Posts Tagged ‘polícia’

::Admiração é pouco pra expressar o que sinto!::

28/06/2019

media

Se tem algo que eu admiro MUITO na Alemanha, e que eu adoraria que fosse replicado no mundo todo, é o trabalho da Polícia alemã.

Explico: há dois dias atrás, no dia 26 de junho, uma menina de 11 anos foi estuprada em plena luz do dia em Munique, no bairro de Obergiesing. Ele estava usando uma máscara de lobo no rosto e luvas de látex nas mãos. A menina voltava pra casa de trem da escola, algo comum em todas as cidades alemãs. Mesmo os policiais mais experientes ficaram aterrorizados com o acontecido, que foi levado à Polícia assim que a menina chegou em casa e contou o ocorrido para sua mãe, que por sua vez denunciou o caso.

O homem com a máscara de lobo atacou a menina no caminho pra casa, quando ela passava por um parque da cidade, arrancou a mochila de suas costas, a levou para um canto, a jogou no chão, tampou seu rosto com a jaqueta dela e a estuprou. Depois, pediu que ela ficasse cinco minutos quieta e deitada e que não contasse nada do ocorrido para ninguém, senão ele a mataria, além dos pais dela. Ele disse que sabia onde ela morava. Algumas pessoas noticiaram à Polícia que viram uma pessoa usando uma máscara naquele parque, mas não perceberam o estupro.

Foi criada uma comissão denominada „Lobo”, que contava com 10 policiais com experiência em delitos dessa natureza. O curioso era que nos dias anteriores dois filmes tinham aparecido na TV alemã com pessoas usando máscaras, o que poderia estar relacionado ao ocorrido. A Polícia se voltou para a população e pediu que a informasse sobre todo e qualquer detalhe relacionado ao caso. 60 pistas surgiram daí também, além do local do crime, onde foram coletadas outras pistas relacionadas ao caso. A Polícia trabalhou incansavelmente para encontrar o culpado.

Hoje, 28 de junho, o criminoso Christoph K. já foi detido! Ele foi identificado com 100% de certeza através de seu DNA, que por sua vez foi retirado das partes íntimas da menina. Ele é um pedófilo alemão, tem 43 anos e foi capturado dentro de seu trabalho. Ele é um estuprador que tinha saído de uma prisão psiquiátrica no final de 2018 e tinha sido condenado em 2010.

A questão principal é que se pode confiar na Polícia alemã. Policiais alemães são respeitados por sua simples presença, mesmo sem estar portando armas, só por causa do uniforme e de ser quem são. A população acredita que o policial está lá para mediar, servir, ajudar, proteger, cuidar, enfim acredita em todos os verbos que deveriam imediatamente surgir na mente de todo o ser humano quando se pensa em „Polícia”. Claro que a Alemanha tem poucos crimes, tem uma boa quantidade de policiais, que por sua vez têm tempo e recursos para se envolver com os acontecimentos, mas sem o apoio da população, a coisa seria totalmente diferente. Talvez a menina não tivesse tido coragem de confidenciar o acontecido para a sua mãe. Talvez a mãe, mesmo sabendo do que aconteceu, tivesse decidido não levar o caso à Polícia. Talvez 60 pessoas não tivessem ligado para a Polícia, passando as 60 pistas. Talvez esse caso não tivesse sido esclarecido e essa pessoa teria agredido muitas outras crianças, além das que ele já agrediu no passado… Agora, só espero que essa menina consiga transpor esse trauma, e que as crianças continuem a ir e vir no seu caminho para a escola como sempre!

Fontes: vários jornais e noticiários da Alemanha e da Suíça de 26 a 28 de junho de 2019. Foto: reportagem de 26 de junho de 2019 da Focus Online.

P.S.-Se gostou desse post, me siga por aqui ou pelo Facebook e fique por dentro de temas atuais sobre viver e trabalhar na Alemanha!

::Onde está o mal?::

27/07/2011

O final de semana passado me marcou por vários motivos. O primeiro, o principal, pela mente insana do norueguês que passou quase 10 anos planejando um ato de terror, motivado pela fobia contra muçulmanos e estrangeiros que ocupam a Europa, que ele quer deixar “limpa” de novo sem nós (eu e você que está lendo este texto e mais alguns outros por aí). O que mais me deixou literalmente boba foi o fato dele ter resolvido matar tantos jovens só com o objetivo de se auto-promover. Por ter incluído no seu minucioso planejamento o fato de não ter se matado como todos os outros loucos anteriores e por ter escrito um “manifesto” de mais de 1.500 páginas, ele conseguiu lançar uma campanha de marketing das mais inusitadas e, infelizmente, cujo sucesso repercutiu em todo o planeta. Foi por isso que ele conseguiu afirmar que o ato cometido foi “cruel, mas necessário”. Como o tal do “manifesto” do rapaz foi espalhado por ele 7.000 vezes na net antes dele sair para matar pessoas a torto e direito, não foi difícil achá-lo e ler algumas partes do mesmo, onde ele explica que não há igualdade entre os seres humanos, dá uma aula de maldades e convoca outros loucos a seguir seu exemplo. Lendo aquela loucura toda, entendi que pra ele valeu a pena fazer o que fez, pois se projetou no “mundo do mal” para um dos primeiros lugares do planeta, e para nós, cidadãos do mundo, um dos últimos. Uma busca pelo nome dele no Google aponta: hoje há 10.400.000 páginas sobre ele. Que pena!… A Noruega ficou embasbacada ao perceber que o mal não vinha de fora, mas tinha nascido e tinha sido criado, educado e formado dentro do país. O mal já estava lá o tempo todo e eles não sabiam. Independentemente de sua origem, quem poderia imaginar que um ser humano pudesse ser capaz de uma barbaridade dessas, ainda mais cometida contra jovens inocentes, acertando em cheio o cerne de uma sociedade aberta, multicultural e democrática? A parte curiosa da coisa fica o nome do infeliz: ele se chama “Anders“, o que significa “diferente” em alemão. Põe diferente nisso!

Enquanto pensava nisso tudo, no sábado o mal apareceu pra mim, ainda que bem de leve. Eu também nem pensava mais que ele morava bem ao lado e fui, como em todo sábado, fazer compras no supermercado com o Daniel, que me chamava aqui, me mostrava algo lá, como em todo sábado. No final das compras coloquei, com a ajuda dele, tudo na esteira e senti minhas pernas tremerem ao notar que minha carteira tinha sido roubada de dentro da minha bolsa! Lá se foram dinheiro, cartões de banco e documentos, e no lugar da carteira ficaram alguns telefonemas para bloquear os cartões, uma ida à polícia local e a certeza de que não voltarei a viver tão “leve, livre e solta” como antes. A preocupação com meus pertences tomou conta do meu sábado à tarde, ainda que por outro lado reconheci ter tido sorte no azar, pois tudo poderia naturalmente ter sido mil vezes pior. Desejei que o autor do roubo esteja realmente precisando do dinheiro, e desejei reencontrar meus objetos pessoais, fotos da família e lembranças da juventude que carregava comigo há tantas décadas.

Por fim, a notícia da Amy Winehouse me fez também pensar que o mal mora dentro de nós mesmos, muitas vezes na incapacidade humana de evitar ou parar coisas que não fazem bem ao corpo e ao espírito tais como cigarro, álcool e drogas, que matam e levam do mundo pessoas com um talento tão grande quanto o dela. Que ela esteja num lugar bem legal, cantando para os anjos e vivendo mais sossegada do que foi possível viver aqui, sortuda por ter alcançado tanto sucesso, mas sem sorte por ter sido vítima do mesmo.

O mal está em todas as partes. E quando menos esperamos, ele volta a dar as caras. Por outro lado, o mesmo se dá com o bem. Que pensemos nisto!


%d blogueiros gostam disto: