Anúncios

Posts Tagged ‘respeito’

::Admiração é pouco pra expressar o que sinto!::

28/06/2019

media

Se tem algo que eu admiro MUITO na Alemanha, e que eu adoraria que fosse replicado no mundo todo, é o trabalho da Polícia alemã.

Explico: há dois dias atrás, no dia 26 de junho, uma menina de 11 anos foi estuprada em plena luz do dia em Munique, no bairro de Obergiesing. Ele estava usando uma máscara de lobo no rosto e luvas de látex nas mãos. A menina voltava pra casa de trem da escola, algo comum em todas as cidades alemãs. Mesmo os policiais mais experientes ficaram aterrorizados com o acontecido, que foi levado à Polícia assim que a menina chegou em casa e contou o ocorrido para sua mãe, que por sua vez denunciou o caso.

O homem com a máscara de lobo atacou a menina no caminho pra casa, quando ela passava por um parque da cidade, arrancou a mochila de suas costas, a levou para um canto, a jogou no chão, tampou seu rosto com a jaqueta dela e a estuprou. Depois, pediu que ela ficasse cinco minutos quieta e deitada e que não contasse nada do ocorrido para ninguém, senão ele a mataria, além dos pais dela. Ele disse que sabia onde ela morava. Algumas pessoas noticiaram à Polícia que viram uma pessoa usando uma máscara naquele parque, mas não perceberam o estupro.

Foi criada uma comissão denominada „Lobo”, que contava com 10 policiais com experiência em delitos dessa natureza. O curioso era que nos dias anteriores dois filmes tinham aparecido na TV alemã com pessoas usando máscaras, o que poderia estar relacionado ao ocorrido. A Polícia se voltou para a população e pediu que a informasse sobre todo e qualquer detalhe relacionado ao caso. 60 pistas surgiram daí também, além do local do crime, onde foram coletadas outras pistas relacionadas ao caso. A Polícia trabalhou incansavelmente para encontrar o culpado.

Hoje, 28 de junho, o criminoso Christoph K. já foi detido! Ele foi identificado com 100% de certeza através de seu DNA, que por sua vez foi retirado das partes íntimas da menina. Ele é um pedófilo alemão, tem 43 anos e foi capturado dentro de seu trabalho. Ele é um estuprador que tinha saído de uma prisão psiquiátrica no final de 2018 e tinha sido condenado em 2010.

A questão principal é que se pode confiar na Polícia alemã. Policiais alemães são respeitados por sua simples presença, mesmo sem estar portando armas, só por causa do uniforme e de ser quem são. A população acredita que o policial está lá para mediar, servir, ajudar, proteger, cuidar, enfim acredita em todos os verbos que deveriam imediatamente surgir na mente de todo o ser humano quando se pensa em „Polícia”. Claro que a Alemanha tem poucos crimes, tem uma boa quantidade de policiais, que por sua vez têm tempo e recursos para se envolver com os acontecimentos, mas sem o apoio da população, a coisa seria totalmente diferente. Talvez a menina não tivesse tido coragem de confidenciar o acontecido para a sua mãe. Talvez a mãe, mesmo sabendo do que aconteceu, tivesse decidido não levar o caso à Polícia. Talvez 60 pessoas não tivessem ligado para a Polícia, passando as 60 pistas. Talvez esse caso não tivesse sido esclarecido e essa pessoa teria agredido muitas outras crianças, além das que ele já agrediu no passado… Agora, só espero que essa menina consiga transpor esse trauma, e que as crianças continuem a ir e vir no seu caminho para a escola como sempre!

Fontes: vários jornais e noticiários da Alemanha e da Suíça de 26 a 28 de junho de 2019. Foto: reportagem de 26 de junho de 2019 da Focus Online.

P.S.-Se gostou desse post, me siga por aqui ou pelo Facebook e fique por dentro de temas atuais sobre viver e trabalhar na Alemanha!

::GNTM – sobre o racismo na TV e internet na Alemanha::

26/04/2014

GNTM é a sigla do concurso “Germany’s Next Top Model” promovido pelo canal de TV alemã Pro7 e liderado pela modelo Heidi Klum. Apesar de eu ter meus poréns com relação ao programa, assisto-o com frequência há anos junto com a minha filha adolescente.

Atualmente há uma candidata que participa do programa e está sendo atacada na internet por ser negra: Aminata Sagona. Enquanto vários telespectadores confirmam sua beleza, outros a chamam de gorila. Segundo o artigo da revista Spiegel, enquanto os comentários racistas são apagados na página do Facebook da emissora Pro7, a própria aspirante a modelo decidiu não apagar os comentários em sua própria página, pra mostrar pras pessoas que tipo de racismo ainda existe nos dias atuais.

Fui dar uma conferida por mim mesma na página da Pro7 e achei o seguinte comentário, com 49 Likes, feito por um tal de Franz S. no dia 22.04.14 às 13:41 horas:

“Desculpem-me, mas essa mulher não é bonita. Eu não digo que eu seja bonito, mas a maioria dos telespectadores da Alemanha e da Áustria acham que ela não é bonita. O fato de que uma pessoa negra seja considerada feia e seja comparada com bichos é talvez um ato maldoso, mas não racista. Há muitos brancos que são comparados com bichos e ninguém acha que este seja um ato racista. Racismo é a discriminação de uma etnia ou o endeusamento de um povo. E o que está acontecendo aqui e está sendo promovido por brancos, é um ato de racismo, porque eles acham que essa mulher não pode ser comparada com um bicho só porque ela é negra. Isso quer dizer que ninguém pode rir a cara dela só pelo fato de sua cor estar sendo exposta. Se o Gareth Bale é comparado a um macaco, todos vão achar graça disso. Se uma modela for comparada a um macaco, isso vai ser racista. Parece que os esquerdistas sociais/políticos fazem uma diferença entre brancos e pretos, o que pode também ser considerado como um ato racista.”

Tut mir leid, aber diese Frau ist einfach nicht schön. Ich behaupte nicht, dass ich gut aussehe oder irgendwas in der Art, aber ein großer Prozentanteil der deutschen und österreichischen Zuschauer von GNTM finden sie nicht gut aussehend. Eine Person mit dunkler Hautfarbe hässlich zu finden und sie mit Tieren zu vergleichen ist vielleicht gemein, rassistisch aber nicht. Auch Weiße werden oft mit Tieren verglichen und niemand findet das rassistisch. Rassismus ist die Diskriminierung einer Ethnie oder die Vergöttlichung eines Volkes. Und das was hier geschieht und von vielen Weißen betrieben wird, ist Rassismus, weil sie finden, dass diese Frau nicht mit einem Tier verglichen werden darf, nur, weil sie schwarz ist. Sprich, man darf sich aufgrund ihrer Hautfarbe nicht über sie lustig machen, was einer Hervorhebung Maximalpigmentierter gleichkommt. Wenn Leute den weißen Fußballer Gareth Bale wegen seines Aussehens mit Affen vergleichen, lachen alle. Wenn man ein schwarzes Model mit einem Affen vergleicht, ist es rassistisch. Anscheinend differenzieren also genau gesellschafts-politisch Linke sehr wohl zwischen Weißen und Schwarzen, was streng genommen rassistisch ist.

Outro internauta, Benjamin S., fez o seguinte comentário, ganhando 20 Likes:

“Talvez os brancos achariam menos graça em brincadeiras de mau gosto se a grande maioria da população tivesse sido escravizada e oprimida.
Infelizmente brancos e negros não são “iguais”, e portanto algumas declarações são menos grosseiras para brancos do que para negros. Isso é o que pode ser chamado de racismo, querido Franz.”

Vielleicht würden Weiße es auch weniger lustig finden, wenn sie von einem Großteil der Weltbevölkerung über Jahre versklavt und gedemütigt worden wären.
Leider waren und sind für viele Menschen Weiße und Schwarze eben nicht “gleich”, und deshalb sind auch manche Äußerungen für Weiße weniger beleidigend als für Schwarze. Das nennt man dann Rassismus, lieber Franz.

Ao que eu comentei, logo em seguida:

Muito bem escrito, Benjamin S., hoje em dia uma demonstração de coragem cívica infelizmente não é uma atitude óbvia. Rir da cara de outras pessoas, não importa se forem brancas ou pretas, amarelas ou verdes, NÃO é uma atitude correta!

Bravo Benjamin Seegers, Zivilcourage heutzutage zu zeigen ist leider nicht selbstverständlich! Andere Menschen zu beleidigen, egal ob weiß oder schwarz, gelb oder grün, ist einfach NICHT in Ordnung!

E para fechar com chave de ouro, um comentário em outro artigo, publicado no jornal Die Zeit:

“E parece ser difícil de aceitar para determinados telespectadores que possa existir em um concurso de televisão uma pessoa que queira ter alguma ligação à palavra Germany e não venha nem na oitava geração da região de Unterfranken (Baviera).”

Und mancher Zuschauer scheint mit zunehmenden Verlauf dieses Fernsehwettbewerbs immer weniger zu ertragen, dass jemand, der etwas mit Germany im Namen sein will, nicht in achter Generation aus Unterfranken kommt.

O artigo acima tem também seus poréns com relação ao programa, mas afirma que ele seja importante por ressaltar a diversidade dentro da Alemanha atual e eliminar ressentimentos do passado. De qualquer maneira é duro constatar, mas infelizmente há ainda muito preconceito no mundo! Importante ressaltar porém: a Alemanha definitivamente (e infelizmente) não está sozinha neste barco!…

Site da candidata Aminata Sagona no Facebook.

Fontes: artigo da revisa alemã Der Spiegel de 24.04.14, artigo do jornal Die Zeit die 25.04.14.

::O Brasil visto de fora – a luta do absurdo contra a normalidade::

10/03/2013

Tendo ido à amada terrinha entre o Natal e o Ano Novo deste ano, voltei de novo de lá cheia de vitamina D, histórias pra contar e impressões de mais uma viagem à minha pátria, o lugar onde nasci e a que devo muito do que sou hoje e do que passo para meus filhos.

Aquela impressão que mais salta aos olhos é que o povo brasileiro precisa urgentemente de sair do modus operandi do fantástico, de achar que o absurdo pode e deve fazer parte da realidade, e do contrário deve se unir para lutar contra a corrupção, a violência (e não só a ausência ou limitação dela na mídia), em prol de uma vida digna, de direitos de cidadãos, dentre eles o de educação e acesso ao saber, limpeza, transporte público de qualidade, o simples direito de ir e vir (a qualquer hora do dia e da noite) que todos devem e podem exigir.

O povo nunca esteve tão acomodado, tão conformado, tão condizente com aquilo que não anda bem, aproveitando, por certo, daquilo que anda bem: o Brasil tem o menor índice de pobreza dos últimos 20 anos, nunca se viu tanto brasileiro viajando dentro e fora do país, o povo brasileiro continua hospitaleiro, alegre, solidário. As pessoas reclamam da vida, mas no final tudo termina num churrasquinho com cerveja gelada, e lá se vai mais um dia.

O povo de boa índole precisa ir às ruas. Precisa começar a perguntar por que não é possível ter ruas limpas. Por que ainda se joga tanto lixo no chão ou pelas janelas dos automóveis. Por que se queimam as matas, não se respeita o patrimônio público, por que não há planejamento para melhorar substancialmente o trânsito nas grandes cidades e eliminar problemas que voltam todos os anos nas mesmas épocas. E assim por diante.

O povo precisa começar a exigir seus direitos amplos de consumidor. Se a TAM, por exemplo, oferece voos, em parte, deploráveis, também deve ser porque o consumidor os compra sem reclamar, ou sem reclamar de uma forma que a empresa sofra com suas consequências. No exterior, a TAM nem sequer se digna a responder a uma reclamação feita por escrito, e com isto perdeu uma consumidora.

O povo precisa continuar a mostrar tudo o que dá certo neste país, como base de estímulo pra muitas outras iniciativas que ainda vão dar certo. É preciso mostrar e exaltar os bons professores, as boas associações de bairro, as pessoas de boa fé que fazem um trabalho bonito pela sociedade e pelo ser humano ao ser redor, os bons empresários, os (poucos) bons políticos. Mas o povo precisa também denunciar, botar a boca no trombone mesmo, em alto e bom som. Denunciar como povo, como grupo, sem medo de ser atingido por ser geral demais, por ser grande demais.

A Copa está chegando. Que tipo de país queremos apresentar ao mundo? Nossos filhos estão crescendo. Em que tipo de país queremos que eles vivam, quais são os valores que queremos passar para eles? Para os brasileiros que moram fora: que tipo de associações você espera que sejam feitas com nosso país? Não podemos cruzar os braços e afirmar que “sempre foi assim e assim será”, porque a perda de jovens numa boate, os assassinatos de tantos civis por policiais e uma sociedade que se julga no direito de “eliminar” pessoas que não funcionam segundo suas expectativas está doente. Por outro lado, a doença é sinal de que o processo pode ser alterado, o rumo pode ser mudado, nem tudo está perdido, um impeachment já mudou a cara do nosso Brasil, os colarinhos brancos do Mensalão foram condenados, o que mostra que a própria sociedade é podre, mas também é bela. Dentro da sociedade brasileira há tudo o que ela precisa para se renovar. Comecemos agora!

::Pensamento do dia – Das fronteiras físicas e imagináveis::

11/07/2012

“Meu sonho é apagar as linhas dos mapas, derrubar fronteiras, muros, barreiras que separam pessoas, países, mundos, corações. É morar numa casa única, de respeito, comunhão e amor, onde quer que estejamos.”

Lílian Miranda Costa, minha prima-irmã

“Mein Traum ist die Linien der Landkarten, Grenzen und Mauer zu löschen weil diese Menschen, Länder, Welten und Herzen trennen (können). Ich würde gerne in einem einzigen Haus (Welt) leben, mit Respekt, ehrlichem Austausch und Liebe, unabhängig davon wo wir uns befinden”.

Lílian Miranda Costa, meine Cousine-Schwester

P.S.-Não fiquei muito satisfeita com a tradução em alemão. Se tiver sugestões, elas serão muito bem-vindas!

::Pensamentos fenomenais::

19/09/2011

“Quando nos sentimos parte sensível e transformadora do ambiente e seus ecossistemas, nos tornamos mais solidários com cada ser vivo […]. Abraçar de perto o invisível e o visível com respeito, reverência e gratidão é um pequeno passo para assumir a grandeza de nossa humanidade”.
Bené Fonteles

“Um homem é o que ele lê, come e bebe na vida. Logo deve escolher a melhor leitura, a melhor comida
e a melhor bebida[…]”.
Goethe

Obrigada pelos pensamentos, Kalina! 😀


%d blogueiros gostam disto: