Posts Tagged ‘pandemia’

::Lançamento: é hoje!::

26/11/2020

“Por acaso” hoje, Dia de Ação de Graças (pelo menos nos EUA), tem lançamento da obra que foi onde contei um milagre que aconteceu durante a quarentena. Vai ser hoje às 19h no Brasil, 23h na Alemanha, no site do Instagram da editora e livraria Páginas.

::Compromissos de quarentena::

19/11/2020

Vocês já chegaram à conclusão que seus armários estão cheios demais? Na realidade, precisamos só de algumas peças de roupa para sermos felizes! Kkkkkk…. Ainda mais porque todos temos aquelas peças de roupa que adoramos, e invariavelmente usamos. Não importa o que mais esteja dando sopa lá dentro do armário!… Lavamos, dobramos as peças… e as usamos de novo!

E os compromissos de quarentena, estando o dia inteiro em casa? Fiquei nos imaginando se nos filmássemos como em um jogo do SIMS. Levantamos e saímos do quarto pro banheiro, de lá vou pra sala ou pra cozinha trabalhar, quando me dá fome começo a fazer o almoço, quando quero dar uma descansada avanço no meu crochê, assisto um pouco de noticiário ou de Netflix na sala… Os gatos pedem para sair na varanda, abro a porta. Que frio! Mas olha, lá fora até que o dia está bonito, por alguns segundos o sol deu as caras. Tirei foto dele pra ele não achar que eu não o percebi hoje, tão sorrateiro! Do laptop do trabalho pulo para o meu laptop privado, passo para o encontro das primas, uma nos EUA, duas no Brasil e eu na Alemanha. Esta semana tive gravação de podcast, fui indicada para participar de uma entrevista sobre dicas de viagens para o canal Volta ao Mundo em 80 Fotos. Participei do quarto, já era tarde, a iluminação não deve ter ficado lá essas coisas!… Mas o bate papo foi legal! Depois tem mais! Tive a primeira aula de ioga com o meu grupo de sempre pelo Zoom, depois de ajudar a professora a colocar o sistema pra funcionar. Outro dia uma amiga de Frankfurt, a Silvana, me indicou uma aula de Zumba (Zuuuuummmm…. ba! Zumba no Zoom, como diz o meu marido) da qual acabo de participar. Que astral, heim Ana Paula Baiana! Pulando pra lá e pra cá com uma bandeira alemã e outra brasileira nas costas! Eu volto pra mais uma aula! E na semana que vem tem tarô, se eu gostar, indico aqui também!

Vocês notaram como nós seres humanos, e neste quesito acho que nós brasileiros damos exemplo de flexibilidade) somos rápidos para se adaptarem ao novo? De um segundo para o outro tudo continua no mundo virtual, só mudamos de cômodo e de vestimenta dentro de casa. Um ode à nossa flexibilidade!

Deixa eu ir que tenho encontro com meu grupo de crescimento pessoal, e depois vou continuar a última lida antes da impressão do meu novo livro, o HERstory – escreva a sua história! Continuamos escrevendo as nossas histórias, mesmo dentro das quatro paredes. E o fato de podermos respirar um ar sem medo, nos dá força para continuar e sorrir para a vida, para o momento presente. Um presente!

::Histórias da Quarentena::

28/10/2020

Chegou! E gente, ficou emocionante! Quer viajar nas experiências de 20 autores falando de tudo que viveram na pandemia? Amor, surpresas, descobertas, angústias, renovações, de tudo um pouco, como na vida! O e-book custa só 15 reais ou 3€ e cá pra nós, é mais barato do que chocolate, não engorda e muito pelo contrário: preenche sua alma de esperança. Quer coisa melhor?!? Adquira direto comigo!

Aqui a sinopse completa da obra: 


Isolamento, pandemia, quarentena, vírus, medo… Mas também mergulhos internos, reflexões, descobertas, insights… Nossas autoras (e autores) passeiam por suas emoções e traduzem em palavras seu sentimentos e conflitos, compartilhados por todos no planeta neste indefectível ano de 2020. O vírus nos trancou em casa e o recado da mãe Terra foi bem claro: “Vocês não são necessários”.

No prefácio, uma história dramática de quem encarou a covid-19 frente a frente. Como sobreviver? Quais lições aprendemos? Sairemos desta experiência modificados? A leitura dos diferentes relatos traz respostas variadas a estas indagações. Um livro para ser guardado e mostrado às gerações futuras.

Edição: Liberty Books

Organização e coordenação editorial: Silvia Prevideli e Silvia Regina Angerami

::Enquanto isso…::

01/10/2020

Li hoje no newsletter da revista alemã Der Spiegel que enquanto o mundo se põe louco tentando sobreviver a Trumps, Bolsonaros ou Orbáns, muita gente se distrai assistindo a discursos da Angela Merkel, mesmo não entendendo nenhum alemão. Dizem que assistir programas onde ela discorre sobre temas de maneira lógica e ponderada faz com que as pessoas fiquem mais calmas!

O artigo dizia o seguinte de uma alemã que mora nos EUA: “Eu assisto as falas da Angela Merkel para pelo menos me dar um sentimento de normalidade. O meu terapeuta faz o mesmo – e ele nem entende alemão.”

Acima, a chanceler Angela Merkel explica um modelo de cálculo de por que é tão necessário controlar o crescimento dos casos de coronavírus.

::Aprenda a argumentar contra o populismo de direita::

02/09/2020

Comprei este livro hoje depois de ler uma reportagem na revista Der Spiegel que uma pessoa física comprou o livro, o leu e resolveu dá-lo de presente para todos os 709 deputados do parlamento alemão. Detalhe: o dinheiro e o trabalho de empacotar e distribuir ficou por conta dessa pessoa!

Nem li muito ainda do livro, mas como o assunto é URGENTE e temos, como sociedade, que fazer algo ativamente contra o populismo de direita, aqui vai a minha dica do dia: compre, presenteie, empreste, pegue emprestado, entre na associação através da qual ele foi criado, discuta, aprenda, argumente – sempre com educação – contra um mal que parece estar nos matando de fininho nos dias atuais… Boa leitura!

::Lugares Apaixonantes pelo Brasil::

29/08/2020

Um mês de campanha, 1.150 e-books adquiridos, mais de R$ 42 mil arrecadados e cinco projetos beneficiados. Um em cada região brasileira.

Pra gente, os números representam mais do que doações. Representam união, solidariedade, amor multiplicado exponencialmente e confiança em nosso trabalho. Aos que já doaram, obrigada de coração ❤️

Iniciamos a segunda rodada solidária entre as regiões do Brasil. Chegou a vez de apoiar os índios do Norte de nosso país. Mais de duas mil pessoas que moram em comunidades indígenas na região já pegaram Covid.

Sua doação será integralmente destinada ao Conselho Indígena de Roraima (CIR), que representa 246 comunidades no estado. Com o lote de R$ 10 mil, a instituição comprará kits de higiene, álcool em gel, máscaras e cestas básicas.

Ajude a ajudar: faça parte dessa corrente com sua contribuição e receba em troca nosso ebook solidário “Lugares Apaixonantes pelo Brasil” para se inspirar a percorrer pelo nosso país quando for seguro viajar!

Para contribuir, acesse: https://combatecovid.org/guiasolidario

Projetos já beneficiados: Turiarte – Pará, Favela Orgânica – Rio de Janeiro, “Os Pimenteira” – Piauí, Mães da Favela, CUFA – Goiás, Associação de Artesãos da Costa Doce – Rio Grande do Sul).

Contribua você tbém! 👍🤗❤️🇧🇷

::Lugares Apaixonantes pelo Brasil::

01/08/2020

Mais um projeto 100% voluntário e solidário do qual participei, junto de 70 produtores de conteúdo espalhados pelo Brasil e pelo mundo! Vem pra mostrar como é LINDO o nosso Brasil e apoiar pessoas em situação de vulnerabilidade. Já atingimos 35% da meta! Contribua você também e conheça 135 destinos no Brasil! 🇧🇷❤️

Onde acessar: por meio do link https://combatecovid.org/guiasolidario 

Como contribuir: o e-book será distribuído como recompensa para quem fizer uma doação a partir de R$ 10 para a iniciativa, valor mínimo para cobrir os custos da plataforma. Qualquer valor acima disso será muito bem-vindo! 🙏🥰🇧🇷🦋🌈

Produtores de conteúdo participantes do projeto.

Leia aqui o release completo e mais detalhes do projeto. Contribua! Vc vai amar, garanto! ❤️

::Tem novo livro vindo por aí!…::

20/07/2020
Não percam o lançamento! No livro, conto a história de superação do meu marido, Matthias. 🥰
Invitation for the launch of the new anthology where I tell my husband’s overcoming story. ❤️

Clique aqui para acessar o link do lançamento no Zoom.

::Balanço de fim de quarentena::

06/06/2020

Chegando ao fim da minha quarentena de 14 semanas, penso que é um bom momento para fazer uma avaliação de como foi viver praticamente só em casa durante 3 meses. Semana que vem volto a trabalhar no escritório, ainda que de forma reduzida e dentro do “novo normal”.

Partes boas da quarentena do coronavírus:

– Aprendi mais sobre mim, sobre o mundo, História, Geografia, Psicoterapia, Consultoria, etc.;

– Tive contato constante com amigos e familiares, me importei com muitos e muitos se importaram comigo. Mesmo distante, estive relativamente perto de entes queridos;

– Tive a oportunidade de fazer 3 cursos de desenvolvimento pessoal e espiritual com algumas experiências inesquecíveis!

– Fiz novas (ou fortaleci) amizades através desses cursos;

– Ganhei um quadro maravilhoso de uma das participantes!

– Dei o pontapé inicial ao meu projeto de uma plataforma de empregos na Europa, a CONNEXX (página em inglês);

– Dei 2 entrevistas (Celso da Batatolandia e Silvia Regina Angerami) e participei de 3 workshops e 2 encontros como facilitadora no mundo virtual (Carlotas, D.L. e Caravana Cloud) – com a repetição estou me acostumando com a câmera e aceitando que não tenho que ser perfeita para aparecer online;

– Participei de alguns eventos online que em tempos normais teriam sido presenciais. Em alguns deles eu não teria podido estar presente pela distância física, mas a distância virtual é mínima!

– Aprendi a mexer com novos sistemas como o Zoom, que agora uso diariamente;

– Atendi 7 coachees – um deles já conseguiu um emprego no meio da quarentena!;

– Comecei e avancei bem no meu novo projeto de livro (HERstory – escreva a sua história);

– Meu livro Mineirinha n’Alemanha foi escolhido pelo Celso do Batatolândia como um dos 6 livros mais importantes para entender a Alemanha e os alemães (fui colocada ao lado de João Ubaldo Ribeiro!);

– Escrevi uns 5 poemas, participei de um grupo lindo de poetas publicando poemas maravilhosos no Facebook;

– Escrevi para uma poeta americana e ganhei um poema de presente com as perguntas que tinha colocado pra ela;

– Entrei para 2 coletâneas (poesias, turismo no Brasil);

– Estou participando de um concurso de contos com um conto sobre a pandemia;

– Ganhei um novo local de trabalho com direito a vista e a ouvir e ver os passarinhos cantando lá fora;

– Voltei a fazer crochê (e estou amando!);

– Por incrível que pareça, eu emagreci uns 3 quilos!

– Fiz bons passeios pelas redondezas, voltei ao lago com maior admiração ainda, continuo admirando cada flor que passa por mim (ou eu por ela) e fiz algumas aulas de ioga pela internet (queria ter feito mais);

–  Tive alguns sonhos (dormindo e acordada) fantásticos!

– Ouvi muita música e dancei sozinha principalmente na cozinha;

– Participei pela 1ª vez de uma festa de aniversário pelo Zoom (em setembro tem mais! A minha própria!);

– Vi muitos nasceres do sol e tirei fotos lindas deles, fiz vídeos que vão ficar na memória porque, mesmo sem entender, dormia pouco e acordava várias vezes às 5h da manhã, às vezes com um poema inteiro na cabeça;

– Li alguns livros ótimos;

– Troquei 4 livros com autores brasileiros na Alemanha;

– Ganhei alguns livros do universo de estandes de livros para doação espalhadas pelo meu bairro!

– Constatei que os valores da empresa onde eu trabalho realmente batem com os meus! E fiquei muito feliz por isso!

– Contribuí da maneira que pude com as mazelas do mundo;

– Plantei algumas coisinhas na horta suspensa (Hochbeet) da minha varanda, iniciei um projeto de hidroponia;

– Tomei muito sol lá fora, protegida pela altura do meu apê;

– Arrumamos uma nova estante de livro em casa, com a grande ajuda da minha filha – ficou linda!

– Fiz várias boas comidas em casa;

– Passamos um ótimo tempo juntos em casa;

– A minha filha conseguiu seu primeiro emprego na sua área de estudos!

– A muito custo, mantive minha sanidade mental durante esse período… nunca senti tanta felicidade em rever pessoas como agora! Se eu pudesse, as encheria de beijos e abraços agora mesmo!

Partes ruins da quarentena do coronavírus:

– Sofrer triplicado: pelo mundo, pela Alemanha, pelo Brasil. Meu sofrimento começou já em janeiro na China, chegou ao nível máximo na época da Espanha e da Itália (porque inventei de ler um jornal em italiano e ver o sofrimento nu e cru de gente morrendo por lá por falta de leitos) e se abrandou com o tempo, tendo piorado de novo agora com os novos acontecimentos (morte do George Floyd nos EUA e aumento do número de mortos além da ocupação máxima em leitos no Brasil). Com o tempo, entendi que um certo controle no nível de notícias (e no formato delas, mais auditivo por rádio e menos televisivo por visão) me fazia bem.

– Temer por meus familiares e amigos principalmente no Brasil… Nossas mãos estão atadas!

– Voltei a consumir como há muito não consumia (provavelmente de ansiedade)…

– Não ter plena liberdade de ir e vir. Sinto falta de mar, do barulho do mar, da liberdade de poder viajar para onde quiser, mas sei que continuo com 100% de liberdade de pensar o que quiser.

– Perdemos uma viagem de férias à Espanha e deixamos de ver familiares por causa da pandemia;

– Principalmente quando a quarentena estava chegando ao fim notei em mim um certo nível de ansiedade ao ver estranhos vindo andando na minha direção (troquei de lado da rua várias vezes ao ver pessoas se aproximando);

– Acho que nunca vou me acostumar ao “novo normal”;

– Algumas vezes dormia mal, muitas vezes esquecia os sonhos ao acordar, mas a recompensa dos nasceres do sol foi algo que me acrescentou muito;

– Como toda pessoa normal nesse mundo, fiquei estarrecida ao ver fotos de uma morte de um negro nos EUA de maneira tão desumana (não tive coragem de ver o vídeo) e de certa maneira acho que o mundo está indo ladeira abaixo a passos larguíssimos em alguns pontos…

– Lamento que, por muitas vezes, os países tenham cooperado tão pouco entre si e que as linhas imaginárias entre eles estejam tão claras nas cabeças de tantos seres humanos…

– Lamento que muitos países não tenham uma liderança como a da Angela Merkel, que foi exemplar durante este tempo de crise!

Para ser sincera, tenho um pouco de medo do futuro mas ao mesmo tempo vejo essa experiência global como uma grande oportunidade de crescimento individual e coletivo. Pelo menos para mim, ela foi, ou ainda está sendo, sem sombra de dúvida, fonte de bastante crescimento em vários sentidos! Apesar de tudo, tenho uma premonição positiva para o mundo depois da crise do coronavírus! Na realidade sinto as duas frentes se debatendo, o bem e o mal, e espero, com imensa esperança, que o bem vença, e que saiamos desta crise mais fortes do que entramos.

::Compartilhando empatia::

30/05/2020

Em tempos de coronavírus, ao olharmos para a nossa situação, facilmente chegamos à conclusão de que temos muito a agradecer, não é mesmo?

Que tal se apoderar desse sentimento positivo e fazer o bem, não importa a quem, e participar da Campanha Compartilhando Empatia da Evoé?

Você pode ajudar uma família de 4 pessoas com a doação de uma cesta básica. Com a sua contribuição, essas pessoas terão, além dos itens básicos da cesta, produtos de higiene, álcool gel e biscoito para as crianças. 

Para contribuir, também de forma anônima se você quiser, é só clicar aqui.


%d blogueiros gostam disto: