::Alemanha precisa atrair mais imigrantes::

28/03/2015

A Alemanha precisa atrair mais de 530 mil pessoas por ano a mais do que aquelas que deixam o país, para conseguir garantir seu sistema social e manter o nível de mão de obra necessário para manter seu crescimento econômico. Leia a matéria completa (em português) na página da Deutsche Welle.

::Sêneca e a constância do sábio::

23/03/2015

Sigamos com a reflexão em torno do texto de Sêneca, A CONSTÂNCIA DO SÁBIO, buscando suas contribuições sobre a arte de enfrentar problemas nos relacionamentos humanos, especialmente as injúrias ou ofensas graves e as contumélias, ou insultos leves.

Comecemos pela lúcida assertiva abaixo:

“Não há nada, na Natureza, de tão sacro que não seja atingido por algum desrespeito”. (Sêneca: 2007, p. 25)

Sêneca nos afirma, em seu distante tempo histórico, que nem as coisas divinas estão fora do desejo de alguém intentar contra sua magnitude, fato ainda e tão mais presente nos dias de hoje, quer através da negação de Deus, do sectarismo religioso e até de posturas belicosas e destrutivas, em nome do sagrado.

O homem que busca ser virtuoso, claro, deve estar consciente de que está infinitamente mais exposto aos ataques daqueles que querem alvejá-lo, apenas porque movimenta-se para a luz, só por isso.

Para esse enfrentamento, Sêneca identifica como importante a atitude de reação perante injúrias e insultos como um exercício de paciência, ânimo e capacidade de armazenar energia para prosseguir e não se deixar abater.

No capítulo II, o autor busca distinguir entre injúria ou ofensa e a simples contumélia, ou seja, o insulto provocativo de pouca monta ou importância.

A injúria, esclarece, é mais grave do que o insulto, pois busca intencionalmente fazer o mal a alguém, diminuir esse alguém. Se esse alguém já se tornou sábio, no entanto, olhará o fato sem se alterar, convicto de que nada interior perde pois, se já tem a virtude, essa injúria não lhe atingirá em sua intimidade e profundidade. Ilustrando a idéia exposta Sêneca lembra o exemplo do filósofo Estilpão ao responder a Demétrio, conquistador de sua cidade, Megara, se havia sido espoliado de alguma coisa, ao dizer: “NADA PERDI. TUDO O QUE É MEU ESTÁ COMIGO”. Sábia resposta para quem tinha sido espoliado nas coisas materiais, mas que conservava, incólume, suas conquistas, seu verdadeiro tesouro: idéias, valores, virtudes.

Sêneca apresenta a afirmativa síntese de Estilpão, nos termos seguintes: “EU, DE MINHA PARTE, APESAR DE TUDO TER PERDIDO, MANTENHO-ME NA POSSE PLENA DO QUE ME PERTENCE.”

Continuando a apresentar seus argumentos a partir do exemplo de Estilpão, o autor considera que a injúria pode acontecer sempre, pois é fruto da ação deliberada de alguém, mas não significa que tenha ressonância junto àquele que é sábio, capaz de suportar golpes tais como: “acusador contratado, pedras caluniosas, poderosos irritados e roubalheiras…”(idem, p. 43).

Somos humanos e, por essa razão, Sêneca entende que ninguém recebe uma injúria sem alguma perturbação, ainda que rápida, mas se esse alguém já é um sábio, mantém-se firme, bem disposto e bem-humorado, paciente e com grandeza de alma.

A partir do capítulo VII, o filósofo estóico analisará a contumélia, ou insulto, uma ofensa menor, mais queixume do que maldade ou vingança.

Os melindres e os desejos de destaques não atendidos, quando interiorizados, tornam algumas pessoas alteradas emocionalmente e que passam a se apresentar como indivíduos soberbos e insolentes.

CONTUMÉLIA é palavra derivada do vocábulo “desprezo”, diz o autor em destaque. Os indivíduos que agem movidos por essa emoção são denominados de “adultos criançolas”, o que hoje chamaríamos de indivíduos imaturos, que mesmo se encontrando na fase adulta fisiológica, mantêm fortes traços comportamentais infantilizados.

O sábio reage a esses como quem enfrenta crianças que brincam de modo desagradável, exigindo corrigenda. A reação do sábio é como a do médico diante do paciente que manifesta sua fraqueza e criancice. O médico é seguro e o sábio reage com segurança às contumélias diversas, às grosserias, tentativas de corrupção e até bofetadas, por identificar a infantilização de seus autores.

Nos capítulos seguintes, Sêneca comenta a fragilidade do enlouquecido Imperador Calígula ao enfrentar e fomentar as contumélias e destaca as reações sábias dos gregos Sócrates e Antístenes.

Finalmente, com grande sabedoria, o filósofo estóico recomenda que não nos fixemos nessas pequeninas coisas sob pena de comprometermos nossa tarefa de realizar as coisas necessárias à aquisição da sabedoria, pois não há quem não esteja apto a desferir a contumélia, já que ela está ao alcance de todos.

De modo brilhante, conclui que há o aspirante a sábio e o verdadeiro sábio diante das injúrias e insultos. O primeiro é o homem, o segundo é o sábio. O primeiro luta, o segundo já desfruta da vitória.

O recado final de Sêneca fica para meditação de todos nós:

“CUIDA ENTÃO DE DEFENDER O LUGAR QUE A NATUREZA TE OUTORGOU.”

Que lugar é esse? A sabedoria.

PALAVRAS FINAIS

Nesses tumultuados dias onde em nossa comunidade as acusações, ofensas e contumélias se apresentam entre nós, somos todos chamados, absolutamente todos, a meditar em torno das nossas atitudes e sentimentos nos relacionamentos que travamos no interior das Casas e do próprio Movimento como um todo. As recomendações do Evangelho à luz da Doutrina Espírita aí estão a nos esclarecer quanto ao melhor caminho a seguir nos difíceis e intrincados processos de convivência social, naturalmente reveladora de conflitos, porque humana. Evidente que devemos, por outro lado, desenvolver estratégias e criar espaços de discussão em torno de questões sobre as quais precisamos de esclarecimento ou possuímos pensamento divergente. Isso, porém, é responsabilidade de todos, a ser construída coletiva, fraternal e sabiamente, como diriam os estóicos.

Bibliografia:
JAPIASSÚ, H. & MARCONDES, D. Dicionário Básico de Filosofia. 3ª ed. RJ: Jorge Zahar ed., 1996.
SÊNECA. A Constância do Sábio. SP: ed. Escala , 2007.

Fonte: site do Divaldo Franco.

::Dago & Rosas Heft::

22/03/2015


O Dago Schelin, leitor da Mineirinha, sobre quem falei aqui e aqui, é um brasilemão. Seus antepassados emigraram da Alemanha para o Brasil nos anos 1920. E ele fez o caminho inverso, morando desde 2013 em Marburg e, com o relembrar da língua alemã, voltam também à lembrança as canções alemãs da infância. São canções que a mãe e a avó delem cantavam. Algumas são conhecidas como Guten Abend, Gute Nacht de Brahms. Boa parte das músicas já nem são mais lembradas pelo povo alemão. Mas foram guardadas, como numa cápsula do tempo, por gerações de imigrantes no Brasil. Ele as misturou com Bossa Nova e está divulgando um projeto verdadeiramente binacional Brasil-Alemanha! Segundo o Dago, a previsão do lançamento do CD é junho. As gravações estão sendo feitas na Alemanha e no Brasil (o samba na Alemanha e o clássico no Brasil) :-)

Leia mais sobre o projeto do Dago aqui, dê um like aqui na página do Facebook do projeto dele. O resgate cultural, ainda mais praticado por um brasiemão como ele, merece todo o nosso apoio! Em tempo: aqui tem mais um outro projeto do Dago, o Living Room.

Aqui uma pequena amostra do Rosas Heft, comparado com a música tradicionalmente conhecida aqui na Alemanha:

::Capas dos próximos livros da Mineirinha::

22/03/2015

O que vocês acham das capas dos próximos trabalhos da Mineirinha? Alguma ideia quanto a cores e visual? A autoria é da talentosa designer brasileira, minha amigaCeci! Obrigada e beijos de domingo!

Mineirinha_365_Redescobrindo

::Comparação de países por expatriados::

14/03/2015

No ano passado, participei de uma pesquisa onde mais de 9.000 expatriados analisaram a qualidade de vida em mais de 100 países espalhados pelo mundo. Os resultados de 2014 podem ser encontrados aqui (em inglês). É possível analisar vários pontos entre um país e outro, já que os dados da pesquisa são bastante abrangentes. Os primeiros lugares, em termos gerais, estão ocupados pelos seguintes países:

– Suíça
– Singapura
– China
– Alemanha

O Brasil ficou no 32°lugar.

Os resultados da pesquisa podem ser baixados em PDF. Há também a possibilidade de ler muitas dicas de expatriados, espalhados pelo mundo todo. Uma dica interessante, por exemplo, é esta aqui:

“Tenha certeza que a grama não vai ser mais verde, só terá uma outra tonalidade de verde.”

Nunca sairemos só ganhando por morar no exterior, mas estaremos em busca de nossos sonhos, p. ex. de melhores condições de vida e/ou de maiores chances profissionais. Por outro lado, deixamos um pouco (ou muito) de nós do outro lado do mundo. Por isso, a grama nunca vai ser só mais verde, mas diferente. Bonito e sensato pensar assim!

::Viver e trabalhar na Alemanha – dicas em português::

14/03/2015

DiaconiaAchei um documento da Diaconia alemã sobre viver e trabalhar na Alemanha, escrito tanto em português como em alemão. Ele lida com temas como o aprendizado do idioma, moradia, trabalho, escola, seguros sociais, cultura e lazer e pode ser baixado como um documento PDF aqui. Em tempo: o mesmo documento existe em 6 outros idiomas, a saber: espanhol, búlgaro, grego, italiano, polonês e romeno.

Segundo informações que constam na página da Diaconia, o documento pode ser solicitado também impresso na Diakonie Rheinland-Westfalen-Lippe, através da Sra. Anke Arend (e-mail: a.arend@diakonie-rwl.de).

::Trabalho na Alemanha – Reconhecimento de Diplomas Estrangeiros::

13/03/2015

A Priscila, brasileira sem passaporte europeu, para quem prestei consultoria através da Connex Consulting e que conseguiu um emprego aqui na Alemanha, teve a bondade de escrever um texto com várias dicas para os que estão buscando a oportunidade de trabalhar por aqui. Tenho certeza de que muitos ficarão bastante gratos pelas dicas! Muito obrigada, Priscila!!!

°°°

Quando nos aventuramos a mudar de país e procurar trabalho uma série e pessoas querem contribuir com opiniões e experiências e isso é bem normal. O problema que na maioria das vezes essas contribuições vêm carregadas de pessimismo e achismo. Então o primeiro passo para quem busca trabalho fora do país é se organizar, estudar o mercado, insistir muito e não dar ouvidos aos pessimistas de plantão. O ser humano tem uma capacidade infinita de conseguir o que deseja, mesmo quando o sonho parece impossível e quando outras pessoas já tentaram e não conseguiram, pense nisso!

Para quem quer conseguir trabalho aqui na Alemanha existem uma série de questões que precisam ser tratadas antes mesmo de sair do Brasil. Se você tem alguma possibilidade de conseguir uma cidadania de algum país da zona do euro, recomendo ir atrás. Isso facilita muito a vida aqui para conseguir trabalho, evita um monte de burocracia para você e para o seu empregador. E se você já possui cidadania de algum país da Comunidade Européia (EU) evidencie isso no seu CV, você pode incluir ao lado das suas nacionalidades algo como “EU Pass” (significa Passaporte da Comunidade Européia) . Eu não tinha essa opção então fui pelo caminho mais longo mesmo, no final também deu certo.
Existem duas trilhas para fazer quem quer trabalhar na Alemanha. A primeira é o reconhecimento acadêmico, esse é destinado a pessoas que possuem nível superior de ensino.

A segunda é o para pessoas que não possuem nível superior de ensino porém possuem demais cursos e experiência na área de atuação. Nesse caso você deve verificar a lista de documentos exigidos e demais informações na Câmara da Industria e Comércio através do site http://www.ihk-fosa.de/ (o site está traduzido para várias línguas inclusive para o espanhol e o inglês).

Para fazer o reconhecimento acadêmico (nível superior de ensino) ainda no Brasil, você precisa preparar a sua documentação escolar para ser reconhecida na Alemanha (Zeugnisbewertung ou Zeugnisannerkennung). O processo de Reconhecimento do diploma tem o objetivo de verificar a instituição de ensino cursada, a carga horária e matérias e assegurar que elas são equivalentes a de uma instituição de ensino alemã. Quando você consegue o reconhecimento de um diploma, isso significa que você pode exercer a profissão ou atividade que o diploma lhe confere em todo território alemão. Esse processo é feito na Alemanha e tem demorado de 3 a 6 meses, então assim que você chegar na Alemanha já preencha os formulários e envie os documentos para não perder tempo, ok?

Para verificar se a sua instituição de ensino é passível de ser reconhecida faça a pesquisa no site do Kultusministerkonferenz/ANABIN através do seguinte link http://anabin.kmk.org/no_cache/filter/institutionen.html
Se sua instituição de ensino está na lista ANABIN ótimo! Agora você precisa preparar a sua documentação, isto é, autenticar, traduzir e legalizar o seus documentos. Calma calma, vou te explicar o que significa cada coisa e como fazer.
A autenticação é o processo feito no cartório que a sua instituição de ensino tem firmas abertas, cada asinatura do seu diploma deve ser autenticada, gerealmente são os pró-reitores de graduação e secretárias do curso que assinam o diploma, informe-se a sua universidade eles vão lhe informar aonde os funcionários que representam a universidade tem firma aberta. Se seu diploma foi emito no Brasil esse processo deve ser feito obrigatoriamente no Brasil.
Primeiramente é necessário autenticar no cartório todas as assinaturas do diploma e do histórico escolar (aquele que tem as matérias cursadas, carga horária e notas). Não se trata de cópia autenticada, as autenticações das assinaturas devem estar no verso dos documentos originais.

Daí você me pergunta, eu preciso preparar (autenticar, traduzir e legalizar) os meus diplomas e históricos desde o Ensino Fundamental (antigo 1° Grau)? Depende, você precisa preparar a documentação do grau que você deseja convalidar e do grau anterior. Por exemplo, se você quer convalidar o seu grau de pós-graduação é necessário que você prepare a documentação da pós-graduação e da graduação.

As vezes o ZAB* dentro do Kultusministerkonferenz pede adionalmente uma cópia simples (sem autenticação e sem tradução) do diploma e do histórico do grau que antecede o grau que você já enviou. Isso aconteceu comigo, eu entreguei a documentação da pós-graduação e da graduação e depois recebi um email do ZAB* pedindo uma cópia simples do diploma e histórico do Ensino Médio (antigo 2° Grau). Meu processo ficou parado até eu enviar essa cópia simples pelo correio, então como dica já mande essa cópia simples junto com os demais documentos.
Depois de fazer a autenticação das assinaturas você deve solicitar a tradução juramentada desses documentos. Os profissionais que podem fazer tradução juramenta são os tradutores públicos e interpretes comerciais matriculados nos órgãos competentes. É bom pesquisar, pois os preços podem variar consideravelmente. A lista de tradutores juramentados do seu estado você encontra geralmente nos sites das juntas comerciais (por exemplo no estado de São Paulo o site é o da JUCESP).

De posse da tradução juramentada e dos documentos originais com assinaturas autenticadas em cartório você já pode fazer a legalização desses documentos. Quem faz a legalização dos documentos são os consulados da República Federal da Alemanha no Brasil. Você pode pesquisar o Consulado mais próximo de você através do site: http://www.brasil.diplo.de/

As instituições na Alemanha, tanto as que fazem reconhecimento do diploma quanto as Universidades, não aceitam receber documentos originais, por isso você deve fazer cópia dos documentos originais e das traduções juramentadas e pedir a autenticação dessas cópias no Consulado da Alemanha no Brasil. Normalmente a legalização tem um custo mas se você comprovar no consulado alemão que você está indo fazer um curso na Alemanha eles fazem esse processo de graça, não é ótimo? Você pode também autenticar as cópias aqui mesmo na Alemanha nas prefeituras das cidades, você pagaá em torno de € 2,50 por documento. Ufa, a parte da preparação ds documentos no Brasil está finalizada!!!
É importante que você leve contigo para a Alemanha os documentos originais. Eu fui orientada pelo consulado da Alemanha no Brasil a não levar os dcuments originais. Mas quando cheguei na Alemanha me entrei no processo de convalidação de diploma para trabalhar e me candidatei à várias universidades e para cada uma tive que enviar um conjunto de cópias autenticadas, mas eu não tiha cópias suficientes, foi uma super correira. Tive que pedir pro meu procurador no Brasil copiar novamente os documentos ir até o consulado com os originais e cópias para autenticar e me enviar tudo pelo correio. Se eu tivesse os origias em mãos eu mesma teria resolvido, muio mais rápido.
Bom agora que você já está na Alemanha está de posse de todos os documentos necessários para poder trabalhar na sua profissão você deve entrar no site da ZAB. A ZAB (Zentralstelle für ausländisches Bildungswesen) é o órgão que faz o reconhecimento acadêmico dentro do Kultusministerkonferenz. Acesse o site a seguir para se informar da documentação, formulários, valores e endereços:
http://www.kmk.org/
http://www.kmk.org/zab/zeugnisbewertungen-fuer-auslaendische-hochschulqualifikationen.html
Os custos são em torno de € 200,00 para autenticação de um grau (exemplo grau de graduação) e graus adicionais custam cada € 100,00. Geralmente apenas a convalidação da graduação é suficiente, mas se você como eu não trabalha na área da sua graduação e sim a área da sua pós-graduação então peça a convalidação da pós-graduação. Só pra exemplificar eu fiz graduação em física, mas sempre trabalhei na área de adminstração de empresas e depois de algum tempo de formada fiz uma pós-graduação em Administração de Negócios (Certificate in Business Administration – pós-graduação lato sensu ou especialização).
Eu tive alguns problemas para convalidar os meus diplomas, depois de mês e meio que eu tinha enviado toda a documentação a ZAB me devolveu um email falando que não poderiam convalidar o meu grau de pós-graduação mas não falaram o porquê. Então pedi pra um amigo alemão ligar lá e entender o porquê da recusa. E na verdade ele descobriu que haviam várias razões………………..rs

Primeiramente a minha instituição de ensino (pós-graduação) não estava na lista do site do Kultusministerkonferenz/ANABIN. Na verdade a instituição tinha mudado de nome, o nome antigo estava mas o nome novo não constava na lista (http://anabin.kmk.org/no_cache/filter/institutionen.html).
Além disso pela análise que eles fizeram nos meus documentos eles concluíram que o nível de Certificado era equivalente a uma graduação e não equivalente a uma pós-graduação.
O terceiro ponto foi que o grau de Certificado (pós-graduação especialização) não é muito conhecido pelos alemães. Pós-graduação pra eles é o mestrado (Master) e o doutorado (Promotion) e só!
Então meu amigo e eu fizemos uma defesa pautada em três pontos, eu só contribui com as idéias ele que redigiu tudo:
1- Explicamos a alteração do nome da Instituição, pedi uma declaração da instituição em inglês, anexamos um link do Wikipedia e um link do site da própria instituição que explicava a mudança de nome (site versão em inglês);
2- Detalhamos o que é o grau Certificado, explicamos que um dos prés-requisitos para cursar a especiazilação é ter o diploma de graduação (anexamos link da instituição de ensino com os pré-requisitos em inglês). Adicionalmente detalhamos a diferença entre pós-graduação Lato Sensu (especialização) e Stricto Sensu (mestrado, doutorado e pós-doc), anexamos o link a seguir: http://portal.mec.gov.br/index.php?id=13072:qual-a-diferenca-entre-pos-graduacao-lato-sensu-e-stricto-sensu&option=com_content
3- Olha a sorte: Encontramos uma faculdade aqui da Alemanha que oferecia o curso de Certificate in Business Administration, tudo bem que carga horária era maior que o curso que eu havia feito no Brasil mas mesmo assim eles não poderiam legar desconhecimento da pós-graduação Lato Sensu dado que aqui mesmo na Alemanha o curso é oferecido. Se interessar a faculdade que ofere o Certificado em Business Adm é a FH Lübeck.

Dados todas essas explicações e comprovações através dos sites depois de um mês de muitas cobranças por e-mail e por telefone recebi um e-mail avisando que a convalidação estava pronta e que eu só precisa efetuar o pagamento para que a documentação me fosse enviada, uhuuuuu consegui!!!!

Ta vendo, deu bastante trabalho, cheguei a pensar que não conseguiria, mas é isso aí, temos que insistir, persistir e não desesperar para alcançar!!! Na próxima oportunidade vou conversar sobre como foi a procura por trabalho aqui na Alemanha até a obtenção do tão sonhado visto de trabalho, mas isso é outra história…………………….rs.
Espero que tenham gostado e até mais! Priscila Furtado

*ZAB – Zentralstelle für ausländisches Bildungswesen (ZAB) dentro do Kultusministerkonferenz. Acesse o site a seguir para se informar da documentação, formulários, valores e endereços:
http://www.kmk.org/
http://www.kmk.org/zab/zeugnisbewertungen-fuer-auslaendische-hochschulqualifikationen.html
Para profissões regulamentadas como médicos, professores e advogados o processo de convalidação é específico e por tanto a ZAB pode pedir informações adicionais.

Instituições de auxílio
1-Consulado Geral do Brasil – Existem 3 Consulados do Brasil na Alemanha (Berlim, Frankfurt e Munique). Eles possuem uma área de coordenação acadêmica que auxilia bastante com respeito aos trâmites de convalidação de diplomas e questões acadêmicas de forma geral. Tive um retorno por email muito rápido e consegui tirar muitas dúvidas.

Abaixo segue o contato da coordenação acadêmica de Munique:

Consulado Geral do Brasil em Munique
Sonnenstr. 31
80331 München
+49 (0)89 210376-39
csf.munique@itamaraty.gov.br

2-AWO (Arbeiterwohlfahrt)- http://www.awo.org – É uma instituição que possui escritórios por toda Alemanha e que entre muitos serviços a estrangeiros auxilia no processo de convalidação de diplomas e reconhecimento profissional. Rocomento fortemente você marcar um agendamento e conversar com os profissionais e expor o seu caso (não se emporte com o seu domínio da língua alemã) com certeza vou vai ter ótimo auxílio, ahhh é de graça!!!

::Comemoração do Dia Internacional da Mulher – Evento Mulheres pela Paz em Augsburgo::

12/03/2015

paz

Participei no sábado passado, dia 07/03/15, pela segundo ano consecutivo, do evento em comemoração ao Dia Internacional da Mulher em Augsburgo, organizado pela escritora brasileira infanto-juvenil e Embaixadora da Paz Alexandra Magalhães Zeiner. O tema desta vez era Mulheres pela Paz.

Enquanto as crianças se divertiam com atividades recreativas, o chefe do Departamento de Meio Ambiente, Integração e Intercultura, Reiner Erben, representante da cidade de Augsburgo, explicou que há 365 anos comemora-se naquela cidade da Baviera a Festa da Paz (Friendensfest). De acordo com a programação enviada pela curadora do evento, dentre as grandes cidades alemãs, somente em Augsburgo existe um feriado para festejos sobre a  PAZ! Assim em 2015 este foi o tema escolhido para celebrar o Dia Internacional da Mulher: Mulheres pela Paz – Frauen für den Frieden. Apresentaҫões e exposições sobre o tema escolhido fizeram parte do programa, com a presenҫa de mulheres, crianças e também de alguns homens, de escritoras vivendo em várias partes do mundo e de associações internacionais que divulgam a cultura brasileira no exterior.

Um dia antes, 06/03/15, as celebraҫões tinham sido iniciadas com um Sarau da Paz, que ocorreu na biblioteca municipal de Göggingen, onde artistas e escritores convidados apresentaram seus trabalhos para a comunidade local. Infelizmente não pude estar presente a este evento, mas ouvi dizer que tinha sido um sucesso.

No evento do sábado passado, enquanto as crianças presentes se divertiam com atividades recreativas, a escritora e embaixadora do Panamá na Áustria, Gloria Young, falou tão bem do papel da mulher latino-americana, as conquistas políticas, comentando que atualmente quatro mulheres ocupam os cargos de presidência em seus países latino-americanos e também citando vários exemplos de movimentos sociais liderados por mulheres. Ela deixou bem claro que a busca por participação social não deve ficar na cúpula do poder, mas deve ser buscada a cada dia, no local onde a mulher se encontra inserida. Já a terceira palestrante, Rosemarie Mantel, professora de música clássica em Augsburgo, falou sobre o tema Artes e Paz interior. Ela citou o exemplo de sua mãe, que cresceu em uma família erudita, que tocava piano e fazia saraus de literatura e música, quando a Segunda Guerra a fez ter que recomeçar uma nova vida em uma pequena cidade da região de Allgäu, naquela época já com sua própria família de 7 cabeças, afirmando que o fato de ela ter mantido o hábito de tocar piano a fazia ter consciência da necessidade de ter, a cada dia, um momento reservado só para si, quando ela recarregava as baterias, não tinha que se ocupar em dar desculpas por não estar cuidando de outra coisa que não dela mesma como ser humano, e do hábito permitir que a família respeitasse seu limite auto-imposto na busca da paz interior.

Depois da pausa, onde saboreamos vários salgadinhos brasileiros feitos pela também mineira Marlice Boese, que por sinal estavam muito gostosos, tivemos três mesas de discussão, a saber:

– Artes e Paz (Marcia Mar, atriz e escritora, de Londres);

– Educaҫão (Casa Brasil de Lichtenstein e a Imbradiva de Frankfurt);

– Empreendedoras (Rosani Erhart Schlabitz, de Munique).

Escolhi o tema da Educação e achei muito interessante a discussão tomada na nossa mesa. A intenção era analisar qual era o papel da educação na busca da paz, não só a paz na sociedade, mas também a paz interior. No final, chegamos a uma conclusão bonita, que fechou bem nosso dia: toda mulher precisa do seu próprio “piano”, de algo que a descanse, seja só dela, onde ela possa recarregar as baterias e se permita estar só consigo mesma, sem culpa. Quem se dá esta permissão, está em paz consigo mesmo, e por consequência, estará apto a buscar a paz a um nível mais amplo.

Eu acabei demorando alguns dias para escrever este texto, e por coincidência ganhei hoje um presente com relação ao meu “piano” principal, a escrita e leitura, que combina bastante com o tema do evento. Uma leitora, a Keila, deixou uma mensagem linda, que me honrou muito, e que pra mim é um verdadeiro presente de final do dia:

“…Querida Sandra, por favor um pão de queijo e uma xícara de café :) Obrigada!!!! Não existe expressão maior que eu possa começar esse comentário, que não seja: Muito obrigada!
Seu livro esteve comigo durante alguns meses, recebi, e o guardei em minha gaveta, porque atualmente tenho algumas prioridades estabelecidas, dentre elas, renovar em mim o hábito da leitura. Tenho 3 filhos, a rotina de mãe integral não me permite tanto tempo à minha própria disposição, a maternidade é algo muito sério pra mim. Mas confesso que sinto falta de um mundo particular, por algumas vezes. Por essa razão, estou reorganizando minha rotina, tentando redescobrir como posso ser um pouco de mim, mesmo após 3 filhos na Alemanha. Foi nesse processo, que fiz um desafio particular, comigo mesma de ler e escrever, como fazia antes do casamento e tantas mudanças que aconteceram em mim após embarcar pra Alemanha. Nessa busca por tempo, finalmente consegui abrir minha gaveta, que guarda algumas de minhas prioridades como leitura. Nessa semana na segunda-feira, comecei com você. Em cada página, a leitura se tornava mais e mais convidativa, e emocionante, porque ler sempre fez parte de mim, mas hoje minhas prioridades estão direcionadas quase que totalmente aos filhos. Lamentavelmente, li seu livro em pouco menos que 24 horas, foi incontrolável não se emocionar contigo, e mesmo comigo por ler e ter um tempo pra si outra vez. Que venham mais livros, mais capítulos em forma de mais páginas, porque sua linguagem singela, alcança de forma única o coração do leitor. Um abraço de uma manauara na Alemanha, Keila”

Não é linda esta mensagem? E foi um sentimento parecido que tive como escritora durante o evento do sábado passado. Vendi e troquei todos os livros que levei, vendi até livro a mais do que tinha levado, sobraram comigo só as propostas de capas para meus próximos livros que tinha levado para mostrar no evento, conheci outras escritoras lindas, recebi convites para apresentar meu livro em Frankfurt, com a Imbradiva, e em Lichtenstein, com a Casa Brasil. Foi muito proveitoso mesmo! Conheci e revi muita gente fina. Como num momento mágico, ouvi de relance o nome de uma cidade mineira onde tenho família, Ipatinga. Comentei que tenho família lá, no Horto, uma prima tem uma floricultura, meus primos são dentistas. E qual não foi minha surpresa quando a Polliana perguntou se a Denise era minha prima! Achei no meio da Alemanha uma amigona da minha super amigona-prima Dê! Não é incrível?!? Tiramos uma foto juntas e mandamos pra ela conferir!… O dia continuou com coincidências porque comprei uma revista qualquer pra ler e dei de cara com um dos melhores artigos que já li sobre a busca do eu interior, e portanto da paz interior. Eu e Daniel encontramos na viagem de volta com algumas famílias que tinham vindo nos mesmos trens para Augsburgo, agora esperando pelo mesmo trem que nos levaria de volta para casa. Dentro do último trem, a última supresa do dia: dentre tantos vagões, caímos por acaso em um onde duas brasileiras estavam ao nosso lado, que logicamente conheciam alguém que eu conheço… O mundo é um ovo. A paz pode estar em todo lugar, mas tem que ser buscada, com afinco e dedicação, todo dia, o tempo todo.

Alexandra, muito obrigada novamente pelo convite! Já estou feliz hoje pelo evento do ano que vem!

P.S.-Quem tiver ficado curioso sobre o evento, pode dar uma passada na página da Mineirinha n’Alemanha no Facebook e dar uma olhada nas fotos.

::Fase de descobertas::

27/02/2015

Estou passando por uma fase de descobertas. Bastante introspectiva para quem gosta de escrever. Mas estou trabalhando – sempre que posso e tenho inspiração – em três novos projetos, que serão anunciados aqui quando chegar a hora.

Fiz uma atualização na Connex Consulting com relação a referências do meu trabalho de consultoria, relatando quem já contratou meu trabalho e que resultado foi alcançado. Caso tenha ficado curioso(a), confira aqui.

Tenho lido muito, visto filmes e documentários que me levam a pensar muito sobre a vida, o aqui e o lá, as possibilidades do ser humano e de uma vida ética, democrática, livre, saudável, plena. Alguns dos filmes: Die andere Heimat (A outra Pátria, sobre a emigração de alemães para o Brasil, bem difícil de entender devido ao dialeto, beeeemmm longo mas também muito interessante), Never Sorry do Ai Weiwei (imperdível!!!!) e neste momento estou assistindo uma documentação sobre o Stephen Hawking. Muito admirável a vida deste homem!

Desejo a todos um excelente final de semana e ótimas descobertas!

::A hierarquia dos direitos::

09/01/2015

Tenho muitos amigos virtuais com quem adoro trocar ideias. Nunca os vi pessoalmente, mas eles enriquecem – e muito – a minha vida. Um deles é o autor deste texto aqui, Fernando Cavalcanti, de Recife:

Betinho: “Pode explicar esse atentado de ontem na França? E por que tanta comoção?” Eu: “Sim. Ontem terroristas metralharam 12 pessoas na redação da revista satírica francesa Charlie Hebdo, e isso vem sendo encarado como um atentado à liberdade de imprensa. O motivo é que essa revista, há algum tempo, publicou charges sobre o profeta Maomé. Recebendo ameaças de morte de grupos fundamentalistas islâmicos, seu editor-chefe, Stephane Charbonnier, o ‘Charb’, respondeu que não se retrataria, pois considerava a liberdade de expressão, inclusive a de zombar (‘moquer‘) de pessoas e idéias, como mais sagrado para a democracia do que qualquer religião. E que preferia morrer de pé do que viver de joelhos. Ontem ele foi um dos jornalistas assassinados.” Betinho: “Horrível. Mas, tio, eles também provocaram, né? Você sempre me ensinou a respeitar as crenças dos outros. Se tivessem ficado quietinhos, nenhum mal lhes teria acontecido.” Eu: “Seu raciocínio parece lógico, mas é errôneo e perigoso.” Betinho: “Por quê?” Eu: “Porque só leva em conta a questão mais superficial, que é a da ação e reação, e negligência a principal, que é o da hierarquia dos direitos.” Betinho: “Como assim?” Eu: “Uns direitos são mais valiosos do que outros. O direito que merece o maior respeito é o direito à vida, pois é a base de todos os demais. Logo, achar que o fato de alguém desrespeitar as suas idéias lhe dá o direito de responder matando essa pessoa é tão absurdo como considerar que o fato de alguém jogar lama na sua cabeça lhe dá o direito de reagir arrancando a cabeça dele.” Betinho: ” Eu nunca defenderia um assassinato. Quis dizer que é preciso respeitar a religião e a cultura dos outros.” Eu: “E eu sempre ensinei vc a ter esse respeito. Mas quero que vc aprenda a respeitar em primeiro lugar a vida alheia; Em segundo, os bens materiais alheios; Em terceiro, a expressão das idéias alheias; E, por último, a fé alheia.” Betinho: “Você, tão religioso, considera o respeito à fé alheia o menos importante de todos?” Eu: “Sim. Porque minha vida e meus bens materiais podem ser facilmente destruídos por qualquer um; Minhas idéias podem ter sua expressão impedida pelos governantes; Mas minha fé é um presente todo particular em minha vida, que só eu mesmo posso me dar ou abandonar. Ela não pode ser destruída, pois é imaterial. E sua expressão não pode ser reprimida, pois ocorre diretamente entre mim e Deus.” Betinho: “Nunca tinha pensado nisso! Que a fé, quando é forte, não precisa de proteção!’ Eu: “A fé, quando é forte, dá proteção. E coragem. E é isso que diferencia o mártir do fanático: o fanático está pronto a matar por sua fé; o mártir, que é o verdadeiro crente, a morrer por ela. Nesse sentido, Charb e seus colegas, ateus e irreverentes, mas que morreram defendendo desarmados suas idéias, foram muito mais religiosos do que a maioria das pessoas que diz ter fé.” Betinho: “Que Deus os tenha!” Eu: “E nos faça nunca esquecer seu exemplo.”


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 732 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: