Posts Tagged ‘qualidade de vida’

::Nem um pouquinho cansada de viajar::

17/06/2014

Saí há quase duas semanas atrás do lago, passei por Heidelberg, ao longo do Reno, vistei amigos em Gütersloh, vi a parte histórica de Rheda-Wiedenbrück, visitei amigos em Hildesheim, desci para Fulda, Würzburg, estou visitando minha irmã e família em Munique e o caminho de volta vai ser por Allgäu, Lindau e Friedrichshafen. Passei porNem um pouquinho cansada de viajar. Saí do lago, passei por Heidelberg, ao longo do Reno, vistei amigos em Gütersloh, vi a parte histórica de Rheda-Wiedenbrück, visitei amigos em Hildesheim, desci para Fulda, Würzburg, visitei minha irmã e família em Munique e o caminho de volta foi por Allgäu, Lindau e Friedrichshafen. Visitei quase todos os estados alemães! Fiquei pensando na vida na minha viagem de trem pra Munique e cheguei a algumas conclusões:
-parece haver mais área verde do que área construída na Alemanha;
-tudo é tão organizadinho, parece mesmo uma casinha de boneca, principalmente as cidades históricas;
-parece não haver um lugar sequer desconhecido ou não explorado. Tudo está documentado e cuidado;
-este país é um país que deu certo. As ruas são bem construídas, os meios de transporte públicos são eficientes, tudo limpinho e em funcionamento;
-andar de trem continua uma delícia! Ainda mais de ICE com assento marcado;
-Independentemente de onde as pessoas morem, elas têm um bom nível de conforto e infra-estrutura, mesmo em cidades menores;
-o alemão sabe aquilo que lhe faz bem e repete sua fórmula pelo país inteiro: piscinas em aberto, muita natureza e muito respeito por ela, lindos parques e jardins bem cuidados, parquinhos super legais e bem equipados para as crianças…;
-agora na Copa, a Alemanha se enfeitou de cabo a rabo com as bandeiras do Brasil e da Alemanha. A animação aqui, depois da Copa bem sucedida de 2006, parece ser bem maior do que no Brasil. quase todos os estados alemães! Cheguei a algumas conclusões:
-parece haver mais área verde do que área construída na Alemanha;
-tudo é tão organizadinho, parece mesmo uma casinha de boneca, principalmente as cidades históricas;
-parece não haver um lugar sequer desconhecido ou não explorado. Tudo está documentado e cuidado;
-este país é um país que deu certo. As ruas são bem construídas, os meios de transporte públicos são eficientes, tudo limpinho e em funcionamento;
-andar de trem continua uma delícia! Ainda mais de ICE com assento marcado. Dica: no momento pode-se comprar um Bahncard 25 de 4 meses (que dá 25% de desconto nas passagens) apostando-se em quem vai ganhar a Copa. Se este país ganhar a competição, ganha-se uma Bahncard válida para o ano todo;
-Independentemente de onde as pessoas morem, elas têm um bom nível de conforto e infra-estrutura, mesmo em cidades menores;
-o alemão sabe aquilo que lhe faz bem e repete sua fórmula pelo país inteiro: piscinas em aberto, muita natureza e muito respeito por ela, lindos parques e jardins bem cuidados, parquinhos super legais e bem equipados para as crianças…;
-agora na Copa, a Alemanha se enfeitou de cabo a rabo com as bandeiras do Brasil e da Alemanha. A animação aqui, depois da Copa bem sucedida de 2006, parece ser bem maior do que no Brasil.

Agora, e como venho de uma família com “formiga na bunda”, já estou buscando os destinos das próximas viagens! 🙂

20140617-182846-66526738.jpg

::O que o Brasil pode ensinar ao mundo sobre o bem viver::

01/02/2014

Saiu uma reportagem imperdível pra nós brasileiros enumerando 12 pontos positivos da nossa cultura. Confira a reportagem completa (em inglês) aqui.

E leia aqui a tradução para o português da mesma.

Feliz por ser brasileira! Bom fim-de-semana pra todos! 🙂

Fontes: sites do The Huffington Post de 28/01/14 e da Terra de 29/01/14.

::Custo de vida x qualidade de vida::

14/04/2009

Interessante analisar também nas pesquisas da Mercer Consulting que 6 cidades alemãs estão entre as 25 cidades com maior qualidade de vida, enquanto que na pesquisa sobre custo de vida não há nenhuma cidade alemã dentre as 25 cidades mais caras do mundo (1°. lugar Moscou, 2°. Tóquio, 3°. Londres).

Se o resultado desta pesquisa for realmente 100% confiável, o custo de vida em São Paulo (25°. lugar) ou no Rio de Janeiro (31°. lugar) é maior do que o das cidades alemãs analisadas! Será possível?!?

::Grüezi!::

14/04/2009

Para quem pensa em morar ou estudar na Suíça, mais exatamente em Zurique, que é a 1a. cidade do mundo em termos de qualidade de vida e a 9a. em termos de custo de vida, aqui uma dica imperdível: no site Willkommen ZH você pode se informar mais sobre a vida, trabalho e educação em Zurique, dentre vários outros temas, e se quiser pode pedir – grátis – o envio de um guia prático da cidade para novos e futuros residentes (Zurich: a handy guide for new and future residents), disponível em alemão e/ou inglês.

::Querido torcedor brasileiro::

03/06/2006

WeggisEm Weggis, na Suíça, a cidade onde nossa Seleção treinou antes da Copa, tive a oportunidade de conhecer um grupo de 6 jornalistas da Globo, que estavam ali cobrindo os acontecimentos ligados aos nossos Canarinhos e os acompanhariam durante todos os jogos dentro da Alemanha. Eles estavam, diria eu, pensando alto dentro do bondinho que nos levava do alto da montanha de Rigi de volta à cidade, num maravilhoso passeio panorâmico onde se podia ver uma parte da cadeia dos alpes suíços e das cidades ao redor do lago de Lucerna. Eles comentavam, com muita razão, que nossos políticos e empresários também têm a oportunidade de viajar para o exterior, também vêem que existem outros patamares de qualidade de vida por aqui, que aqui há limpeza, há ordem, há organização, há segurança, que as escolas e casas não têm muro, que „até as vacas são mais felizes“, como diria meu querido amigo Fernando.

Antes de começar a bater papo com eles, seus comentários me levaram a pensar. É verdade, a classe política e nossa elite realmente vai ao exterior e vê tudo isso, mas por que eles então não levam esses exemplos pra casa? Comecei a pensar na corrupção que assola nosso país, na vontade que muitos têm de faturar a curto prazo, de trabalhar pouco e ganhar muito, de usar de sua “esperteza” e “inteligência”. Tudo em prol de si próprio e não da coletividade. Pensei também na maravilha do nosso clima, na nossa gente amiga e alegre, na nossa musicalidade, na fartura que há nas mesas dos brasileiros, com tantas frutas e legumes deliciosos, na nossa criatividade, na nossa garra, e daí pensei em você, querido torcedor brasileiro!

Toda viagem é capaz de nos transformar por dentro. Nossa realidade é vista com outros olhos, tudo muda depois que passamos por uma experiência que muda nossa perspectiva, nosso patamar, nosso campo de observação. Então, se os políticos e líderes do nosso país teimam em ver que há outras soluções para o país, que há outras formas de vida que podem ser oferecidas para todo o povo brasileiro, e não só dividida entre uma pequena elite que se esbalda em tanta riqueza e tanto desperdício, por que não começar a partir de você, querido torcedor?

Você pode ser veículo para transformações no nosso país. Você pode passar a exigir ainda mais os seus direitos de cidadão e não tolerar qualquer tipo de corrupção, a partir da sua vida particular. Você pode votar em pessoas que realmente querem fazer a diferença e, se se tornar empresário, pode pensar a longo prazo e reconhecer em você um privilegiado que poderá alavancar mudanças e contribuir com sua parcela de responsabilidade social, dando empregos, gerando riquezas, fomentando a economia, levando seu empreendimento ao sucesso particular, mas com isso também global de todos aqueles que atuam junto de você, pensando, por que não, socialmente e a longo prazo. Você pode mudar sua atitude, parar de achar que “tudo é assim mesmo porque sempre foi” e que “não existe mais segurança no nosso país”. Podemos, todos juntos, exercer nossos direitos de cidadãos e exigir mudanças, podemos ter visões, podemos enxergar num futuro próximo um país que dá certo, porque ele tem, já hoje, tudo para dar certo.

Note bem: não estou fazendo um ode à cópia de soluções vindas do exterior, pois temos que encontrar soluções próprias para nossos problemas internos. Tampouco estou pretendendo dizer que no Brasil não há esforço, não há avanço ou gente de caráter. Meu intuito é o de fazer as pessoas, individualmente, se verem co-responsáveis pelo futuro do nosso país, que se constrói a cada dia! Jogar a culpa no “outro” é uma situação altamente confortável.

E, por fim, a pergunta que na realidade iria vir no começo deste texto: o que significa para você viver com qualidade? O que é, na sua opinião, qualidade de vida?


%d blogueiros gostam disto: