Anúncios

Posts Tagged ‘universitário’

::Trabalho na Alemanha – Reconhecimento de Diplomas Estrangeiros::

13/03/2015

A Priscila, brasileira sem passaporte europeu, para quem prestei consultoria através da Connex Consulting e que conseguiu um emprego aqui na Alemanha, teve a bondade de escrever um texto com várias dicas para os que estão buscando a oportunidade de trabalhar por aqui. Tenho certeza de que muitos ficarão bastante gratos pelas dicas! Muito obrigada, Priscila!!!

°°°

Quando nos aventuramos a mudar de país e procurar trabalho uma série e pessoas querem contribuir com opiniões e experiências e isso é bem normal. O problema que na maioria das vezes essas contribuições vêm carregadas de pessimismo e achismo. Então o primeiro passo para quem busca trabalho fora do país é se organizar, estudar o mercado, insistir muito e não dar ouvidos aos pessimistas de plantão. O ser humano tem uma capacidade infinita de conseguir o que deseja, mesmo quando o sonho parece impossível e quando outras pessoas já tentaram e não conseguiram, pense nisso!

Para quem quer conseguir trabalho aqui na Alemanha existem uma série de questões que precisam ser tratadas antes mesmo de sair do Brasil. Se você tem alguma possibilidade de conseguir uma cidadania de algum país da zona do euro, recomendo ir atrás. Isso facilita muito a vida aqui para conseguir trabalho, evita um monte de burocracia para você e para o seu empregador. E se você já possui cidadania de algum país da Comunidade Européia (EU) evidencie isso no seu CV, você pode incluir ao lado das suas nacionalidades algo como “EU Pass” (significa Passaporte da Comunidade Européia) . Eu não tinha essa opção então fui pelo caminho mais longo mesmo, no final também deu certo.
Existem duas trilhas para fazer quem quer trabalhar na Alemanha. A primeira é o reconhecimento acadêmico, esse é destinado a pessoas que possuem nível superior de ensino.

A segunda é o para pessoas que não possuem nível superior de ensino porém possuem demais cursos e experiência na área de atuação. Nesse caso você deve verificar a lista de documentos exigidos e demais informações na Câmara da Industria e Comércio através do site http://www.ihk-fosa.de/ (o site está traduzido para várias línguas inclusive para o espanhol e o inglês).

Para fazer o reconhecimento acadêmico (nível superior de ensino) ainda no Brasil, você precisa preparar a sua documentação escolar para ser reconhecida na Alemanha (Zeugnisbewertung ou Zeugnisannerkennung). O processo de Reconhecimento do diploma tem o objetivo de verificar a instituição de ensino cursada, a carga horária e matérias e assegurar que elas são equivalentes a de uma instituição de ensino alemã. Quando você consegue o reconhecimento de um diploma, isso significa que você pode exercer a profissão ou atividade que o diploma lhe confere em todo território alemão. Esse processo é feito na Alemanha e tem demorado de 3 a 6 meses, então assim que você chegar na Alemanha já preencha os formulários e envie os documentos para não perder tempo, ok?

Para verificar se a sua instituição de ensino é passível de ser reconhecida faça a pesquisa no site do Kultusministerkonferenz/ANABIN através do seguinte link http://anabin.kmk.org/no_cache/filter/institutionen.html
Se sua instituição de ensino está na lista ANABIN ótimo! Agora você precisa preparar a sua documentação, isto é, autenticar, traduzir e legalizar o seus documentos. Calma calma, vou te explicar o que significa cada coisa e como fazer.
A autenticação é o processo feito no cartório que a sua instituição de ensino tem firmas abertas, cada asinatura do seu diploma deve ser autenticada, gerealmente são os pró-reitores de graduação e secretárias do curso que assinam o diploma, informe-se a sua universidade eles vão lhe informar aonde os funcionários que representam a universidade tem firma aberta. Se seu diploma foi emito no Brasil esse processo deve ser feito obrigatoriamente no Brasil.
Primeiramente é necessário autenticar no cartório todas as assinaturas do diploma e do histórico escolar (aquele que tem as matérias cursadas, carga horária e notas). Não se trata de cópia autenticada, as autenticações das assinaturas devem estar no verso dos documentos originais.

Daí você me pergunta, eu preciso preparar (autenticar, traduzir e legalizar) os meus diplomas e históricos desde o Ensino Fundamental (antigo 1° Grau)? Depende, você precisa preparar a documentação do grau que você deseja convalidar e do grau anterior. Por exemplo, se você quer convalidar o seu grau de pós-graduação é necessário que você prepare a documentação da pós-graduação e da graduação.

As vezes o ZAB* dentro do Kultusministerkonferenz pede adionalmente uma cópia simples (sem autenticação e sem tradução) do diploma e do histórico do grau que antecede o grau que você já enviou. Isso aconteceu comigo, eu entreguei a documentação da pós-graduação e da graduação e depois recebi um email do ZAB* pedindo uma cópia simples do diploma e histórico do Ensino Médio (antigo 2° Grau). Meu processo ficou parado até eu enviar essa cópia simples pelo correio, então como dica já mande essa cópia simples junto com os demais documentos.
Depois de fazer a autenticação das assinaturas você deve solicitar a tradução juramentada desses documentos. Os profissionais que podem fazer tradução juramenta são os tradutores públicos e interpretes comerciais matriculados nos órgãos competentes. É bom pesquisar, pois os preços podem variar consideravelmente. A lista de tradutores juramentados do seu estado você encontra geralmente nos sites das juntas comerciais (por exemplo no estado de São Paulo o site é o da JUCESP).

De posse da tradução juramentada e dos documentos originais com assinaturas autenticadas em cartório você já pode fazer a legalização desses documentos. Quem faz a legalização dos documentos são os consulados da República Federal da Alemanha no Brasil. Você pode pesquisar o Consulado mais próximo de você através do site: http://www.brasil.diplo.de/

As instituições na Alemanha, tanto as que fazem reconhecimento do diploma quanto as Universidades, não aceitam receber documentos originais, por isso você deve fazer cópia dos documentos originais e das traduções juramentadas e pedir a autenticação dessas cópias no Consulado da Alemanha no Brasil. Normalmente a legalização tem um custo mas se você comprovar no consulado alemão que você está indo fazer um curso na Alemanha eles fazem esse processo de graça, não é ótimo? Você pode também autenticar as cópias aqui mesmo na Alemanha nas prefeituras das cidades, você pagaá em torno de € 2,50 por documento. Ufa, a parte da preparação ds documentos no Brasil está finalizada!!!
É importante que você leve contigo para a Alemanha os documentos originais. Eu fui orientada pelo consulado da Alemanha no Brasil a não levar os dcuments originais. Mas quando cheguei na Alemanha me entrei no processo de convalidação de diploma para trabalhar e me candidatei à várias universidades e para cada uma tive que enviar um conjunto de cópias autenticadas, mas eu não tiha cópias suficientes, foi uma super correira. Tive que pedir pro meu procurador no Brasil copiar novamente os documentos ir até o consulado com os originais e cópias para autenticar e me enviar tudo pelo correio. Se eu tivesse os origias em mãos eu mesma teria resolvido, muio mais rápido.
Bom agora que você já está na Alemanha está de posse de todos os documentos necessários para poder trabalhar na sua profissão você deve entrar no site da ZAB. A ZAB (Zentralstelle für ausländisches Bildungswesen) é o órgão que faz o reconhecimento acadêmico dentro do Kultusministerkonferenz. Acesse o site a seguir para se informar da documentação, formulários, valores e endereços:
http://www.kmk.org/
http://www.kmk.org/zab/zeugnisbewertungen-fuer-auslaendische-hochschulqualifikationen.html
Os custos são em torno de € 200,00 para autenticação de um grau (exemplo grau de graduação) e graus adicionais custam cada € 100,00. Geralmente apenas a convalidação da graduação é suficiente, mas se você como eu não trabalha na área da sua graduação e sim a área da sua pós-graduação então peça a convalidação da pós-graduação. Só pra exemplificar eu fiz graduação em física, mas sempre trabalhei na área de adminstração de empresas e depois de algum tempo de formada fiz uma pós-graduação em Administração de Negócios (Certificate in Business Administration – pós-graduação lato sensu ou especialização).
Eu tive alguns problemas para convalidar os meus diplomas, depois de mês e meio que eu tinha enviado toda a documentação a ZAB me devolveu um email falando que não poderiam convalidar o meu grau de pós-graduação mas não falaram o porquê. Então pedi pra um amigo alemão ligar lá e entender o porquê da recusa. E na verdade ele descobriu que haviam várias razões………………..rs

Primeiramente a minha instituição de ensino (pós-graduação) não estava na lista do site do Kultusministerkonferenz/ANABIN. Na verdade a instituição tinha mudado de nome, o nome antigo estava mas o nome novo não constava na lista (http://anabin.kmk.org/no_cache/filter/institutionen.html).
Além disso pela análise que eles fizeram nos meus documentos eles concluíram que o nível de Certificado era equivalente a uma graduação e não equivalente a uma pós-graduação.
O terceiro ponto foi que o grau de Certificado (pós-graduação especialização) não é muito conhecido pelos alemães. Pós-graduação pra eles é o mestrado (Master) e o doutorado (Promotion) e só!
Então meu amigo e eu fizemos uma defesa pautada em três pontos, eu só contribui com as idéias ele que redigiu tudo:
1- Explicamos a alteração do nome da Instituição, pedi uma declaração da instituição em inglês, anexamos um link do Wikipedia e um link do site da própria instituição que explicava a mudança de nome (site versão em inglês);
2- Detalhamos o que é o grau Certificado, explicamos que um dos prés-requisitos para cursar a especiazilação é ter o diploma de graduação (anexamos link da instituição de ensino com os pré-requisitos em inglês). Adicionalmente detalhamos a diferença entre pós-graduação Lato Sensu (especialização) e Stricto Sensu (mestrado, doutorado e pós-doc), anexamos o link a seguir: http://portal.mec.gov.br/index.php?id=13072:qual-a-diferenca-entre-pos-graduacao-lato-sensu-e-stricto-sensu&option=com_content
3- Olha a sorte: Encontramos uma faculdade aqui da Alemanha que oferecia o curso de Certificate in Business Administration, tudo bem que carga horária era maior que o curso que eu havia feito no Brasil mas mesmo assim eles não poderiam legar desconhecimento da pós-graduação Lato Sensu dado que aqui mesmo na Alemanha o curso é oferecido. Se interessar a faculdade que ofere o Certificado em Business Adm é a FH Lübeck.

Dados todas essas explicações e comprovações através dos sites depois de um mês de muitas cobranças por e-mail e por telefone recebi um e-mail avisando que a convalidação estava pronta e que eu só precisa efetuar o pagamento para que a documentação me fosse enviada, uhuuuuu consegui!!!!

Ta vendo, deu bastante trabalho, cheguei a pensar que não conseguiria, mas é isso aí, temos que insistir, persistir e não desesperar para alcançar!!! Na próxima oportunidade vou conversar sobre como foi a procura por trabalho aqui na Alemanha até a obtenção do tão sonhado visto de trabalho, mas isso é outra história…………………….rs.
Espero que tenham gostado e até mais! Priscila Furtado

*ZAB – Zentralstelle für ausländisches Bildungswesen (ZAB) dentro do Kultusministerkonferenz. Acesse o site a seguir para se informar da documentação, formulários, valores e endereços:
http://www.kmk.org/
http://www.kmk.org/zab/zeugnisbewertungen-fuer-auslaendische-hochschulqualifikationen.html
Para profissões regulamentadas como médicos, professores e advogados o processo de convalidação é específico e por tanto a ZAB pode pedir informações adicionais.

Instituições de auxílio
1-Consulado Geral do Brasil – Existem 3 Consulados do Brasil na Alemanha (Berlim, Frankfurt e Munique). Eles possuem uma área de coordenação acadêmica que auxilia bastante com respeito aos trâmites de convalidação de diplomas e questões acadêmicas de forma geral. Tive um retorno por email muito rápido e consegui tirar muitas dúvidas.

Abaixo segue o contato da coordenação acadêmica de Munique:

Consulado Geral do Brasil em Munique
Sonnenstr. 31
80331 München
+49 (0)89 210376-39
csf.munique@itamaraty.gov.br

2-AWO (Arbeiterwohlfahrt)- http://www.awo.org – É uma instituição que possui escritórios por toda Alemanha e que entre muitos serviços a estrangeiros auxilia no processo de convalidação de diplomas e reconhecimento profissional. Rocomento fortemente você marcar um agendamento e conversar com os profissionais e expor o seu caso (não se emporte com o seu domínio da língua alemã) com certeza vou vai ter ótimo auxílio, ahhh é de graça!!!

::Discriminação nas universidades alemãs::

04/12/2008

Estou lendo um artigo praticamente inacreditável com relação ao racismo, à discriminação e à solidão, além de dificuldades com a burocracia que os estudantes estrangeiros sofrem aqui na Alemanha. Parei no meio para vir comentar aqui. Isso me deixou muito triste, pois como o próprio artigo diz, a Alemanha depende de estudantes estrangeiros não somente pelo interesse de promover o melhor entendimento entre as culturas ou para que exista uma troca internacional nas universidades, mas acima de tudo por interesses próprios, para que os estudantes talvez se decidam ficar por aqui e trabalhar na Alemanha, pois o país precisa urgente de pessoal qualificado em várias ramificações da engenharia, dentre outras áreas. Um estudante negro teve que ir à justiça para ter direito de entrar numa discoteca de sua cidade que tinha colocado um aviso na entrada “Proibida a entrada de estrangeiros”. A tal discoteca teve que pagar 500 euros de multa pelo ato de racismo ao estudante. Outra estudante chinesa foi xingada no meio da universidade por um estudante alemão, mandando ela voltar para o país de onde veio. O mesmo estudante africano apresentou um excelente trabalho e recebeu como pergunta: “Que alemão o ajudou a fazer o seu trabalho?”. O texto, da revista alemãUniSpiegel” comenta, com razão, que o ambiente universitário é um espelho da sociedade onde está inserido e que o número de estudantes estrangeiros vem decaindo na Alemanha desde 2003.

Thiago Guimarães, 30 anos, Brasil, está cursando o curso de mestrado em Planejamento de Cidades na Universidade HafenCity de Hamburgo.

Por fim, o caso de um brasileiro, Thiago Guimarães, que veio para estudar em Hamburgo:

“Se eu pudesse decidir novamente, não teria vindo estudar em Hamburgo. Sete dias antes do início do semestre ninguém da universidade sabia me informar se eu tinha conseguido a vaga ou não. Eles nem entenderam como é difícil um estudo no exterior: visto, organização da viagem de avião, despedida de casa. Eu tive que escrever muitos E-Mails até que a confirmação da vaga na universidade chegasse. Na Alemanha fui recepcionado por uma funcionária da universidade com as seguintes palavras: “Você então é o brasileiro que nos deu tanto trabalho”.

***

Eu particularmente tive poucos problemas na universidade. Claro que uma vez ou outra notei não ser bem quista por uma ou outra pessoa, mas atribuí esses problemas a dificuldades normais de relacionamento e não perdi tempo “batendo como água em pedra dura”, sempre busquei relacionamentos frutíferos, independentemente da nacionalidade das pessoas. Quanto à burocracia e solidão eu concordo com o que foi colocado, mas os sinais de racismo e discriminação aberta me deixaram perplexa!

::A luta do governo alemão por mão de obra qualificada::

20/07/2008

O governo alemão reconhece que a mão de obra qualificada, principalmente de nível universitário, é necessária para garantir o desenvolvimento e a estabilidade econômica do país. O intuito é esgotar em primeiro plano as possibilidades dentro do país (idosos, mulheres e imigrantes já morando no país). Os seguintes pontos, válidos a partir de 01.01.2009, acabam de ser decididos pelo governo:

  1. O mercado de trabalho para pessoal de nível universitário advindo dos demais 26 países da Comunidade Européia vai ser liberado, o que será feito independente de análise se há desempregados no país que poderiam ocupar o cargo em questão, o que normalmente é uma praxe no país quando se trata de oferta de emprego para estrangeiros.
  2. O salário mínimo anual que traduz o fato de um profissional ser altamente qualificado e facilita a obtenção de um visto de permanência cai de 86.400 € para 63.600 €.
  3. O mercado de trabalho para pessoal de nível universitário advindo de países de fora da Comunidade Européia também será liberado a partir do início de 2009, mas neste caso a análise prévia da possível existência de um desempregado residente no país que porventura possa ocupar o cargo continuará a ser feita. Também será analisado se o estrangeiro estará recebendo um contrato de trabalho similiar ao de um alemão. As análises feitas anteriormente com relação aos familiares do estrangeiro em questão deixarão de ser feitas (eu pessoalmente não tenho conhecimento de que análises são estas, mas elas deixarão de existir a partir do início do ano que vem).
  4. Universitários que tenham frequentado escolas alemãs no exterior têm conhecimentos profundos do idioma e da cultura alemã. Neste caso a análise com relação aos desempregados também deixa de existir, se o universitário conseguir um emprego no país.
  5. Os estrangeiros que já vivem no país e possuem boa qualificação poderão receber um visto de trabalho. Universitários estrangeiros que terminarem seu curso na Alemanha e comprovarem ter trabalhado no país durante dois anos receberão um visto permanente para viver e trabalhar no país (Hoje já há a possibilidade de universitários estrangeiros ficarem no país logo depois de terminarem seu estudo, caso consigam um emprego em seguida).
  6. A obtenção de reconhecimento de diplomas estrangeiros vai ser facilitada.

Veja aqui o texto original do Ministério do Trabalho da Alemanha. No mais tardar na próxima década o país já sentirá fortemente a falta de pessoal qualificado. Hoje já faltam 50.000 engenheiros no país, no total calcula-se que há 100.000 vagas abertas para pessoal qualificado. Até o ano de 2020 o número total de empregados no país aumentará em pelo menos mais 1,7 milhão de pessoas. No momento há 3 milhões de desempregados na Alemanha, 2 milhões a menos do que no ano de 2005. Com relação à análise citada acima (se há no país uma pessoa com uma qualificação semelhante e que esteja desempregada) que é feita antes da obtenção do visto, posso dizer por experiência própria que a maioria dos desempregados alemães não são qualificados e que hoje já há falta de mão de obra qualificada em algumas áreas isoladas, tais como na área denominada “MINT” – Mathematik, Ingenieurs- und Naturwissenschaften und Technik – Matemática, Engenharia, Ciências Exatas e Técnica.

. . Li aqui que mais de 500.000 de desempregados não têm diplomas escolares e 15% das pessoas acima de 35 anos não têm formação  de nível médio (técnico, escriturário, etc.). Somente 12% da mão de obra total do país é representada  por pessoal de nível universitário.

°°°
01.08.12 – Veja também uma nota atual sobre o cartão azul UE e oportunidade de headhunting agenciado por mim neste post.


%d blogueiros gostam disto: