Posts Tagged ‘passeio’

::A Mineirinha passeando por aí::

01/05/2020

Hoje foi o dia do meu primeiro livro sair pra passear, e ontem fui entrevistada muito por causa dele. Ele foi meu primeiro filhote de papel. Go, Mineirinha, go!… Curiosa pra ver onde ele ainda vai me levar!… E para onde eu o vou levar!…

Outro dia, ainda no começo da quarentena que hoje já se estende por 8 semanas no meu caso, eu abri um newsletter e adorei o poema que li. Achei o endereço da autora e escrevi pra ela. Depois li que ela estava na Califórnia. Mandei uma pergunta pra ela no meu e-mail. Alguns minutos se passaram e recebi um poema de volta de volta como resposta!

::Uma carta de volta::

E como você vive e quais são os seus medos durante esta crise?

Que pergunta para enfrentar

depois da meia-noite, vinda do outro lado do mundo!

No seu país agora e hora

de descansar de todos esses medos diários e existenciais

até que, como Jacó e o anjo mau

nos concedam uma benção

Eu tenho medo de que pessoas que eu amo possam morrer

Eu tenho medo porque minha filha está herdando um mundo

muito mais duro do que ela merece.

Eu tenho medo porque momentos desesperadores chamam

por medidas desesperadoras e eu

não me sinto desesperada o suficiente.

Devo continuar? Eu tenho medo

que as pessoas estejam muito longe

da ideia real da verdade.

Eu tenho medo que tenhamos esquecido

como falar, e como escutar.

Eu tenho medo de que o tecido que nos mantém juntos

seja muito mais fino do que eu pensava que era

e que as pessoas continuem escorregando entre suas linhas.

E como você vive?

Com sofrimento. Com medo. Com sorrisos.

Com tédio. Com . Com alegria.

Com raiva. Com esperança.

Com a firme convicção de que nada

cancela nenhuma outra coisa.

A morte não cancela a vida.

O sofrimento não cancela a felicidade.

O medo não cancela a convicção.

Nem nenhuma dessas frases ditas ao contrário.

Faça um vaso do seu coração

Que seja suficiente para conter todas as emoções.

Imagine que você seja o ceramista.

Espiche o barro. Encontre contentamento com a mesa giratória.

Aceite que aquele vaso

nunca chegará a ficar pronto.

Autoria: Lynn Ungar 18/03/20 – poema original publicado aqui.

Tradução: Sandra Santos em 01/05/20

::Viajando de trem pela Floresta Negra::

05/10/2016

1024px-schiltach_ufer

Se você nunca tiver feito essa viagem, não deixe de fazê-la o quanto antes: pegue um trem no extremo sul da Alemanha, por exemplo na região do Lago de Constança, e vá até Offenburg, na fronteira com a França, bem pertinho de Strassburgo.

É uma viagem inesquecível! Você vai passar por 33 túneis, entender por que a Floresta Negra tem esse nome (devido à densidade de árvores umas perto das outras, a floresta fica mesmo negra), além de admirar as paisagens, cidadezinhas e arquitetura da região.

Em maio, o verde já está radiante. Em dezembro, de preferência com neve, é como se vc estivesse em um conto de fadas, tudo branquinho à sua volta, paz total. Vai passar pela cidade cuja estação de trem é a mais alta da Alemanha (St. Georgen, que fica a 899 metros acima do nível do mar) e se admirar com a quantidade de placas solares que povoam os detalhes ígremes da região. Vai se admirar com castelos no alto das montanhas (a primeira coisa que me deixou boquiaberta quando cheguei na Alemanha). Vai passar por lindas planilhas e depois se perguntar como foi que se animaram a construir cidades nos vales mais profundos da floresta, se expandindo montanha acima.

É realmente um verdadeiro espetáculo para os olhos! Vale super a pena e é uma das minhas viagens favoritas. Fica a dica!

::Munique é…::

26/08/2009

Minha irmã Rê voltou dos EUA para morar novamente em Munique. Com a mudança, temos agora família bem pertinho de nós, o Daniel tem mais um priminho pra brincar e nós temos um excelente motivo para visitar a cidade, que é muito bonita e vale muito a pena conhecer de perto.

Minhas observações quanto à viagem da semana passada a Munique:
– Muitos homens bonitos e mulheres elegantes na região do bairro de Schwabing e no Biergarten* Seehaus dentro do Englischer Garten, à beira do Kleinhesseloher See. Pra vocês terem uma ideia, eu vi uma mesa onde 8 (!) homens bonitos estavam sentados juntos. Já há muito não via tanto colírio para os meus olhos!…
– Muito poucas crianças e parquinhos mal cuidados.
– Quase todas as crianças que vi em Munique estavam reunidas em torno do Chinesischer Turm (Torre Chinesa), também dentro do Englischer Garten (Jardim Inglês).
– “Cheiro de cidade grande” (freios, concreto, asfalto…) principalmente nos metrôs subterrâneos da cidade, muita impessoalidade e anonimato.
– Como diz minha irmã, de longe se reconhece quem vem de lá e quem não vem, pois os “Einheimische” (moradores da cidade) sempre se posicionam automaticamente à direita das escadas rolantes dos metrôs, para deixar passar à sua esquerda os mais apressadinhos. Quem não sabe de nada fica em qualquer lugar na escada rolante e atrapalha a organização subentendida de todos que são “de casa”.
– Meu sonho dourado fica diretamente de frente para o Marienplatz, a praça principal da cidade: uma livraria enorme com 6 andares chamada Hugendubel, feito um shopping center só de livros, com vários lugares espalhados por todos os andares para se sentar e ler à vontade!
– E por falar em Marienplatz, às 13h ou 17h você pode assistir a movimentação das figuras do relógio principal da cidade.
– Se for a Munique (e se interessar pelos carros e motos da BMW) não deixe de fora uma visitinha ao BMW World, ao lado do Olympia Park!
– Pertinho de Munique há uma cidade que se chama Blumenau! 🙂
– Se você for a Munique e não quiser se perder no meio de tantas possibilidades e do sistema complexo do metrô de lá, ainda mais tendo dificuldade no alemão, não deixe de comprar um mapa chamado Pocket Pilot Munich (München): Maps and Top Sights and Day Trips and Quarters and Facts (em inglês ou alemão) com mapas, dicas de passeios, fatos e sugestões do que fazer na cidade. Importante: há mapas desta série também para outras cidades européias.
– Pertinho de Munique também tem “praia”: fomos a um Baggersee (lago-represa) super legal chamado Regattasee.
– Tem muito brasileiro em Munique e muitas lojas/restaurantes brasileiras/latinos. Só perto de onde minha irmã mora contei 4!
– Se estiver indo do norte da Alemanha para Munique e estiver com crianças (ou quiser aproveitar feito uma delas!), vale uma passadinha no Legoland, que fica pertinho da cidade de Ulm em Günzburg. Os meninos adoraram e lá, dentre tantas outras atrações, vimos por exemplo o Allianz Arena (o estádio de Munique) em tamanho miniatura (de uns 5 metros de diâmetro!), todo formado por pecinhas de Lego, com uma perfeição de detalhes tanto no exterior quanto no interior da maquete, com público e tudo.
– Última dica: na Baviera pode-se também visitar o castelo da Branca de Neve de Walt Disney, o Neuschwanstein, que fica perto da cidade de Füssen (mais exatamente em Hohenschwangau) entre Munique e o Bodensee (Lago de Constança).
– Outras cidades interessantes para conhecer no sul da Alemanha: Ulm, onde aliás há um dos maiores mercados de Natal da Alemanha, e Lindau, já à beira do Lago de Constança, além de várias cidadezinhas na região da Floresta Negra.
– Se for passear na região do Lago de Constança, não deixe de pegar o ferry boat que separa Meersburg de Constança. Fizemos esta viagem ao entardecer e fechamos nossa viagem com chave de ouro!
– Se tiver mais alguma dica sobre Munique ou sobre o sul da Alemanha, não deixe de incluí-la nos comentários. Obrigada!

*O Biergarten merece um comentário à parte: nele você pode levar de casa o que quiser para comer lá (p.ex. Brezels enormes de 30 cm!), enquanto que a cerveja (naquelas canecas enormes de vidro de um litro chamadas Maß ou Mass) é comprada no local.


%d blogueiros gostam disto: