Posts Tagged ‘movimento’

::Dica imperdível de filme::

28/11/2020

Para quem quiser entender um pouco melhor a situação das mulheres no começo do século passado e aprender um pouco sobre o movimento sufragista na Inglaterra, indico o filme Suffragette, que está acessível na Netflix até o meio de dezembro próximo.

“O movimento sufragista representou também a primeira onda do feminismo. As mulheres que haviam estudado – em geral, filhas da classe burguesa – estavam reivindicando os direitos femininos à educação, ao trabalho em suas áreas de formação (vale lembrar que as mulheres pobres já trabalhavam nas indústrias e nas manufaturas há pelo menos 200 anos), ao divórcio e à participação política. O movimento sufragista foi o ápice dessa luta e, por isso, marcou a história do feminismo como o primeiro grande movimento pela luta contra o sexismo e a favor da igualdade de gênero.” Leia mais sobre o movimento aqui.

Amanhã haverá eleições no Brasil e como o eleitorado brasileiro significa 53% do total, fica fácil entender o poder que está nas mãos de mulheres. Elas podem exercer o direito de voto duramente conquistado ao longo da História, para ir eleger representantes que levem em conta causas que considerem mulheres, crianças e direitos iguais como salário igual para trabalho igual, direito à creche, políticas públicas que permitam a inclusão de mulheres na sociedade, dentre tantas causas de interesse da mulher, mas na realidade importantes para toda uma sociedade mais humana, solidária e inclusiva.

::O movimento PEGIDA não é a Alemanha!::

23/12/2014

O movimento PEGIDA (europeus patriotas contra a islamização do país), através do qual estão sendo organizadas no momento passeatas com quase 20.000 pessoas em Dresden, me assusta e me preocupa muito. Detalhe: no Estado de Sachsen moram pouquíssimos estrangeiros! Um alemão com passado dubioso resolveu criar um grupo que luta contra a islamização da Alemanha, contra estrangeiros criminosos e contra asilados politicos no país. Acontece que todo e qualquer cidadão que está insatisfeito com relação a toda e qualquer coisa está indo às ruas no momento em Dresden. Nazistas, gente que não gosta de estrangeiros, alemães insatisfeitos com o número de asilados politicos na Alemanha, aposentados insatisfeitos com sua aposentadoria, gente que vive de ajuda do governo e está insatisfeito com o que recebe, desempregados, insatisfeitos por isso e por aquilo. Os politicos estão assistindo a este movimento e não sabem ainda como reagir a ele, ao mesmo tempo que os partidos de extrema-direita tentam se aproveitar do mesmo para tentar conseguir mais aliados, participando de todas as passeatas à paisana…

Enquanto casas que estavam prontas para receber refugiados foram queimadas na Baviera, o partido CSU afirma que todo mundo tem que falar alemão por aqui mesmo se estiver entre suas quarto paredes, muitos alemães criam associações para ajudar os asilados, para ensinar alemão, ajudar a procurar casa e emprego depois dos primeiros meses na Alemanha. Há uma grande movimentação na sociedade contra e a favor dos asilados, que lida com a atual transformação da sociedade alemã. O país está ficando cada vez mais internacional e a sociedade reage, responde a este fato, tanto do lado negativo, quanto do positivo. Em quase toda grande cidade alemã moram, atualmente, mais de 100 nacionalidades. Espero que o movimento PEGIDA desapareça do mapa da mesma maneira que surgiu, e que o extremismo não encontre razão real para se expandir.

Eure Feindbilder sind so real wie der Weihnachtsmann und nichts anderes als schlecht versteckter Rassismus. Und wenn man das Land verteidigt, dadurch dass rassistische Gedanken verteilt werden, was gibt es noch zu verteidigen.

“Os seus inimigos são tão reais quanto o Papai Noel e nada além do que racismo mal escondido. E se o país é defendido através da propagação de racismo, o que mais pode ser defendido.”

Claus von Wegner, comediante alemão

Veja o que ele diz sobre o movimento PEGIDA:

Fonte: Blog Campact

::Apoio a escritores brasileiros desconhecidos::

10/03/2010

Aqui o link para um excelente texto sugerindo a leitura de livros de escritores brasileiros desconhecidos. Leia e divulgue! Obrigada pela dica, Eve!

À propósito: Eu ofereco o meu livro como troca, com avaliação/divulgação mútua, para outros escritores brasileiros desconhecidos. Meu livro “Mineirinha n’Alemanha” fala sobre viver e trabalhar na Alemanha, mostrando como se sente uma pessoa que vive longe do país de origem. É legal pra quem pensa em viver no exterior (nao necessariamente na Alemanha) e para quem simplesmente tem curiosidade de saber como é a vida longe do país natal. Aguardo o contato!


%d blogueiros gostam disto: