Posts Tagged ‘ioga’

::Exercício da falta::

13/02/2014

Comecei o dia hoje bem, a tarde foi ótima, super produtiva, e no finalzinho do expediente estava completamente irada por causa de um só acontecimento. Saí do trabalho, busquei o Daniel, jantamos, olhei um pouco as mensagens no celular. Depois veio a ioga.

Fizemos exercícios para esquentar e estender os músculos, exercícios de respiração e de meditação. Os exercícios iam passando e íamos entrando dentro de nós mesmos, ou desviávamos nossa atenção para um sol imaginário, enquanto os pensamentos na cabeça teimavam em tomar nossa atenção, pelo menos a minha. Respirava novamente, me concentrava na respiração. Acho que devo ter dormido no último exercício, quando nos deitamos, cobrimos com o cobertor e fizemos a última rodada de meditação.

A ioga é mesmo fantástica! Primeiro, porque faz com que prestemos atenção no nosso corpo por inteiro, percebendo onde dói, por que dói, quando dói, por quanto tempo dói. Segundo, porque esvazia nossa mente, fazendo com que possamos descansar. Terceiro, porque é como uma conversa com o universo, de onde você se sai renovada, um pouco mais elevada. Aprendo muito a cada aula!

Hoje minha conversa comigo mesma durante a ioga foi sobre a falta, pra entender minha ira. A falta que eu sinto, que outros têm, ou não. Tinha ouvido no rádio que o Schumacher estava, depois de um mês e meio do acidente que teve, “acordando”. Será que ele vai sair dessa? Como devem estar seus familiares e amigos? Pensei no meu querido gatinho, o Tiggi, que desde o acidente no nervo perto do final de sua coluna há 2 semanas anda como se estivesse ajoelhado nas patas traseiras e desde então não se move muito, mantendo-se quase o tempo todo debaixo da cama do Daniel. Pensei em como me senti vazia e triste quando estava desempregada, em como é ruim não ter objetivos fora de casa. Pensei em todas as dores que já tive por aguentar pressões profissionais, e agradeci por agora ter alguém que pode me ajudar um pouco e dividir comigo um pouco do fardo do trabalho. Pensei que não se atinge os objetivos de uma vez só, tenho que ver tudo como a subida de uma escada, longa e árdua subida. Pensei em como é bom ter um canto onde sou necessária e respeitada, onde tenho meu espaço, ainda levando em consideração que moro perto da fronteira da Suíça, país que acabou de votar a favor da limitação da mão-de-obra estrangeira. Pensei e agradeci pela saúde dos meus familiares, meus irmãos e suas famílias, e pela saúde dos meus queridos pais.

Saí da ioga renovada.

::Noite de lua cheia::

11/03/2009

Meu corpo anda reclamando pra caramba e minhas costas estão “uma beleza“ de tanta dor, então resolvi ouvir essas reclamações e comecei a fazer ioga há 2 semanas. Pra mim pelo menos é super bom: não é só um monte de exercícios lentos para o corpo, me sinto especialmente bem quando a aula termina, em paz e no meu centro. Semana passada tentei também a terapia craniosacral, gostei e me ajudou muito também.

Hoje de volta pra casa me deparei com uma lua cheia e enorme no céu, vocês a notaram? Ela está maravilhosa! Voltei aos meus tempos de criança, quando eu pegava o ônibus depois da escola à tardinha, e achava que a lua me acompanhava durante todo o percurso de volta pra casa…

Mas o momento de plenitude durou pouco, pois voltei a ouvir no rádio o assunto principal de hoje: de que no estado onde moro aqui na Alemanha (Baden-Württemberg), numa cidadezinha perto de Stuttgart, um jovem de 17 anos matou 15 pessoas e depois de ter sido atingido por um policial em sua perna, se matou. Fico me perguntando de que tamanho deve ser o vazio, o ódio e o egoísmo de alguém que pensa ter direito de decidir sobre a vida de outra pessoa. E como o acontecido desta vez é tão pertinho daqui de casa, pensei naquele mesmo momento nos meus filhos. Sinto muitíssimo pelo sofrimento dos familiares dos jovens, professores e pedestres cruelmente mortos no dia de hoje. Se fosse comigo, a vida teria perdido o sentido.

::Diário de um final de semana perfeito::

16/02/2009

Eu tenho pouco costume de fazer do blog um diário, mas desta vez vale a pena. Vamos lá: Fazemos parte de um grupo de 120 pessoas que vivem na região de Constança, que nasceram em várias partes do mundo e falamos, juntos, mais de 50 idiomas. Trabalhamos por pura convicção e sem recompensação monetária ajudando outros estrangeiros que não falam bem o alemão, fazendo para eles tradução e interpretação e os ajudando durante visitas a órgãos do governo e médicos. Esse trabalho se chama Ehrenamtliche Sprachmittler” e é coordenado pelo Landratsamt Konstanz.

No sábado 30 pessoas deste grupo recebeu um presente especial: um seminário sobre como conseguir mais equilíbrio em todas as funções na vida e saber lidar melhor com os nossos e os problemas de outras pessoas, conservando assim maior harmonia e paz de espírito.

Nos foram dados 9 presentes, 9 instrumentos para lidar com o dia-a-dia e o seu potencial estressante. Durante a manhã aprendemos a teoria, à tarde nos dividimos em grupos e colocamos os ensinamentos em prática. No final da tarde os grupos mostraram seus resultados e dividiram suas experiências entre si.

Além dos resultados das discussões de grupo e da troca entre os participantes do seminário, uma parte bonita foi quando alguém do grupo sugeriu que além de nosso trabalho individual, também nos encontremos mais vezes para trocar idéias e passar horas agradáveis juntos. Isso porque somos um grupo de pessoas que se identificam entre si, com um ideal comum, que já passaram pela fase de se sentirem perdidos em um novo país e querem ajudar seus conterrâneos em alguns passos de suas vidas no estrangeiro.

Depois do final do seminário, entrei em um trem e fui para uma festa de brasileiros em Stuttgart, para conhecer a Maira do blog Retratos e Relatos. O dia já tinha se ido e no brilho das luzes da noite eu me perguntei em um momento se não tinha um parafuso a menos pegando trem, metrô e ônibus, enfrentando também o frio de uma noite de inverno para ir ao encontro de um grupo desconhecido. Depois de ter enfrentado meu medo e também a companhia de um senhor de Montenegro, que teimou em andar um tempo ao meu lado depois de eu ter pedido uma informação entre o metrô e o ônibus, cheguei na casa da Maira e felizmente foi tudo ainda melhor do que eu esperava: passei uma noite agradável com a Maira, seu marido (meu conterrâneo) e muitos outros brasileiros, comi uns caldos mineiros deliciosos (quero aprender a fazer!!!), a caipirinha estava no ponto, a boa música brasileira tocava ao fundo e a cama onde dormi também me acolheu muito bem. No outro dia ainda houve tempo para um papo cabeça com a Maira e seu marido, e depois do café da manhã eles me levaram para a estação central de trem de Stuttgart. Transpor a barreira do virtual para o real me mostra que há pessoas fantásticas em todos os cantos do mundo. Dentro em breve vou ficar feliz por receber a visita deles aqui. Hoje agradeço – e muito – pela recepção e pelo convite!!!

A viagem de volta foi fantástica! Um céu azul, um sol, a neve nas montanhas de pinheiro, tudo um show da natureza. Esta é uma das partes mais bonitas de se percorrer de trem dentro da Alemanha: atravessando a Floresta Negra, de Stuttgart até a fronteira com a Suíça. Fiz uma carta para mim (um dos ensinamentos do curso de ontem, como um pedido para o universo), li grande parte de um livro e fiz também minha primeira poesia em alemão dentro do trem:

NATUR IN DEUTSCHLAND / NATUREZA NA ALEMANHA

Der weite Blick

Die Berge voller Geschichten

Die Luft rein, voller Vergangenheit

Respekt für den Mitmensch

Ordnung, Sauberkeit, Ruhe.

Frieden, Freiheit, Freude

Innere Ruhe, Ausgeglichenheit

Die Natur lernt so viel

Gibt viel, verlangt wenig

Passt sich den Veränderungen an

Strahlt göttliche Energie aus

Schenkt Gelassenheit

Blauer Himmel

Unendlicher Raum

Der uns allen, mit der Natur, verbindet

**

O horizonte ao longe

As montanhas cheias de História

O ar limpo, cheio de passado

Respeito pelas pessoas

Organização, limpeza, tudo calmo

Paz, liberdade, alegria

Paz interna, dentro de mim tudo bem

A natureza ensina tanto

Dá tanto, pede pouco

Se adapta às mudanças

Exalta energia divina

Céu azul

Espaço interminável

Que, junto da natureza, nos une

Depois de datilografar o poeminha, percebo, sem que tivesse previsto ou preparado isso, que ele se compõe de duas estrofes de 7 linhas… Presente de hoje da natureza pra mim!

Ao chegar, o Matthias e o Daniel estavam me esperando na estação. O dia estava realmente maravilhoso. Ainda fomos à beirada do lago por alguns minutos antes de voltar pra casa. Mal coloquei o pé em casa e recebi um telefonema da Gláucia, uma amiga do meu querido amigo Fernando que oferece Terapia Craniosacral. Batemos um excelente papo e quase no finalzinho ela fez comigo um exercício de meditação tão fantástico que eu não tive palavras para agradecer por ela ter feito o meu final de semana ficar ainda mais perfeito do que já estava! Fernando, obrigada também por este presente!

Ao desligar o telefone, um almoço delicioso já esperava por mim e pelos meus, feito pelo Matthias. Uma vez em mil anos me dei a permissão para ir tirar uma soneca durante a tarde junto dele e do Daniel, fiz ioga (espero fazer todos os dias agora, com o programa do Nintendo DS) e estou aqui, me despedindo desses dois dias lindos, onde saí de casa de trem e voltei cheia de alegria, paz e gratidão pelo universo, tendo feito novos amigos e aprendido bons ensinamentos.


%d blogueiros gostam disto: