::Tributo ao Gilberto::

31/05/2020

Se você também é expatriado, se lembra de alguma coluna no jornal que adorava ler quando ainda morava no Brasil? Eu me lembro nitidamente de ler com grande frequência a coluna na Folha de São Paulo de alguém que formou minha opinião, me inspirou e me mostrou várias formas de ter uma opinião crítica quanto ao que acontece no Brasil e no mundo. O nome desse cara é Gilberto Dimenstein, que nos deixou tão cedo para outro plano ontem, dia 29 de maio de 2020.

Talvez alguém ache que ele morreu de coronavírus, mas na realidade morreu da doença que já o acometia há algum tempo, que era um câncer no pâncreas. Fiquei sabendo da morte dele pela Monja Cohen. As notícias correm meio mundo rapidinho, não é mesmo?

Além de mim, eu tenho certeza que ele plantou várias outras sementinhas por aí na cabeça de muitas outras pessoas preocupadas com a democracia e com uma sociedade mais justa, humanitária e mais crítica, em todos os sentidos. Salve, Gilberto! Que você esteja muito bem aí do outro lado, agora nos reconfortando do outro lado, do plano espiritual.

O Gilberto nos deixou aos 63 anos. Foi colunista da Folha de São Paulo durante 28 anos. Participou do programa de liderança avançada de Harvard e é o idealizador do site Catraca Livre, eleito o melhor blog de cidadania em língua portuguesa pela Deutsche Welle. Dentre vários prêmios que ele ganhou, está o Prêmio Nacional de Direitos Humanos junto com dom Paulo Evaristo Arns e o Prêmio Jabuti, por sua obra de não-ficção, com a obra O Cidadão de Papel – A infância, a adolescência e os Direitos Humanos no Brasil.

“Grande parte da minha vida foi marcada pelo culto a bobagens: ganhar prêmio, assinar matéria na capa, o tempo todo pensando no próximo furo. É como se estivesse passando por um lugar lindo num trem em alta velocidade, vendo tudo borrado.

Quando você tem um câncer (ainda mais como o meu, de metástase e de pâncreas, um tipo muito agressivo), não há alternativa. Ou vive o presente ou sua vida vira um inferno.

E aí começam a aparecer coisas incríveis. Gosto de andar de bicicleta, e comecei a sentir o vento no rosto, como se estivesse sendo beijado. Você vê seu neto deitado com você. Acorda com os bem-te-vis e escuta os bem-te-vis.“

“Ser feliz é ser livre”.

Que você esteja bem feliz e bem livre aí do outro lado, Gilberto! Muito obrigada por tudo!

Outra fonte: site da Wikipedia de Gilberto Dimenstein.

::Compartilhando empatia::

30/05/2020

Em tempos de coronavírus, ao olharmos para a nossa situação, facilmente chegamos à conclusão de que temos muito a agradecer, não é mesmo?

Que tal se apoderar desse sentimento positivo e fazer o bem, não importa a quem, e participar da Campanha Compartilhando Empatia da Evoé?

Você pode ajudar uma família de 4 pessoas com a doação de uma cesta básica. Com a sua contribuição, essas pessoas terão, além dos itens básicos da cesta, produtos de higiene, álcool gel e biscoito para as crianças. 

Para contribuir, também de forma anônima se você quiser, é só clicar aqui.

::Por que o número de infectados na Alemanha continua a cair, apesar das medidas estarem menos rígidas?::

29/05/2020

Algumas razões pelas quais o número de infectados está caindo na Alemanha, apesar das medidas estarem cada vez menos rígidas:

1 – Os alemães mantêm a distância social;

2 – A obrigatoriedade de usar máscaras está fazendo efeito;

3 – As secretarias de saúde seguem com afinco os focos de ocorrência da doença e procuram identificar doentes, isolá-los e minimizar o quadro da melhor maneira possível;

4 – O verão desacelera o vírus. O calor e o sol são conhecidos por dificultarem a propagação de gripes e resfriados.

5 – O declínio dos números de infecção também pode estar indicando o início do fim da pandemia.

Que assim seja!

Não há fonte mais fiável na Alemanha do que os dados do Robert Koch Institut. Há casos isolados sim, não há dúvida, mas no geral, creio que pode-se afirmar que as medidas têm sido um sucesso na Alemanha e o número de infectados está caindo. O que logicamente não significa que devamos deixar nossa responsabilidade de lado. Aqui os dados do RKI de 28.05.20, descrevendo a situação atual da pandemia na Alemanha, em alemão e em inglês.

Fonte: Reportagem da GMX no dia 29/05/20 e relatório do RKI de 28.05.20.

::UniCorre::

28/05/2020

Sensacional essa ideia da Universidade da Correria! Que mais e mais seres humanos inventem iniciativas assim!

Dica da minha amiga Cris. Obrigada!

Corações & poesias

27/05/2020

“Isso é impossivel”

Afirma o medo

“Há muito risco”

Diz a experiência

“Não faz sentido”

Fala a dúvida

“Vai lá e tenta!”

Sussurra o coração

Arte, arte, arte! Vamos inundar o mundo de arte! Também da arte de acreditarmos em nós mesmos! ❤️❤️

Arte da minha amiga, Christiana Scholter, que tem como tema central corações das mais variadas cores e formas. ❤️❤️@heartart_herzkunst_christina

::Entrevista entre amigas no Brasil e na Austrália::

24/05/2020

Que delícia assistir duas amigas batendo papo na internet! Parece que eu estou bem pertinho delas! Ainda tenho que desvirtualizar a Mirella, heim?!? A-D-O-R-E-I a entrevista, principalmente a parte das dicas, com as quais eu só posso concordar! 🙂

::Olá, Ciência!::

24/05/2020

Esses meninos são fera! Me lembraram muito o tipo de apresentação do Instituto Robert Koch aqui na Alemanha!

No vídeo abaixo, eles analisam cientificamente a situação do coronavírus em BH e em MG.

Dica da minha amiga cientista Alessandra. Obrigada, querida!

::Quem pode entrar na Alemanha no momento?::

24/05/2020

A lista de quem pode entrar até o dia 15 de junho está bem clara: alemães e estrangeiros com residência no país. Exceto algumas exceções que vc pode ler aqui.

::Honra de Brasileiro::

24/05/2020

Meu livro Mineirinha n’Alemanha foi indicado como um dos livros essenciais para entender a Alemanha e os alemães.

Que honra! A indicação foi feita pelo Celso, da página Batatolândia. Agradeço!

Detalhe: olhem o nome dos outros indicados e encontrarão alguém beeeeeem famoso!…

Dica: pra quem tem Amazon Unlimited, todos os meus livros não custam nada. Se quiserem o Mineirinha com autógrafo, envio daqui de casa. Foi escrito em 2008, mas a grande maioria dos textos é atemporal. Vai por mim que você vai gostar de ler!

::Ensinamentos diários::

22/05/2020
Coleção Descoberta do Homem, edição de 1964

Em uma das minhas idas ao Brasil achei em algum canto da casa este livro despencando, perdendo a capa, meio comido pelo tempo. O trouxe comigo para a Alemanha, sabendo que tinha encontrado um tesouro, mas não o abri desde então e não li nada do seu conteúdo. Gosto tanto de livros que só por saber que existem, meu coração já se sente bem!

Compramos um novo móvel para a biblioteca. Nos últimos dias minha filha me deu a tarefa árdua de me despedir de alguns livros. Tenho agora uma caixa cheia de livros para doação. Quem tiver lido até aqui e tiver interesse em ganhar um, deixe um comentário. Envio só dentro da Alemanha. Tenho romances, livros de vários assuntos, dicionários, livros para aprender alemão, etc. etc. etc.

De qualquer maneira não separei o livro acima, tendo o reservado pra colar a capa com durex pra que ele avance os anos em minha companhia. Aproveitei pra abri-lo e achei tesouros logo nas primeiras linhas:

Falando de um amigo que morreu: “Aceitei a morte. Guillaumet não mudará mais. Nunca mais estará presente, mas também nunca mais estará ausente”.

Falando de refugiados (e da nossa condição de expatriados): “Quero ser um viajante, não um emigrante. Aprendi tantas coisas em minha pátria que serão inúteis em outros lugares. Mas eis que meus emigrantes tiravam do bolso a pequena caderneta de endereços, os restos de sua identidade. Fingiam ainda ser alguém. Agarravam-se com todas as forças a alguma significação. “Sabem, eu sou fulano de tal, diziam eles… sou de tal cidade… amigo de sicrano… conhecem sicrano?”

Abrindo outra página, achei uma pequena anotação com a minha letra de jovem. Já li o livro no passado! Na minha anotação, anotei a seguinte passagem:


%d blogueiros gostam disto: