Mal im Leben” (As pessoas encontram-se duas vezes na vida). Um programa na tevê chegou até a brincar com o fato, mostrando uma linha que fazia um “V” no lugar onde a bola caiu dentro do gol.

Assistimos o jogo de hoje junto da minha cunhada, nossos sobrinhos e meu sogro, fazendo churrasco no jardim do prédio do apartamento dela. Minha cunhada ficou boba com meus pulos, meus gritos e minha torcida pelo time da Alemanha, pois ela não conhecia ainda o estilo brasileiro de torcer, hehehe. Depois da vitória, saímos em dois carros com os meninos e passeamos pela cidade, participando da festa nas ruas. Acho que nunca buzinei tanto assim na Alemanha, fazendo batucada com a buzina. O Daniel adorou, falou que foi “cool”, porque todos tinham bandeiras alemãs nas mãos. Nas ruas vimos pessoas de todo canto, estrangeiros e alemães, vestindo a camiseta da Alemanha e festejando juntas. Meus filhos já vão crescer vendo mais bandeiras e se identificando mais com o país do que as gerações passadas. O Daniel, que tem 5 anos, identifica uma bandeira brasileira ou alemã, há anos, e bem de longe. O futebol aqui continua tendo efeitos positivos, por um lado por unir pessoas de origens diferentes, dando a elas o sentimento de que pertencem à Alemanha e podem se integrar, e por outro lado por permitir que os alemães sintam orgulho pelo país, sentindo patriotismo sem culpa.

::Brasil lidera deportações no Reino Unido::

24/02/2008

Documentos do governo britânico mostram que os brasileiros são a maior fatia de pessoas, entre todas as nacionalidades, barradas ao tentar entrar no Reino Unido, informa reportagem publicada neste domingo na Folha de São Paulo. Em 2005 e 2006, foram vetados 10.180 brasileiros.

Os brasileiros representaram 16,2% do total de denegações em 2004 (31.930), 16,1% do total de 2005 (32.275) e 14,5% do total de 2006 (34.435). Em 2006, foi permitida a entrada de 182 mil brasileiros no Reino Unido, contra 4,1 milhões de norte-americanos e 846 mil indianos, por exemplo.

Representantes diplomáticos do Brasil no Reino Unido afirmam que o alto índice de brasileiros cujo ingresso é negado já em aeroportos, portos e estações ferroviárias pode ser explicado, em parte, pelo fato de os cidadãos do país não precisarem de visto para entrar em solo britânico como turistas.


%d blogueiros gostam disto: